Leitura da Bíblia



"Examinai as Escrituras." - João 5. 39.
"Como você está lendo?" - Lucas 10. 26.


Além de orar, não há nada tão importante na religião prática quanto a leitura da Bíblia. Deus misericordiosamente nos deu um livro que é "capaz de nos tornar sábios para a salvação pela fé que está em Cristo Jesus" (2 Timóteo 3. 15). Ao ler esse livro, podemos aprender no que acreditar, no que ser e no que fazer; como viver com conforto e como morrer em paz. Feliz é aquele homem que possui uma Bíblia! Ainda mais feliz é quem lê! O mais feliz de todos é aquele que não apenas a lê, mas a obedece e a torna a regra de sua fé e prática!

No entanto, é um fato triste que o homem tenha uma habilidade infeliz em fazer mau uso dos dons de Deus. Seus privilégios, poder e faculdades são todos engenhosamente pervertidos para outros fins que não aqueles aos quais foram concedidos. Seu discurso, sua imaginação, seu intelecto, sua força, seu tempo, sua influência, seu dinheiro - ao invés de serem usados ​​como instrumentos para glorificar seu Criador - são geralmente desperdiçados ou empregados para seus próprios fins egoístas. E assim como o homem naturalmente faz mau uso de suas outras misericórdias, o mesmo faz da Palavra escrita. Uma acusação abrangente pode ser apresentada contra toda a cristandade, e essa acusação é negligência e mau uso da Bíblia.

Para provar essa acusação, não precisamos procurar no exterior: a prova está em nossas próprias portas. Não tenho dúvidas de que há mais Bíblias na Grã-Bretanha neste momento do que nunca desde que o mundo começou. Há mais compras e vendas da Bíblia - mais impressão e distribuição da Bíblia - do que nunca desde que a Inglaterra era uma nação. Vemos Bíblias em todas as livrarias - Bíblias de todos os tamanhos, preços e estilos - Bíblias ótimas e Bíblias pequenas - Bíblias para os ricos e Bíblias para os pobres. Há Bíblias em quase todas as casas da terra. Mas, durante todo esse tempo, temo que corremos o risco de esquecer que ter a Bíblia é uma coisa, e ler, outra.

Este livro negligenciado é o assunto sobre o qual eu me dirijo hoje aos leitores deste artigo. Certamente não importa o que você está fazendo com a Bíblia. Certamente, quando a praga parecer estar no exterior, você deve procurar e ver se o ponto de peste não está em você. Dê-me sua atenção enquanto eu lhe forneço algumas razões claras pelas quais todo aquele que cuida de sua alma deve valorizar muito a Bíblia, estudá-la regularmente e familiarizar-se com seu conteúdo.


I. Em primeiro lugar, não existe um livro escrito de maneira semelhante à Bíblia.

A Bíblia foi "dada por inspiração de Deus" (2 Timóteo 3. 16). A esse respeito, é totalmente diferente de todos os outros escritos. Deus ensinou aos escritores o que dizer. Deus colocou em suas mentes pensamentos e ideias. Deus guiou suas canetas no estabelecimento desses pensamentos e ideias. Quando você a lê, não está lendo as composições autodidatas de pobres homens imperfeitos como você, mas as palavras do Deus eterno. Quando você ouve, você não está ouvindo as opiniões errôneas dos mortais de vida curta, mas a mente imutável do Rei dos reis. Os homens que foram contratados para redigir a Bíblia não falaram de si mesmos. Eles "falaram ao serem movidos pelo Espírito Santo" (2 Pedro 1. 21). Todos os outros livros do mundo, por mais bons e úteis que sejam, são mais ou menos defeituosos. Quanto mais você olha para eles, mais vê seus defeitos e manchas. Somente a Bíblia é absolutamente perfeita. Do começo ao fim, é "a Palavra de Deus".

Não vou perder tempo atentando uma prova longa e laboriosa disso. Digo com ousadia que o próprio livro é a melhor testemunha de sua própria inspiração. É totalmente inexplicável e enigmático em qualquer outro ponto de vista. É o maior milagre permanente do mundo. Quem se atreve a dizer que a Bíblia não é inspirada, faça um relato razoável, se puder. Que ele explique a natureza e o caráter peculiar do Livro de uma maneira que satisfaça qualquer homem de bom senso. O ônus da prova parece-me estar nele.

Não prova nada contra a inspiração, como alguns afirmaram, que os escritores da Bíblia têm um estilo diferente. Isaías não escreve como Jeremias, e Paulo não escreve como João. Isso é perfeitamente verdade - e, no entanto, as obras desses homens não são nem um pouco menos igualmente inspiradas. As águas do mar têm muitos tons diferentes. Em um lugar, eles parecem azuis, e em outro verde. E, no entanto, a diferença se deve à profundidade ou superficialidade da parte que vemos, ou à natureza do fundo. Em todos os casos, a água é o mesmo mar de sal. A respiração de um homem pode produzir sons diferentes, de acordo com o caráter do instrumento em que ele toca. A flauta, o cachimbo e a trombeta têm cada uma sua nota peculiar. E, no entanto, a respiração que chama as notas é, em cada caso, a mesma coisa. A luz dos planetas que vemos no céu é muito variada. Marte, Saturno e Júpiter, cada um tem uma cor peculiar. E, no entanto, sabemos que a luz do sol, que cada planeta reflete, é em cada caso uma e a mesma. Do mesmo modo, os livros do Antigo e do Novo Testamentos são todos verdade inspirada, e ainda assim o aspecto dessa verdade varia de acordo com a mente pela qual o Espírito Santo a faz fluir. A caligrafia e o estilo dos escritores diferem o suficiente para provar que cada um tinha um ser individual distinto; mas o Guia Divino que dita e dirige o todo é sempre um. Tudo é igualmente inspirado. Todo capítulo, versículo e palavra é de Deus.

Ó, se os homens preocupados com dúvidas, questionamentos e pensamentos céticos sobre inspiração, examinassem a Bíblia com calma! Ah, se eles seguissem o conselho que foi o primeiro passo para a conversão de Agostinho: - "Pegue e leia! - pegue e leia!". Quantos nós górdios esse curso de ação cortaria! [1] Quantas dificuldades e objeções desapareceriam ao mesmo tempo, tal como a névoa diante do sol nascente! Quantos logo confessariam: "O dedo de Deus está aqui! Deus está neste livro, e eu não sabia disso".

Este é o livro sobre o qual falo com os leitores deste artigo. Certamente não importa o que você está fazendo com este livro. Não é uma coisa trivial que Deus tenha feito com que este livro fosse "escrito para o seu aprendizado" e que você deveria ter diante de si "os oráculos de Deus" (Romanos 3. 2; 15. 4). Eu o convoco, convoco-o a dar uma resposta honesta à minha pergunta. O que você está fazendo com a Bíblia? - Você já leu? - Como você está lendo?


II. Em segundo lugar, não há conhecimento absolutamente necessário para a salvação de um homem, exceto o conhecimento das coisas que podem ser encontradas na Bíblia.

Vivemos nos dias em que as palavras de Daniel são cumpridas diante de nossos olhos: - "Muitos correm para lá e para cá, e o conhecimento é aumentado" (Daniel 12. 4). As escolas estão se multiplicando por todos os lados. Novas faculdades são criadas. As universidades antigas são reformadas e melhoradas. Novos livros estão surgindo continuamente. Mais está sendo ensinado, mais está sendo aprendido, mais está sendo lido, do que nunca, desde que o mundo começou. Está tudo bem. Eu me alegro com isso. Uma população ignorante é um fardo perigoso e caro para qualquer nação. É uma presa pronta para o primeiro Absalão, Catilina, Wat Tyler ou Jack Cade [2], que podem surgir para seduzi-lo a fazer o mal. Mas eu digo: nunca devemos esquecer que toda a educação que a cabeça de um homem pode receber não salvará sua alma do inferno, a menos que ele conheça as verdades da Bíblia.

Um homem pode ter um aprendizado prodigioso, e ainda assim nunca ser salvo. Ele pode dominar metade das línguas faladas em todo o mundo. Ele pode estar familiarizado com as coisas mais altas e profundas do céu e da terra. Ele pode ter lido livros até se parecer com uma enciclopédia ambulante. Ele pode estar familiarizado com as estrelas do céu - os pássaros do ar - as bestas da terra e os peixes do mar. Ele pode, como Salomão, "poder falar de árvores, desde o cedro do Líbano até o hissopo que cresce na parede, também de animais e aves, e de répteis e peixes" (1 Reis 4. 33). Ele pode ser capaz de falar de todos os segredos do fogo, do ar, da terra e da água. E, no entanto, se ele morre ignorante das verdades da Bíblia, morre um homem miserável! A química nunca silenciou uma consciência culpada. A matemática nunca curou um coração partido. Todas as ciências do mundo nunca suavizaram um travesseiro moribundo. Nenhuma filosofia terrena jamais forneceu esperança na morte. Nenhuma teologia natural jamais deu paz na perspectiva de encontrar um Deus santo. Todas essas coisas são terrenas, da terra e nunca podem elevar um homem acima do nível da terra. Eles podem permitir que um homem suporte e afaste sua pequena temporada aqui embaixo com uma marcha mais digna do que seus companheiros mortais, mas nunca podem dar-lhe asas e permitir-lhe voar em direção ao céu. Aquele que tem a maior parte deles descobrirá longamente que, sem o conhecimento da Bíblia, ele não tem posse duradoura. A morte acabará com todas as suas realizações e, após a morte, elas não lhe farão nenhum bem.

Um homem pode ser um alguém muito ignorante, e ainda assim ser salvo. Ele pode não conseguir ler uma palavra ou escrever uma carta. Ele pode não saber nada de geografia além dos limites de sua própria paróquia e ser totalmente incapaz de dizer qual é a mais próxima da Inglaterra, Paris ou Nova York. Ele pode não saber nada de aritmética e não ver nenhuma diferença entre um milhão e mil. Talvez ele não saiba nada da história, nem mesmo de sua própria terra, e desconheça se seu país deve mais às rainhas Semiramis, Boadicea ou Elizabeth. Ele pode não saber nada dos assuntos de seu tempo e ser incapaz de dizer se o chanceler do Tesouro, o comandante-chefe ou o arcebispo de Canterbury estão administrando as finanças nacionais. Ele pode não saber nada sobre ciência e suas descobertas - e se Júlio César ganhou suas vitórias com pólvora, ou se os apóstolos tinham uma prensa de impressão ou se o sol gira em torno da terra, podem ser assuntos sobre os quais ele não tem ideia. E, no entanto, se esse mesmo homem ouviu a verdade bíblica com seus ouvidos, e acreditou com seu coração, ele sabe o suficiente para salvar sua alma. Ele será finalmente encontrado com Lázaro no seio de Abraão, enquanto seu companheiro científico, que morreu sem converter, está perdido para sempre.

Atualmente, há muita conversa sobre ciência e "conhecimento útil". Afinal, um conhecimento da Bíblia é o único que é necessário e eternamente útil. Um homem pode chegar ao céu sem dinheiro, aprendizado, saúde ou amigos - mas, sem o conhecimento da Bíblia, nunca chegará lá. Um homem pode ter a mente das mais poderosas, e uma memória armazenada com o que toda a mente poderosa pode compreender - e, no entanto, se ele não conhece as coisas da Bíblia, fará naufragar sua alma para sempre. Ai! ai! Ai do homem que morre por ignorância da Bíblia!

Este é o livro sobre o qual estou abordando os leitores dessas páginas hoje. Não importa o que você faz com esse livro. Diz respeito à vida da sua alma. Convoco você - eu o encarrego de dar uma resposta honesta à minha pergunta. O que você está fazendo com a Bíblia? Você a leu? COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


III. Em terceiro lugar, nenhum livro existente contém um assunto tão importante quanto a Bíblia.

O tempo me falharia se eu entrasse completamente em todas as grandes coisas que podem ser encontradas na Bíblia, e somente na Bíblia. Não é por nenhum rascunho ou esboço que os tesouros da Bíblia podem ser exibidos. Seria fácil preencher este volume com uma lista das verdades peculiares que revela, e ainda assim a metade de suas riquezas seria deixada por contar.

Quão gloriosa e gratificante é a descrição que ela nos dá do plano de salvação de Deus e a maneira pela qual nossos pecados podem ser perdoados! A vinda ao mundo de Jesus Cristo, o Deus-homem, para salvar os pecadores - a expiação que Ele fez sofrendo em nosso lugar, a justa pelos injustos - o pagamento completo que Ele fez pelos nossos pecados por Seu próprio sangue - a justificativa de todo pecador que simplesmente crê em Jesus - a prontidão do Pai, Filho e Espírito Santo em receber, perdoar e salvar ao máximo - quão indizivelmente grande e aplaudida são todas essas verdades! Não conseguiríamos saber nada delas sem a Bíblia.

Quão reconfortante é o relato que a Bíblia nos dá do grande Mediador do Novo Testamento - o homem Cristo Jesus! Quatro vezes sobre Sua figura é graciosamente desenhada diante de nossos olhos. Quatro testemunhas separadas nos falam de Seus milagres e Seu ministério, Seus ditos e Seus feitos, Sua vida e Sua morte, Seu poder e Seu amor, Sua bondade e Sua paciência, Seus caminhos, Suas palavras, Suas obras. Seus pensamentos, Seu coração. Bendito seja Deus, há uma coisa na Bíblia que o leitor mais preconceituoso dificilmente deixa de entender, e esse é o caráter de Jesus Cristo!

Quão encorajadores são os exemplos que a Bíblia nos dá de pessoas boas! Ela nos fala de muitos que tinham paixões iguais a nós mesmos - homens e mulheres que tiveram cuidados, cruzes, famílias, tentações, aflições, doenças, como nós mesmos - e ainda "pela fé e paciência herdaram as promessas" e ficaram seguros em casa (Hebreus 6. 12). Não retém nada na história dessas pessoas. Seus erros, enfermidades, conflitos, experiências, orações, louvores, vidas úteis, mortes felizes - todos são totalmente registrados. E isso nos diz que o Deus e o Salvador desses homens e mulheres ainda esperam ser graciosos e são totalmente inalterados.

Quão instrutivos são os exemplos que a Bíblia nos dá de pessoas más! Ela nos fala de homens e mulheres que tinham luz, e oportunidades, como nós, e ainda assim endureceram seus corações, amaram o mundo, se apegaram a seus pecados, teriam seu próprio caminho, desprezariam a reprovação e arruinariam suas próprias almas para sempre. E nos adverte que o Deus que puniu Faraó, Saulo, Acabe, Jezabel, Judas, Ananias e Safira, é um Deus que nunca se altera, e que existe um inferno.

Quão preciosas são as promessas que a Bíblia contém para o uso daqueles que amam a Deus! Não há praticamente nenhuma emergência ou condição possível para a qual não haja uma "palavra para a ocasião". E diz aos homens que Deus gosta de ser lembrado dessas promessas e que, se Ele disse que fará algo, sua promessa certamente será cumprida.

Quão abençoadas são as esperanças que a Bíblia oferece ao crente em Cristo Jesus! Paz na hora da morte - descanso e felicidade do outro lado da sepultura - corpo glorioso na manhã da ressurreição - uma absolvição plena e triunfante no dia do julgamento - uma recompensa eterna no reino de Cristo, - um alegre encontro com o povo do Senhor no dia da reunião; - estas são as perspectivas futuras de todo cristão verdadeiro. Todos estão escritos no livro - no livro que é tudo verdade.

Quão impressionante é a luz que a Bíblia lança sobre o caráter do homem! Ela nos ensina o que se espera que os homens sejam e façam em todas as posições e condições da vida. Ele nos dá uma visão mais profunda das fontes e motivos secretos das ações humanas e do curso comum dos eventos sob o controle de agentes humanos. É o verdadeiro "discernidor dos pensamentos e intenções do coração" (Hebreus 4. 12). Quão profunda é a sabedoria contida nos livros de Provérbios e Eclesiastes! Eu posso entender bem um velho ditado religioso: "Dê-me uma vela e uma Bíblia, e me cale em uma masmorra escura, e vou lhe contar tudo o que o mundo inteiro está fazendo".

Todas essas são coisas que os homens não encontraram em lugar algum, exceto na Bíblia. Provavelmente não temos a menor ideia de quão pouco deveríamos saber sobre essas coisas se não tivéssemos a Bíblia. Mal sabemos o valor do ar que respiramos e o sol que brilha sobre nós, porque nunca soubemos o que é ser sem eles. Não valorizamos as verdades nas quais apenas estive agora, porque não percebemos as trevas dos homens a quem essas verdades não foram reveladas. Certamente nenhuma língua pode dizer completamente o valor dos tesouros que este volume contém. Bem, o velho John Newton poderia dizer que alguns livros eram de cobre em sua opinião, alguns eram de prata e alguns poucos eram de ouro; mas a Bíblia sozinha era como um livro todo feito de notas de banco.

Este é o livro sobre o qual eu direciono o leitor deste artigo hoje. Certamente não importa o que você está fazendo com a Bíblia. Não importa a maneira como você está usando esse tesouro. Eu o convoco, convoco-o a dar uma resposta honesta à minha pergunta: - O que você está fazendo com a Bíblia? - Você a leu? - COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


IV. Em quarto lugar, nenhum livro existente produziu efeitos maravilhosos sobre a humanidade em geral como a Bíblia.

(A) Este é o Livro cujas doutrinas virou o mundo de cabeça para baixo nos dias dos Apóstolos.

Dezoito séculos já se passaram desde que Deus enviou alguns judeus de um canto remoto da Terra, para fazer uma obra que, de acordo com o julgamento do homem normalmente tem, parecia impossível. Ele os enviou numa época em que o mundo inteiro estava cheio de superstição, crueldade, luxúria e pecado. Ele os enviou a proclamar que as religiões estabelecidas da terra eram falsas e inúteis, e deveriam ser abandonadas. Ele os enviou para persuadir os homens a abandonar velhos hábitos e costumes e a viver vidas diferentes. Ele os enviou a lutar contra a idolatria mais avassaladora, com a imoralidade mais vil e repugnante, com interesses pessoais, com associações antigas, com um sacerdócio fanático, com filósofos zombadores, com uma população ignorante, com imperadores de mente sangrenta, com toda a influência de Roma. Nunca houve um empreendimento com aparência mais quixotesca e com menor probabilidade de sucesso!

E como Ele os armou para esta batalha? Ele não lhes deu armas carnais. Ele não lhes deu poder mundano para exigir consentimento, nem riquezas mundanas para subornar crenças. Ele simplesmente colocou o Espírito Santo em seus corações, e as Escrituras em suas mãos. Ele simplesmente ordenou que eles expusessem e explicassem, aplicassem e publicassem as doutrinas da Bíblia. O pregador do cristianismo no primeiro século não era um homem com uma espada e um exército, para assustar as pessoas, como Maomé, ou um homem com uma licença para ser lúbrico, para seduzir as pessoas, como os sacerdotes dos ídolos vergonhosos do Hindustão. Não! Ele não era nada além de um homem santo com um livro sagrado.

E como esses homens de um livro prosperaram? Em poucas gerações, eles mudaram completamente a face da sociedade pelas doutrinas da Bíblia. Eles esvaziaram os templos dos deuses pagãos. Eles tinham fome de idolatria, ou a deixavam alta e seca como um navio encalhado. Eles trouxe ao mundo um tom mais elevado de moralidade entre homem e homem. Eles levantaram o caráter e a posição da mulher. Eles alteraram o padrão de pureza e decoro. Eles colocaram fim a muitos costumes cruéis e sangrentos, como as lutas de gladiadores. - Não havia como parar a mudança. Perseguição e oposição foram inúteis. Uma vitória após a outra foi conquistada. Uma coisa ruim após a outra desapareceu. Se os homens gostaram ou não, eles foram insensivelmente afetada pelo movimento da nova religião, e desenhado dentro do redemoinho de seu poder. A terra tremeu e seus refúgios podres caíram no chão. A inundação subiu, e eles se viram obrigados a subir com ele. A árvore do cristianismo inchou e cresceu, e as correntes que eles lançaram em torno dela para impedir seu crescimento se partiram como rebocadores. E tudo isso foi feito pelas doutrinas da Bíblia! É uma conversa sobre vitórias, de fato! O que são as vitórias de Alexandre e César, e Marlborough, e Napoleão e Wellington, em comparação com aqueles que acabei de mencionar? Por extensão, por completude, por resultados, por permanência, não há vitórias como as vitórias da Bíblia.

(b) Este é o livro que virou a Europa de cabeça para baixo nos dias da gloriosa Reforma Protestante.

Ninguém pode ler a história da cristandade como era quinhentos anos atrás, e não ver que as trevas cobriram toda a Igreja professa de Cristo, mesmo uma escuridão que possa ser sentida. Tão grande foi a mudança que havia acontecido sobre o cristianismo, que se um apóstolo tivesse ressuscitado dentre os mortos, ele não o reconheceria e pensaria que o paganismo havia revivido novamente. As doutrinas do Evangelho jaziam enterradas sob uma densa massa de tradições humanas. Penitências, peregrinações e indulgências, adoração a relíquias, adoração a imagens e adoração a santos e adoração à Virgem Maria formaram a soma e substância da religião da maioria das pessoas. A Igreja foi feita um ídolo. Os sacerdotes e ministros da Igreja usurparam o lugar de Cristo. E de que maneira toda essa escuridão miserável foi eliminada? De nenhuma outra maneira, senão trazendo mais uma vez a Bíblia.

Não foi apenas a pregação de Lutero e seus amigos, que estabeleceu o protestantismo na Alemanha. A grande alavanca que derrubou o poder do papa naquele país foi a tradução da Bíblia por Lutero para a língua alemã. 

- Não foram apenas os escritos de Cranmer e os reformadores ingleses que derrubaram o papado na Inglaterra. As sementes da obra assim levada adiante foram semeadas pela tradução da Bíblia por Wycliffe, muitos anos antes. 

- Não era apenas a discussão de Henrique VIII e o papa de Roma, que afrouxou o domínio do papa nas mentes inglesas. Era a permissão real para que a Bíblia fosse traduzida e montada nas igrejas, para que todo mundo que gostasse pudesse lê-la. 

Sim! Foi a leitura e a circulação das Escrituras que estabeleceram principalmente a causa do protestantismo na Inglaterra, na Alemanha e na Suíça. Sem ela, o povo provavelmente teria retornado à sua escravidão anterior quando os primeiros reformadores morreram. Mas, pela leitura da Bíblia, a mente do público tornou-se gradualmente levedada com os princípios da verdadeira religião. Os olhos dos homens ficaram completamente abertos. Seus entendimentos espirituais tornaram-se completamente ampliados. As abominações do papado se tornaram nitidamente visíveis. A excelência do evangelho puro se tornou uma ideia enraizada em seus corações. Foi em vão que papas trovejaram excomunhões. Era inútil que reis e rainhas tentassem parar o curso do protestantismo com fogo e espada. Já era tarde demais. As pessoas sabiam demais. Eles viram a luz. Eles ouviram o som alegre. Eles provaram a verdade. O sol havia surgido em suas mentes. As escamas caíram dos olhos. A Bíblia havia feito o trabalho designado dentro deles, e esse trabalho não deveria ser derrubado. O povo não voltaria ao Egito. Não foi possível atrasar o relógio. Uma revolução mental e moral havia sido efetuada, e principalmente efetuada pela Palavra de Deus. Essas são as verdadeiras revoluções que a Bíblia afeta. O que são todas as revoluções registradas por Vertot [3] - o que são todas as revoluções pelas quais a França e a Inglaterra passaram, comparadas a essas? Nenhuma revolução é tão sem sangue, nenhuma é tão satisfatória, nenhuma é tão rica em resultados duradouros, como as revoluções realizadas pela Bíblia!

Este é o livro sobre o qual sempre se apoiou o bem-estar das nações e com o qual os melhores interesses de todas as nações da cristandade neste momento estão inseparavelmente ligados. Na proporção em que a Bíblia é honrada ou não, luz ou trevas, moralidade ou imoralidade, religião ou superstição verdadeira, liberdade ou despotismo, boas ou más leis, serão encontradas em uma terra. Venha comigo e abra as páginas da história, e você lerá as provas no passado. Leia na história de Israel sob os reis. Quão grande foi a maldade que então prevaleceu! Mas quem se espantará? A lei do Senhor havia sido completamente perdida de vista e foi encontrada nos dias de Josias, jogado de lado em um canto do templo (2 Reis 22. 8). - Leia isso na história dos judeus no tempo de nosso Senhor Jesus Cristo. Quão terrível é a imagem dos escribas e fariseus, e sua religião! Mas quem se espantará? A Escritura "não teve nenhum efeito pelas tradições do homem" (Mateus 15. 6). - Leia-o na história da Igreja de Cristo na Idade Média. O que pode ser pior do que os relatos que temos de sua ignorância e superstição? Mas quem pode se perguntar? Os tempos poderiam muito bem ser sombrios, quando os homens não tivessem a luz da Bíblia.

Este é o livro ao qual o mundo civilizado está em dívida com muitas de suas melhores e mais dignas instituições de louvor. Poucos provavelmente sabem quantas coisas boas os homens adotaram para benefício público, cujas origens podem ser claramente rastreadas até a Bíblia. Deixou marcas duradouras onde quer que tenha sido recebida. Da Bíblia são extraídas muitas das melhores leis pelas quais a sociedade é mantida em ordem. A partir da Bíblia, obteve-se o padrão de moralidade sobre a verdade, a honestidade e as relações entre homem e mulher, que prevalece entre as nações cristãs e que, por mais que seja desrespeitado em muitos casos, faz uma diferença tão grande entre cristãos e pagãos. À Bíblia, somos gratos pela provisão mais misericordiosa para o pobre homem, o dia de domingo. À influência da Bíblia devemos quase todas as instituições humanas e de caridade existentes. Os doentes, os pobres, os idosos, os órfãos, os lunáticos, os incapazes, os cegos, raramente ou nunca eram pensados ​​antes que a Bíblia levedasse o mundo. Você pode procurar em vão qualquer registro de instituições para sua ajuda nas histórias de Atenas ou de Roma. Ai! Há muitos que zombam da Bíblia e dizem que o mundo se daria bem sem ela, e poucos pensam quão grandes são suas próprias obrigações para com a Bíblia. Pouco pensa o trabalhador infiel, enquanto está doente em alguns de nossos grandes hospitais, que deve todos os seus confortos atuais ao mesmo livro que ele despreza. Se não fosse a Bíblia, ele poderia ter morrido na miséria, sem cuidados, despercebido e sozinho. Na verdade, o mundo em que vivemos é terrivelmente inconsciente de suas dívidas. Creio que apenas o último dia contará toda a vantagem que a Bíblia lhe confere.

Este livro maravilhoso é o assunto sobre o qual abordo o leitor deste artigo hoje. Certamente não importa o que você está fazendo com a Bíblia. As espadas dos generais conquistadores - o navio em que Nelson levou as frotas da Inglaterra à vitória - a prensa hidráulica que elevava a ponte tubular no Menai [4];  todos esses são objetos de interesse como instrumentos de grande poder. O livro de que falo hoje é um instrumento mil vezes mais poderoso ainda. Certamente não importa se você está prestando a atenção que merece. Eu o convoco, convoco-o a me dar uma resposta honesta hoje: - O que você está fazendo com a Bíblia? Você leu? COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


V. Em quinto lugar, nenhum livro existente pode fazer tanto por todo aquele que o lê corretamente como a Bíblia.

A Bíblia não professa ensinar a sabedoria deste mundo. Não foi escrito para explicar geologia ou astronomia. Não o instruirá em matemática, nem em filosofia natural. Não fará de você um médico, um advogado ou um engenheiro.

Mas há outro mundo em que pensar, além do mundo em que o homem vive agora. Existem outros fins para os quais o homem foi criado, além de ganhar dinheiro e trabalhar. Existem outros interesses que ele deve atender, além dos de seu corpo, e esses interesses são os interesses de sua alma. É o interesse da alma imortal que a Bíblia é especialmente capaz de promover. Se você conhece direito, pode estudar Blackstone ou Sugden [5]. Se você conhece astronomia ou geologia, pode estudar Herschel e Lyell [6]. Mas se você quiser salvar sua alma, deve estudar a Palavra de Deus escrita.

A Bíblia é "capaz de tornar um homem sábio para a salvação, através da fé que está em Cristo Jesus" (2 Timóteo 3. 15). Pode mostrar-lhe o caminho que leva ao céu. Ele pode ensinar tudo o que você precisa saber, apontar tudo o que precisa acreditar e explicar tudo o que precisa fazer. Pode mostrar o que você é - um pecador. Pode mostrar a você o que Deus é, perfeitamente santo. Pode mostrar-lhe o grande doador de perdão, paz e graça - Jesus Cristo. Eu li sobre um inglês que visitou a Escócia nos dias de Blair, Rutherford e Dickson [7], três pregadores famosos - e ouviu os três em sucessão. Ele disse que o primeiro mostrava a majestade de Deus - o segundo mostrava a beleza de Cristo - e o terceiro mostrava todo o seu coração. É a glória e a beleza da Bíblia que ela sempre ensina essas três coisas mais ou menos, do primeiro capítulo ao último.

A Bíblia aplicada ao coração pelo Espírito Santo, é o grande instrumento pelo qual as almas são primeiro convertidas a Deus. Essa poderosa mudança geralmente é iniciada por algum texto ou doutrina da Palavra, trazida para casa à consciência de um homem. Dessa maneira, a Bíblia realizou milagres morais aos milhares. Isso fez com que os bêbados se tornassem sóbrios - as pessoas desprovidas de pureza - os ladrões se tornassem honestos - e as pessoas de temperamento violento se tornassem mansos. Alterou completamente o curso da vida dos homens. Isso fez com que suas coisas antigas passassem, e renovou todos os seus caminhos. Ele ensinou as pessoas do mundo a buscar primeiro o reino de Deus. Ele ensinou os amantes do prazer a se tornarem amantes de Deus. Ele ensinou o fluxo das afeições dos homens a subir e não a descer. Isso fez os homens pensarem no céu, em vez de sempre pensarem na terra, e viverem pela fé, em vez de viverem pelo que se vê. Tudo isso foi feito em todas as partes do mundo. Tudo isso está fazendo ainda. Quais são os milagres romanos em que os homens fracos acreditam, comparados a tudo isso, mesmo que sejam verdadeiros? Esses são os verdadeiros grandes milagres que são realizados anualmente pela Palavra.

A Bíblia aplicada ao coração pelo Espírito Santo, é o principal meio pelo qual os homens são edificados e estabelecidos na fé, após sua conversão. É capaz de purificá-los, santificá-los, instruí-los na justiça e fornecê-los completamente a todas as boas obras (Salmo 119. 9; João 17. 17; 2 Timóteo 3. 16, 17). O Espírito normalmente faz essas coisas pela Palavra escrita; às vezes pela Palavra lida, e às vezes pela Palavra pregada, mas raramente, se é que alguma vez, sem a Palavra. A Bíblia pode mostrar ao crente como andar neste mundo para agradar a Deus. Ele pode ensiná-lo a glorificar a Cristo em todas as relações da vida e pode fazer dele um bom mestre, servo, sujeito, marido, pai ou filho. Pode capacitá-lo a suportar aflições e privações sem murmurar, e dizer: "Está tudo bem". Isso pode permitir que ele olhe para o túmulo e diga: "Não tenho medo do mal". (Salmo 23. 4). Pode capacitá-lo a pensar no julgamento e na eternidade, e não sentir medo. Pode capacitá-lo a sofrer perseguição sem vacilar e desistir da liberdade e da vida, em vez de negar a verdade de Cristo. 

- Ele está sonolento na alma? Pode despertá-lo. 
- Ele está de luto? Pode confortá-lo. 
- Ele está desenganado? Pode restaurá-lo. 
- Ele está fraco? Pode torná-lo forte. 
- Ele está acompanhado? Pode impedi-lo do mal. 
- Ele está sozinho? Pode falar com ele (Provérbios 6. 22). 

Tudo isso a Bíblia pode fazer por todos os crentes - tanto pelos pequenos quanto pelos grandes - pelos mais ricos e pelos mais pobres. Já o fez por milhares e o faz todos os dias.

O homem que tem a Bíblia e o Espírito Santo em seu coração tem tudo o que é absolutamente necessário para torná-lo espiritualmente sábio. Ele não precisa de um padre para partir o pão da vida por ele. Ele não precisa de tradições antigas, nem escritos dos Padres, nem voz da Igreja, para guiá-lo a toda a verdade. Ele tem o poço da verdade à sua frente, e o que ele pode querer mais? Sim! Embora ele seja trancado sozinho em uma prisão ou jogado em uma ilha deserta - embora ele nunca mais veja uma igreja, ministro ou sacramento - se ele tem apenas a Bíblia, ele tem o guia infalível e não quer de outros. Se ele tiver apenas a vontade de ler a Bíblia corretamente, certamente o ensinará o caminho que leva ao céu. É só aqui que reside a infalibilidade. Não está na igreja. Não está nos conselhos. Não está em ministros. É apenas na Palavra escrita.

(a) Sei bem que muitos dizem que não encontraram poder salvador na Bíblia. Eles nos dizem que tentaram lê-la e não aprenderam nada com ela. Eles podem ver nela nada além de coisas duras e profundas. Eles nos perguntam o que queremos dizer falando de seu poder.

Eu respondo que a Bíblia, sem dúvida, contém coisas difíceis, ou então não seria o livro de Deus. Ele contém coisas difíceis de compreender, mas apenas difíceis porque não temos alcance mental para compreendê-las. Ela contém coisas acima de nossos poderes de raciocínio, mas nada que não possa ser explicado se os olhos de nosso entendimento não forem fracos e obscuros. Mas não é o reconhecimento de nossa própria ignorância a pedra angular e fundamento de todo conhecimento? Muitas coisas não devem ser tomadas como garantidas no início de toda ciência, antes que possamos dar um passo em direção a conhecê-la? Não exigimos que nossos filhos aprendam muitas coisas das quais eles não podem ver o significado a princípio? E não devemos então esperar encontrar "coisas profundas" quando começarmos a estudar a Palavra de Deus, e ainda assim acreditar que, se persistirmos na leitura, o significado de muitas delas será esclarecido um dia? Sem dúvida, devemos esperar e acreditar. Nós devemos ler com humildade. Nós devemos confiar muito. Devemos acreditar que o que não sabemos agora, saberemos a seguir - alguma parte deste mundo e tudo no mundo vindouro.

Mas pergunto ao homem que desistiu de ler a Bíblia porque ela contém coisas difíceis, se ele não achou muitas coisas fáceis e claras? Eu coloquei em sua consciência se ele não viu grandes marcos e princípios nela o tempo todo? Pergunto-lhe se as coisas necessárias para a salvação não se destacaram corajosamente diante de seus olhos, como as casas de luz nos promontórios ingleses, do extremo norte até a foz do Tamisa. O que devemos pensar do capitão de um navio a vapor que apareceu à noite na entrada do Canal, alegando que ele não conhecia todas as paróquias, vilarejos e riachos da costa britânica? Não deveríamos considerá-lo um covarde preguiçoso, quando as luzes dos faróis de Lizard, Eddystone, Start, Portland, St. Catherine e Beachy Head e Dungeness e Forelands estavam brilhando como tantas lâmpadas, e podiam guiá-lo até o rio? Não devemos dizer: Por que você não dirigiu pelas grandes luzes principais? E o que devemos dizer ao homem que desiste de ler a Bíblia porque ela contém coisas difíceis, quando seu próprio estado, o caminho para o céu e o caminho para servir a Deus são todos escritos de forma clara e inequívoca, como em raio de Sol? Certamente, devemos dizer a esse homem que suas objeções não são melhores que desculpas preguiçosas e que não merecem ser ouvidas.

(b) Sei bem que muitos levantam a objeção, que milhares leem a Bíblia e não são nem um pouco melhores para a leitura. E eles nos perguntam, quando esse é o caso, o que acontece com o dito poder da Bíblia?

Respondo que a razão pela qual tantos leem a Bíblia sem benefício é clara e simples; - eles não a leem da maneira correta. Geralmente, existe um caminho certo e um caminho errado de fazer tudo no mundo; e assim como acontece com outras coisas, também está na questão de ler a Bíblia. A Bíblia não é tão completamente diferente de todos os outros livros, a ponto de torná-la sem importância em que espírito e maneira que você a lê. Naturalmente, não adianta apenas passar os olhos pelas gravuras, assim como os sacramentos fazem o bem por mera virtude de recebê-los. Normalmente, não o faz bem, a menos que seja lido com humildade e fervorosa oração. O melhor motor a vapor já construído é inútil se um homem não sabe como trabalhar. O melhor relógio de sol que já foi construído não dirá a seu dono a hora do dia, se ele é tão ignorante a ponto de colocá-lo na sombra. Assim como acontece com esse motor a vapor e com o mostrador solar, o mesmo acontece com a Bíblia. Quando os homens leem sem lucro, a falha não está no livro, mas em si mesmos.

Digo ao homem que duvida do poder da Bíblia, porque muitos a leem, e não são melhores para a leitura, que o mal uso de uma coisa não é argumento contra o seu uso. Digo-lhe com ousadia que nunca homem ou mulher leu esse livro com espírito perseverante infantil - como o eunuco etíope e os bereanos (Atos 8. 28; 17. 11) - e perdeu o caminho para céu. Sim, muitas cisternas quebradas serão expostas à vergonha no dia do julgamento; mas não haverá uma alma capaz de dizer que ele estava sedento da Bíblia, e nela não encontrou água viva - ele procurou a verdade nas Escrituras, e a busca não a encontrou. As palavras que são ditas de sabedoria nos Provérbios são estritamente verdadeiras na Bíblia: "Se você clama pelo conhecimento, e levanta a sua voz para entender; se você a procura como prata e a procura como tesouros escondidos, então tu compreendes o temor do Senhor e acha o conhecimento de Deus" (Provérbios 2. 3, 4, 5).

Este maravilhoso livro é o assunto sobre o qual abordo os leitores deste artigo hoje. Certamente não importa o que você está fazendo com a Bíblia. O que você deve pensar do homem que, na época da cólera, desprezava um recibo de seguro por preservar a saúde de seu corpo? O que você deve pensar se você despreza o único recibo de seguro da saúde eterna de sua alma? Peço-lhe, peço-lhe, que dê uma resposta honesta à minha pergunta. O que você faz com a Bíblia? - Você a leu? - COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


VI. Em sexto lugar, a Bíblia é a única regra pela qual todas as questões de doutrina ou de dever podem ser testadas.

O Senhor Deus conhece a fraqueza e enfermidade de nossos pobres entendimentos caídos. Ele sabe que, mesmo após a conversão, nossas percepções do certo e do errado são extremamente indistintas. Ele sabe como Satanás artisticamente pode dar erro com uma aparência de verdade, e pode se enganar com argumentos plausíveis, até que pareça certo. Sabendo de tudo isso, Ele misericordiosamente nos forneceu um padrão infalível de verdade e erro, certo e errado, e tomou o cuidado de fazer desse padrão um livro escrito - até mesmo as Escrituras.

Ninguém pode olhar ao redor do mundo e não ver a sabedoria de tal provisão. Ninguém pode viver por muito tempo e não descobrir que precisa constantemente de um conselheiro e assessor - de uma regra de fé e prática da qual possa confiar. A menos que ele viva como um animal, sem alma e consciência, ele se verá constantemente atacado por perguntas difíceis e intrigantes. Ele sempre se pergunta: Em que devo acreditar? E o que devo fazer?

(a) O mundo está cheio de dificuldades sobre pontos de doutrina. A casa do erro fica ao lado da casa da verdade. A porta de um é tão parecida com a porta do outro que há um risco contínuo de erros.

Um homem lê ou viaja muito? Ele logo encontrará as opiniões mais opostas que prevalecem entre os chamados cristãos. Ele descobrirá que pessoas diferentes dão as mais diferentes respostas à pergunta importante: O que devo fazer para ser salvo? O católico romano e o protestante - o neólogo e o tratador - o mormonita e o suecoborg [8] - cada um e todos afirmarão que somente eles têm a verdade. Todos dirão a ele que a segurança só pode ser encontrada em seu partido. Todos dizem: "Venha conosco". Tudo isso é intrigante. O que um homem deve fazer?

Ele se instala silenciosamente em alguma paróquia inglesa ou escocesa? Ele logo descobrirá que, mesmo em nossa própria terra, as opiniões mais conflitantes são mantidas. Ele logo descobrirá que existem sérias diferenças entre os cristãos quanto à importância comparativa das várias partes e artigos da fé. Um homem pensa em nada além do governo da Igreja - outro nada além de sacramentos, serviços e formas - um terço de nada além de pregar o Evangelho. Ele pede aos ministros uma solução? Ele talvez encontre um ministro ensinando uma doutrina e outro. Tudo isso é intrigante. O que um homem deve fazer?

Há apenas uma resposta para esta pergunta. Um homem deve tornar a Bíblia sozinha seu governo. Ele não deve receber nada, e não acreditar em nada, que não esteja de acordo com a Palavra. Ele deve experimentar todos os ensinamentos religiosos com um simples teste: - Isso coincide com a Bíblia? O que diz a Escritura?

Gostaria de Deus que os olhos dos leigos deste país fossem mais abertos sobre esse assunto. Gostaria de Deus que eles aprendessem a ponderar sermões, livros, opiniões e ministros, nas escalas da Bíblia, e a valorizar tudo de acordo com sua conformidade com a Palavra. Eu gostaria que Deus visse que pouco importa quem diz alguma coisa, seja ele pai ou reformador, bispo ou arcebispo, sacerdote ou diácono, arquidiácono ou decano. A única pergunta é: - A coisa é bíblica? Se for, deve ser recebido e acreditado. Caso contrário, deve ser recusado e descartado. Temo as consequências dessa aceitação servil de tudo o que "o pastor" diz, que é tão comum entre muitos leigos ingleses. Receio que eles não sejam levados para o lugar desconhecido, como os sírios cegos, e acordem um dia para se encontrarem no poder de Roma (2 Reis 6. 20). Ó, se os homens na Inglaterra lembrassem apenas para que propósito a Bíblia lhes foi dada!

Digo aos leigos ingleses que não faz sentido dizer, como alguns dizem, que é presunçoso julgar os ensinamentos de um ministro pela Palavra. Quando uma doutrina é proclamada em uma paróquia e outra em outra, as pessoas devem ler e julgar por si mesmas. Ambas as doutrinas podem não estar certas e devem ser provadas pela Palavra. Encarrego-os, acima de tudo, de nunca supor que qualquer verdadeiro ministro do Evangelho não goste do seu povo medindo tudo o que ele ensina pela Bíblia. Pelo contrário, quanto mais eles leem a Bíblia e provam tudo o que ele diz pela Bíblia, mais satisfeito ele deve ficar. Um falso ministro pode dizer: "Você não tem o direito de usar seu julgamento particular: deixe a Bíblia para nós que somos ordenados". Um verdadeiro ministro dirá: "Examine as Escrituras, e se eu não lhe ensinar o que é bíblico, não acredite em mim". Um falso ministro pode gritar: "Ouça a Igreja" e "Ouça-me". Um verdadeiro ministro dirá: "Ouça a Palavra de Deus".

(b) Mas o mundo não está apenas cheio de dificuldades sobre pontos de doutrina; é igualmente cheio de dificuldades sobre pontos de prática. Todo cristão que professa, que deseja agir com consciência, deve saber que é assim. As perguntas mais intrigantes estão surgindo continuamente. Ele é julgado por todos os lados por dúvidas quanto ao cumprimento do dever, e muitas vezes mal consegue ver qual é a coisa certa a fazer.

Ele é posto à prova por perguntas relacionadas à administração de seu chamado mundano, se ele está nos negócios ou no comércio. Às vezes, ele vê coisas acontecendo com um caráter muito duvidoso - coisas que dificilmente podem ser chamadas de justas, diretas, verdadeiras e que não deveria ser feitas. Mas, então, todo mundo no comércio faz essas coisas. Elas sempre foram feitos nas casas mais respeitáveis. Não haveria negócios lucrativos se não fossem feitas. Elas não são coisas distintamente nomeadas e proibidas por Deus. Tudo isso é muito intrigante. O que um homem deve fazer?

Ele é posto à prova por perguntas sobre diversões mundanas. Corridas, bailes, óperas, teatros e festas de cartas são métodos muito duvidosos de passar o tempo. Mas então ele vê um grande número de pessoas participando delas. Todas essas pessoas estão erradas? Pode realmente haver um dano tão poderoso nessas coisas? Tudo isso é muito intrigante. O que um homem deve fazer?

Ele é posto à prova por perguntas sobre a educação de seus filhos. Ele deseja treiná-los moral e religiosamente e lembrar suas almas. Mas muitas pessoas sensatas dizem a ele que os jovens serão jovens - que isso não é suficiente para controlá-los e restringi-los demais, e que ele deve participar de pantomimas e festas infantis e dar o próprio baile infantil. Ele é informado de que esse nobre, ou aquela dama de patente, sempre o faz, e ainda assim eles são pessoas religiosas. Certamente não pode estar errado. Tudo isso é muito intrigante. O que ele deve fazer?

Há apenas uma resposta para todas essas perguntas. Um homem deve fazer da Bíblia sua regra de conduta. Ele deve fazer de seus princípios principais a bússola pela qual ele orienta seu curso na vida. Pela letra ou espírito da Bíblia, ele deve testar todos os pontos e questões difíceis. "À lei e ao testemunho! O que diz a Escritura?" Ele não deveria se importar com o que as outras pessoas possam pensar direito. Ele não deve marcar o relógio pelo relógio do vizinho, mas pelo mostrador solar da Palavra.

Encarrego meus leitores solenemente de agir de acordo com a máxima que acabei de estabelecer e de aderir rigidamente a ela todos os dias de suas vidas. Você nunca se arrependerá disso. Faça disso um princípio de liderança para nunca agir contrariamente à Palavra. Não se preocupe com a carga de rigor excessivo e precisão desnecessária. Lembre-se de servir a um Deus rigoroso e santo. Não ouça a objeção comum de que a regra que você estabeleceu é impossível e não pode ser observada em um mundo como este. Que aqueles que fazem tal objeção falem claramente e nos digam com que propósito a Bíblia foi dada ao homem. Lembrem-se de que, segundo a Bíblia, todos seremos julgados no último dia e aprenderão a julgar a si mesmos por ela aqui, para que não sejam julgados e condenados por ela no futuro.

Esta poderosa regra de fé e prática é o livro sobre o qual estou abordando os leitores deste artigo hoje. Certamente não importa o que você está fazendo com a Bíblia. Seguramente, quando houver perigo no lado direito e no lado esquerdo, você deve considerar o que está fazendo com a proteção que Deus providenciou. Peço-lhe, peço-lhe, que dê uma resposta honesta à minha pergunta. O que você está fazendo com a Bíblia? - Você a leu? COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


VII. Em sétimo lugar, a Bíblia é o livro pelo qual todos os verdadeiros servos de Deus sempre viveram e amaram.

Todo ser vivo que Deus cria precisa de comida. A vida que Deus transmite precisa de sustentação e nutrição. O mesmo ocorre com a vida animal e vegetal - com pássaros, bestas, peixes, répteis, insetos e plantas. É o mesmo com a vida espiritual. Quando o Espírito Santo ressuscita um homem da morte do pecado e faz dele uma nova criatura em Cristo Jesus, o novo princípio no coração desse homem requer alimento, e o único alimento que o sustentará é a Palavra de Deus.

Nunca houve um homem ou uma mulher verdadeiramente convertidos, de um extremo ao outro do mundo, que não amaram a vontade revelada de Deus. Assim como uma criança nascida no mundo deseja naturalmente o leite provido para sua nutrição, a alma "nascida de novo" deseja o leite sincero da Palavra. Esta é uma marca comum de todos os filhos de Deus - eles "deleitam-se com a lei do Senhor" (Salmo, 1. 2).

Mostre-me uma pessoa que despreza a leitura da Bíblia ou pensa pouco em pregar a Bíblia, e considero certo que ele ainda não "nasceu de novo". Ele pode ser zeloso em formas e cerimônias. Ele pode ser diligente no atendimento aos sacramentos e nos serviços diários. Mas se essas coisas são mais preciosas para ele do que a Bíblia, não posso pensar que ele é um homem convertido. Diga-me o que a Bíblia é para um homem, e geralmente vou lhe dizer o que ele é. Este é o pulso para atestar - este é o barômetro para observar - se conhecermos o estado do coração. Não tenho noção de que o Espírito habite em um homem e não dê evidências claras de Sua presença. E creio que é um sinal de evidência da presença do Espírito quando a Palavra é realmente preciosa para a alma de um homem.

O amor à palavra é uma das características que vemos em Jó. Por mais que conheçamos esse patriarca e sua idade, isso pelo menos se destaca claramente. Ele diz: "Estimei as palavras de Sua boca mais do que minha comida necessária" (Jó 23. 12).

O amor à palavra é uma característica brilhante do caráter de Davi. Marque como aparece em toda a parte maravilhosa das Escrituras, o 119º Salmo. Ele pode muito bem dizer: "Ó, como eu amo a tua lei!" (Salmo 119. 97).

O amor à Palavra é um ponto marcante no caráter de São Paulo. O que ele e seus companheiros eram senão homens "poderosos nas Escrituras"? Quais foram seus sermões senão exposições e aplicações da Palavra?

O amor à Palavra aparece preeminentemente em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Ele leu publicamente. Ele citava continuamente. Ele expunha isso com frequência. Ele aconselhou os judeus a "procurá-lo". Ele a usou como arma para resistir ao diabo. Ele disse repetidamente: "As Escrituras devem ser cumpridas." - Quase a última coisa que Ele fez foi "abrir o entendimento de Seus discípulos, para que eles pudessem entender as Escrituras" (Lucas 24. 45). Receio que o homem não possa ser um verdadeiro servo de Cristo, que não tenha algo da mente e do sentimento de seu Mestre em relação à Bíblia.

O amor à Palavra tem sido uma característica proeminente na história de todos os santos, dos quais sabemos qualquer coisa, desde os dias dos apóstolos. Esta é a lâmpada que Atanásio, Crisóstomo e Agostinho seguiram. Esta é a bússola que impedia os Valdenses e Albigenses de fazer naufrágios da fé. Este é o poço que foi reaberto por Wycliffe e Lutero, depois de muito tempo parado. Esta é a espada com a qual Latimer, Jewell e Knox conquistaram suas vitórias. Este é o maná que alimentou Baxter e Owen, e a nobre hoste dos puritanos, e os fez fortes para a batalha. Este é o arsenal a partir do qual Whitefield e Wesley sacaram suas poderosas armas. Esta é a mina da qual Bickersteth e M'Cheyne produziram ouro rico. Diferindo do que esses homens santos fizeram em alguns assuntos, em um ponto todos eles concordaram - todos eles se deleitaram com a Palavra.

O amor à Palavra é uma das primeiras coisas que aparecem nos pagãos convertidos, nas várias estações missionárias em todo o mundo. Em climas quentes e frios - entre pessoas selvagens e entre civilizados - na Nova Zelândia, nas Ilhas do Mar do Sul, na África, no Hindustan, - é sempre o mesmo. Eles apreciam a leitura. Eles desejam ser capazes de ler por eles mesmos. Eles se perguntam por que os cristãos não os enviaram antes. Quão impressionante é a imagem que Moffat desenha de Africaner, o feroz chefe da África do Sul, quando foi trazido pela primeira vez ao poder do Evangelho! [9] "Frequentemente eu o vi", diz ele, "sob a sombra de uma grande rocha quase o dia inteiro, folheando avidamente as páginas da Bíblia." - Quão tocante é a expressão de um negro pobre convertido, falando sobre o Bíblia! Ele disse: "Nunca é velho nem frio." - Quão afetante foi a linguagem de outro negro velho, quando alguns o dissuadiram de aprender a ler, por causa de sua grande idade. "Não!" ele disse: "Eu nunca desistirei até morrer. Vale a pena todo o trabalho para poder ler esse versículo: 'Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.'"

O amor à Bíblia é um dos grandes pontos de concordância entre todos os homens e mulheres convertidos em nossa própria terra. Episcopais e presbiterianos, batistas e independentes, metodistas e irmãos de Plymouth - todos se unem para honrar a Bíblia, assim que são verdadeiros cristãos. Este é o maná no qual todas as tribos de nosso Israel se alimentam e encontram comida satisfatória. Esta é a fonte em volta da qual todas as várias partes do rebanho de Cristo se reúnem, e da qual nenhuma ovelha se afasta. Ó, se os crentes neste país aprendessem a se apegar mais de perto à Palavra escrita! Ó, se eles vissem que quanto mais a Bíblia, e somente a Bíblia, é a substância da religião dos homens, mais eles concordam! É provável que nunca houvesse um livro não inspirado mais universalmente admirado do que "O Peregrino", de Bunyan. É um livro que todas as denominações dos cristãos adoram honrar. Ele ganhou elogios de todas as partes. Agora, que fato impressionante é que o autor era eminentemente um homem de um livro! Ele tinha lido quase nada além da Bíblia.

É um pensamento abençoado que finalmente haverá "muita gente" no céu. Poucos, como o povo do Senhor, sem dúvida, está em um dado momento ou lugar, e no entanto, todos reunidos finalmente, serão "uma multidão que ninguém pode contar" (Apocalipse 7. 9; 19. 1). Eles terão um só coração e mente. Eles terão passado pela mesma experiência. Todos eles se arrependeram, creram, viveram em santidade, em oração e em humildade. Todos eles lavaram suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Mas uma coisa além de tudo isso eles terão em comum: todos amaram os textos e doutrinas da Bíblia. A Bíblia terá sido sua comida e deleite nos dias de sua peregrinação na Terra. E a Bíblia será um assunto comum de alegre meditação e retrospectiva, quando forem reunidos no céu.

Este livro, no qual todos os verdadeiros cristãos vivem e amam, é o assunto sobre o qual estou abordando os leitores deste artigo hoje. Certamente não importa o que você está fazendo com a Bíblia. Certamente, é questão de investigação séria, se você conhece algo desse amor à Palavra, e tem essa marca de andar "nos passos do rebanho" (Cânticos 1. 8). Eu cobro, peço que me dê uma resposta honesta. O que você está fazendo com a Bíblia? - Você a leu? - COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


VIII. Em último lugar, a Bíblia é o único livro que pode confortar um homem nas últimas horas de sua vida.

A morte é um evento que, com toda a probabilidade, está diante de todos nós. Não há como evitá-la. É o rio que cada um de nós deve atravessar. Eu que escrevo e você que lê tem um dia para morrer. É bom lembrar disso. Infelizmente, todos nós estamos aptos a deixar de lado o assunto. "Todo homem pensa que cada homem é mortal, menos ele mesmo". Quero que todos cumpram seu dever na vida, mas também quero que todos pensem na morte. Quero que todos saibam viver, mas também quero que todos saibam morrer.

A morte é um evento solene para todos. É a conclusão de todos os planos e expectativas terrenas. É uma separação de tudo o que amamos e convivemos. Muitas vezes é acompanhada por muita dor e angústia corporal. Isso nos leva ao túmulo, ao verme e à corrupção. Abre a porta para o julgamento e a eternidade - para o céu ou para o inferno. É um evento após o qual não há mudança ou espaço para arrependimento. Outros erros podem ser corrigidos ou recuperados, mas não em nossos leitos de morte. Quando a árvore cai, lá deve estar. Nenhuma conversão no caixão! Nenhum novo nascimento depois que paramos de respirar! E a morte está diante de todos nós. Pode estar por perto. O momento da nossa partida é bastante incerto. Mas mais cedo ou mais tarde, cada um de nós deve se deitar sozinho e morrer. Todas estas são considerações sérias.

A morte é um evento solene até para o crente em Cristo. Para ele, sem dúvida, o "aguilhão da morte" é retirado (1 Coríntios 15. 55). A morte se tornou um de seus privilégios, pois ele é de Cristo. Viver ou morrer, ele é do Senhor. Se ele vive, Cristo vive nele; e se ele morrer, ele vai morar com Cristo. Para ele, "viver é Cristo, e morrer é ganho" (Filipenses 1. 21). A morte o liberta de muitas provações - de um corpo fraco, um coração corrupto, um diabo tentador e um mundo ilusório ou perseguidor. A morte o admite para a alegria de muitas bênçãos.

- Ele repousa em seus trabalhos;

- A esperança de uma ressurreição alegre se transforma em certeza;
- Ele tem a companhia de santos espíritos redimidos;
- Ele está "com Cristo". 

Tudo isso é verdade - e, no entanto, mesmo para um crente, a morte é uma coisa solene. Carne e sangue naturalmente se retraem. Separar tudo o que amamos é uma chave e uma prova dos sentimentos. O mundo para onde vamos é um mundo desconhecido, mesmo que seja nosso lar. Amigável e inofensiva como a morte é para um crente, não é um evento a ser tratado de ânimo leve. Sempre deve ser uma coisa muito solene.


Torne-se todo homem ponderado e sensível a considerar com calma como vai encontrar a morte. Envolva-se os lombos, como um homem, e olhe o individuo na cara. Ouça-me, enquanto conto algumas coisas sobre o fim a que estamos chegando.

As coisas boas do mundo não podem confortar um homem quando ele se aproxima da morte. Todo o ouro da Califórnia e da Austrália não fornecerá luz para o vale escuro. O dinheiro pode comprar os melhores conselhos e assistência médica para o corpo de um homem; mas o dinheiro não pode comprar a paz para sua consciência, coração e alma.

Parentes, amigos queridos e servos não podem confortar um homem quando ele se aproxima da morte. Eles podem ministrar afetuosamente às suas necessidades corporais. Eles podem assistir ao lado da cama com ternura e antecipar todos os seus desejos. Eles podem alisar o travesseiro moribundo e apoiar o corpo afundado em seus braços. Mas eles não podem "ministrar a uma mente doente". Eles não podem parar as dores de um coração perturbado. Eles não podem ocultar uma consciência desconfortável dos olhos de Deus.

Os prazeres do mundo não podem confortar um homem quando ele se aproxima da morte. O brilhante salão de baile, a dança alegre, a festa da meia-noite, a festa nas corridas de cavalo de Epsom, a mesa de carteado, o camarote na ópera, as vozes de homens e mulheres cantando, tudo isso são coisas desagradáveis. Ouvir falar de caça e caça não lhe agrada. Ser convidado para festas, regatas e feiras de fantasia não lhe dá nenhum conforto. Ele não pode esconder de si mesmo que estas são coisas ocas, vazias e impotentes. Eles caem no ouvido de sua consciência. Eles estão fora de harmonia com a condição dele. Eles não podem impedir uma brecha em seu coração, quando o último inimigo está chegando como uma inundação. Eles não podem acalmá-lo no desconhecido, apesar de ser o nosso lar. Os amigos não podem acalmá-lo na possibilidade de encontrar um Deus santo.

Livros e jornais não podem confortar um homem quando ele se aproxima da morte. Os escritos mais brilhantes de Macaulay ou Dickens vão palpitar em sua orelha. O artigo mais capaz do Times não interessará a ele. O Edinburgh and Quarterly Reviews não lhe dará prazer. Punch e o Illustrated News, e o último novo romance, permanecerão fechados e sem serem ouvidos. O tempo deles será passado. Sua vocação se foi. Quaisquer que sejam, eles são inúteis na hora da morte.


Há apenas uma fonte de conforto para um homem que se aproxima do seu fim, e essa é a Bíblia. Capítulos da Bíblia - textos da Bíblia - declarações da verdade tiradas da Bíblia - livros contendo matéria extraída da Bíblia - são as únicas chances de consolo de um homem quando ele morre. Não digo que a Bíblia fará bem, como é óbvio, a um moribundo, se ele não o valorizou antes. Infelizmente, conheço muitos leitos de morte para dizer isso. Não digo se é provável que aquele que foi incrédulo e negligente com a Bíblia na vida acredite imediatamente e consolá-la na morte. Mas digo positivamente que nenhum homem que está morrendo jamais terá consolo real, exceto pelo conteúdo da Palavra de Deus. Todo o conforto de qualquer outra fonte é uma casa construída sobre areia.

Estabeleci isso como uma regra de aplicação universal. Não faço exceção a favor de qualquer classe na terra. Reis e homens pobres, instruídos e indoutos - todos estão em um nível semelhante nesse assunto. Não há um consolo real para qualquer homem que está morrendo, a menos que ele receba da Bíblia. Capítulos, passagens, textos, promessas e doutrinas das Escrituras - ouvidos, recebidos, cridos e repousados ​​-, esses são os únicos consoladores que ouso prometer a qualquer um, quando ele deixar o mundo. Tomar o sacramento não fará bem a um homem mais do que a extrema unção do papa, desde que a Palavra não seja recebida e crida. A absolvição sacerdotal não facilitará mais a consciência do que os encantamentos de um mágico pagão, se o pobre pecador moribundo não receber e crer na verdade bíblica. Digo a todos que leem este artigo que, embora os homens pareçam se dar bem sem a Bíblia enquanto vivem, podem ter certeza de que sem a Bíblia não podem morrer confortavelmente. Foi uma verdadeira confissão a do erudito Selden [10]: "Não há livro sobre o qual possamos descansar em um momento de morte, a não ser a Bíblia".

Posso facilmente confirmar tudo o que acabei de dizer, por exemplos e ilustrações. Posso mostrar-lhe os leitos da morte de homens que afetaram a desprezar a Bíblia. Posso lhe contar como Voltaire e Paine, os famosos infiéis, morreram na miséria, amargura, raiva, medo e desespero. Posso mostrar-lhe os felizes leitos de morte daqueles que amaram a Bíblia e creram nela, e o efeito abençoado que a visão de seus leitos de morte teve sobre os outros. Cecil, um ministro cujo louvor deveria estar em todas as igrejas, diz: "Jamais esquecerei de ficar ao lado da cama de minha mãe moribunda. 'Você tem medo de morrer?' Eu perguntei. - Não! ela respondeu. - 'Mas por que a incerteza de outro estado não lhe preocupa?' - 'Porque Deus disse: Não temas; quando passares pelas águas, estarei contigo e pelos rios, não te transbordarão'" (Isaías 43. 2). Eu poderia facilmente multiplicar ilustrações desse tipo. Mas acho melhor concluir esta parte do meu assunto apresentando o resultado de minhas próprias observações como ministro.

Não vi poucas pessoas moribundas no meu tempo. Vi grandes variedades de maneiras e comportamento entre elas. Eu vi alguns morrerem sombrios, silenciosos e sem conforto. Vi outros morrerem ignorantes, despreocupados e aparentemente sem muito medo. Vi alguns morrerem tão cansados ​​com a doença prolongada que estavam bastante dispostos a partir, e, no entanto, não me pareciam estar em condições de ir diante de Deus. Vi outros morrerem professando esperança e confiança em Deus, sem deixar evidências satisfatórias de que estavam sobre a rocha. Vi outros morrerem, acredito, que estavam "em Cristo" e seguros, e, no entanto, nunca pareciam desfrutar de muito conforto. Eu já vi alguns morrerem na plena certeza da esperança e, como "Firmeza", de Bunyan, dá um testemunho glorioso da fidelidade de Cristo, mesmo no rio. Mas uma coisa eu nunca vi. Nunca vi alguém desfrutar do que eu deveria chamar de paz real, sólida, calma e razoável em seu leito de morte, que não tirou sua paz da Bíblia. E é isso que tenho a ousadia de dizer, que o homem que pensa em ir para o leito de morte sem ter a Bíblia como consolador, companheiro e amigo, é um dos maiores loucos do mundo. Não há confortos para a alma, mas apenas os confortos da Bíblia, e quem não se apossou deles, não se apossou de nada, a menos que fosse um junco quebrado.

O único consolador para um leito de morte é o livro sobre o qual falo com os leitores deste artigo hoje. Certamente não importa se você lê esse livro ou não. Certamente, um homem moribundo, em um mundo moribundo, deve considerar seriamente se tem algo para consolá-lo quando chegar sua vez de morrer. Peço-lhe, peço-lhe, pela última vez, que dê uma resposta honesta à minha pergunta. O que você está fazendo com a Bíblia? - Você a leu? - COMO VOCÊ ESTÁ LENDO?


Eu já mencionei as razões pelas quais pressiono cada leitor o dever e a importância de ler a Bíblia. Eu mostrei que nenhum livro é escrito da maneira que a Bíblia - que o conhecimento da Bíblia é absolutamente necessário para a salvação - que nenhum livro contém esse assunto - que nenhum livro fez tanto pelo mundo em geral, - que nenhum livro pode fazer tanto por todo aquele que o lê corretamente - que este livro é a única regra de fé e prática - que é, e sempre foi, o alimento de todos os verdadeiros servos de Deus - e que é o único livro que pode confortar os homens quando eles morrem. Tudo isso são coisas antigas. Não pretendo contar nada de novo. Apenas juntei velhas verdades e tentei moldá-las para uma nova forma. Deixe-me terminar tudo, dirigindo algumas palavras claras à consciência de todas as classes de leitores.

(1) Este artigo pode cair nas mãos de quem sabe ler, mas nunca lê a Bíblia. És um deles? Se você é, tenho algo a dizer para você.

Não posso confortá-lo em seu estado atual de espírito. Seria zombaria e engano fazê-lo. Eu não posso falar com você sobre paz e céu, enquanto você trata a Bíblia de forma negligente. Você está em perigo de perder sua alma.

Você está em perigo, porque sua Bíblia negligenciada é uma evidência clara de que você não ama a Deus. A saúde do corpo de um homem geralmente pode ser conhecida por seu apetite. A saúde da alma de um homem pode ser conhecida por seu tratamento da Bíblia. Agora você está manifestamente trabalhando sob uma doença dolorida. Você não vai se arrepender?

Eu sei que não posso alcançar seu coração. Não posso fazer você ver e sentir essas coisas. Só posso entrar no meu protesto solene contra o seu tratamento atual da Bíblia e colocá-lo diante de sua consciência. Eu faço isso com toda a minha alma. Ó, cuidado para não se arrepender tarde demais! Cuidado para que você não adie a leitura da Bíblia até que procure o médico em sua última doença e encontre a Bíblia em um livro selado, escuro como a nuvem entre as hostes de Israel e do Egito, para sua alma ansiosa! Cuidado para que você não continue dizendo a vida inteira: "Os homens se saem muito bem sem toda essa leitura da Bíblia" e ache nesta extensão, às suas custas, que os homens ficam muito doentes e terminam no inferno! Cuidado para que não chegue o dia em que você sentirá: "Se eu tivesse honrado a Bíblia tanto quanto honrara o jornal, não teria ficado sem conforto nas minhas últimas horas!" Leitor que negligencia a Bíblia, eu lhe dou um aviso claro. Atualmente, a cruz do flagelo está à sua porta. O Senhor tem piedade de sua alma!

(2) Este artigo pode cair nas mãos de alguém que está disposto a começar a ler a Bíblia, mas quer conselhos sobre o assunto. Você é este homem? Ouça-me, e darei algumas dicas curtas.

(a) Por um lado, comece a ler sua Bíblia neste mesmo dia. A maneira de fazer uma coisa é fazê-lo, e a maneira de ler a Bíblia é realmente lê-la. Não é o significado, ou o desejo, a resolução, a intenção ou o pensamento, que o levará a um passo. Você deve ler positivamente. Não há estrada real neste assunto, assim como no caso da oração. Se você não consegue ler a si mesmo, deve convencer alguém a ler para você. Mas de uma maneira ou de outra, através dos olhos ou ouvidos, as palavras das Escrituras devem realmente passar diante de sua mente.

(b) Por outro lado, leia a Bíblia com um desejo sincero de entendê-la. Não pense nem por um momento que o grande objetivo é entregar uma certa quantidade de papel impresso e que não importa nada, se você o entende ou não. Algumas pessoas ignorantes parecem gostar de que tudo está feito se liquidarem tantos capítulos todos os dias, embora possam não ter uma noção do que se tratam, e só sabem que colocaram tantas folhas em suas marcas. Isso está transformando a leitura da Bíblia em uma mera formalidade. É quase tão ruim quanto o hábito papista de comprar indulgências, dizendo um número quase fabuloso de ave-marias e pai-nossos. Isso lembra um pobre hotentote que comeu um livro de hinos holandês porque viu que isso confortava o coração de seus vizinhos. Estabeleça em sua mente como um princípio geral que uma Bíblia não entendida é uma Bíblia que não faz bem. Diga a si mesmo muitas vezes ao ler: "O que é isso tudo?" Procure o significado como um homem que procura ouro australiano. Trabalhe duro e não desista do trabalho com pressa.

(c) Por outro lado, leia a Bíblia com fé e humildade, tal como uma criança. Abra seu coração ao abrir seu livro e diga: "Fala, Senhor, porque o teu servo ouve". Decida a acreditar implicitamente no que encontrar lá, por mais que isso possa contrariar seus próprios preconceitos. Resolva para receber com entusiasmo todas as declarações da verdade, goste ou não. Cuidado com esse péssimo hábito mental em que alguns leitores da Bíblia caem. Eles recebem algumas doutrinas porque gostam delas: rejeitam outras porque estão condenando a si mesmos, ou a algum amante, parente ou amigo. Nesse ritmo, a Bíblia é inútil. Devemos ser juízes do que deveria estar na Palavra? Sabemos melhor que Deus? Decida em sua mente que você receberá tudo e acreditará em tudo, e que o que não puder entender, tome com confiança. Lembre-se, quando você ora, está falando com Deus, e Deus ouve você. Mas lembre-se, quando você lê, Deus está falando com você, e você não deve "responder novamente", mas ouvir.

(d) Por outro lado, leia a Bíblia em espírito de obediência e auto-aplicação. Atenha-se ao estudo dela com uma determinação diária de que você seguirá suas regras, descansará em suas declarações e atuará sob seus comandos. Considere, ao percorrer todos os capítulos, "Como isso afeta minha posição e curso de conduta? O que isso me ensina?" É um trabalho ruim ler a Bíblia por mera curiosidade e para fins especulativos, a fim de encher sua cabeça e armazenar sua mente com opiniões, enquanto você não permite que o livro influencie seu coração e sua vida. Essa Bíblia é lida melhor e praticada mais.

(e) Por outro lado, leia a Bíblia diariamente. Faça parte do objetivo de todos os dias ler e meditar em alguma parte da Palavra de Deus. Os meios privados de graça são tão necessários todos os dias para nossas almas quanto os alimentos e as roupas são para nossos corpos. O pão de ontem não irá alimentar o trabalhador hoje, e o pão de hoje não irá alimentar o trabalhador amanhã. Faça como os israelitas fizeram no deserto. Reúna seu maná fresco todas as manhãs. Escolha seus próprios momentos e horários. Não atropele e apresse sua leitura. Dê à sua Bíblia o melhor e não o pior do seu tempo. Seja qual for o plano que você siga, faça parte da sua vida visitar o trono da graça e a Bíblia todos os dias.

(f) Por outro lado, leia toda a Bíblia e leia-a de maneira ordenada. Temo que haja muitas partes da Palavra que algumas pessoas nunca leem. Isso é, no mínimo, um hábito muito presunçoso. "Toda a Escritura é proveitosa" (2 Timóteo 3. 16). A esse hábito pode ser rastreado a falta de visões amplas e bem proporcionadas da verdade, o que é tão comum hoje em dia. A leitura da Bíblia de algumas pessoas é um sistema de imersão e colheita perpétuas. Eles não parecem ter a ideia de revisar regularmente o livro inteiro. Este também é um grande erro. Sem dúvida, em tempos de doença e aflição, é permitido procurar porções sazonais. Mas com essa exceção, acredito que é de longe o melhor plano para começar o Antigo e o Novo Testamentos ao mesmo tempo - ler cada um deles até o fim e, em seguida, começar de novo. Esta é uma questão em que todos devem ser persuadidos em sua própria mente. Só posso dizer que esse é meu plano há quase quarenta anos e nunca vi motivos para alterá-lo.

(g) Por outro lado, leia a Bíblia de maneira justa e honesta. Determine tomar tudo em seu significado claro e óbvio e considere todas as interpretações forçadas com grande suspeita. Como regra geral, o que quer que um versículo da Bíblia pareça significar, isso significa. O governo de Cecil é muito valioso: "A maneira correta de interpretar as Escrituras é aceitá-las como a encontramos, sem qualquer tentativa de forçá-las a um sistema em particular". Bem disse Hooker [11]: "Eu defendo a regra mais infalível na exposição das Escrituras: quando uma construção literal permanecer, a mais distante da literal é geralmente a pior."

(h) Em último lugar, leia a Bíblia com Cristo continuamente em vista. O principal objetivo básico de toda a Escritura é testemunhar de Jesus. As cerimônias do Antigo Testamento são sombras de Cristo. Os juízes e libertadores do Antigo Testamento são tipos de Cristo. A história do Antigo Testamento mostra a necessidade mundial de Cristo. As profecias do Antigo Testamento estão cheias dos sofrimentos de Cristo e da glória de Cristo ainda por vir. O primeiro advento e o segundo - a humilhação e o reino do Senhor - a cruz e a coroa brilham em toda parte da Bíblia. Mantenha-se firme nessa indicação, se você quiser ler a Bíblia corretamente.

Eu poderia facilmente adicionar mais a essas dicas, se o espaço fosse permitido. Por mais que sejam curtos, você os encontrará dignos de atenção. Aja de acordo com eles, e acredito firmemente que você nunca poderá perder o caminho para o céu. Aja de acordo com eles, e você encontrará luz aumentando continuamente em sua mente. Nenhum livro de evidência pode ser comparado com a evidência interna que se obtém, quando diariamente se utilizar da Palavra de maneira correta. Um homem assim não precisa dos livros de homens instruídos, como Paley, Wilson e McIlvaine [12]. Ele tem a testemunha em si mesmo. O livro satisfaz e alimenta sua alma. Uma pobre mulher cristã disse uma vez a um infiel: "Não sou erudita. Não posso discutir como você. Mas sei que o mel é mel, porque deixa um sabor doce na minha boca. E sei que a Bíblia é o livro de Deus, por causa do sabor que deixa no meu coração".

(3) Este artigo pode cair nas mãos de alguém que ama e acredita na Bíblia, e ainda assim lê pouco. Temo que haja muitos hoje em dia. É um dia de agitação e pressa. É um dia de conversas, reuniões de comitê e trabalho público. Essas coisas estão muito bem em seus propósitos, mas temo que às vezes cortem e encurtem a leitura particular da Bíblia. Sua consciência lhe diz que você é uma das pessoas de quem falo? Ouça-me e direi algumas coisas que merecem sua atenção séria.

Você é o homem que provavelmente obtém pouco conforto da Bíblia em tempos de necessidade. Provação é uma época de seleção. A aflição é um vento penetrante, que retira as folhas das árvores e traz à luz os ninhos dos pássaros. Agora, receio que suas reservas de consolo da Bíblia possam um dia ficar muito baixas. Temo que você não se encontre finalmente com uma mesada muito curta e entre em um porto fraco, gasto e magro.

Você é o homem que provavelmente nunca será estabelecido na verdade. Não ficarei surpreso ao saber que você está preocupado com dúvidas e questionamentos sobre segurança, graça, fé, perseverança e coisas do gênero. O diabo é um inimigo antigo e astuto. Como os benjamitas, ele pode "atirar pedras a uma largura de cabelo, e não perder" (Juízes 20. 16). Ele pode citar as Escrituras com prontidão quando quiser. Agora você não está suficientemente preparado com suas armas para poder lutar uma boa luta com ele. Sua armadura não combina com você. Sua espada está frouxa na sua mão.

Você é o homem que provavelmente cometerá erros na vida. Não me surpreenderei se me disserem que você errou acerca de seu próprio casamento - errou  acerca da educação de seus filhos - errou  acerca da conduta de sua casa - errou  acerca da empresa que mantém. O mundo por onde você dirige está cheio de pedras, cardumes e bancos de areia. Você não está suficientemente familiarizado com as luzes ou mapas.

Você é o homem que provavelmente será levado por algum falso professor mentiroso por uma temporada. Não me surpreenderá se eu ouvir que alguém daqueles homens inteligentes e eloquentes, que podem "fazer o pior parecer a melhor causa", estar levando você a muitas loucuras. Você está querendo um equilibrio. Não é de admirar se você é jogado para lá e para cá, como uma rolha nas ondas.

Todas estas são coisas desconfortáveis. Eu quero que todos os leitores deste artigo escapem de todos eles. Siga o conselho que lhe ofereço hoje. Não basta ler a Bíblia "um pouco", mas ler bastante. "Deixe a Palavra de Cristo habitar em você ricamente" (Colossenses 3. 16). Não seja um mero bebê em conhecimento espiritual. Procure tornar-se "bem instruído no reino dos céus" e adicionar continuamente coisas novas às antigas. Uma religião de sentimento é uma coisa incerta. É como a maré, às vezes alta e às vezes baixa. É como a lua, às vezes brilhante e às vezes escura. Uma religião de profundo conhecimento da Bíblia é uma posse firme e duradoura. Permite que um homem não apenas diga: "Sinto esperança em Cristo", mas "sei em quem acreditei" (2 Timóteo 1. 12).

(4) Este artigo pode cair nas mãos de alguém que lê muito a Bíblia e, no entanto, imagina que não é uma pessoa melhor para sua leitura. Esta é uma tentação ardilosa do diabo. Em um estágio, ele diz: "Não leia a Bíblia de maneira alguma". Em outro, ele diz: "Sua leitura não é boa: desista". Você é aquele homem? Eu sinto por você do fundo da minha alma. Deixe-me tentar fazer bem a você.

Não pense que você não está obtendo nada bom da Bíblia, apenas porque você não vê esse bom dia a dia. Os maiores efeitos não são aqueles que produzem mais ruído e são mais facilmente observados. Os maiores efeitos geralmente são silenciosos, tranquilos e difíceis de detectar no momento em que estão sendo produzidos. Pense na influência da lua na terra e no ar nos pulmões humanos. Lembre-se de como o orvalho cai silenciosamente e de como a grama cresce imperceptivelmente. Pode haver muito mais a fazer do que você pensa em sua alma através da leitura da Bíblia.

A Palavra pode gradualmente produzir profundas impressões em seu coração, das quais você não está consciente no momento. Frequentemente, quando a memória não retém fatos, o caráter de um homem está recebendo alguma impressão eterna. O pecado está se tornando cada ano mais odioso para você? Cristo está se tornando cada ano mais precioso? A santidade está se tornando cada ano mais amável e desejável aos seus olhos? Se essas coisas são assim, tenha coragem. A Bíblia está lhe fazendo bem, embora você possa não ser capaz de descobrir isso dia após dia.

A Bíblia pode estar impedindo você de algum pecado ou ilusão na qual você de outra forma correria. Pode estar diariamente impedindo, protegendo e evitando muitos passos falsos. Ah, você poderá descobrir isso às suas custas, se parar de ler a Palavra! A própria familiaridade das bênçãos às vezes nos torna insensíveis ao seu valor. Resista ao diabo. Estabeleça isso em sua mente como uma regra estabelecida: que, se você o sente no momento ou não, está inalando a saúde espiritual lendo a Bíblia e se tornando imperceptivelmente mais forte.

(5) Este artigo pode cair nas mãos de quem realmente ama a Bíblia, vive nela e lê muito. Você é um desses? Dê-me sua atenção e mencionarei algumas coisas que faremos bem em colocar no coração para o tempo que virá.

Decidamos ler a Bíblia cada vez mais a cada ano que vivemos. Vamos tentar enraizá-lo em nossas memórias e enxertar em nossos corações. Sejamos bem providos dela contra a viagem da morte. Quem sabe não passemos por um momento muito tempestuoso? A visão e a audição podem falhar conosco, e podemos estar em águas profundas. Ó, como é bom ter a Palavra "escondida em nossos corações" em uma hora como essa! (Salmo 119. 11)

Decidamos ser mais vigilantes com a leitura da Bíblia todos os anos em que vivemos. Sejamos zelosamente cuidadosos com o tempo que dedicamos a ela e com a maneira como esse tempo é gasto. Cuidado para não omitir nossa leitura diária sem justa causa. Não fiquemos boquiabertos, bocejando e cochilando sobre o livro enquanto lemos. Vamos ler como um comerciante de Londres estudando o artigo da cidade no Times - ou como uma esposa lendo a carta de um marido de uma terra distante. Sejamos muito cuidadosos para nunca exaltarmos nenhum ministro, sermão, livro, folheto ou amigo acima da Palavra. Maldito seja aquele livro, tratado ou conselho humano, que se arrasta entre nós e a Bíblia, e esconde a Bíblia de nossos olhos! Mais uma vez digo, sejamos muito vigilantes. No momento em que abrimos a Bíblia, o diabo se senta ao nosso lado. Ó, leiamos com um espírito faminto e um simples desejo de edificação!

Vamos honrar mais a Bíblia em nossa família. Vamos ler de manhã e à noite para nossos filhos e famílias, e não ter vergonha de deixar os homens verem que o fazemos. Não nos deixemos desencorajar ao ver que nada de bom surge dela. A leitura da Bíblia em uma família afastou muitos da prisão e de casas de recuperação, se não os impediram de entrar no inferno.

Vamos meditar mais sobre a Bíblia. É bom levar conosco dois ou três textos quando saímos para o mundo, e revertê-los várias vezes em nossas mentes sempre que tivermos um pouco de lazer. Evita muitos pensamentos vãos. Fixa o prego da leitura diária. Preserva nossas almas de estagnar e criar coisas corruptas. Santifica e acelera nossas memórias e evita que elas se tornem aquelas lagoas onde os sapos vivem, mas os peixes morrem.

Vamos conversar mais com os crentes sobre a Bíblia quando os encontrarmos. Infelizmente, a conversa dos cristãos, quando eles se encontram, é muitas vezes tristemente inútil! Quantas coisas frívolas, insignificantes e caridosas são ditas! Vamos trazer mais a Bíblia, e isso ajudará a afastar o diabo e manter nossos corações em sintonia. Ó, que todos possamos nos esforçar para caminhar juntos neste mundo mau, para que Jesus frequentemente se aproxime e vá conosco, como Ele foi com os dois discípulos viajando para Emaús!

Por fim, vivamos pela Bíblia cada vez mais a cada ano que vivemos. Vamos frequentemente levar em consideração todas as nossas opiniões e práticas - nossos hábitos e temperamentos - nosso comportamento em público e em privado - no mundo e em nossos próprios lares. Vamos medir tudo pela Bíblia e resolver, com a ajuda de Deus, em nos conformar com ela. Ó, que possamos aprender cada vez mais a "purificar nossos caminhos" pela Palavra! (Salmo 119. 9).

Recomendo todas essas coisas à atenção séria e piedosa de todos em cujas mãos este papel possa cair. Quero que os ministros do meu amado país sejam ministros de leitura da Bíblia - as congregações, congregações de leitura da Bíblia - e a nação, uma nação de leitura da Bíblia. Para alcançar esse fim desejável, lancei minha migalha no tesouro de Deus. O Senhor permita provar que não foi em vão!

~

J. C. Ryle

Practical Religion (1879). Disponível em Gutenberg.



Notas:
[1] - O nó górdio é uma lenda de Górdio, na Frígia, associado a Alexandre, o Grande. É frequentemente usado como uma metáfora para um problema intratável (desatando um nó impossivelmente emaranhado) resolvido facilmente, encontrando uma abordagem para o problema que torna as restrições percebidas do problema discutidas ("cortando o nó górdio"): "Transforme-o em qualquer causa política, O nó górdio dele ele soltará, Familiar como sua liga" (Shakespeare, Henrique V, Ato 1, Cena 1. 45–47) - N.T.
[2] - Lúcio Sérgio Catilina (108-62 a.C.), conhecido apenas como Catilina, foi um patrício romano, soldado e senador do século I a.C., mais conhecido pela segunda conspiração catilinária, uma tentativa de derrubar a República Romana e, em particular, o poder do Senado aristocrático; Walter "Wat" Tyler (1320-1381), foi um líder da Revolta dos Camponeses de 1381 na Inglaterra; Jack Cade (1420-1430). alcunha de uma rebelião popular ocorrida em 1450 contra o governo da Inglaterra, que ocorreu no sudeste do país entre os meses de abril e julho - N.T.
[3] - René-Aubert Vertot (1655-1735) clérigo e historiador francês - N.T.
[4] - HMS Victory é um navio de primeira linha, utilizado por Horatio Nelson (1758-1805) na Batalha de Trafalgar (pela qual ele veio a falecer) durante as Guerras Napoleônicas. / O mecanismo hidráulico a que se refere Ryle é o popularmente conhecido como "pistão", utilizado principalmente na construção civil para erguer grandes cargas, como foi o caso dos elementos da Ponte Britannia, no Estreito do Menai - N.T.
[5] - William Blackstone (1723-1780), Edward Burtenshaw Sugden (1781-1875) - N.T.
[6] - William Herschel (1738-1822), Charles Lyell (1797-1875) - N.T.
[7] - James Blair (1656-1743), John Dickson (1746- 814) - N.T.
[8] - A Nova Igreja (ou Swedenborgianismo) é o nome de várias denominações cristãs historicamente relacionadas que se desenvolveram como um novo grupo religioso, influenciado pelos escritos do cientista e teólogo luterano sueco Emanuel Swedenborg (1688-1772) - N.T.
[9] - Robert Moffat (1795-1883) - N.T.
[10] - John Selden (1584-1654) - N.T.
[11] - Richard Hooker (1554-1600) - N.T.
[12] - William Paley (1743-1805), e, possivelmente, Charles Pettit McIlvaine (1799-1873) e Thomas Wilson (1747-1813).

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: