O que me motiva



Todo mundo deve ter um motivo para levantar da cama, principalmente no inverno; para ir trabalhar, pegar o ônibus, pagar o aluguel, regar as plantas, ir dormir e repetir o roteiro rotineiramente. Alguns tentam amenizar o saldo negativo, outros acumulam para um dia, nunca planejado, aproveitar. Mas há alguns motivos que não constam nos contratos assinados.
Falo de sorrisos. Quando você recebe seu salário e, em pouco tempo, ele se esvai de sua vista, no mínimo, já poderíamos nos dar por satisfeitos. Dinheiro, como muitos dizem, é problema e solução. O que conquistamos com o dinheiro não se leva para qualquer lugar que não seja as nossas lembranças (não ser que tenhamos memória curta, daí recorremos às fotos que postamos nas redes ou coisas do tipo).
Confesso que tenho sido relapso nos esquecimentos. Por alguns instantes deslembro que durmo ao lado de um sorriso. Apesar disso, diferente do que buscamos para que o dia funcione com todas as suas engrenagens e códigos, esse sorriso não depende de um motivo particular que não seja o meu próprio sorriso. Algo automático, que já sorria até mesmo quando eu não tinha motivos sinceros para levantar da cama.
Quando me lembro desse sorriso eu trabalho melhor, respiro melhor, até minhas dores não são tão doídas. E pensar que esse sorriso vivia há mil quilômetros de mim! Acho que é bem isso ai, pois não corremos atrás do que queremos como loucos, para se acomodar tristes. Os percalços são normais durante as nossas conquistas também. Nada do que plantamos num dia e colhemos no outro não necessitará de cuidados ali adiante. É por isso que levantamos da cama. Pelos seres humanos. Pelos mesmos motivos que eles também se levantam por nós. Quanto mais sorrisos, melhor estamos trabalhando.
E o meu sorriso se chama Daniele (e a Sophia também).
Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: