Uma última instância

E agora, quando este livro está chegando ao fim, vou sussurrar no ouvido do leitor uma suspeita horrível que às vezes me assombrou: a suspeita de que Hudge e Gudge estão secretamente em parceria. Que a discussão que mantêm em público é muito trabalhosa, e que a maneira pela qual eles se jogam perpetuamente nas mãos uns dos outros não é uma coincidência eterna. Gudge, o plutocrata, quer um industrialismo anárquico; Hudge, o idealista, fornece elogios líricos à anarquia. Gudge quer mulheres trabalhadoras porque elas são mais baratas; Hudge chama o trabalho da mulher de "liberdade de viver a própria vida". Gudge quer trabalhadores fixos e obedientes, Hudge prega abstinência - aos operários, não a Gudge - Gudge quer uma população mansa e tímida que nunca tome armas contra a tirania; Hudge prova de Tolstoi que ninguém deve pegar em armas contra nada. Gudge é naturalmente um cavalheiro saudável e bem lavado; Hudge sinceramente prega a perfeição da lavagem de Gudge para pessoas que não podem praticá-la. Acima de tudo, Gudge governa por um sistema grosseiro e cruel de saque e suor e trabalho bi-sexual que é totalmente inconsistente com a família livre e que está destinado a destruí-la; portanto, Hudge, estendendo os braços para o universo com um sorriso profético, nos diz que a família é algo que em breve superaremos gloriosamente.

Não sei se a parceria de Hudge e Gudge é consciente ou inconsciente. Eu só sei que entre eles eles ainda mantêm o homem comum sem teto. Eu só sei que ainda encontro Jones andando pelas ruas no crepúsculo cinza, olhando tristemente para os postes e barreiras e para as lanternas de duendes vermelhos que ainda guardam a casa, que é a menos dele porque ele nunca esteve nela.

~

G. K. Chesterton

Do livro: What's Wrong with the World? (O que há de errado com o mundo?)
Parte 5 - A casa do homem.

Disponível em Gutenberg (inglês).

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: