A imitação de Cristo - Segundo Livro

ADMONIÇÕES RELATIVAS À VIDA INTERNA


CAPÍTULO I

Da vida interior

O reino de Deus está dentro de você, (1) diz o Senhor. Volta-te com todo o teu coração ao Senhor e abandona este mundo miserável, e encontrarás descanso para tua alma. Aprende a desprezar as coisas exteriores e a entregar-te às coisas para dentro, e verás o reino de Deus dentro de ti. Porque o reino de Deus é paz e alegria no Espírito Santo, e não é dado aos ímpios. Cristo virá a ti e te mostrará Sua consolação, se tu preparares uma digna mansão para Ele dentro de ti. Toda a Sua glória e beleza é de dentro, e ali agrada a Ele habitar. Muitas vezes ele visita o homem interior e segura com ele um discurso doce, dando-lhe consolo reconfortante, muita paz, amizade superior a maravilhosa.

2. Vá para, alma fiel, prepare seu coração para este noivo, para que ele possa vir a ti e habitar em ti, pois assim diz: Se alguém me ama, guardará as minhas palavras; e meu Pai o amará, e nós viremos a ele e faremos nossa morada com ele. (2) Dê, portanto, lugar a Cristo e recuse a entrada para todos os outros. Quando tens a Cristo, és rico e suficiente. Ele será teu provedor e fiel vigia em todas as coisas, para que não tenhas necessidade de confiar nos homens, pois os homens logo mudam e passam rapidamente, mas Cristo permanece para sempre e permanece firme até o fim.

3. Não há grande confiança a ser colocada em um homem frágil e mortal, mesmo que ele seja útil e querido para nós, não deve muita tristeza surgir dentro de nós se às vezes ele se opõe e nos contradiz. Aqueles que estão do teu lado hoje, podem amanhã estar contra ti, e muitas vezes são virados como o vento. Ponha toda a sua confiança em Deus e deixe que Ele seja teu temor e teu amor, Ele responderá por ti mesmo, e fará por ti o que é melhor. Aqui tu não tens cidade contínua, (3) e onde quer que tu és, tu és um estranho e um peregrino, e tu nunca terás descanso a menos que tu esteja intimamente unido a Cristo dentro de ti.

4. Por que dás os teus olhos para cá e para lá, visto que este não é o lugar do teu repouso? No céu deve ser a tua habitação, e todas as coisas terrenas devem ser consideradas como se fossem no passado. Todas as coisas passam e tu igualmente com elas. Olha que não te apegues a eles para que não te deixes levar e pereça. Seja a tua contemplação sobre o Altíssimo, e a tua súplica seja dirigida a Cristo sem cessar. Se não podes ver as coisas elevadas e celestiais, descansa na paixão de Cristo e habita de bom grado nas Suas feridas sagradas. Porque, se com misericórdia voares para as chagas de Jesus, e para as marcas preciosas dos cravos e da lança, acharás grande consolo na tribulação, e os despojos dos homens não te perturbarão muito, e suportarás facilmente as suas palavras cruéis.

5. Cristo também, quando Ele estava no mundo, foi desprezado e rejeitado pelos homens, e em Sua maior necessidade foi deixado por Seu conhecimento e amigos para suportar estas repreensões. Cristo estava disposto a sofrer e ser desprezado, e ousar reclamar de algum? Cristo teve adversários e opositores, e desejas ter todos os homens teus amigos e benfeitores? De onde a tua paciência alcançará sua coroa se nenhuma adversidade te suceder? Se tu não estás disposto a sofrer alguma adversidade, como serás amigo de Cristo? Sustente-te com Cristo e por Cristo, se queres reinar com Cristo.

6. Se tivesses entrado uma vez na mente de Jesus, e tivesses experimentado até mesmo um pouco do seu terno amor, então não te importaria com a tua própria conveniência ou inconveniência, mas preferirias regozijar-te com os problemas trazidos sobre ti, porque o amor de Jesus faz um homem desprezar a si mesmo. Aquele que ama a Jesus, e é internamente verdadeiro e livre de afeições desordenadas, é capaz de se entregar prontamente a Deus, elevar-se acima de si mesmo em espírito e desfrutar de paz frutífera.

7. Aquele que conhece as coisas como elas são e não como elas são ditas ou parecem ser, ele verdadeiramente é sábio e é ensinado por Deus mais do que pelos homens. Aquele que sabe andar por dentro e dar pouco valor às coisas exteriores, não precisa de lugar nem de espera para as estações, para manter o seu intercurso com Deus. O homem interior rapidamente se recolhe, porque nunca é inteiramente entregue às coisas exteriores. Nenhum trabalho externo e nenhuma ocupação necessária se interpõem em seu caminho, mas à medida que os eventos caem, ele se ajusta a eles. Aquele que é justamente disposto e ordenado não se importa com a conduta estranha e perversa dos homens. Um homem é impedido e distraído na medida em que é movido por coisas externas.

8. Se te fosse bem, e tu fosses purificado do mal, todas as coisas cooperariam para o teu bem e proveito. Por esta causa muitas coisas te desagradam e freqüentemente te incomodam, que tu ainda não estás perfeitamente morto para ti mesmo nem separado de todas as coisas terrenas. Nada tão contamina e enreda o coração do homem como amor impuro para com as coisas criadas. Se tu rejeitardes o conforto externo, serás capaz de contemplar as coisas celestiais e, freqüentemente, de ser feliz interiormente.

(1) Lucas 17. 21. (2) João 14. 23. (3) Hebreus 13. 14


CAPÍTULO II

De baixa submissão

Não faça grande conta de quem é para ti ou contra ti, mas ocupa-te apenas do dever presente e cuida para que Deus seja contigo em tudo o que fazes. Tenha uma boa consciência e Deus te defenderá, pois aquele a quem Deus ajudará a perversidade de nenhum homem será capaz de ferir. Se tu sabes como calar a tua paz e sofrer, sem dúvida verás a ajuda do Senhor. Ele conhece o tempo e o caminho para te livrar, portanto deves renunciar a ti mesmo a ele. A Deus pertence ajudar e livrar-se de toda confusão. Muitas vezes é muito proveitoso manter-nos em maior humildade, que os outros conheçam e repreendam nossas falhas.

2. Quando um homem se humilha por seus defeitos, ele facilmente pacifica os outros e rapidamente satisfaz aqueles que estão zangados contra ele. Deus protege e liberta o homem humilde, ama e conforta o homem humilde, para o homem humilde que se inclina, sobre os humildes Ele dá uma grande graça, e quando ele é derrubado Ele eleva-o à glória: para os humildes Ele revela segredos, e docemente o atrai e o convida para Si mesmo. O homem humilde tendo recebido reprovação, ainda está em paz suficiente, porque ele repousa em Deus e não no mundo. Não pense em ter lucrado de maneira alguma, a menos que se sinta inferior a todos.


CAPÍTULO III

Do homem bom e pacífico

Primeiro, mantenha-se em paz, e então você poderá ser um pacificador em relação aos outros. Um homem pacífico é mais bom do que um bem-educado. Um homem apaixonado se torna até bom no mal e facilmente crê no mal; um homem bom e pacífico converte todas as coisas em boas. Aquele que habita em paz não suspeita de ninguém, mas aquele que está descontente e inquieto é sacudido por muitas suspeitas e não se cala nem faz com que os outros fiquem quietos. Ele freqüentemente diz o que ele não deveria dizer, e omite o que era mais conveniente para ele fazer. Ele considera a que deveres os outros estão ligados e negligencia aqueles a que ele próprio está obrigado. Portanto, seja zeloso primeiro sobre ti mesmo, e então tu podes ser zeloso em relação ao teu próximo.

2. Tu sabes bem como desculpar e colorir os teus próprios atos, mas não aceitarás as desculpas dos outros. Seria mais justo acusar a ti mesmo e desculpar teu irmão. Se queres que os outros suportem contigo, leva-te aos outros. Contemple até que ponto é que você ainda é da verdadeira caridade e humildade que não sabe como ficar zangado ou indignado contra qualquer outro ser isolado. Não é grande coisa se misturar com os bons e os mansos, pois isso é naturalmente agradável a todos, e cada um de nós de bom grado desfruta da paz e pensa melhor naqueles que pensam conosco: mas é capaz de viver pacificamente com os duros e perverso, ou com os desordeiros, ou aqueles que se opõem a nós, esta é uma grande graça e uma coisa muito a ser elogiada e digna de um homem.

3. Há quem se mantenha em paz e mantenha a paz também com os outros, e não há quem tenha paz nem que outros tenham paz; eles são problemáticos para os outros, mas sempre mais problemáticos para eles mesmos. E há aqueles que se mantêm em paz e estudam para trazer outros para a paz; no entanto, toda a nossa paz nesta triste vida reside em humilde sofrimento e não em sofrer adversidades. Aquele que melhor sabe sofrer, deve possuir a maior paz; esse homem é vencedor de si mesmo e senhor do mundo, o amigo de Cristo e o herdeiro do céu.


CAPÍTULO IV

De uma mente pura e intenção simples

Por duas asas está o homem erguido acima das coisas terrenas, até pela simplicidade e pureza. Simplicidade deveria estar na intenção, pureza no afeto. Simplicidade alcança Deus, a pureza apreende e provoca a pessoa. Nenhuma boa ação será desagradável para ti, se estiveres livre de afeições desordenadas. Se você alcançar e buscar nada além da vontade de Deus e do benefício de seu próximo, você desfrutará inteiramente da liberdade interior. Se o teu coração estava certo, então toda criatura deveria ser um espelho da vida e um livro da santa doutrina. Não há criatura tão pequena e vil, mas que nos mostra a bondade de Deus.

2. Se você fosse bom e puro por dentro, então olharia para todas as coisas sem feri-las e compreendê-las corretamente. Um coração puro vê as profundezas do céu e do inferno. Tal como cada um é interiormente, julga-o exteriormente. Se há alguma alegria no mundo, certamente o homem de coração puro a possui, e se houver tribulação e angústia em qualquer lugar, a consciência má a conhecerá melhor. Como o ferro fundido no fogo perde a ferrugem e se torna totalmente incandescente, assim o homem que se volta completamente para Deus é libertado da preguiça e transformado em um novo homem.

3. Quando um homem começa a se tornar morno, teme um pouco de trabalho e aceita de bom grado a consolação exterior; mas quando ele começa perfeitamente a conquistar a si mesmo e andar valentemente no caminho de Deus, então ele considera como nada aquelas coisas que antes lhe pareciam tão graves.


CAPÍTULO V

De auto-estima

Não podemos depositar muito pouca confiança em nós mesmos, porque a graça e a compreensão freqüentemente nos faltam. Há pouca luz dentro de nós e o que perdemos rapidamente por negligência. Muitas vezes não percebemos quão grande é nossa cegueira interior. Muitas vezes adoecemos e desculpamo-nos ainda pior. Às vezes somos movidos pela paixão e contamos com zelo; nós culpamos pequenas falhas nos outros e passamos por grandes falhas em nós mesmos. Rapidamente nos sentimos e percebemos o que suportamos nas mãos dos outros, mas não refletimos o quanto os outros estão sofrendo de nós. Aquele que pesasse bem e com razão as suas próprias ações, não seria o homem a julgar severamente o outro.

2. O homem de mentalidade espiritual cuida de si mesmo antes de todos os cuidados; e aquele que cuida diligentemente de si mesmo guarda facilmente o silêncio em relação aos outros. Tu nunca serás espiritualmente atento e piedoso, a menos que sejas silencioso em relação aos assuntos de outros homens e cuida de ti mesmo. Se pensares totalmente em ti mesmo e em Deus, o que vês fora de portas te moverá pouco. Onde és tu quando não estás presente para ti mesmo? e quando te precipitaste todas as coisas, que te aproveitou, sendo negligenciada a ti mesmo? Se queres ter paz e verdadeira unidade, deves pôr de lado todas as outras coisas e contemplar somente a ti mesmo.

3. Então farás grande progresso se te mantiver livre de todo cuidado temporal. Lamentavelmente, você cairá se atribuir um valor a qualquer coisa mundana. Que nada seja grande, nada alto, nada agradável, nada aceitável para ti, senão o próprio Deus ou as coisas de Deus. Considere como completamente inútil qualquer consolo que vem de uma criatura. A alma que ama a Deus não olha para nada que esteja abaixo de Deus. Somente Deus é eterno e incompreensível, preenchendo todas as coisas, o consolo da alma e a verdadeira alegria do coração.


CAPÍTULO VI

Da alegria de uma boa consciência

O testemunho de uma boa consciência é a glória de um homem bom. Tenha uma boa consciência e você sempre terá alegria. Uma boa consciência é capaz de suportar muito mais e é extremamente alegre no meio das adversidades; uma consciência maligna é sempre temerosa e inquieta. Tu descansarás docemente se teu coração não te condena. Nunca se alegre a menos que tenha feito bem. Os ímpios nunca têm verdadeira alegria, nem sentem a paz interior, pois não há paz, diz o meu Deus, para os ímpios. (1) E se eles disserem "estamos em paz, nenhum dano nos acontecerá, e quem ousa nos machucar? " não os creiais, porque de repente a ira de Deus se levantará contra eles, e as suas obras serão reduzidas a nada, e os seus pensamentos perecerão.

2. Glória na tribulação não é penosa para quem ama; porque tal glória é gloriar-se na cruz de Cristo. Breve é ​​a glória que é dada e recebida dos homens. A tristeza sempre anda de mãos dadas com a glória do mundo. A glória do bem está em sua consciência e não no relato dos homens. A alegria do justo é de Deus e em Deus, e a alegria deles está na verdade. Aquele que deseja a glória verdadeira e eterna não se importa com o que é temporal; e aquele que busca a glória temporal, ou que a despreza de seu coração, demonstra ter pouco amor pelo que é celestial. Aquele que não quer elogios nem censuras tem grande tranquilidade de coração.

3. Ele será facilmente contente e cheio de paz, cuja consciência é pura. Tu não és o mais santo, se és louvado, nem o vilão, se és repreendido. Tu és o que és; e tu não podes ser melhor do que Deus te diz ser. Se bem consideras o que és interiormente, não te importarás com o que os homens te dirão. O homem olha para a aparência externa, mas o Senhor olha o coração: (2) o homem olha para a obra, mas Deus considera a intenção. É o sinal de um espírito humilde sempre fazer bem e definir pouco por si mesmo. Não procurar consolo de qualquer coisa criada é sinal de grande pureza e fidelidade interior.

4. Aquele que não busca testemunha exterior em seu próprio nome, mostra claramente que se entregou totalmente a Deus. Pois não é ele que se recomenda a si mesmo, como diz São Paulo, mas a quem o Senhor recomenda. (3) Andar intimamente com Deus e não se deixar levar por afeições externas é o estado de um homem espiritual.

(1) Isaías 57. 21. (2) 1 Samuel 16. 7. (3) 2 Coríntios 10. 18


CAPÍTULO VII

De amar a Jesus acima de todas as coisas

Bem-aventurado aquele que compreende o que é amar a Jesus e desprezar a si mesmo por amor de Jesus. Ele deve desistir de tudo o que ama para seu amado, pois Jesus será amado sozinho acima de todas as coisas. O amor das coisas criadas é enganador e instável, mas o amor de Jesus é fiel e duradouro. Aquele que se apega às coisas criadas cairá com seu escorregadio; mas aquele que abraça a Jesus ficará em pé para sempre. Ame-O e segure-O por teu amigo, pois Ele não te abandonará quando todos se apartarem de ti, nem te permitirá perecer até o fim. Tu deves um dia ser separado de todos, quer tujas ou não.

2. Apegar-se a Jesus em vida e morte, e comprometer-se com a sua fidelidade, que, quando todos os homens falham, é o único capaz de ajudá-lo. Teu Amado é tal, por natureza, que Ele não sofrerá rival algum, mas somente possuirá teu coração, e como um rei se sentará em Seu próprio trono. Se tu aprendias a afastar de ti todas as coisas criadas, Jesus tomaria livremente a sua morada contigo. Tu encontrarás toda a confiança pouco melhor do que a perdida que colocaste nos homens e não em Jesus. Não confies nem inclineis sobre uma cana agitada pelo vento, porque toda a carne é erva, e a sua bondade cai como a flor do campo. (1)

3. Tu serás rapidamente enganado se olhares apenas para a aparência exterior dos homens, pois se tu procuras o teu conforto e lucro nos outros, experimentas muitas vezes a perda. Se buscas a Jesus em tudo, encontrarás a Jesus, mas, se tu procuras, também te acharás, mas ao teu próprio mal. Pois se um homem não busca a Jesus, ele é mais doloroso para si do que todo o mundo e todos os seus adversários.

(1) Isaías 40. 6


CAPÍTULO VIII

Do amor íntimo de Jesus

Quando Jesus está presente tudo está bem e nada parece difícil, mas quando Jesus não está presente, tudo é difícil. Quando Jesus não fala por dentro, nosso conforto não vale nada, mas se Jesus fala apenas uma palavra, grande é o conforto que experimentamos. Maria Madalena não se levantou rapidamente do lugar onde chorou quando Marta disse a ela: O Mestre veio e chamou por você? (1) Que hora feliz quando Jesus te chama das lágrimas para a alegria do espírito! Quão seco e duro és sem Jesus! Quão sem sentido e vão se você deseja algo além de Jesus! Não é essa perda maior do que se você devesse perder o mundo inteiro?

2. O que o mundo pode aproveitar sem Jesus? Estar sem Jesus é o inferno mais baixo, e estar com Jesus é um doce paraíso. Se Jesus estivesse contigo, nenhum inimigo poderia te machucar. Aquele que acha a Jesus acha um bom tesouro, sim, acima de todos os bens; e quem perde a Jesus perde muito mais do que o mundo inteiro. O mais pobre é aquele que vive sem Jesus, e o mais rico é aquele que é muito com Jesus.

3. É uma grande habilidade saber viver com Jesus, e saber guardar Jesus é uma grande sabedoria. Sê humilde e pacífico e Jesus estará contigo. Seja piedoso e quieto, e Jesus permanecerá contigo. Tu podes rapidamente afastar Jesus e perder o Seu favor se te afastares para as coisas exteriores. E se tu o fizeste fugir e o perdeste, a quem fugirás, e a quem então procurarás um amigo? Sem um amigo não podes viver muito tempo, e se Jesus não for teu amigo acima de tudo, ficarás muito triste e desolado. Loucamente, pois, fazes tu que confias ou achas alegria em qualquer outro. É preferível ter o mundo inteiro contra ti, do que Jesus ofendido contigo. Portanto, de tudo o que é caro a você, deixe Jesus ser especialmente amado.

4. Que todos sejam amados por amor a Jesus, mas Jesus pelos seus. Somente Jesus Cristo deve ser especialmente amado, pois somente Ele é considerado bom e fiel acima de todos os amigos. Por Sua causa e Nele, deixe que ambos os inimigos e amigos sejam queridos por ti, e ore por eles todos para que todos possam conhecê-lo e amá-lo. Nunca deseje ser especialmente louvado ou amado, porque isto pertence somente a Deus, que não tem ninguém semelhante a si mesmo. Nem desejas que qualquer um ponha o seu coração em ti, e não te entregues ao amor de alguém, mas esteja Jesus em ti e em todo homem bom.

5. Seja puro e livre dentro de ti mesmo, e não seja envolvido por nenhuma coisa criada. Deves levar um coração puro e limpo a Deus, se desejas estar pronto para ver quão gracioso é o Senhor. E, na verdade, a menos que você seja impedido e atraído pela Sua graça, você não vai conseguir isso, que, tendo expulsado e descartado tudo o mais, só tu estás unido a Deus. Pois quando a graça de Deus vem a um homem, então ele se torna apto a fazer todas as coisas, e quando este parte, então ele será pobre e fraco e entregue a problemas. Nessas obras não deves cair nem desesperar, mas descansar com a mente calma na vontade de Deus e suportar todas as coisas que te sobrevêm para o louvor de Jesus Cristo; porque, depois do inverno, vem o verão, depois da noite, e depois do dia, depois da tempestade, uma grande calma.

(1) João 11. 28.


CAPÍTULO IX

Da falta de todo conforto

Não é difícil desprezar o conforto humano quando o divino está presente. É uma grande coisa, muito grande, poder suportar a perda tanto do conforto humano quanto do divino; e que o amor de Deus seja de bom grado suportar o exílio do coração, e nada buscar a si mesmo, nem olhar para o próprio mérito. Que grande problema é este, se és alegre de coração e devoto quando o favor te vem? Essa é uma hora em que todos se alegram. Agradavelmente, ele cavalga a quem a graça de Deus carrega. E que maravilha, se ele não sente nenhum fardo que é carregado pelo Todo-Poderoso, e é levado adiante pelo Guia do alto?

2. Estamos dispostos a aceitar qualquer coisa para obter conforto, e é difícil para um homem se libertar de si mesmo. O santo mártir Laurence venceu o amor do mundo e até de seu mestre sacerdotal, porque desprezava tudo no mundo que parecia ser agradável; e pelo amor de Cristo, ele sofreu calmamente até mesmo o sumo sacerdote de Deus, Sixto, a quem ele amava, ser tirado dele. Assim, pelo amor do Criador, ele venceu o amor do homem e, em vez do conforto humano, preferiu o bom prazer de Deus. Assim também aprende a renunciar a qualquer amigo próximo e amado pelo amor de Deus. Nem tome errado quando você foi abandonado por um amigo, sabendo que todos nós devemos nos separar um do outro finalmente.

3. É preciso que o homem se esforce em si mesmo antes de aprender completamente a superar a si mesmo e atrair todo o seu afeto a Deus. Quando um homem repousa sobre si mesmo, desliza facilmente para o conforto humano. Mas o verdadeiro amante de Cristo e diligente buscador da virtude, não recai sobre esses confortos, nem busca tal doçura que possa ser degustada e manipulada, mas requer exercícios bastante duros e empreender sérios trabalhos para Cristo.

4. Quando, portanto, o conforto espiritual é dado por Deus, recebê-lo com gratidão, e sei que é o dom de Deus, não o teu deserto. Não te eleves, não te alegres, nem presunçosamente, e seja mais humilde para o dom, mais cuidadoso e mais cuidadoso em todas as tuas obras. pois aquela hora passará e a tentação se seguirá. Quando o conforto for tirado de ti, não se desespere imediatamente, mas espere pela visitação celestial com humildade e paciência, pois Deus é capaz de lhe devolver maior favor e consolação. Isso não é novidade nem é estranho para aqueles que fizeram julgamento do caminho de Deus, pois com os grandes santos e os antigos profetas houve muitas vezes esse tipo de mudança.

5. Por isso, um disse que quando o favor de Deus estava presente com ele, eu disse em minha prosperidade eu nunca serei movido, (1), mas ele vai para dizer o que sentiu dentro de si quando o favor se foi: Tu viraste Tua face de mim, e eu estava com problemas. Apesar de que, de modo algum, ele se desespera, mas mais instantaneamente suplica a Deus, e diz: A ti clamo, Senhor, e orarei ao meu Deus; e então ele recebe o fruto de sua oração e testifica como ele foi ouvido, dizendo: O Senhor me ouviu e teve misericórdia de mim, o Senhor era meu ajudador. Mas em que? Transformaste em alegria o meu fardo, tu me tirou o saco e me cingiu de alegria. Se assim foi com os grandes santos, nós, pobres e necessitados, não devemos nos desesperar se por vezes estivermos no calor e às vezes no frio, pois o Espírito vem e vai segundo a boa vontade da sua vontade. Por isso o santo Jó diz: Tu o visitas de manhã e de repente tu o provas.

6. Então, em que posso esperar, ou em que posso confiar, salvar somente na grande misericórdia de Deus e na esperança da graça celestial? Pois, se bons homens estão comigo, irmãos piedosos ou amigos fiéis, sejam livros sagrados ou belos discursos, sejam doces hinos e canções, tudo isso pouco ajuda, e têm pouco sabor quando estou abandonado pelo favor de Deus e deixado para o meu próprio pobreza. Não há melhor remédio do que a paciência e a negação do eu, e a permanência na vontade de Deus.

7. Nunca encontrei nenhum homem tão religioso e piedoso, mas que por vezes sentia uma retirada do favor divino e da falta de fervor. Nenhum santo estava tão cheio de êxtase, tão iluminado, mas que mais cedo ou mais tarde ele foi tentado. Pois ele não é digno da grande visão de Deus, que, por amor de Deus, não tem sido exercido por alguma tentação. Pois a tentação costuma ir como sinal do conforto que se seguirá, e o conforto celestial é prometido àqueles que são provados pela tentação. Como está escrito: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida.

8. Consolo divino é dado que um homem pode ser mais forte para suportar adversidades. E a tentação segue, para que ele não seja levantado por causa do benefício. O diabo não dorme; tua carne ainda não está morta; portanto, não cessem de se preparar para a batalha, porque os inimigos estão à tua direita e à tua esquerda, e nunca descansam.

(1) Salmo 30. 6. (2) Jó 7. 18. (3) Apocalipse 2. 7


CAPÍTULO X

De gratidão pela graça de Deus

Por que procuras descansar quando nasceste para trabalhar? Prepara-te para a paciência mais do que para o conforto e para carregar a cruz mais do que para a alegria. Para quem entre os homens deste mundo não receberia alegremente consolo e alegria espiritual se ele pudesse sempre tê-lo? Pois o conforto espiritual excede todas as delícias do mundo e todos os prazeres da carne. Pois todas as delícias mundanas são vazias ou impuras, enquanto que apenas as delícias espirituais são agradáveis ​​e honradas, os descendentes da virtude e derramados por Deus em mentes puras. Mas nenhum homem pode sempre desfrutar destes confortos divinos por sua própria vontade, porque o tempo da tentação não cessa por muito tempo.

2. Grande é a diferença entre uma visitação de cima e uma falsa liberdade de espírito e grande confiança em si mesmo. Deus faz bem em nos dar a graça do conforto, mas o homem adoece em não dar imediatamente graças a Deus. E assim os dons da graça não são capazes de fluir para nós, porque somos ingratos para com o Autor deles, e não os devolvemos totalmente à Fonte de onde eles fluem. Porque a graça sempre se torna a porção daquele que é grato e que é tirado do orgulho, o qual é costume de ser dado aos humildes.

3. Não desejo nenhuma consolação que tire de mim a compunção, não amo a contemplação que leva ao orgulho. Pois tudo que é alto não é santo, nem tudo é bom; todo desejo não é puro; nem tudo o que nos é caro é agradável a Deus. De boa vontade aceito a graça pela qual me tornei mais humilde, mais cauteloso e mais pronto a renunciar a mim mesmo. Aquele que é feito aprendido pelo dom da graça e ensinado sabedoria pelo golpe da sua retirada, não ousará reivindicar qualquer coisa boa para si mesmo, mas confessará que ele é pobre e necessitado. Dá a Deus o que é de Deus, (1) e atribui a ti mesmo aquilo que é teu; isto é, dar graças a Deus por Sua graça, mas só para você confessar tua falta, e que a tua punição é merecida por tua culpa.

4. Sente-se sempre no quarto mais baixo e lhe será dado o lugar mais alto (2) pois o mais alto não pode ficar sem o mais baixo. Pois os santos mais elevados de Deus são os menos aos seus próprios olhos, e quanto mais gloriosos eles são, tanto mais humildes são em si mesmos; cheios de graça e de glória celestial, não desejam a glória vã; descansando em Deus e fortes em Sua força, eles não podem ser levantados de qualquer maneira. E aqueles que atribuem a Deus todo o bem que receberam, "não buscam a glória uns dos outros, mas a glória que vem somente de Deus", e desejam que Deus seja louvado em si mesmo e em todos os Seus santos acima de todas as coisas , e eles estão sempre se esforçando por isso mesmo.

5. Seja grato, portanto, pelo menor benefício e você será digno de receber mais. Que o mínimo seja para ti igual ao maior, e que o que é de pouco valor seja para ti como uma dádiva especial. Se a majestade do Doador for considerada, nada do que é dado parecerá pequeno e sem valor, pois isso não é uma coisa pequena que é dada pelo Deus Altíssimo. Sim, embora Ele tenha dado castigos e desígnios, devemos ser gratos, porque Ele sempre faz pelo nosso proveito o que quer que Ele sofra que venha sobre nós. Aquele que procura reter o favor de Deus, que seja grato pelo favor que é dado e paciente em relação àquilo que é tirado. Deixe-o rezar para que ele possa retornar; deixe-o ser cauteloso e humilde para não perdê-lo.

(1) Mateus 22. 21. (2) Lucas 14. 10


CAPÍTULO XI

Da pequenez dos que amam a cruz de Jesus

Jesus tem muitos amantes de Seu reino celestial, mas poucos portadores de Sua cruz. Ele tem muitos buscadores de conforto, mas poucos de tribulação. Ele encontra muitos companheiros de Sua mesa, mas poucos de Seu jejum. Todo o desejo de se alegrar com Ele, poucos estão dispostos a sofrer qualquer coisa por amor a ele. Muitos seguem a Jesus para que possam comer de seus pães, mas poucos podem beber do cálice de sua paixão. Muitos se espantam com seus milagres, poucos seguem a vergonha de sua cruz. Muitos amam a Jesus desde que nenhuma adversidade lhes aconteça. Muitos o louvam e o abençoam, desde que recebam dele conforto. Mas se Jesus se esconde e se retira deles um pouco, eles caem em queixa ou em grande desânimo mental.

2. Mas aqueles que amam a Jesus por amor a Jesus, e não por qualquer consolo próprio, o abençoam em toda tribulação e angústia de coração, como no mais elevado consolo. E se Ele nunca lhes desse consolo, sempre o louvariam e sempre lhe dariam graças.

3. Oh, que poder tem o puro amor de Jesus, sem mistura com qualquer ganho ou amor de si mesmo! Não devem todos ser chamados de mercenários que estão sempre buscando consolações? Eles não se provam amantes de si mesmos mais do que de Cristo, que estão sempre buscando seu próprio ganho e vantagem? Onde se achará alguém que esteja disposto a servir completamente a Deus?

4. Raramente alguém é encontrado tão espiritual a ponto de ser despojado de todos os pensamentos egoístas, pois quem encontrará um homem verdadeiramente pobre de espírito e livre de todas as coisas criadas? "Seu valor é de longe, sim dos confins da terra." Um homem pode dar todos os seus bens, mas isso não é nada; e se ele faz muitos atos de penitência, ainda assim é uma coisa pequena; e embora ele entenda todo conhecimento, ainda que esteja longe; e se ele tem grande virtude e zelosa devoção, ainda falta muito a ele, sim, uma coisa que é a mais necessária para ele de todos. Então o que é? Que, tendo desistido de todas as coisas além disso, ele desiste de si mesmo e sai completamente de si mesmo, e não retém nada de amor próprio; e tendo feito todas as coisas que ele sabe que é seu dever fazer, que ele sente que não fez nada. Não pense o muito que pode ser muito estimado, mas diga-se ele mesmo como sendo um servo inútil, como a própria verdade diz: Quando tiveres feito todas as coisas que te são mandadas, digamos, somos servos inúteis. 1) Então ele pode ser verdadeiramente pobre e nu em espírito, e poder dizer com o Profeta: Eu sou pobre e necessitado. (2) No entanto, nenhum homem é mais rico do que ele, ninguém mais forte, nenhum homem mais livre. Pois ele sabe tanto como desistir de si mesmo e todas as coisas, e como ser humilde aos seus próprios olhos.

(1) Lucas 17. 10. (2) Salmos 25. 16


CAPÍTULO XII

Do caminho real da Santa Cruz

Esta parece ser uma palavra difícil para muitos: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. (1) Mas será muito mais difícil ouvir a última frase, apartar-se de mim, ó ímpio. para o fogo eterno. (2) Pois os que agora ouvem de bom grado a palavra da cruz e a seguem, não temerão, pois, a audição da condenação eterna. Este sinal da cruz estará no céu quando o Senhor chegar ao julgamento. Então todos os servos da Cruz, que em vida se conformaram ao Crucificado, se aproximarão de Cristo Juiz com grande ousadia.

2. Por que, pois, temes então tomar a cruz que conduz ao reino? Na cruz está a saúde, na cruz está a vida, na cruz está a proteção dos inimigos, na cruz está a doçura celestial, na cruz a força da mente, na cruz alegria do espírito, na cruz a altura da virtude, na cruz perfeição da santidade. Não há saúde da alma, não há esperança de vida eterna, salvo na cruz. Tome sua cruz e siga Jesus e você entrará na vida eterna. Ele foi antes de ti, carregando a sua cruz e morreu por ti na cruz, para que também tu tenhas a tua cruz e adores ser crucificado. Porque, se estiveres morto com ele, também viverás com ele, e se participares dos seus sofrimentos, serás também da sua glória.

3. Observe que tudo depende da cruz e tudo está em agonia; e não há outro caminho para a vida e para a verdadeira paz interior, exceto o caminho da Santa Cruz e da mortificação diária. Vá aonde quer, procure o que quiser, e não encontrará nenhum caminho mais alto, nem mais abaixo, do que o caminho da Santa Cruz. Descarte e ordene todas as coisas de acordo com a sua vontade e julgamento, e você sempre encontrará algo para sofrer de boa vontade ou não, e assim você nunca encontrará a sua cruz. Pois ou sentirás dor de corpo ou tribulação de espírito em tua alma.

4. Às vezes, serás abandonado por Deus, às vezes serás provado por teu próximo e, o que é mais, serás muitas vezes cansativo para ti mesmo. E ainda assim não podes ser liberto nem facilitado por nenhum remédio ou consolação, mas deve suportar o tempo que Deus quiser. Para Deus, você terá que aprender a sofrer tribulação sem consolo, e submeter-se plenamente a ela, e pela tribulação tornar-se mais humilde. Ninguém entende tão bem a Paixão de Cristo em seu coração quanto aquele que sofreu um pouco do mesmo sofrimento. A cruz, portanto, está sempre pronta e todo lugar espera por você. Tu não podes fugir dela para onde quer que você vá, pois aonde quer que vens, tu cuidas de ti, e sempre te encontrarás. Vira-te para cima, volta-te para baixo, volta-te para ti, volta-te para dentro e neles encontrarás a cruz. e é necessário que você, em toda parte, tenha paciência, se tiver paz interior e ganhar a coroa eterna.

5. Se de bom grado levar a cruz, ela te levará e te conduzirá ao fim que procuras, onde haverá o fim do sofrimento; embora não esteja aqui. Se tu a portares a contragosto, tu fazes um fardo para ti e aumenta grandemente a tua carga, e ainda assim tens de suportar. Se tu jogares fora uma cruz, sem dúvida encontrarás outro e por acaso um mais pesado.

6. Você pensa em escapar do que nenhum mortal tem sido capaz de evitar? Qual dos santos do mundo tem estado sem a cruz e a tribulação? Pois nem mesmo Jesus Cristo, nosso Senhor, foi uma hora sem a angústia de sua paixão, enquanto vivesse. Cabe a Ele, Cristo, sofrer e ressuscitar dentre os mortos, e assim entrar em sua glória. (3) E como você busca outro caminho além deste caminho real, que é o caminho da Santa Cruz?

7. Toda a vida de Cristo foi uma cruz e um martírio, e tu procuras para ti descanso e alegria? Tu és errado, tu és errado, se tu procuras a não ser sofrer tribulações, pois toda esta vida mortal é cheia de misérias, e cercada de cruzes. E quanto mais alto o homem progrediu no espírito, mais pesadas vezes encontrará as cruzes mais pesadas, porque a tristeza de seu banimento aumentará com a força de seu amor.

8. Mas, contudo, o homem que assim está em tantos aflitos, não está isento de consolo, porque sente que o fruto abundante está crescendo dentro dele, por causa do cumprimento de sua cruz. Pois enquanto ele voluntariamente se submete a ele, todo fardo da tribulação se torna uma garantia de consolo divino, e quanto mais a carne é desperdiçada pela aflição, mais é o espírito fortalecido poderosamente pela graça interior. E muitas vezes ele é tão confortado pelo desejo de tribulação e adversidade, através do amor de conformidade com a Cruz de Cristo, que ele não ficaria sem tristeza e tribulação; porque ele crê que ele será o mais aceitável a Deus, mais e mais fardos ele poderá suportar por amor a ele. Esta não é a virtude do homem, mas a graça de Cristo que tem tanto poder e energia na carne fraca, que o que naturalmente aborrece e foge, isso atrai e ama através do fervor do espírito.

9. Não é da natureza do homem carregar a cruz, amar a cruz, manter-se debaixo do corpo e submetê-lo à submissão, voar de honra, suportar humildemente as acusações, desprezar-se e desejar ser desprezado. , suportar todas as adversidades e perdas e não desejar prosperidade neste mundo. Se tu olhares para ti, tu mesmo poderás fazer nada disso; mas se tu confias no Senhor, a perseverança te será dada do céu, e o mundo e a carne estarão sujeitos à tua ordem. Sim, nem temerás o teu adversário, o diabo, se estiveres armado de fé e assinado com a Cruz de Cristo.

10. Prepare-se, portanto, como um bom e fiel servo de Cristo, para o manancial da Cruz do teu Senhor, que por amor foi crucificado por ti. Prepara-te para suportar muitas adversidades e problemas múltiplos nesta vida miserável; porque assim será contigo onde quer que tu estejas, e assim, em verdade, encontrarás, onde quer que te escondas. Isso deve ser; e não há meios de escapar da tribulação e da tristeza, exceto para suportá-los pacientemente. Beba amorosamente o cálice de seu Senhor, se você deseja ser seu amigo e ter a sua sorte com ele. Deixe consolações para Deus, deixe-o fazer o que parece melhor para ele em relação a eles. Mas prepare-se para suportar as tribulações e considere-as as melhores consolações; porque os sofrimentos deste tempo presente não são dignos de serem comparados com a glória que será revelada em nós, (4) nem eles seriam mesmo se tu suportasses a todos eles.

11. Quando chegares a isto, essa tribulação é doce e agradável para ti por amor de Cristo, e então considera que está tudo bem contigo, porque encontraste o paraíso na terra. Enquanto for difícil para ti sofrer e tu desejares escapar, tanto tempo não te será bem assim, e as tribulações te seguirão em todo o lado.

12. Se te assentires com o que deves, a saber, sofrer e morrer, em breve ficará melhor contigo, e encontrarás paz. Embora tu deves ser arrebatado com Paulo até o terceiro céu, (5) tu não estás seguro de sofrer mal. Mostrarei a ele, diz Jesus, que grandes coisas ele deve sofrer por causa do Meu Nome. (6) Portanto, permanece para ti a sofrer, se amares a Jesus e servireis continuamente.

13. Oh, que fostes digno de sofrer alguma coisa pelo nome de Jesus, que grande glória te deve esperar, que regozijo entre todos os santos de Deus, que exemplo brilhante também para o teu próximo! Para todos os homens, recomendo paciência, embora poucos estejam dispostos a praticá-la. Tu deves certamente sofrer um pouco por Cristo quando muitos sofrem coisas mais pesadas pelo mundo.

14. Sabe com certeza que deves levar a vida de um moribundo. E quanto mais um homem morre para si mesmo, mais ele começa a viver em direção a Deus. Ninguém é apto para a compreensão das coisas celestiais, a menos que tenha se submetido a suportar adversidades para Cristo. Nada mais aceitável a Deus, nada mais saudável para ti neste mundo, do que sofrer voluntariamente por Cristo. E se fosse teu a escolher, antes desejas sofrer adversidades para Cristo, do que ser revigorado com múltiplas consolações, pois serias mais semelhante a Cristo e mais conforme a todos os santos. Pois nossa dignidade e crescimento na graça não residem em muitos prazeres e consolações, mas em suportar muitos problemas e adversidades.

15. Se, de fato, houvesse algo melhor e mais proveitoso para a saúde dos homens do que sofrer, Cristo certamente teria mostrado isso por meio de palavras e exemplos. Tanto para os discípulos que O seguiram como para todos os que desejavam segui-Lo, ele claramente exorta a levar a sua cruz e diz: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. 7) Portanto, agora que temos lido e estudado todas as coisas, vamos ouvir a conclusão de toda a questão. Nós devemos através de muita tribulação entrar no reino de Deus. (8)

(1) Mateus 16. 24. (2) Mateus 25. 41. (3) Lucas 24. 46. ​​(4) Romanos 8. 18. (5) 2 Coríntios 12. 2. (6) Atos 9. 16. (7) Lucas 9. 23. (8) Atos 14. 21

~

Tomás de Kempis

Imitação de Cristo. Livro 2.

Disponível em inglês em Gutenberg.

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: