Vivendo pela fé

"O justo viverá pela fé." Habacuque 2: 4

Estas palavras que ocorrem primeiro em Habacuque são citadas em Gál. 3:11 e novamente em Hebreus 10:38. Eles expressam uma grande verdade que tem um significado especialmente rico e importante no evangelho.

I. Primeiro explicarei o sentido em que todos os homens vivem pela fé; e

II. O sentido em que os justos vivem pela fé.

I. A fé não é meramente um estado intelectual. É mais do que uma mera convicção ou estado de ser convencido. Nós não alcançamos a ideia radical até chegarmos ao coração, e até encontrarmos neste termo, fé, a confiança do coração - uma confiança na qual o coração repousa sobre a palavra ou caráter de alguém considerado digno de confiança. É um fenômeno da vontade - ser necessariamente uma coisa de livre escolha, se recusaremos ou não a confiança, supondo-se que a inteligência veja uma boa razão para tal confiança.

Em sua significação genérica, pode ser aplicada a qualquer coisa em que repousemos confiança. Qualquer exercício mental em que nos entregamos para acreditar e confiar é fé.

Todos os seres inteligentes vivem pela fé em alguma coisa. As criancinhas vivem pela fé, e é impressionante observar o quanto isso é verdade para elas. De fato, as pessoas que não refletem, de maneira alguma, concebem como este princípio é e deve ser universal, e quão necessário é a existência de seres sociais e conscientes. Até as criancinhas precisam aprender a ter fé no uso de seus músculos, do contrário não se arriscariam a confiar em si mesmas. Nem qualquer homem sadio comeria sua comida diária, a não ser pela fé. Ele tem fé em seu cozinheiro que ela não o envenenou. Ele deve ter fé que esta comida lhe fará bem e não o matará. Sem fé, os homens não ousariam deitar-se para dormir. Eles devem ter alguma confiança em seus semelhantes de que lhes será permitido dormir sem serem assassinados. De fato, os homens não se atreveriam a fazer qualquer coisa que implicasse repouso pacífico, a menos que vivessem pela fé. Sem fé, não poderia haver repouso mental - nada além de solicitude intensa e insone. Neste estado nenhum homem poderia viver. Suas próprias preocupações desgastariam seus nervos e esmagariam seu sistema físico.

Todas as famílias devem viver pela fé, ou melhor, não poderiam viver sem ela. Mesmo um navio pirata não poderia ser gerenciado sem ele. Um velho ditado diz: "Há honra entre os ladrões"; e, obviamente, se não houvesse, não poderia haver talento como ladrões organizados, ou associação de malícia de qualquer tipo. Aqueles que precisam da ajuda ou simpatia dos outros em seu empreendimento precisam necessariamente viver pela fé.

É surpreendente ver quanta fé existe em cada coisa. Olhe para os homens em qualquer lugar em qualquer relação - você os vê vivendo pela fé. Se vocês, jovens, não tivessem fé, vocês não estariam tentando obter educação. A sociedade não poderia se dar bem de qualquer forma que pudesse assumir sem fé. Os agricultores não plantariam nem semeariam; ninguém daria trabalho por causa de bons resultados futuros; nada poderia ser feito - sem fé. Se a fé cessar completamente, a raça deve perecer. Você ficaria surpreso, se refletisse, em ver quão cedo toda a raça deveria perecer se a fé cessasse. A fé é o grande segredo de seu ser - a condição subjacente de sua existência continuada.

Sem fé não superamos obstáculos, pois não fazemos esforços. E quem não sabe que nunca realizamos nada de útil sem esforço? Todas as coisas úteis, então, devem ser desfeitas, se não fosse pela fé. Deus constituiu o universo de tal forma que a fé deve estar em exercício ou, então, que seus processos necessários devem ser detidos e a ruína cair sobre todos os seres criados.

Por outro lado, na proporção em que a fé existe, a sociedade se move admiravelmente. Um exército, unido em disciplina forte e perfeita, deve seu vínculo de força à fé. Uma escola bem ordenada, diligente em busca de seu nobre trabalho, vive pela fé. Uma família, de forma amável promovendo os interesses uns dos outros, acompanhando trabalhos e cuidados úteis, tem seu poder central na fé.

É claro que estou falando aqui apenas de fé no sentido genérico, não no religioso. Se a confiança realmente existe, em todas essas relações multiformes, então tudo dá certo; tudo se move suavemente. Mas se falta fé, tudo está errado, necessariamente e eternamente.

É comum que os céticos zombem do cristianismo, porque isso dá muita importância à fé. Eles parecem supor que não precisam de fé em nada. Seria fácil mostrar que, de todos os homens, os céticos religiosos devem ser mais crédulos e devem ter mais fé, de algum tipo. A principal peculiaridade no caso deles é que, tendo rejeitado a luz e a evidência da verdade por meio de sua radical inimizade de coração contra ela, eles estão fechados à necessidade de acreditar nas coisas sem evidência e contra as evidências como seu único recurso. Eles são obrigados a acreditar que "pular no escuro" na morte é o melhor final da vida humana.

Mas eu devo passar deste assunto e continuar a perguntar,

II. O que é fé religiosa?

Difere de outras religiões em seus objetos, mas não essencialmente em sua natureza. Mas devo primeiro dizer que os cristãos têm naturalmente fé como outros homens e mulheres. Eles têm a mesma fé em um sentido geral que é comum à sociedade e à natureza humana em todos os lugares.

Eles também têm mais do que isso - eles têm uma fé cristã, pela qual eles vivem uma vida cristã. O segredo desta vida cristã é a fé que eles possuem no Filho de Deus. Essa fé "funciona por amor". Sua confiança em Cristo, em tudo o que ele diz e faz, une suas almas com ele e gera amor incessante.

Sua confiança na benevolência de Cristo a torna uma realidade presente para suas almas e, portanto, a influência de tal presença de amor não pode deixar de inspirar um amor correspondente em seus corações para com Cristo e seu povo e, de fato, para com todas as criaturas. Assim, eles se tornam conscientes do amor afetivo e emocional. Sem confiança em Deus e em Cristo, eles não poderiam viver uma vida de fé. O motivo estaria faltando. Como poderiam ter paz com Deus, exceto pela fé na expiação de Cristo como o fundamento da reconciliação? Como eles poderiam andar na força do Senhor sem fé em suas promessas extremamente grandes e preciosas? Como trazer seus corações sob a influência de todas as grandes verdades do evangelho, a menos que tenham uma fé religiosa nessas verdades?

Muitos cristãos se queixam da falta de emoção em seus exercícios religiosos, mas ignoram a grande razão de sua deficiência. Eles não parecem ver que a fonte da qual procede o fluxo forte e profundo da emoção não é outra coisa senão a fé. Veja aquela filha. Ela está aqui na escola; sua querida mãe está em casa. Ela se senta para escrever para a alma dela. Veja como sua fé no amor de sua mãe abre a grande fonte de suas emoções. O caráter dessa mãe está diante de sua mente uma realidade presente. Ela nunca pode questionar a força ou a plenitude do amor de sua mãe. Por isso, quando a atenção dela se volta para a mãe, mil pensamentos correm sobre sua mente, "e lágrimas caem espontaneamente".

É de admirar que a fé de um cristão deva inspirar de maneira semelhante suas afeições e apressar sua emoção?

Pela fé, os justos vivem uma vida de obediência. A fé funciona pelo amor e o amor inspira o coração a obedecer. A fé leva a alma a tal união e harmonia com Deus, que o amor e a obediência se tornam uma segunda natureza. Nada pode ser mais fácil e natural do que obedecer onde há amor e fé. Se você confiar em seu Pai Celestial, certamente tentará agradá-lo.

Mais uma vez, pela fé, você viverá uma vida de submissão a todas as providências de Deus. Providências adversas naturalmente cruzarão seu caminho neste estado terrestre; mas se você confiar em seu Pai Celestial, passará tranquilamente, submisso e satisfeito que aquele que governa tudo faz todas as coisas bem. Disse um homem para mim, apenas no outro dia - eu me apeguei a isso - que tudo o que ocorre para mim e para o meu funcionará para o meu bem. Se alguma perda me acontecer, seria isso de algum modo para meu ganho? Eu sei que deve ser. Se um dos meus cavalos morrer, é tudo de melhor. Deus fará isso em algum bem espiritual. Outro homem disse-me: Se eu coloco meu coração ao realizar qualquer objeto, faço esforços para isso e tenho sucesso, está tudo bem; e se eu não tiver sucesso, então está bem. Eu sei que o fracasso deve ser melhor do que o sucesso, senão Deus teria me dado o sucesso. Eu não sei se Ele me dará a melhor coisa? Não se segue que Ele estava descontente comigo por fazer os esforços que Ele achou melhor frustrar. Ele espera que eu aja de acordo com minha melhor luz e julgamento; então, se Ele vê um caminho ainda melhor e frustra meu caminho, tudo está bem. Agora eu pergunto, como esses homens poderiam sentir esse repouso e essa submissão à providência de Deus sem fé?

Assim, um homem aprende a ajustar-se à providência de Deus, como um navio no mar no topo das ondas limitantes. Se algo vier correndo pelo seu caminho e explodir seus planos, gradualmente, por sua fé em Deus, ele se ajusta à explosão e canta: "tudo está bem, pois é meu Pai!" Ele treina a si mesmo de sua primeira conversão a esse auto-ajuste pela fé, assim como o bebê em seus membros novos e destreinados, aprende a se equilibrar no centro de gravidade, ganhando novas habilidades a cada dia de prática, até que você fique surpreso de ver que evoluções ele pode fazer com a máxima facilidade e segurança. Então, na vida do cristão; o cristão confiante aprende a se ajustar repentinamente às explosões que o atingem sob as vicissitudes da providência de Deus, e mantém sua mente reta e equilibrada, por mais repentinas que sejam as mudanças que passam por ele. Ele aprende a aplicar em toda parte as grandes verdades que aprendeu de Deus. Ele sustenta praticamente que tudo que Deus faz é o melhor. Daí ele pode passar por provações com calma e resignação celestial. Ele espera finalmente sair como Jacob fez. Você se lembra de que Jacob começou dizendo: "José está morto e Simeão está morto; e você também levará Benjamim; todas estas coisas estão contra mim". O homem alguma vez cometeu um erro maior? José não estava morto, mas foi enviado ao celeiro do mundo para prover meios de subsistência não somente para a família de Jacó, mas para todas as nações. Simeon não estava morto. Todas estas coisas não eram contra ele, mas para ele, no mais alto sentido; e o bom velhinho viveu para ver com que tristeza interpretara mal os caminhos de Deus em relação a si mesmo e à sua casa. Assim, a feroz explosão fere muitas almas, e o pobre homem, fraco na fé, cambaleia sob o golpe e treme com grande medo; mas logo ele recupera sua confiança e, erguendo a cabeça acima das ondas, grita: Tudo vai bem! Que embora os relâmpagos brilhem e os trovões rugem; que escuridão e tempestade combinam seus terrores; por que ele deve tremer? Deus não está no trono, acima e acima de tudo?

Assim, o cristão vive isento de cuidados, carregando seus fardos sem distração, porque os entrega ao Senhor. No meio de negócios sempre tão complicados, sua mente descansa docemente no Senhor - sua fé fazendo com que sua alma descanse.

Ele tem paz em Deus porque ele é justificado pela fé. Sua própria alma tem paz interior, porque através da fé ele é santificado. Como ele poderia ter paz em qualquer desses aspectos se não abraçasse Jesus Cristo e seu plano de expiação revelado pelo seu sangue e limpeza pelo seu Espírito?

De igual modo, pela fé, os homens vivem uma vida alegre e uma vida útil. A fé estabelece as bases para a influência silenciosa de um bom exemplo e para a influência ativa dos esforços diretos. Você pode procurar nem sem uma fé viva.

Pela fé os homens vivem uma vida humilde. Pela fé eles aprendem a ocupar um lugar baixo. De fato, a própria idéia de fé envolve humildade; assim como a idéia de fazer tudo sozinho e não confiar a ninguém para ajudar, implica auto-suficiência e independência. O cristão é esvaziado de autossuficiência antes de poder ser cheio de Cristo. Ele vê que não tem nada do que se orgulhar; essa humildade se torna ele; e que seu espírito deve aceitar essa posição baixa antes que ele possa receber toda a plenitude da graça de seu Senhor.

Pela fé ele vive uma vida alegre. Geralmente o teor da vida de fé é alegre. Satisfeito com Deus e sua providência, por que ele não deveria ser alegre? Ele tem a oportunidade de se alegrar cada vez mais. Deus trará tais resultados gloriosos, e sua fé os antecipa de maneira tão distinta; ele não pode deixar de saber que a igreja está segura e que tudo o que ele ama na terra é seguro.

Pela fé ele vive uma vida abnegada. Se ele tem fé, ele não fará muito dos pequenos confortos desta vida. Sua alma está em coisas muito maiores e melhores. Por que ele deveria se importar com essas pequenas coisas quando as almas devem ser salvas ou perdidas? Ele pode se dar ao luxo de negar-se a quase todo conforto terrestre para salvar uma alma, ou para agradar seu Senhor e Mestre. Quando ele encontra trabalho e labuta, feliz por ir até os confins da terra na missão do evangelho, ele sabe que não tem nada a temer e nenhuma razão para antecipar a perda para si mesmo. É verdade que ele não vai em benefício pessoal; mas ele vai, profundamente consciente de que está perseguindo os objetos mais valiosos e os perseguindo porque eles são verdadeiramente valiosos. Quanto a sua própria recompensa, ele sabe que o encontra em grandes medidas em seu próprio trabalho e, quanto ao futuro, deixa ele alegremente com Deus. Sem fé, tal vida seria realmente difícil; mas com fé, por que ele deveria temer pobreza, perseguição ou vergonha? Tudo está certo - tudo está bem o suficiente. Quem não pode se dar ao luxo de se submeter a tudo isso, enquanto sua alma repousar com fé em seu Deus?

Pela fé ele vive uma vida espiritual e não apenas natural. Sua vida é espiritual, não no sentido abusivo e pervertido em que os necromantes modernos usam a palavra, mas no sentido de estar em verdadeira comunhão com o Pai e com o Filho e com o Espírito Santo. O Espírito de Deus habita em seu coração pela fé.

Pela fé ele vive uma vida de oração. É natural que ele ore. Ele ama a oração e respira enquanto respira a atmosfera. Ele tem confiança em Deus e espera bênçãos em resposta à oração. Tal homem tem razões suficientes para muita oração.

Sua vida de fé é esperançosa. Ele não é facilmente desencorajado, pois sua confiança repousa no poderoso Deus. Ele espera conseguir fazer tudo o que Deus quer que ele faça; e por que ele deveria fazer mais? Ele é um ministro do Evangelho, saindo para pregar? Ele vai esperançoso. Por que ele não deveria? Ele espera sucesso em nome do Senhor se tiver fé.

Ele pela fé levará uma vida ativa. A fé estimulará suas atividades. Sob uma fé sincera na verdade divina, como ele pode ajudar a ser ativo e zeloso? Se ele acredita na palavra de Deus, ele acreditará no temível perigo dos pecadores e no terrível destino que os aguarda. Como ele pode desistir e se abster do trabalho pelas almas, desde que ele as veja em lugares escorregadios, com ondas de fogo rolando abaixo? Não se dedicará com incansável diligência para arrancar a quem quer que seja da ruína de um pecador perdido?

A fé assegura a simpatia com Deus. Confiança em qualquer homem garante sua simpatia por ele. Então, se você tem confiança em Deus, você lhe dará as calorosas e sinceras condolências de seu coração. A incredulidade encerra o coração contra a simpatia de Deus; mas a fé abre amplamente. É maravilhoso ver como a verdadeira fé em Deus abre os caminhos da alma e deixa entrar as águas da vida e do poder espiritual.

A fé torna a vida do cristão humana. Ele o treina a olhar para todos como filhos de Deus e amá-los e cuidar deles como tais. Vendo quanta piedade e paciência Deus tem em relação às suas criaturas pecadoras, ele é atraído pela sua fé para exercer o mesmo.

Pela fé ele vive uma vida de liberdade evangélica. Ele não está ligado à lei ou ao medo. Ele não reza porque é obrigado, mas porque confia e ama. Todos os exercícios mentais corretos são espontâneos, Deus, por seu Espírito, escreve sua própria lei no coração. Seria fácil mostrar que uma vida de fé assegura todos esses resultados.

Estes resultados constituem a vida real. Por isso, vemos quão eminentemente e quão universalmente deve ser verdade que o justo viverá pela fé.

OBSERVAÇÕES
1. A fé natural - tal como os homens não convertidos têm nos homens e nas coisas - é útil à sociedade - para os fins dos negócios - para o conforto, para não dizer a subsistência das famílias. É sempre útil, mas não é virtude, pois não tem respeito a Deus, a seu caráter ou a sua lei. Pode ser bom e útil, mas não ser virtude, pois coexiste com egoísmo e inimizade para com Deus. Piratas podem, ou melhor, devem tê-lo; ainda são piratas, portanto, bons cidadãos!

Não é fé salvadora, pois não salva os homens do pecado, não serve aos homens para o céu.

2. Tanto na sua base como no exercício, a fé é perfeita no céu. Fé sendo perfeita lá, o estado da sociedade e a felicidade dos seres sencientes devem ser perfeitos. Se a fé não fosse perfeita, a sociedade, mesmo no céu, não poderia ser. Tudo está certo porque a fé é perfeita e universal.

3. Todos os homens que chegam ao conhecimento do evangelho devem viver uma vida de fé. Estranho que os homens não enxerguem seu valor e sua excelência. No início da minha vida, tomei essa visão da fé e da vida cristã. Ao estudar as grandes verdades que eles afirmam acreditar, eu disse, posso explicar o modo como os cristãos vivem pela natureza daquilo em que acreditam. Acreditando que Cristo morreu por eles, como eles podem fazer o contrário de amá-lo e viver para agradá-lo e servi-lo? Acreditando assim, eles devem, racionalmente, agir assim. Esta crença deve ser do maior valor para eles, contanto que eles vivam neste mundo, se as coisas que eles acreditam são verdadeiras ou falsas. Esse meu raciocínio não pressupunha a verdade da Bíblia, mas apenas mostrava as relações da vida cristã com essas afirmações, verdadeiras ou falsas.

Mas depois de refletir um pouco mais sobre o assunto, ocorreu-me que o próprio fato da utilidade universal dessa fé prova sua origem divina e a verdade divina das coisas em que se acredita. A fé cristã, de fato, serve aos homens para o céu; isso prova que sua doutrina é divina. Não pode ser mentira; pois nenhuma mentira poderia ter tais resultados. É impossível que um sistema possa ser falso, o que, acreditava, torna os homens tão puros e santos. Os frutos da fé cristã provam a verdade da Bíblia, portanto, a menos que aceitemos o absurdo de que acreditar numa mentira elevará os homens acima do mundo, renovará seus corações e os restaurará à imagem de Deus - e quem pode acreditar nisso?

4. Que o homem está longe de ser um filósofo, por ser um cristão que não sabe que a verdadeira fé cristã é a condição essencial da sociedade perfeita, seja neste mundo ou no mundo por vir. Deve ser a condição necessária da mente estar em um estado perfeito. Deve estar sempre presente naquela sociedade que constitui o céu.

5. A vida da fé em Cristo é peculiar demais para ser confundida. Diz-se dos cristãos que eles são um "povo peculiar". Eles têm uma fé peculiar. Acreditam em coisas que elevam a alma, purificam o coração, elevam a mente acima da influência de coisas sórdidas e a afastam das influências degradantes da sensualidade e de todas as coisas baixas e mesquinhas. A fé em Cristo deve produzir uma vida que será seu próprio testemunho. Olhe para a sociedade em qualquer lugar, e seu olho deve reconhecer o homem que vive pela fé. Tal fé como o verdadeiro cristão tem que criar uma vida tão peculiar a ponto de ser facilmente distinguida de todas as outras vidas.

6. A fé salvadora está em sua própria natureza salvadora. Muitos pensam que esta poupança é apenas um futuro - como apenas resgatar a alma quando da morte da perdição final. Este é um grande e um erro grave. Essa fé cristã é aquela pela qual os homens vivem, não aquela pela qual eles morrem. Eles são salvos aqui primeiro e salvos daqui em diante, porque eles são salvos primeiro aqui. Se a fé alguma vez salvar a alma, ela deve ser a primeira aqui. Isso os salva em felicidade no céu porque primeiro os salvou em santidade na terra.

7. Todos os homens, não grosseiramente ignorantes, podem ver a natureza e o valor da fé no evangelho. Um homem deve ser extremamente estúpido, que pode viver em um mundo onde a fé é exibida diante de seus olhos, falada ao seu redor; e ainda não estar interessado no inquérito - o que é isso? Como esses resultados são produzidos? Se ele olhar para este assunto, ele não pode deixar de ver que as verdades ensinadas no evangelho só precisam ser acreditadas, e os resultados serão do maior valor para a alma. Deixe-me perguntar a esse pecador cujos objetivos até agora nunca se elevaram acima dos meros prazeres do tempo - suponha que você não acreditasse no evangelho por si mesmo, entendendo-o em um bom grau como é; você dá-lhe crédito total, abraçando-o com todas as suas preciosas disposições e promessas, você acha que seria estranho se você dissesse então: "Eu apreciei mais em uma hora do que em toda a minha vida antes"? Vós que estão nos vossos pecados só podem conhecer as grandes coisas do evangelho. Você nunca acreditou em coisas que poderiam lhe dar mais do que um prazer febril, passageiro e enganador. Você nunca acreditou em nada de elevado, inspirador, enobrecedor. Agora, tome seu ponto de vista acima do grande oceano da verdade. Ascenda as "Montanhas Deleitadas", de onde você pode ter uma visão ampla e clara da "Cidade Celestial". Eis que há um palácio construído por Deus para os seus santos da terra. Você já viu um palácio real? Você já escaneou as paredes elevadas, as torres reluzentes, os lagos artificiais, os jardins, gramados, árvores e flores? Então, se assim for, você disse - como nobre ser dono disso! Para poder pesquisar tudo e dizer - isso é meu! Mas quando você se torna um verdadeiro cristão e abre seu coração para a fé de um cristão, você pode dizer - Tudo isso não começará a se comparar com o palácio do meu Mestre para o qual Ele me levará para casa depois de alguns dias. Isso, comparado com isso, é apenas como um merecido monturo! "Na casa de meus pais há muitas mansões." Jesus disse que ia prepará-los para nós e depois nos levaria para casa. - De fato, estaremos "em casa, na presença de Jesus". Ele pode nos dizer dez mil coisas que aconteceram antes de nascermos. Se você acreditasse que você estaria lá, seria estranho se você estivesse feliz demais para dormir esta noite? Quantas vezes ouvi dizer dentro de alguns meses por um e outro - eu tenho sido muito feliz em Deus para dormir! Um dos homens de negócios mais ativos da cidade, que tinha sido cético, foi levado a ver seus pecados e a se preocupar muito com ele mesmo. Depois de assistir às reuniões muitas noites, ele finalmente disse a sua esposa - Não me faz bem ir a essas reuniões; Eu preciso parar. Eu estou saindo da cidade hoje. Ele foi em conformidade para atender os carros, mas eis que eles tinham ido embora! Após seu retorno, sua esposa disse - Agora, por favor, vá comigo para a reunião mais uma vez. Ele consentiu; a verdade tomou conta de sua alma com poder. Ela estava orando por ele há muitos anos; e agora ele está convertido. Qual é o resultado? Ela está feliz demais para dormir e ele também! Eles têm mil coisas para falar, para contar as misericórdias do Senhor e celebrar seu amor. Não havia sono naquela casa por pelo menos uma noite. E aqui estava outro resultado mais bonito; seus dois filhos também são convertidos, e eles "se alegram, crendo em Deus, com toda a sua casa".

A razão pela qual as pessoas vivem como elas é que elas não têm fé. Eles não confiam em Deus. Eles não percebem as grandes coisas das promessas de Deus e de seu amor.

Finalmente, ninguém pode ser feliz, nem mesmo no céu, sem fé. A menos que eles possam confiar em Deus, foi em vão supor que eles podem ficar quietos e abençoados mesmo ali. Pois, nesse mundo, talvez até mais do que isso, haverá coisas trazidas à sua mente que elas não podem entender. Sob o governo de um Deus infinito deve sempre haver coisas feitas ou permitidas pelo Grande Regente de todos os que mentes tão pequenas e míopes como a nossa não podem, de modo algum, sondar. Não há alternativa, mas sim confiar ou se rebelar. Fé ou pecado - esta é a única alternativa. Quão sábio, portanto, é que Deus deve treinar seus filhos para a fé antes que ele se arrisque a levá-los para o céu! E que todos cuidem para que não peçam para ir até lá, até que tenham fé suficiente para confiar em Deus como revelado aqui! Deve ser uma coisa assustadora ir ao céu despreparada para suportar sua disciplina. Deus não levará ninguém lá, até que Ele veja que eles podem suportar isto.

Charles Finney

Disponível em Sermon Index.


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: