Os grandes preparativos para o descanso dos santos

Há quatro coisas que preparam principalmente o caminho para entrar nele; particularmente:

1. O glorioso aparecimento de Cristo; 
2. A ressurreição geral; 
3. O último julgamento; e 
4. A coroação dos santos.

A passagem do paraíso não está agora tão bloqueada como quando a lei e a maldição reinavam. Portanto, encontrando, amados cristãos, um caminho novo e vivo consagrado para nós, através do véu, isto é, a carne de Cristo, pela qual podemos, com ousadia, entrar no mais santo, chegarei com mais segurança; e, encontrando a espada flamejante removida, olhará novamente para o paraíso de nosso Deus. E porque sei que este não é um fruto proibido e, além disso, é bom para alimentação e agradável aos olhos espirituais, e uma árvore a ser desejada para tornar alguém verdadeiramente sábio e feliz; Com a ajuda do Espírito, tomarei e comerei eu mesmo, e darei a você, de acordo com meu poder, que você possa comer. A varanda deste templo é extremamente gloriosa, e o portão é chamado de belo. Aqui estão quatro coisas como os quatro cantos dessa varanda.


1. A mais gloriosa vinda e aparecimento do Filho de Deus pode muito bem ser reconhecida na glória de seu povo. Por causa deles, ele veio ao mundo, sofreu, morreu, ressuscitou, ascendeu; e por eles é que ele retornará. Para esse fim, Cristo voltará a receber seu povo para si mesmo, para que onde ele estiver, lá também estejam. A partida do noivo não ocorreu no divórcio. Ele não nos deixou com o propósito de não voltar mais. Ele deixou promessas o suficiente para garantir o contrário. Temos sua palavra, suas muitas promessas, suas ordenanças, que mostram sua morte até que ele venha; e seu Espírito, para dirigir, santificar e consolar até que ele volte. Temos freqüentes sinais de amor dele, para nos mostrar que ele não esquece sua promessa, nem nós. Todos os dias contemplamos os precursores de sua vinda, preditos por ele mesmo. Vimos que a figueira produz folhas e, portanto, sabemos que o verão está próximo. Embora o mundo revoltado diga: Meu Senhor atrasa sua vinda; todavia, os santos levantem a cabeça, pois se aproxima a sua redenção. Ai! irmãos cristãos, o que devemos fazer se nosso Senhor não voltar? Em que caso estamos aqui! O que! deixe-nos no meio de lobos, e entre leões, uma geração de víboras, e aqui nos esqueça! Ele nos comprou tão querido e depois nos deixou pecando, sofrendo, gemendo, morrendo diariamente; e ele não virá mais para nós? Não pode ser. É como o nosso tratamento cruel com Cristo, que, quando nos sentimos quentes no mundo, não se importa em vir a ele; mas não é assim que Cristo está lidando conosco. Aquele que viria a sofrer certamente chegará ao triunfo. Aquele que viria comprar, certamente possuirá. Onde mais estavam todas as nossas esperanças? O que aconteceu com nossa fé, nossas orações, nossas lágrimas e nossa espera? Quanto valeu toda a paciência dos santos para eles? Não fomos deixados de todos os homens os mais miseráveis? Cristãos, Cristo nos fez abandonar o mundo inteiro e ser abandonados de todo o mundo? odiar tudo e ser odiado por todos? e tudo isso para ele, para que possamos tê-lo em vez de tudo? E ele pensará que, depois de tudo isso, nos esquecerá e nos abandonará? Longe de ser um pensamento de nossos corações! Mas por que ele não estava com seu povo enquanto ele estava aqui? Por quê? O trabalho na terra não foi feito? Ele não deve se apossar da glória em nosso favor? Ele não deve interceder com o Pai, alegar seus sofrimentos, ser cheio do Espírito para enviar, receber autoridade e subjugar seus inimigos? Nossa morada aqui é curta. Se ele tivesse permanecido na terra, o que teria sido apreciá-lo por alguns dias e depois morrer? Ele tem mais no céu para habitar; até os espíritos de muitas gerações. Ele nos fará viver pela fé, e não pela vista.

Ó irmãos cristãos, que dia será esse em que nós, que fomos mantidos presos pelo pecado, pelos pecadores, pela sepultura, seremos trazidos pelo próprio Senhor! Não será uma vinda como a sua primeira, na pobreza e no desprezo, ser cuspida, golpeada e crucificada novamente. Ele não virá, ó mundo descuidado! para ser menosprezado e negligenciado por você. No entanto, essa vinda não queria sua glória. Se o exército celestial, para a celebração de sua natividade, deve louvar a Deus; com que gritos anjos e santos naquele dia proclamarão glória a Deus, paz e boa vontade para com os homens! Se uma estrela deve levar homens de partes remotas, a adorar a criança na manjedoura; como a glória de sua próxima aparição obrigará todo o mundo a reconhecer sua soberania! Se, montado num jumento, ele entra em Jerusalém com hosanas; com que paz e glória ele virá para a nova Jerusalém! Se, quando ele estava na forma de um servo, eles clamarem: “Que tipo de homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” O que eles dirão quando o virem em sua glória, e os céus e a terra lhe obedecem? “Então todas as tribos da terra se lamentarão.” Pensar e falar daquele dia com horror torna-se bem o pecador impenitente, mas prejudica o santo crente. Os ímpios o contemplarão e clamarão: “Lá está aquele cujo sangue negligenciamos, cuja graça resistimos, cujo conselho recusamos, cujo governo rejeitamos!” E os santos, com alegria inconcebível, clamam: “Além disso, aquele cujo sangue nos redimiu, cujo Espírito nos purificou, cuja lei nos governou; em quem confiamos, e ele não enganou a nossa confiança; por quem esperamos por muito tempo, e agora vemos que não esperamos em vão! Oh maldição da corrupção! isso nos faria voltar ao mundo e apresentar as coisas e dizer: Por que devemos esperar mais pelo Senhor? Agora vemos que bem-aventurados são todos os que esperam por ele. ”E agora, cristãos, não devemos fazer essa petição com entusiasmo:“ Venha o teu reino? O Espírito e a noiva dizem: Vem; e quem ouve ”, e lê:“ Diga, Vem. ”Nosso próprio Senhor diz:“ Certamente venho rapidamente. Amém: mesmo assim, venha! Senhor Jesus."

2. Outra coisa que leva ao paraíso é a grande obra de Jesus Cristo, levantando o corpo do pó e unindo-o novamente à alma. Um efeito maravilhoso de poder e amor infinitos! “Sim, de fato maravilhoso”, diz a incredulidade, “se for verdade. O que, todos esses ossos e poeira espalhados se tornarão um homem? ”Deixe-me com reverência implorar por Deus, por esse poder pelo qual espero surgir. O que sustenta o corpo maciço da terra? O que limita o vasto oceano das águas? De onde é esse constante fluxo e refluxo das marés? Quantas vezes maior que toda a terra é o sol, esse corpo glorioso de luz? Não é tão fácil ressuscitar os mortos como criar o céu e a terra, e tudo nada? Não olhe para os ossos mortos, e poeira e dificuldade, mas para a promessa. Com prazer, submeta esses corpos a uma prisão que não os conterá por muito tempo. Vamos nos deitar em paz e descansar; não será uma noite eterna, nem sono sem fim. Se a roupa não é a coisa que você mais teme, é para que você tenha roupas melhores. Se ser expulso de casa é o que você mais teme, lembre-se de que, quando “a casa terrestre deste tabernáculo se dissolver, você terá um edifício de Deus, uma casa não feita por mãos, eterna nos céus”. Deite-se alegremente esse pedaço de corrupção; sem dúvida o receberás novamente em incorrupção. Deite livremente este corpo terrestre e natural; você receberá novamente um corpo celeste, espiritual. Embora você a deite com grande desonra, você a receberá em glória. Embora tu sejas separado dela por fraqueza, será ressuscitado com grande poder; “Em um momento, num piscar de olhos, no último trunfo; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos mudados.” “Os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Então aqueles que estão vivos e permanecem, serão arrebatados junto com eles nas nuvens, para encontrar o Senhor nos ares. ”Triunfa agora, ó cristão, nessas promessas; em breve triunfarás no desempenho deles. Este é o dia que o Senhor fará; nos alegraremos e nos alegraremos com isso. A sepultura que não pôde guardar nosso Senhor, não pode nos guardar. Ele ressuscitou para nós e, pelo mesmo poder, nos fará surgir. “Porque, se acreditarmos que Jesus morreu e ressuscitou, mesmo assim, aqueles que dormem em Jesus Deus trará com ele.” Nunca olhemos para a sepultura, mas vamos ver a ressurreição além dela. Sim, sejamos “firmes, inabaláveis, sempre abundantes na obra do Senhor, pois sabemos que nosso trabalho não é em vão no Senhor”.

3. Parte desse prólogo para o descanso dos santos é o processo público e solene em seu julgamento, onde primeiro eles serão absolvidos e justificados, e depois com Cristo julgar o mundo. Jovens e idosos, de todas as propriedades e nações, desde a criação até aquele dia, devem aqui vir e receber sua destruição. Ó terrível! Ó dia alegre! Terrível para aqueles que esqueceram a vinda de seu Senhor! alegre aos santos, cuja espera e esperança era ver este dia! Então o mundo contemplará a bondade e a severidade de Deus; sobre os que perecem, severidade; mas a ele escolhido, bondade. Todo mundo deve dar conta de sua mordomia. Todo talento de tempo, saúde, habilidades, misericórdias, aflições, meios, avisos devem ser considerados. Os pecados da juventude, aqueles que haviam esquecido e seus pecados secretos, serão todos expostos diante de anjos e homens. Eles verão o Senhor Jesus, a quem negligenciaram, cuja palavra eles desobedeceram, de quem ministraram abuso, de quem serviam eles odiavam, agora sentados para julgá-los. Suas próprias consciências clamarão contra eles e chamarão à lembrança todos os seus erros. Para que lado o pecador miserável ficará? Quem pode conceber os terríveis pensamentos de seu coração? Agora o mundo não pode ajudá-lo; seus velhos companheiros não podem; os santos não podem nem querem. Somente o Senhor Jesus pode; mas existe a miséria, ele não o fará. O tempo era, pecador, quando Cristo faria, e você não; agora, fraco você faria, e ele não fará. Tudo em vão é “chorar pelas montanhas e pedras, cair sobre nós e nos esconder da face d'Aquele que está assentado no trono”; pois tu tens o Senhor das montanhas e pedras por teu inimigo, cuja voz eles ouvirão. obedece, e não a tua. Exijo, portanto, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que julgará os velozes e os mortos em seu aparecimento e em seu reino, que você se dedique seriamente a refletir sobre essas coisas.

Mas por que tremes, ó alma humilde e graciosa? Aquele que não perderia um Noé em um dilúvio comum, nem esqueceria um Ló em Sodoma; não, isso não poderia fazer nada até ele sair; ele vai te esquecer naquele dia? “O Senhor sabe como libertar os piedosos da tentação e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem punidos.” Ele sabe como fazer no mesmo dia o maior terror para seus inimigos, e ainda a maior alegria para o povo dele. “Não há condenação para os que estão em Cristo Jesus, que andam não segundo a carne, mas segundo o Espírito. Quem deve impor alguma coisa à acusação dos eleitos de Deus? ”Será a lei? “A lei do espírito da vida em Cristo Jesus os libertou da lei do pecado e da morte.” Ou será que a consciência? “O próprio Espírito testifica com o espírito deles que eles são filhos de Deus. Quem justifica é Deus quem justifica? ”Se o nosso juiz não nos condenar, quem o fará? Aquele que disse à mulher adúltera: Ninguém te condenou? nem eu; nos dirá com mais fidelidade do que Pedro: Embora todos os homens te neguem ou te condenem, não o farei. Tendo me confessado diante dos homens, “também confessarei diante de meu Pai, que está no céu”.

Que alegria inexprimível é que nosso querido Senhor, que ama nossas almas e a quem nossas almas amam, será nosso juiz! Um homem temerá ser julgado por seu amigo mais querido? ou uma esposa por seu próprio marido? Cristão, Cristo desceu e sofreu, e chora, e sangra, e morre por ti, e agora ele te condenará? Ele foi julgado, condenado e executado em seu lugar, e agora ele próprio te condenará? Ele já fez a maior parte do trabalho, redimindo, regenerando, santificando e preservando a ti, e agora ele desfará tudo novamente? Bem, então, que o terror daquele dia nunca seja tão grande, certamente nosso Senhor não pode significar mal a todos. Faça tremer os demônios e os iníquos, mas nos fará pular de alegria. Deve nos afetar profundamente com o senso de nossa misericórdia e felicidade, ver a maior parte do mundo tremer de terror, enquanto triunfamos de alegria; ouvi-los condenados a chamas eternas, quando somos proclamados herdeiros do reino; ver nossos vizinhos, que moravam na mesma cidade, vieram para a mesma congregação, moravam nas mesmas casas e eram considerados mais honoráveis ​​no mundo do que nós, agora, pelo Pesquisador de corações, eternamente separados. Com a grande magnificência e pavor do dia, o apóstolo expressa pateticamente: “É justo que Deus recompense tribulações àqueles que os perturbam; e a vocês que estão perturbados, descansem conosco, quando o Senhor Jesus for revelado do céu, com seus poderosos anjos, em fogo flamejante, vingando-se daqueles que não conhecem a Deus e que não obedecem ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. ; quem será punido com a destruição eterna da presença do Senhor e da glória do seu poder; quando ele for glorificado em seus santos e admirado em todos os que crerem naquele dia. ”

Mais ainda: estaremos tão longe do pavor desse julgamento, que nós mesmos nos tornaremos juízes. Cristo levará seu povo, por assim dizer, a se comprometer, e eles se assentarão e aprovarão seu julgamento justo. “Não sabeis que os santos julgarão o mundo?” Não, “não sabem que julgamos os anjos?” 1 Coríntios 6: 2,3. Se não fosse a palavra de Cristo que a fala, esse avanço pareceria incrível e a linguagem arrogante. Até Enoque, o sétimo de Adão, profetizou isso, dizendo: “Eis que o Senhor vem com dez milhares de seus santos, para executar julgamento sobre todos e convencer todos os que são ímpios entre eles, de todos os seus atos ímpios que eles têm. cometidos impiedosamente, e de todos os seus discursos duros que pecadores ímpios falaram contra ele. ”Assim os santos serão honrados, e“ os retos terão domínio pela manhã. ”Ó que o mundo descuidado“ era sábio, que eles entenderam isso , que eles considerariam seu último fim! ”, que eles teriam agora a mesma mente que serão quando verão os céus passarem com um grande ruído, e os elementos derreterem com calor ardente, e a terra também, e as obras que nela estão queimadas! quando tudo estiver em chamas sobre eles, e toda a glória terrestre consumida. “Pois os céus e a terra que agora são reservados ao fogo contra o dia do juízo e à perdição de homens ímpios. Vendo, pois, que todas essas coisas serão dissolvidas, que tipo de pessoa você deve estar em toda santa conversa e piedade, procurando e se apressando até a vinda do dia de Deus, em que os céus, em chamas, serão dissolvidos, e os elementos derreterão com calor fervente?”.

4. O último preparativo para o descanso dos santos é a coroação solene e o recebimento do reino. Pois, como Cristo, a cabeça deles, é ungida tanto Rei quanto Sacerdote, também debaixo dele seu povo é feito para Deus, tanto reis quanto sacerdotes, para reinar e oferecer louvores para sempre. A coroa da justiça, que foi estabelecida para eles, será dada pelo Senhor, o justo juiz, naquele dia. Eles foram fiéis até a morte e, portanto, ele lhes dará uma coroa de vida. E, de acordo com o aprimoramento de seus talentos aqui, seu domínio e dignidade serão ampliados. Eles não são dignos de títulos vazios, mas de domínio real. Cristo concederá que se assentem com ele em seu trono, e lhes dará poder sobre as nações, assim como ele recebeu de seu Pai; e ele “lhes dará a estrela da manhã”. O próprio Senhor lhes dará posse, com estas expressões aplaudentes: “Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel em algumas coisas; eu te farei governar sobre muitas coisas; entra na alegria de teu Senhor. ”

E com esta proclamação solene e abençoada, ele os entronizará: “Vinde, benditos de meu Pai, herdam o reino preparado para você desde a fundação do mundo.” Toda palavra é cheia de vida e alegria. “Venha” - esta é a sustentação do cetro de ouro, para garantir nossa aproximação a esta glória. Venha agora o mais perto que quiser; não temas o julgamento dos belemitas; pois a inimizade é totalmente abolida. Este não é um "Venha", como costumávamos ouvir: "Venha, pegue sua cruz e siga-me". Embora isso tenha sido doce, ainda é muito mais. "Abençoados" - abençoados de fato, quando aquela boca nos pronuncia! Pois, embora o mundo nos considerasse amaldiçoado, e estivéssemos prontos para prestar contas de nós mesmos; todavia, certamente, aqueles que ele abençoa são abençoados; e somente aqueles a quem ele amaldiçoa são amaldiçoados; e sua bênção não pode ser revertida. "Do meu Pai" - abençoado no amor do Pai, assim como no Filho; pois eles são um. O Pai testificou seu amor em sua eleição, doação a Cristo e no envio de Cristo, e aceitando seu resgate, como o Filho também testemunhou. “Herdar” - não há mais servos, nem apenas servos, nem filhos menores de idade, que diferem não em posse, mas apenas em título, dos servos; mas agora somos herdeiros do reino e co-herdeiros com Cristo. "O reino" - nada menos que o reino! De fato, ser rei dos reis e senhor dos senhores é o título próprio do nosso Senhor; mas ser reis e reinar com ele é nosso. O gozo deste reino é como a luz do sol; cada um tem o todo e o restante, no entanto. "Preparado para você" - Deus é o Alfa, bem como o Ômega da nossa bem-aventurança. O amor eterno lançou as bases. Ele preparou o reino para nós e depois nos preparou para o reino. Esta é a preparação de seus conselhos e decretos, para a execução da qual Cristo ainda estava para fazer uma preparação adicional. "Para você" - não apenas para crentes, em geral, que, sem pessoas individuais, não são ninguém; mas para você pessoalmente. “Desde a fundação do mundo” - não apenas da promessa após a queda de Adão, mas da eternidade.

Assim, vimos o cristão pousar em segurança no paraíso e transportá-lo honrosamente para seu descanso. Agora, vamos um pouco mais adiante, no próximo capítulo, ver essas mansões, considerar seus privilégios e ver se há alguma glória semelhante a essa glória.

~

Richard Baxter

The Saints Everlasting Rest (1650)

Disponível em CCEL.

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: