Lei pode impedir assassinato de produtos veganos



Brasília - Uma das modas do momento, o veganismo, que diz ser um bem aos animais, pode virar crime, segundo uma lei que tramita no Senado. De acordo com o texto, quem for pego tratando vegetais em ambientes confinados e desviando curso dos rios para cultivar plantas forçosamente serão punidos com 1 a 5 anos de cadeia.

O relator do projeto, Carninho Chuleta (Bancada do Boi/MS), diz ser um absurdo o que ocorre com a natureza neste país. "Por ano, são mortos milhões de pés de alface e couve, e boa parte disso fica na Ceasa, que mais parece um abatedouro", disse o deputado, enquanto comia uma coxinha de frango.

ONG's de defesa dos animais criticam a proposta.

"Nós sabemos que, se não fosse a indústria gadicínea, não haveria tanta mortandade de animais que sequer existiriam, daí sequer haveria sofrimento e tão pouco reclamações, ou seja, para acabar com as flatulências que poluem a camada de Ozônio, devemos matar os 200 milhões de bois em nosso país, sem que eles sofram." disse Marisa do Rosário, diretora da ONG "Menos bife, mais berinjela".

Apesar de entender que forçar a população a comer mato seria uma atitude grosseira, ela acredita que o capitalismo é o grande vilão: "Como nossos cientistas não conseguiram criar um legume tão saboroso quanto a picanha, tão pouco eliminar este empecilho evolutivo que nos permite sentir prazer em comer, ficamos a mercê desses fascistas".

Conforme a teoria de James Vegan Jr., criador do veganismo, 'quando comermos pasto o suficiente para nos tornarmos bois, não haverá tanta violência' - o que não se pode dizer das flatulências.

A proposta pode ser aprovada caso nenhum defensor dos animais prove que exista vegano pobre.

Por: Professor Papai Noel.

~

Via Diário Chinelo
Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: