Restaurando a Relação Criador-Criatura

Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus! Sobre toda a terra esteja a tua glória! 
Salmo 57: 5 (NVI)

É um truísmo dizer que a ordem na natureza depende de relacionamentos corretos; Para alcançar a harmonia, cada coisa deve estar em sua posição adequada em relação ao outro. Na vida humana não é diferente.

Sugeri anteriormente, nesses capítulos, que a causa de todas as nossas misérias humanas é um deslocamento moral radical, um transtorno em nossa relação com Deus e uns com os outros. Para qualquer outra coisa que a Queda possa ter sido, certamente foi uma mudança brusca na relação do homem com seu Criador. Ele adotou para Deus uma atitude alterada e, ao fazê-lo, destruiu a própria relação criador-criatura, na qual, desconhecida para ele, estava sua verdadeira felicidade. Essencialmente, a salvação é a restauração de uma relação correta entre o homem e seu Criador, trazendo de volta ao normal a relação criador-criatura.

Uma vida espiritual satisfatória começará com uma mudança completa na relação entre Deus e o pecador; não uma mudança judicial meramente, mas uma mudança consciente e experimentada que afeta toda a natureza do pecador. A expiação no sangue de Jesus torna tal mudança judicialmente possível e o trabalho do Espírito Santo a torna emocionalmente satisfatória. A história do filho pródigo ilustra perfeitamente esta última fase. Ele havia trazido um mundo de problemas para si mesmo, abandonando a posição que ele tinha como filho de seu pai. No fundo, sua restauração nada mais era do que um restabelecimento da relação pai-filho, que existira desde o nascimento e fora temporariamente alterada por seu ato de rebelião pecaminosa. Esta história ignora os aspectos legais da redenção, mas deixa bem claro os aspectos experienciais da salvação.

Na determinação dos relacionamentos, devemos começar em algum lugar. Deve haver em algum lugar um centro fixo contra o qual todo o resto é medido, onde a lei da relatividade não entra e podemos dizer "IS" e não fazer concessões. Tal centro é Deus. Quando Deus faria o Seu Nome conhecido pela humanidade Ele não poderia encontrar melhor palavra do que "EU SOU". Quando Ele fala na primeira pessoa Ele diz: "EU SOU"; quando falamos d'Ele, dizemos: "Ele é"; quando falamos com ele, dizemos: "Tu és". Todo mundo e tudo mais mede a partir daquele ponto fixo. "Eu sou o que sou", diz Deus, "não mudo".

Quando o marinheiro posiciona sua posição no mar "atirando" no sol, podemos obter orientação moral olhando para Deus. Nós devemos começar com Deus. Estamos certos quando e somente quando estamos em uma posição correta em relação a Deus, e estamos errados até agora e enquanto permanecermos em qualquer outra posição.

Grande parte de nossa dificuldade como cristãos em busca vem da nossa falta de vontade de aceitar a Deus como Ele é e ajustar nossas vidas de acordo com isso. Insistimos em tentar modificá-lo e aproximá-lo de nossa própria imagem. A carne choraminga contra o rigor da inexorável sentença de Deus e implora, como Agague, por um pouco de misericórdia, um pouco de indulgência de seus modos carnais. Não adianta. Podemos começar de maneira correta apenas aceitando a Deus como Ele é e aprendendo a amá-lo pelo que Ele é. À medida que passamos a conhecê-lo melhor, achamos que é uma fonte de alegria indescritível que Deus é exatamente o que Ele é. Alguns dos momentos mais arrebatadores que conhecemos serão aqueles que passamos em reverente admiração à Divindade. Nesses momentos sagrados, o próprio pensamento de mudança Nele será doloroso demais para suportar.

Então, vamos começar com Deus. Acima de tudo, acima de tudo, antes de tudo é Deus; primeiro em ordem sequencial, acima em posto e posto, exaltado em dignidade e honra. Como o auto-existente, Ele deu ser a todas as coisas, e todas as coisas existem dele e para ele. "Tu és digno, ó Senhor, de receber glória e honra e poder: pois tu criaste todas as coisas, e para o teu prazer elas são e foram criadas."

Toda alma pertence a Deus e existe pelo Seu prazer. Sendo Deus quem e o que Ele é, e sendo nós quem e o que somos, a única relação pensável entre nós é a de pleno senhorio da Sua parte e completa submissão à nossa. Nós devemos a Ele toda honra que está em nosso poder para dar a Ele. Nossa dor eterna está em dar-lhe algo menos.

A busca de Deus irá abraçar o trabalho de trazer nossa personalidade total em conformidade com a Sua. E isso não judicialmente, mas na verdade. Não me refiro aqui ao ato de justificação pela fé em Cristo. Eu falo de uma exaltação voluntária de Deus a Sua posição apropriada sobre nós e uma rendição voluntária de todo o nosso ser ao lugar de submissão de adoração que a circunstância criador-criatura torna apropriada.

No momento em que decidimos que estamos indo com essa determinação de exaltar a Deus sobre tudo, saímos do desfile do mundo. Nós nos encontraremos fora do ajuste aos caminhos do mundo, e cada vez mais, à medida que progredimos no caminho sagrado. Adquiriremos um novo ponto de vista; uma psicologia nova e diferente será formada dentro de nós; um novo poder começará a nos surpreender com seus surtos e suas saídas.

Nossa ruptura com o mundo será o resultado direto de nossa relação modificada com Deus. Pois o mundo dos homens decaídos não honra a Deus. Milhões chamam a si mesmos pelo Seu Nome, é verdade, e pagam algum respeito simbólico a Ele, mas um simples teste mostrará quão pouco Ele é realmente honrado entre eles. Deixe o homem comum ser colocado à prova da questão de quem está acima, e sua verdadeira posição será exposta. Que ele seja forçado a fazer uma escolha entre Deus e dinheiro, entre Deus e os homens, entre Deus e a ambição pessoal, Deus e eu, Deus e o amor humano, e Deus tomará o segundo lugar a cada vez. Essas outras coisas serão exaltadas acima. No entanto, o homem pode protestar, a prova está nas escolhas que ele faz dia após dia ao longo de sua vida.

"Sê exaltado" é a linguagem da experiência espiritual vitoriosa. É uma pequena chave para abrir a porta para grandes tesouros da graça. É central na vida de Deus na alma. Deixe o homem buscador chegar a um lugar onde a vida e os lábios se juntem para dizer continuamente "Sê exaltado", e mil problemas menores serão resolvidos de uma vez. Sua vida cristã deixa de ser a coisa complicada de antes e se torna a própria essência da simplicidade. Pelo exercício de sua vontade, ele definiu seu rumo e, nesse curso, ele permanecerá como se guiado por um piloto automático. Se for desviado por um momento por algum vento adverso, ele certamente retornará novamente como por uma inclinação secreta da alma. Os movimentos ocultos do Espírito estão trabalhando a seu favor, e "as estrelas em seus cursos" lutam por ele. Ele encontrou seu problema de vida em seu centro, e tudo mais deve seguir adiante.

Que ninguém imagine que ele perderá qualquer coisa de dignidade humana por meio da venda voluntária de tudo a seu Deus. Ele não se degrada como homem; em vez disso, ele encontra seu lugar certo de alta honra como alguém feito à imagem de seu Criador. Sua profunda desgraça estava em sua desordem moral, em sua usurpação não natural do lugar de Deus. Sua honra será provada restaurando novamente esse trono roubado. Ao exaltar a Deus sobre tudo, ele considera a sua mais alta honra mantida.

Qualquer um que se sinta relutante em entregar sua vontade à vontade de outro deve lembrar-se das palavras de Jesus: "Todo aquele que comete pecado é o servo do pecado". Precisamos ser necessariamente servos de alguém, seja para Deus ou para o pecado. O pecador se orgulha de sua independência, ignorando completamente o fato de que ele é o fraco escravo dos pecados que governam seus membros. O homem que se entrega a Cristo troca um cruel escravo por um gentil e gentil Mestre, cujo jugo é fácil e cuja carga é leve.

Feito como éramos à imagem de Deus, dificilmente achamos estranho tomar novamente nosso Deus como nosso Todo. Deus foi nosso habitat original e nossos corações não podem deixar de se sentir em casa quando entram novamente naquela antiga e bela morada.

Espero que esteja claro que há uma lógica por trás da reivindicação de preeminência de Deus. Esse lugar é Seu por todos os direitos na terra ou no céu. Enquanto nós tomamos para nós mesmos o lugar que é Seu, todo o curso de nossas vidas está fora do comum. Nada restabelecerá ou poderá restaurar a ordem até que nossos corações tomem a grande decisão: Deus será exaltado acima.

"Aqueles que me honram honrarei", disse Deus uma vez a um sacerdote de Israel, e essa antiga lei do Reino permanece hoje inalterada com o passar do tempo ou com as mudanças da dispensação. Toda a Bíblia e toda página da história proclamam a perpetuação dessa lei. "Se algum homem me servir, ele honrará meu Pai", disse nosso Senhor Jesus, ligando o velho ao novo e revelando a unidade essencial de Seus caminhos com os homens.

Às vezes, a melhor maneira de ver uma coisa é olhar para o seu oposto. Eli e seus filhos são colocados no sacerdócio com a condição de que honrem a Deus em suas vidas e ministrações. Isso eles não conseguem fazer, e Deus envia Samuel para anunciar as conseqüências. Desconhecido para Eli esta lei da honra recíproca tem sido o tempo todo trabalhando secretamente, e agora chegou a hora de o julgamento cair. Hophni e Phineas, os sacerdotes degenerados, caem em batalha, a esposa de Hophni morre de parto, Israel foge diante de seus inimigos, a arca de Deus é capturada pelos filisteus e o velho Eli cai para trás e morre de pescoço quebrado. Assim, a completa e completa tragédia seguiu-se ao fracasso de Eli em honrar a Deus.

Agora, coloque tudo contra esse quase qualquer personagem da Bíblia que honestamente tentou glorificar a Deus em sua caminhada terrena. Veja como Deus piscou em fraquezas e negligenciou fracassos quando Ele derramou sobre Seus servos graça e bênção não contada. Que seja Abraão, Jacó, Davi, Daniel, Elias ou quem você quiser; honra seguiu honra como colher a semente. O homem de Deus colocou seu coração para exaltar a Deus acima de tudo; Deus aceitou sua intenção como fato e agiu de acordo. Não perfeição, mas santa intenção fez a diferença.

Em nosso Senhor Jesus Cristo esta lei foi vista na perfeição simples. Em Sua humilde masculinidade, Ele Se humilhou e alegremente deu toda a glória a Seu Pai no céu. Ele não buscou a Sua própria honra, mas a honra de Deus que O enviou. "Se eu me honrar", disse ele em uma ocasião, "minha honra não é nada; é meu Pai quem me honra". Até agora, os fariseus orgulhosos haviam se afastado desta lei de que não podiam entender alguém que honrasse a Deus às suas próprias custas. "Eu honro meu Pai", disse Jesus a eles, "e vós me desonrais".

Outro dito de Jesus, e muito perturbador, foi colocado na forma de uma pergunta: "Como podem crer, que recebem honra uns dos outros, e não buscam a honra que vem somente de Deus?" Se entendi isso corretamente, Cristo ensinou aqui a alarmante doutrina de que o desejo de honra entre os homens tornava a crença impossível. Esse pecado é a raiz da incredulidade religiosa? Será que essas "dificuldades intelectuais" que os homens culpam por sua incapacidade de acreditar são apenas telas de fumaça para ocultar a verdadeira causa que está por trás delas? Foi esse ganancioso desejo de honra do homem que transformou os homens em fariseus e fariseus em deicidas? É este o segredo de volta da auto-justiça religiosa e da adoração vazia? Eu acredito que pode ser. Todo o curso da vida é perturbado pelo fracasso em colocar Deus onde Ele pertence. Nós nos exaltamos em vez de Deus e a maldição segue.

Em nosso desejo, depois de Deus, tenhamos sempre em mente que Deus também tem desejos, e Seu desejo é para com os filhos dos homens, e mais particularmente para aqueles filhos dos homens que tomarão a decisão definitiva de exaltá-lo sobre todas as coisas. . Tais como estas são preciosas para Deus acima de todos os tesouros da terra ou do mar. Neles, Deus encontra um teatro onde Ele pode mostrar Sua bondade para conosco em Cristo Jesus. Com eles, Deus pode andar sem obstáculos, em direção a eles. Ele pode agir como o Deus que Ele é.

Ao falar assim, tenho um medo; é que posso convencer a mente antes que Deus possa conquistar o coração. Pois essa posição de Deus acima de tudo não é fácil de tomar. A mente pode aprová-lo sem ter o consentimento da vontade de colocá-lo em prática. Enquanto a imaginação corre adiante para honrar a Deus, a vontade pode ficar para trás e o homem nunca adivinha como está dividido o coração. O homem todo deve tomar a decisão antes que o coração possa conhecer qualquer satisfação real. Deus quer a todos nós e não descansará até que receba todos nós. Nenhuma parte do homem fará.

Vamos orar sobre isso em detalhes, atirando-nos aos pés de Deus e significando tudo o que dizemos. Ninguém que ora assim com sinceridade precisa esperar muito por sinais de aceitação divina. Deus revelará Sua glória diante dos olhos de seu servo e colocará todos os Seus tesouros à disposição de tal pessoa, pois sabe que Sua honra está segura em tais mãos consagradas.

Ó Deus, exalta-te sobre minhas posses. Nada dos tesouros da terra me parecerá caro se você for glorificado em minha vida. Seja exaltado sobre minhas amizades. Estou determinado que Tu deverás estar acima de tudo, embora eu deva permanecer deserta e solitária no meio da terra. Sê exaltado acima dos meus confortos. Embora isso signifique a perda de conforto corporal e o transporte de cruzes pesadas, eu guardarei o meu voto feito hoje diante de Ti. Exalta-te sobre a minha reputação. Faça-me ambicioso para agradar a Ti, mesmo que, como resultado, eu deva afundar na obscuridade e meu nome ser esquecido como um sonho. Levanta-te, Senhor, no Teu lugar de honra, acima das minhas ambições, acima dos meus gostos e desgostos, acima da minha família, da minha saúde e até da minha própria vida. Deixe-me diminuir para que você possa aumentar, deixe-me afundar para que Tu possa subir acima. Cavalga sobre mim quando subiste a Jerusalém montada sobre a humilde besta, um potro, o potro de um jumento, e deixa-me ouvir as crianças clamarem a Ti: "Hosana nas alturas".

~

A. W. Tozer
Livro: Em busca de Deus
Título original: The persuit of God
Disponível em Gutenberg.

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: