Herdeiros de Deus

"Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, eles são filhos de Deus.

"Pois não recebestes novamente o espírito de servidão, a temer; mas recebestes o Espírito de adoção, pelo qual clamamos, Abba, Pai.

"O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus:

"E se filhos, então herdeiros; herdeiros de Deus, e co-herdeiros com Cristo; se é que sofremos com ele, para que também sejamos glorificados juntos." - (Romanos 8. 14-17)


As pessoas de quem São Paulo fala nos versos diante de nossos olhos são as pessoas mais ricas da Terra. Precisa ser assim. Eles são chamados de "herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo".

A herança dessas pessoas é a única herança que realmente vale a pena ter. Todos os outros são insatisfatórios e decepcionantes. Eles trazem com eles muitos cuidados. Eles não podem curar um coração dolorido ou aliviar uma consciência pesada. Eles não podem evitar problemas familiares. Eles não podem prevenir doenças, lutas, separações e mortes. Mas não há decepção entre os "herdeiros de Deus".

A herança de que falo é a única herança que pode ser mantida para sempre. Todos os outros devem ser deixados na hora da morte, se não tiverem sido levados antes. Os donos de milhões de libras não podem carregar nada além do túmulo. Mas não é assim com os "herdeiros de Deus". A herança deles é eterna.

A herança de que falo é a única herança que está ao alcance de todos os corpos. A maioria dos homens nunca pode obter riquezas e grandeza, embora trabalhem duro por eles a vida toda. Mas glória, honra e vida eterna são oferecidas a todo homem livremente, que está disposto a aceitá-las nos termos de Deus. "Quem quiser" pode ser um "herdeiro de Deus e co-herdeiro de Cristo".

Se qualquer leitor deste artigo desejar ter uma parte dessa herança, informe-o de que ele deve ser membro daquela família na terra à qual ela pertence, e essa é a família de todos os verdadeiros cristãos. Você deve se tornar um dos filhos de Deus na Terra, se você deseja ter glória no céu. Escrevo este artigo para persuadi-lo a se tornar um filho de Deus hoje, se você ainda não o é. Escrevo para persuadi-lo a garantir que você seja um, se atualmente você tem apenas uma vaga esperança e nada mais. Somente os verdadeiros cristãos são filhos de Deus! Ninguém, a não ser os filhos de Deus, é herdeiro de Deus! Dê-me sua atenção, enquanto tento desdobrar essas coisas e mostrar as lições contidas nos versículos que encabeçam esta página.

I. Deixe-me mostrar a relação de todos os verdadeiros cristãos com Deus. Eles são "filhos de Deus".

II Deixe-me mostrar as evidências especiais dessa relação. Os verdadeiros cristãos são "guiados pelo Espírito". Eles têm "o espírito de adoção". Eles têm o "testemunho do Espírito". Eles "sofrem com Cristo".

III Deixe-me mostrar os privilégios dessa relação. Os verdadeiros cristãos são "herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo".


I. Primeiro, deixe-me mostrar a relação de todos os verdadeiros cristãos com Deus. Eles são os "filhos" de Deus.

Não conheço nenhuma palavra mais alta e mais confortável que possa ter sido escolhida. Ser servos de Deus - ser súditos, soldados, discípulos, amigos - todos esses são títulos excelentes; mas ser "filho" de Deus é um passo mais alto ainda. O que diz a Escritura? "O servo não permanece em casa para sempre, mas o Filho permanece para sempre." (João 8. 35.)

Ser filho dos ricos e nobres deste mundo - ser filho dos príncipes e reis da terra - é comumente considerado uma grande vantagem e privilégio temporais. Mas ser filho do rei dos reis e senhor dos senhores - ser filho do Alto e Santo, que habita a eternidade -, isso é algo muito mais alto. E, no entanto, essa é a parte de todo cristão verdadeiro.

O filho de um pai terreno olha naturalmente para seu pai por afeição, manutenção, provisão e educação. Há uma casa sempre aberta para ele. Existe um amor que, de um modo geral, nenhuma má conduta pode extinguir completamente. Todas estas são coisas pertencentes até à filiação deste mundo. Pense, então, quão grande é o privilégio daquele pobre pecador da humanidade que pode dizer de Deus: "Ele é meu Pai".

Mas como homens pecadores como nós podem se tornar filhos de Deus? Quando entramos nesse relacionamento glorioso? Nós não somos filhos de Deus por natureza. Nós não nascemos assim quando viemos ao mundo. Ninguém tem o direito natural de olhar para Deus como seu pai. É uma vil heresia dizer que ele tem. Dizem que os homens nascem poetas e pintores - mas os homens nunca nascem filhos de Deus. A Epístola aos Efésios nos diz: "Vocês eram por natureza filhos da ira, assim como outros." (Efésios 2. 3.) A Epístola de São João diz: "Os filhos de Deus são manifestos e os filhos do diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus". (1 João 3. 10.) O catecismo da Igreja da Inglaterra segue sabiamente a doutrina da Bíblia e nos ensina a dizer: "Por natureza, nascemos em pecado e somos filhos da ira". Sim: todos somos filhos do diabo, e não filhos de Deus! O pecado é realmente hereditário e pertence à família de Adão. A graça é tudo menos hereditária, e os homens santos não têm, como é óbvio, filhos santos. Como então e quando essa poderosa mudança e tradução ocorre sobre os homens? Quando e de que maneira os pecadores se tornam "filhos e filhas do Senhor Todo-Poderoso?" (2 Coríntios 6. 18.)

Os homens se tornam filhos de Deus no dia em que o Espírito os leva a crer em Jesus Cristo para a salvação, e não antes. [1] O que diz a Epístola aos Gálatas? "Vocês todos são filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus." (Gálatas 3. 26.) O que diz a primeira epístola aos coríntios? "Dele sois em Cristo Jesus." (1 Coríntios 1. 30.) O que diz o Evangelho de João? "Todos quantos receberam a Cristo, deram a Ele poder (ou privilégio) para se tornarem filhos de Deus, mesmo para aqueles que creem em Seu nome." (João 1.12) A fé une o pecador ao Filho de Deus e faz dele um dos seus membros. A fé faz dele um daqueles em quem o Pai não vê mancha, e está satisfeito. A fé o casa com o amado Filho de Deus e o habilita a ser reconhecido entre os filhos. A fé lhe dá "comunhão com o Pai e o Filho". (1 João 1. 3.) A fé o enxerta na família do Pai e abre para ele um quarto na casa do Pai. A fé lhe dá vida em vez de morte, e o faz, em vez de ser um servo, um filho. Mostre-me um homem que tenha essa fé e, qualquer que seja sua igreja ou denominação, digo que ele é um filho de Deus.

Este é um daqueles pontos que nunca devemos esquecer. Você e eu não sabemos nada sobre a filiação de um homem até que ele acredite. Sem dúvida, os filhos de Deus são pré-conhecidos e escolhidos desde toda a eternidade, e predestinados para adoção. Mas lembre-se, não é até que eles sejam chamados no devido tempo, e acredite: não é até então que você e eu podemos ter certeza de que são filhos. Não é até que eles se arrependam e creiam que os anjos de Deus se regozijam sobre eles. Os anjos não podem ler o livro da eleição de Deus: eles não sabem quem são "Seus ocultos" na terra. (Salmo 83. 3.) Eles não se regozijam com ninguém até que ele acredite. Mas quando eles vêem algum pobre pecador se arrependendo e crendo, então há alegria entre eles - alegria por mais uma marca ser arrancada da queima, e mais um filho e herdeiro nascer de novo para o Pai no céu. (Lucas 15. 10.) Mas mais uma vez digo que você e eu não sabemos nada sobre a filiação de um homem a Deus até que ele creia em Cristo.

Eu o aconselho a tomar cuidado com a noção ilusória de que todos os homens e mulheres são filhos de Deus, tenham fé em Cristo ou não. É uma teoria selvagem à qual muitos se apegam atualmente, mas que não pode ser provada pela Palavra de Deus. É um sonho perigoso, com o qual muitos estão tentando se acalmar, mas um dos quais haverá um terrível medo ao acordar no último dia.

Que Deus, em certo sentido, é o Pai universal de toda a humanidade, não pretendo negar. Ele é a Grande Primeira Causa de todas as coisas. Ele é o Criador de toda a humanidade, e somente n'Ele, todos os homens, sejam cristãos ou pagãos, "vivem, se movem e têm o seu ser". Tudo isso é inquestionavelmente verdadeiro. Nesse sentido, Paulo disse aos atenienses que um poeta deles havia realmente dito: "somos Seus descendentes". (Atos 17. 28.) Mas essa filiação não dá a ninguém um título para o céu. A filiação que temos pela criação é aquela que pertence a pedras, árvores, bestas ou até aos demônios, tanto quanto a nós. (Jó 1. 6.)

Que Deus ame toda a humanidade com amor à piedade e compaixão, não nego. "Suas ternas misericórdias estão sobre todas as suas obras." - "Ele não deseja que alguém pereça, mas que todos venham ao arrependimento." - "Ele não tem prazer na morte daquele que morre." Tudo isso eu admito ao máximo. Nesse sentido, nosso Senhor Jesus nos diz: "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (Salmo 145. 9; 2 Pedro 3. 9; Ezequiel 18. 32; João 3. 16.)

Mas que Deus é um Pai reconciliado e perdoador, a não ser os membros de Seu Filho Jesus Cristo, e que todos são membros de Jesus Cristo que não crêem nele para salvação - essa é uma doutrina que eu nego totalmente. A santidade e a justiça de Deus são ambas contra a doutrina. Eles tornam impossível aos homens pecadores se aproximarem de Deus, exceto através do Mediador. Eles nos dizem que Deus fora de Cristo é "um fogo consumidor". (Hebreus 12. 29.) Todo o sistema do novo Testamento é contra a doutrina. Esse sistema ensina que ninguém pode reivindicar interesse em Cristo, a menos que O receba como seu Mediador, e acredite Nele como seu Salvador. Onde não há fé em Cristo, é um erro perigoso dizer que um homem pode se consolar em Deus como seu Pai. Deus é um Pai reconciliado com ninguém além dos membros de Cristo.

Não é razoável falar da opinião que agora defendo como dura e tacanha. O Evangelho coloca uma porta aberta diante de todo homem. Suas promessas são amplas e completas. Seus convites são sinceros e carinhosos. Seus requisitos são simples e claros. "Somente creia no Senhor Jesus Cristo, e, quem quer que seja, você será salvo." Mas dizer que homens orgulhosos, que não dobram o pescoço ao jugo fácil de Cristo, e homens mundanos que estão determinados a ter seu próprio caminho e seus pecados, - dizem que esses homens têm o direito de reivindicar interesse em Cristo , e o direito de se chamarem filhos de Deus, é dizer o que nunca pode ser provado nas Escrituras. Deus oferece ser seu Pai; mas Ele faz isso em certos termos distintos: eles devem se aproximar dEle por meio de Cristo. Cristo oferece ser seu Salvador; mas, ao fazê-lo, ele faz um requisito simples: eles devem entregar suas almas a Ele e dar-Lhe seus corações. Eles recusam os termos e ainda ousam chamar Deus de Pai! Eles desprezam o requisito e ainda se atrevem a esperar que Cristo os salve! Deus deve ser o Pai deles, mas nos seus próprios termos! Cristo deve ser o Salvador deles, mas sob suas próprias condições! O que pode ser mais irracional? O que pode ser mais orgulhoso? O que pode ser mais profano do que uma doutrina como essa? Vamos tomar cuidado, pois é uma doutrina comum nos últimos dias. Vamos tomar cuidado com isso, pois muitas vezes é ilusoriamente apresentado e soa bonito e caridoso na boca de poetas, romancistas, sentimentalistas e mulheres de coração terno. Vamos tomar cuidado com isso, a menos que pretendamos abandonar completamente a Bíblia e nos preparar para sermos mais sábios que Deus. Vamos permanecer firmes no antigo terreno bíblico: nenhuma filiação a Deus sem Cristo! Não há interesse em Cristo sem fé!

Eu gostaria que Deus não houvesse tanta razão para dar avisos desse tipo. Tenho motivos para pensar que eles precisam ser dados de forma clara e inequívoca. Existe uma escola de teologia hoje em dia, que me parece eminentemente calculada para promover a infidelidade, ajudar o diabo e arruinar as almas. Vem a nós como Joabe e Amasa, com as mais altas profissões de caridade, liberalidade e amor. Deus é toda misericórdia e amor, de acordo com esta teologia: - Sua santidade e justiça são completamente deixadas de vista! O inferno nunca é mencionado nesta teologia: - seu discurso é todo o céu! A condenação nunca é mencionada: - é tratada como uma coisa impossível: - todos os homens e mulheres devem ser salvos! A fé e a obra do Espírito são refinadas em nada! "Todo mundo que acredita que alguma coisa tem fé! Todo mundo que pensa que alguma coisa tem o Espírito! Todo mundo está certo! Ninguém está errado! Ninguém é culpado por qualquer ação que ele possa cometer! É o resultado de sua posição. É o efeito das circunstâncias! Ele não é responsável por suas opiniões, assim como pela cor de sua pele! Ele deve ser o que é! A Bíblia é um livro muito imperfeito! É antiquado! É obsoleto! Podemos acreditar tanto em como quisermos, e não mais! "- De toda essa teologia, aviso os homens solenemente para que tomem cuidado. Apesar das grandes palavras sobre "liberalidade" e "caridade" e "visões amplas" e "novas luzes" e "liberdade do fanatismo", e assim por diante, acredito que seja uma teologia que leva a inferno.

(a) Os fatos são diretamente contra os professores dessa teologia. Deixe-os visitar a Mesopotâmia e ver que reina desolação onde Nínive e Babilônia estavam. Deixe-os ir às margens do Mar Morto e olhar para dentro de suas misteriosas águas amargas. Deixe-os viajar na Palestina e perguntar o que transformou aquele país fértil em um deserto. Observem os judeus errantes, espalhados pela face do mundo, sem uma terra própria, e nunca absorvidos entre outras nações. E então deixe-nos dizer, se ousarem, que Deus é tão inteiramente um Deus de misericórdia e amor que Ele nunca faz e nunca punirá o pecado.

(b) A consciência do homem está diretamente contra esses professores. Deixe-os ir para o leito de algum filho moribundo do mundo e tente confortá-lo com suas doutrinas. Deixe-os ver se suas teorias vangloriadas acalmarão sua inquietante e inquieta ansiedade em relação ao futuro, e o permitirão partir em paz. Deixe-nos mostrar, se puderem, alguns casos bem-autenticados de alegria e felicidade na morte sem promessas da Bíblia - sem conversão - e sem essa fé no sangue de Cristo, que a teologia antiquada ordena. Ai! quando os homens estão deixando o mundo, a consciência faz triste trabalho com os novos sistemas dos últimos dias. A consciência não é facilmente satisfeita, em uma hora de morrer, de que não existe o inferno.

(c) Toda concepção razoável que possamos formar de um estado futuro é diretamente contra esses professores. Goste de um céu que deve conter toda a humanidade! Imagine um céu em que santo e profano, puro e impuro, bom e mau, todos se reunirão em uma massa confusa! Que ponto de união haveria nessa empresa? Que vínculo comum de harmonia e fraternidade? Que deleite comum em um serviço comum? Que concórdia, que harmonia, que paz, que unidade de espírito poderia existir? Certamente a mente se revolta da idéia de um céu no qual não haveria distinção entre justos e iníquos - entre Faraó e Moisés, entre Abraão e os sodomitas, entre Paulo e Nero, entre Paulo e Nero, entre Pedro e Judas Iscariotes, entre os homens. que morre em ato de assassinato ou embriaguez, e homens como Baxter, George Herbert, Wilberforce e M'Cheyne! Certamente uma eternidade em uma multidão tão miseravelmente confusa seria pior que a própria aniquilação! Certamente esse céu não seria melhor que o inferno!

(d) Os interesses de toda santidade e moralidade são diretamente contra esses professores. Se todos os homens e mulheres são filhos de Deus, seja qual for a diferença entre eles em suas vidas - e todos indo para o céu, por mais diferentes que sejam um do outro aqui no mundo -, onde está o uso de trabalhar em busca da santidade? em absoluto? Que motivo resta para viver sobriamente, retamente e piedosamente? O que importa como os homens se comportam, se todos vão para o céu e ninguém vai para o inferno? Certamente os poetas e filósofos pagãos da Grécia e Roma poderiam nos dizer algo melhor e mais sábio do que isso! Certamente, uma doutrina que é subversiva da santidade e da moralidade, e tira todos os motivos do esforço, carrega na face a marca de sua origem. É da terra, e não do céu. É do diabo, e não de Deus.

(e) A Bíblia é contra esses professores do primeiro ao último. Centenas de textos podem ser citados que são diametralmente opostos às suas teorias. Esses textos devem ser rejeitados sumariamente, para que a Bíblia esteja de acordo com suas opiniões. Pode não haver razão para que eles sejam rejeitados - mas, para se adequar à teologia de que falo, eles devem ser jogados fora! Nesse ritmo, a autoridade de toda a Bíblia está chegando ao fim. E o que os homens nos dão em seu lugar? Nada, nada! Eles nos roubam o pão da vida, e não nos dão em seu lugar como uma pedra.

Mais uma vez, aviso a todos em cujas mãos esse volume pode cair para tomar cuidado com essa teologia. Encarrego-o de manter firme a doutrina que tenho me empenhado em defender neste artigo. Lembre-se do que eu disse e nunca deixe isso para lá. Nenhuma herança de glória sem filiação a Deus! Filiação a Deus sem interesse em Cristo! Não há interesse em Cristo sem a sua fé pessoal! Esta é a verdade de Deus. Nunca o abandone.

Quem agora, entre os leitores deste artigo, deseja saber se ele é um filho de Deus? Faça a si mesmo esta pergunta e faça-a hoje - e pergunte como aos olhos de Deus se você se arrependeu e acreditou. Pergunte a si mesmo se você conhece experimentalmente Cristo e se une a Ele de coração. Caso contrário, você pode ter certeza de que não é filho de Deus. Você ainda não nasceu de novo. Você ainda está em seus pecados. Seu Pai na criação, Deus pode ser, mas o seu Deus Deus reconciliado e perdoador não é. Sim! embora a Igreja e o mundo possam concordar em dizer o contrário, embora clérigos e leigos se unam em lisonjear você, sua filiação vale pouco ou nada aos olhos de Deus. Que Deus seja verdadeiro e todo homem mentiroso. Sem fé em Cristo, você não é filho de Deus: você não nasceu de novo.

Quem existe entre os leitores deste artigo que desejam se tornar um filho de Deus? Que essa pessoa veja e sinta seus pecados, e fuja para Cristo para a salvação, e neste dia ele será colocado entre as crianças. - Apenas reconheça sua iniquidade e segure a mão que Jesus lhe oferece hoje e filiação. , com todos os seus privilégios, é seu. Apenas confesse seus pecados e leve-os a Cristo, e Deus é "fiel e justo para perdoar seus pecados e purificá-lo de toda injustiça". (1 João 1. 9.) Hoje em dia as coisas passarão, e todas as coisas se tornarão novas. Neste mesmo dia serás perdoado, perdoado, "aceito no Amado". (Efésios 1. 6.) Neste mesmo dia, terás um novo nome dado a ti no céu. Tu levaste este livro um filho da ira. Deitarás à noite um filho de Deus. Assinale isso, se o seu desejo declarado de filiação for sincero - se você está realmente cansado de seus pecados e tem realmente algo mais do que um preguiçoso desejo de ser livre -, existe um verdadeiro conforto para você. É tudo verdade. Está tudo escrito nas Escrituras, como eu as escrevi. Não ouso erguer barreiras entre ti e Deus. Hoje eu digo: Creia no Senhor Jesus Cristo, e você será "um filho" e será salvo.

Quem existe entre os leitores deste artigo que é realmente filho de Deus? Alegra-te, digo, e alegra-te demais com os teus privilégios. Alegre-se, pois você tem boas razões para agradecer. Lembre-se das palavras do amado apóstolo: "Eis que tipo de amor o Pai nos concedeu, para que sejamos chamados filhos de Deus". (1 João 3. 1.) Quão maravilhoso é que o céu olhe para a terra - que o santo Deus ponha Suas afeições no homem pecador e o admita em Sua família! E se o mundo não te entender! E se os homens deste mundo rirem de você e expulsarem seu nome como maligno! Deixe-os rir, se quiserem. Deus é seu pai. Você não precisa ter vergonha. A rainha pode criar um nobre. Os bispos podem ordenar clérigos. Mas a rainha, os senhores e os comuns - bispos, sacerdotes e diáconos -, todos juntos não podem, por seu próprio poder, formar um filho de Deus, ou um com maior dignidade que um filho de Deus. O homem que pode chamar Deus de Pai, e Cristo, seu irmão mais velho - para que o homem seja pobre e humilde, mas nunca precisa se envergonhar.


II Deixe-me mostrar, em segundo lugar, as evidências especiais da verdadeira relação dos cristãos com Deus.

Como um homem deve garantir o trabalho de sua própria filiação? Como ele descobrirá se é alguém que veio a Cristo pela fé e nasceu de novo? Quais são as marcas, sinais e símbolos pelos quais os "filhos de Deus" podem ser conhecidos? Esta é uma pergunta que todos os que amam a vida eterna devem fazer. Essa é uma pergunta para a qual os versículos das Escrituras que estou pedindo que você considere, como muitos outros, fornecem uma resposta.

(1) Os filhos de Deus, por um lado, são todos guiados por Seu Espírito. O que diz a Escritura que encabeça este artigo? "Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, são filhos de Deus." (Romanos 8. 14.)

Todos eles estão sob a liderança e o ensino de um poder que é Todo-Poderoso, embora invisível - até o poder do Espírito Santo. Eles não voltam cada homem à sua maneira, andam todos à luz de Seus próprios olhos, e seguem a cada homem o desejo de seu coração natural. O Espírito os lidera. O Espírito os guia. Há um movimento em seus corações, vidas e afetos, que eles sentem, embora não possam explicar, e um movimento que é sempre mais ou menos na mesma direção.

Eles são levados para longe do pecado - para longe da justiça própria - para longe do mundo. Este é o caminho pelo qual o Espírito guia os filhos de Deus. Aqueles a quem Deus adota, ele ensina e treina. Ele mostra a eles seus próprios corações. Ele os deixa cansados ​​de seus próprios caminhos. Ele os anseia por paz interior.

Eles são levados a Cristo. Eles são levados à Bíblia. Eles são levados à oração. Eles são levados à santidade. Este é o caminho batido pelo qual o Espírito os leva a viajar. Aqueles a quem Deus adota Ele sempre santifica. Ele torna o pecado muito amargo para eles. Ele torna a santidade muito doce.

É o Espírito que os leva ao Sinai, e primeiro lhes mostra a lei, para que seus corações se partam. É Ele quem os leva ao Calvário, e lhes mostra a cruz, para que seus corações sejam atados e curados. É Ele quem os leva a Pisga, e lhes dá visões distintas da terra prometida, para que seus corações se alegrem. Quando são levados para o deserto e ensinados a ver seu próprio vazio, é a liderança do Espírito. Quando são levados a Tabor ou Hermon, e levantados com vislumbres da glória por vir, é a liderança do Espírito. Todos e todos os filhos de Deus são o assunto dessas orientações. Todos e cada um estão "dispostos no dia do poder do Espírito" e se entregam a ele. E todos e todos são guiados pelo caminho certo, para levá-lo a uma cidade de habitação. (Salmo 110. 3; 107. 7.)

Resolva isso em seu coração, e não o deixe ir. Os filhos de Deus são um povo "liderado pelo Espírito de Deus" e sempre lideram mais ou menos da mesma maneira. A experiência deles será maravilhosa quando compararem notas no céu. Esta é uma marca da filiação.

(2) Além disso, todos os filhos de Deus têm o sentimento de filhos adotivos em relação ao Pai no céu. O que diz a Escritura que encabeça este artigo? "Vocês não receberam novamente o espírito de escravidão ao medo, mas receberam o Espírito de adoção, pelo qual clamamos Abba Pai." (Romanos 8. 15.)

Os filhos de Deus são libertados daquele temor servil de Deus que o pecado gera no coração natural. Eles são redimidos daquele sentimento de culpa que fez Adão "se esconder nas árvores do jardim" e Caim "sair da presença do Senhor". (Gênesis 3. 8; 4. 16.) Eles não têm mais medo da santidade, justiça e majestade de Deus. Eles não sentem mais como se houvesse um grande abismo e barreira entre eles e Deus, e como se Deus estivesse zangado com eles e devesse estar zangado com eles, por causa de seus pecados. Destas correntes e grilhões da alma, os filhos de Deus são libertados.

Seus sentimentos em relação a Deus agora são de paz e confiança. Eles O vêem como um Pai reconciliado em Cristo Jesus. Eles o consideram um Deus cujos atributos são todos satisfeitos pelo seu grande mediador e pacificador, o Senhor Jesus - como um Deus que é "justo, e ainda assim o justificador de todo aquele que crê em Jesus". (Romanos 3. 26.) Como Pai, aproximam-se dele com ousadia: como Pai, podem falar com ele com liberdade. Eles trocaram o espírito de servidão por liberdade e o espírito de medo por amor. Eles sabem que Deus é santo, mas não têm medo: sabem que são pecadores, mas não têm medo. Embora santos, eles acreditam que Deus está completamente reconciliado: apesar de pecadores, eles acreditam que estão vestidos todo com Jesus Cristo. Tal é o sentimento dos filhos de Deus.

Eu permito que alguns deles tenham esse sentimento mais vividamente que outros. Alguns deles carregam restos e restos do velho espírito de escravidão até o dia da morte. Muitos deles têm ataques e paroxismos da queixa do velho de medo retornando sobre eles a intervalos. Mas muito poucos filhos de Deus puderam ser encontrados que não diriam, se interrogados, que desde que conheceram a Cristo eles tiveram sentimentos muito diferentes em relação a Deus do que jamais tiveram antes. Eles sentem como se algo como a antiga forma romana de adoção tivesse ocorrido entre eles e o Pai Celestial. Eles sentem como se Ele tivesse dito a cada um deles: "Você será meu filho?" e como se seus corações tivessem respondido: "Eu irei".

Vamos tentar entender isso também e segurá-lo com firmeza. Os filhos de Deus são um povo que sente em relação a Deus de uma maneira que os filhos do mundo não. Não sentem mais medo servil por Ele: sentem por Ele como um pai reconciliado. Isso, então, é outra marca de filiação.

(3) Mas, novamente, os filhos de Deus têm o testemunho do Espírito em suas consciências. O que diz a Escritura que encabeça este artigo? "O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus." (Romanos 8. 16.)

Os filhos de Deus têm algo em seus corações que lhes diz que existe um relacionamento entre eles e Deus. Eles sentem algo que lhes diz que as coisas velhas passaram, e todas as coisas se tornam novas: que a culpa se foi, que a paz é restaurada, que a porta do céu está aberta e a porta do inferno está fechada. Em resumo, eles têm o que as crianças do mundo não têm - uma esperança sentida, positiva e razoável. Eles têm o que Paulo chama de "selo" e "fervoroso" do Espírito. (2 Coríntios. I. 22; Efésios 1. 13.)

Por um momento não nego que esse testemunho do Espírito seja extremamente variado na medida em que os filhos de Deus o possuem. Para alguns, é um testemunho alto, claro, vibrante e distinto da consciência: "Eu sou de Cristo, e Cristo é meu". Com outros, é um sussurro pequeno, débil e gaguejante, que o diabo e a carne frequentemente impedem de ser ouvidos. Alguns dos filhos de Deus seguem seu caminho rumo ao céu, sob as velas da certeza. Outros são jogados de um lado para o outro durante toda a viagem e dificilmente acreditarão que têm fé. Mas tome o menor e o menor dos filhos de Deus. Pergunte a ele se ele desistirá da esperança religiosa que alcançou? Pergunte a ele se ele trocará seu coração, com todas as suas dúvidas e conflitos, suas lutas e medos - pergunte se ele trocará esse coração pelo coração do homem mundano e descuidado. Pergunte a ele se ele se contentaria em dar meia-volta e derrubar as coisas que ele conseguiu e voltar ao mundo? Quem pode duvidar de qual seria a resposta? "Eu não posso fazer isso", ele responderia. "Não sei se tenho fé, não tenho certeza de ter graça; mas tenho algo dentro de mim que não gostaria de me separar". E o que é isso "alguma coisa"? Eu lhe direi. - É o testemunho do Espírito.

Vamos tentar entender isso também. Os filhos de Deus têm o testemunho do Espírito em suas consciências. Esta é outra marca de filiação.

(4) Mais uma coisa, deixe-me acrescentar. Todos os filhos de Deus participam do sofrimento com Cristo. O que diz a Escritura que encabeça este artigo? "Se filhos, então herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se é que sofremos com ele." (Romanos 8. 17.)

Todos os filhos de Deus têm uma cruz para carregar. Eles têm provações, problemas e aflições a serem enfrentados pelo bem do Evangelho. Eles têm provações do mundo, provações da carne, e provações do diabo. Eles experimentam sentimentos de relações e amigos - palavras duras, tratamento duro e julgamento duro. Eles têm provações em matéria de caráter; - calúnia, deturpação, zombaria, insinuação de motivos falsos -, todas essas chuvas frequentemente caem sobre eles. Eles têm provações em matéria de interesses mundanos. Muitas vezes, eles escolhem se agradarão ao homem e perderão a glória, ou obterão glória e ofenderão o homem. Eles têm provações de seus próprios corações. Em geral, cada um deles tem seu próprio espinho na carne - seu próprio diabo-em-casa, que é o pior inimigo deles. Esta é a experiência dos filhos de Deus.

Alguns deles sofrem mais e outros menos. Alguns deles sofrem de uma maneira, e outros de outra. Deus mede suas porções como um médico sábio, e não pode errar. Mas creio que nunca houve um filho de Deus que alcançou o paraíso sem cruz.

O sofrimento é a dieta da família do Senhor. "A quem o Senhor ama, castiga." - "Se estais sem castigo, sois bastardos, e não filhos." - "Através de muitas tribulações, devemos entrar no reino de Deus." - "Tudo o que viverá piedosamente em Cristo Jesus sofrerá perseguição. " (Hebreus 12. 6, 8; Atos 14. 22; 2 Timóteo 3. 12.) Quando o bispo Latimer foi informado pelo seu senhorio de que ele nunca tinha tido problemas, "Então", disse ele, "Deus não pode estar aqui".

O sofrimento é uma parte do processo pelo qual os filhos de Deus são santificados. Eles são castigados para afastá-los do mundo e torná-los participantes da santidade de Deus. O capitão de sua salvação foi "aperfeiçoado pelo sofrimento", e eles também. (Hebreus 2. 10; 12. 10.) Nunca houve um grande santo que não tivesse grandes aflições ou grandes corrupções. Bem disse Philip Melancthon: "Onde não há cuidados, geralmente não haverá orações".

Vamos tentar resolver isso também em nossos corações. Os filhos de Deus têm todos que levar uma cruz. Um Salvador sofredor geralmente tem discípulos sofredores. O noivo era um homem de dores. A noiva não deve ser uma mulher de prazeres e não familiarizada com a dor. Bem-aventurados os que choram! Não vamos murmurar na cruz. Isso também é um sinal de filiação...

Eu aviso os homens a nunca suporem que são filhos de Deus, a menos que tenham as marcas bíblicas da filiação. Cuidado com uma filiação sem evidências. Mais uma vez eu digo: Cuidado. Quando um homem não tem nenhuma orientação do Espírito para me mostrar, nenhum espírito de adoção para contar, nenhum testemunho do Espírito em sua consciência, nenhuma cruz em sua experiência - esse homem é filho de Deus? O que quer que os outros pensem, não ouso dizer! Seu lugar "não é o lugar dos filhos de Deus". (Deuteronômio 32. 5.) Ele não é herdeiro da glória.

Não me diga que você foi batizado e ensinado o catecismo da Igreja da Inglaterra e, portanto, deve ser um filho de Deus. Eu lhe digo que o registro paroquial não é o livro da vida. Eu lhes digo que ser chamado de filho de Deus e chamado regenerar na infância pela fé e caridade do livro de orações é uma coisa; mas ser filho de Deus em ação, outra coisa completamente. Vá e leia esse catecismo novamente. É a "morte para o pecado e o novo nascimento para a justiça", que faz dos homens filhos da graça. Exceto que você os conhece por experiência, você não é filho de Deus.

Não me diga que você é um membro da Igreja de Cristo e, portanto, deve ser um filho. Respondo que os filhos da Igreja não são necessariamente filhos de Deus. Tal filiação não é a filiação do oitavo dos romanos. Essa é a filiação que você deve ter se quiser ser salvo.

E agora, duvido que algum leitor deste artigo queira saber se ele pode não ser salvo sem o testemunho do Espírito.

Eu respondo: Se você quer dizer com testemunho do Espírito, a plena certeza da esperança: - Você pode ser salvo, sem dúvida. Mas se você quiser saber se um homem pode ser salvo sem nenhum sentido interior, conhecimento ou esperança de salvação, respondo, que normalmente Ele não pode. Eu o aviso claramente a rejeitar toda indecisão quanto ao seu estado diante de Deus e a garantir sua vocação. Esclareça sua posição e relacionamento. Não pense que há algo de louvável em sempre duvidar. Deixe isso para os papistas. Não pense que é sábio e humilde viver como as fronteiras dos velhos tempos, no "terreno discutível". "A segurança", disse o velho Dod, o puritano, "pode ​​ser alcançada: e o que temos feito durante toda a vida, desde que nos tornamos cristãos, se não a alcançamos?"

Duvido que alguns cristãos verdadeiros que leem este artigo pensem que sua evidência de filiação é pequena demais para ser boa e escrevam coisas amargas contra si mesmos. Deixe-me tentar animá-los. Quem te deu os sentimentos que você possui? Quem fez você odiar o pecado? Quem fez você amar a Cristo? Quem fez você desejar e trabalhar para ser santo? De onde vieram esses sentimentos? Eles vieram da natureza? Não existem produtos no coração do homem natural. - Eles vieram do diabo? Ele abafaria completamente esses sentimentos. - Anime-se e tenha coragem. Não temas, nem seja abatido. Pressione para frente e continue. Afinal, há esperança para você. Esforce-se. Trabalho. Procurar. Peça. Batida. Siga em frente. Você ainda verá que são "filhos de Deus".


III Deixe-me mostrar, em último lugar, os privilégios da relação do verdadeiro cristão com Deus.

Nada pode ser concebido mais glorioso do que as perspectivas dos filhos de Deus. As palavras das Escrituras que encabeçam este artigo contêm uma rica mina de coisas boas e confortáveis. "Se somos filhos", diz Paulo, "somos herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, para sermos glorificados junto com ele". (Romanos 8. 17.)

Os verdadeiros cristãos são então "herdeiros". - Algo está preparado para todos eles, que ainda está para ser revelado.

Eles são "herdeiros de Deus". - Ser herdeiros dos ricos na terra é algo. Quanto mais, então, é ser filho e herdeiro do rei dos reis!

Eles são "herdeiros em conjunto com Cristo". Eles participarão de Sua majestade e participarão de Sua glória. Eles serão glorificados junto com ele.

E isso, devemos lembrar, é para todas as crianças. Abraão cuidou de cuidar de todos os seus filhos, e Deus cuidou de cuidar dos Seus. Nenhum deles é deserdado. Nenhum será expulso. Nenhum será cortado. Cada um estará em seu lugar e terá uma porção no dia em que o Senhor trouxer muitos filhos para a glória.

Quem pode dizer a natureza completa da herança dos santos na luz? Quem pode descrever a glória que ainda está para ser revelada e dada aos filhos de Deus? Palavras nos falham. O idioma fica aquém. A mente não pode conceber completamente, e a língua não pode expressar perfeitamente, as coisas que estão incluídas na glória ainda por vir sobre os filhos e filhas do Senhor Todo-Poderoso. Oh, é de fato um verdadeiro ditado do apóstolo João: "Ainda não parece o que seremos". (1 João 3. 2.)

A própria Bíblia apenas levanta um pouco do véu que paira sobre esse assunto. Como isso poderia fazer mais? Não poderíamos entender completamente mais se mais tivessem sido informados. Nossa constituição mental ainda é terrena demais - nossa compreensão ainda é carnal demais para apreciarmos mais se a tivéssemos. A Bíblia geralmente lida com o assunto em termos negativos e não em afirmações positivas. Descreve o que não haverá na herança gloriosa, para que possamos ter uma leve idéia do que haverá. Pinta a ausência de certas coisas, para que possamos beber um pouco a bem-aventurança das coisas presentes. Diz-nos que a herança é "incorruptível, imaculada e não desaparece". Diz-nos que "a coroa da glória não desaparece". Diz-nos que o diabo deve ser "amarrado", que "não haverá mais noite nem maldição", que "a morte será lançada no lago de fogo", que "todas as lágrimas serão enxugadas". e que o habitante não diga mais: "Estou doente". E estas são realmente coisas gloriosas. Sem corrupção! - Sem desbotamento! - Sem murcha! - Sem demônio! - Sem maldição do pecado! - Sem tristeza! - Sem lágrimas! - Sem doença! - Sem morte! Certamente o cálice dos filhos de Deus irá realmente transbordar! (1 Pedro 1. 4; 5. 4; Apocalipse 20. 2; 21. 25; 22. 3; 20. 14; 21. 4; Isaías 33. 24.)

Mas há coisas positivas que nos foram contadas sobre a glória ainda por vir sobre os herdeiros de Deus, que não devem ser escondidas. Há muitos confortos doces, agradáveis ​​e indizíveis em sua herança futura, que todos os verdadeiros cristãos fariam bem em considerar. Existem cordiais para desmaiar os peregrinos em muitas palavras e expressões das Escrituras, que você e eu devemos enfrentar contra o tempo de necessidade.

(a) O conhecimento é agradável para nós agora? O pouco que sabemos sobre Deus e Cristo, e a Bíblia, é precioso para nossas almas, e desejamos mais? Teremos isso perfeitamente em glória. O que diz a Escritura? "Então saberei como também sou conhecido." (1 Coríntios 13. 12.) Bendito seja Deus, não haverá mais desentendimentos entre os crentes! Episcopalianos e presbiterianos, calvinistas e arminianos, milenaristas e antimilenaristas, amigos de estabelecimentos e amigos do sistema voluntário, defensores do batismo infantil e defensores do batismo adulto, todos vão ver nos olhos. A antiga ignorância terá passado. Vamos nos maravilhar ao descobrir como somos infantis e cegos.

(b) A santidade é agradável para nós agora? O pecado é o fardo e a amargura de nossas vidas? Ansiamos por total conformidade com a imagem de Deus? Teremos isso perfeitamente em glória. O que diz a Escritura? "Cristo Se entregou pela Igreja", não apenas para santificá-la na terra, mas também "para que pudesse apresentar a si mesma uma igreja gloriosa, sem manchas nem rugas, ou qualquer coisa assim". (Efésios 5. 27.) Oh, a bênção de um eterno adeus ao pecado! Oh, quão pouco os melhores de nós fazem atualmente! Oh, que corrupção indescritível adere, como o limão dos pássaros, a todos os nossos motivos, pensamentos, palavras e ações! Oh, quantos de nós, como Naftali, somos bons em nossas palavras, mas, como Rúben, instável em nossas obras! Graças a Deus, tudo isso será mudado. (Gênesis 49. 4, 21.)

(c) O descanso é agradável para nós agora? Muitas vezes nos sentimos "desmaiados apesar de perseguir?" (Juízes 8. 4.) Ansiamos por um mundo em que não precisamos estar sempre vigiando e combatendo? Teremos isso perfeitamente em glória. O que diz a Escritura? "Resta um descanso ao povo de Deus." (Hebreus 4. 9.) O conflito diário, a cada hora, com o mundo, a carne e o diabo, finalmente chegará ao fim. O inimigo deve ser amarrado. A guerra terminará. Os ímpios finalmente cessarão de perturbar. Os cansados ​​devem finalmente descansar. Haverá uma grande calma.

(d) O serviço é agradável para nós agora? Achamos agradável trabalhar para Cristo, e ainda assim gemer sendo sobrecarregado por um corpo débil? Nosso espírito está sempre disposto, mas dificultado e entupido pela pobre carne fraca? Nosso coração ardeu dentro de nós, quando nos foi permitido dar um copo de água fria por causa de Cristo, e suspiramos ao pensar em que servos inúteis somos? Vamos nos confortar. Seremos capazes de servir perfeitamente na glória e sem cansaço. O que diz a Escritura? "Eles O servem dia e noite em Seu templo." (Apocalipse 7. 15.)

(e) A satisfação é agradável para nós agora? Nós encontramos o mundo vazio? Ansiamos pelo preenchimento de todos os espaços vazios e lacunas em nossos corações? Teremos isso perfeitamente em glória. Não teremos mais que lamentar rachaduras em todos os nossos vasos de barro e espinhos em todas as nossas rosas, e restos amargos em todas as nossas xícaras doces. Não vamos mais lamentar com Jonas sobre cabaças murchas. Não vamos mais dizer com Salomão: "Tudo é vaidade e irritação de espírito". Não vamos mais chorar com o velho Davi: "Vi o fim de toda perfeição". O que diz a Escritura? "Ficarei satisfeito quando acordar com a tua semelhança." (Eclesiastes. 1. 14; Salmo 119. 96; 17. 15.)

(f) A comunhão com os santos é agradável para nós agora? Sentimos que nunca somos tão felizes como quando estamos com o "excelente da terra"? Nunca estamos tanto em casa quanto na empresa deles? (Salmo 16. 3.) Teremos isso perfeitamente em glória. O que diz a Escritura? "O Filho do homem enviará os seus anjos, e eles colherão do seu reino todos os que ofendem e os que praticam a iniqüidade." "Ele enviará Seus anjos com um grande som de trombeta, e eles reunirão Seus eleitos dos quatro ventos." (Mateus 13. 41; 24. 31.) Louvado seja Deus! Veremos todos os santos de quem lemos na Bíblia e em cujos passos tentamos andar. Veremos apóstolos, profetas, patriarcas, mártires, reformadores, missionários e ministros, dos quais o mundo não era digno. Veremos os rostos daqueles que conhecemos e amamos em Cristo na terra e sobre cuja partida derramamos lágrimas amargas. Vamos vê-los mais brilhantes e gloriosos do que nunca. E, o melhor de tudo, nós os veremos sem pressa e ansiedade, e sem sentir que só nos encontraremos para nos separar novamente. Na glória vindoura não há morte, nem separação, nem adeus.

(g) A comunhão com Cristo é agradável para nós agora? Achamos o Seu nome precioso para nós? Sentimos nosso coração queimar dentro de nós ao pensar em Seu amor que está morrendo? Teremos perfeita comunhão com Ele em glória. "Estaremos sempre com o Senhor." (1 Tessalonicenses 4. 17.) Estaremos com Ele no paraíso. (Lucas 23. 43.) Veremos Seu rosto no reino. Esses nossos olhos contemplarão aquelas mãos e pés que foram perfurados por unhas, e a cabeça que foi coroada com espinhos. Onde Ele estiver, haverá os filhos de Deus. Quando Ele vier, eles virão com Ele. Quando Ele se sentar em Sua glória, eles se sentarão ao Seu lado. Perspectiva abençoada, de fato! Eu sou um homem moribundo em um mundo moribundo. Tudo diante de mim está escuro. O mundo por vir é um porto desconhecido. Mas Cristo está lá, e isso é suficiente. Certamente, se houver descanso e paz em segui-Lo pela fé na terra, haverá muito mais descanso e paz quando o vermos cara a cara. Se achamos bom seguir o pilar de nuvens e fogo no deserto, acharemos mil vezes melhor sentar-se em nossa herança eterna, com nosso Josué, na terra prometida.

Se alguém dentre os leitores deste artigo ainda não estiver entre os filhos e herdeiros, tenho pena de todo o meu coração! Quanto você está perdendo! Quão pouco conforto verdadeiro você está desfrutando! Lá está você, lutando e labutando no fogo, e se cansando de meros fins terrenos - procurando descanso e não encontrar nenhum - adquirindo sombras e nunca as pegando - imaginando por que você não é feliz e ainda se recusando a ver as coisas. causa, com fome, com sede e vazio, e ainda assim cego à abundância ao seu alcance. Oh, que você era sábio! Oh, que você ouvisse a voz de Jesus e aprendesse d'Ele!

Se você é um daqueles filhos e herdeiros, pode muito bem se alegrar e ser feliz. Você pode esperar, como o garoto Paciência no progresso dos peregrinos: suas melhores coisas ainda estão por vir. Você pode cruzar sem murmurar: sua leve aflição dura apenas um momento. "Os sofrimentos deste tempo presente não são dignos de serem comparados com a glória que deve ser revelada." - "Quando Cristo nossa vida aparecer, então você também aparecerá com Ele em glória". (Romanos 8. 18; Colossenses 3. 4.) É possível que não inveje o transgressor e sua prosperidade. Você é o verdadeiramente rico. Bem disse um crente moribundo em minha própria paróquia: "Sou mais rico do que jamais fui na vida". Você pode dizer como Mefibosete disse a Davi: "Deixe o mundo tomar tudo, meu rei está voltando em paz". (2 Samuel 19. 30.) Você pode dizer, como Alexandre disse, quando doou todas as suas riquezas, e lhe perguntaram o que ele guardava para si: "Tenho esperança". Você pode não ser abatido pela doença: a parte eterna de você está segura e provida, aconteça o que acontecer com seu corpo. Você pode olhar calmamente para a morte: ela abre uma porta entre você e sua herança. Você pode muito bem não se entristecer excessivamente com as coisas do mundo - sobre despedidas e luto, sobre perdas e cruzamentos: o dia da reunião está diante de você. Seu tesouro está além do alcance dos danos. O céu está se tornando cada ano mais cheio daqueles que você ama, e a terra mais vazia. Glória na sua herança. É todo seu se você é um filho de Deus: "Se somos filhos, somos herdeiros".


(1) E agora, ao concluir este artigo, deixe-me perguntar a todos que lêem De quem é você filho? Você é filho da natureza ou filho da graça? Você é filho do diabo ou filho de Deus? Você não pode ser os dois ao mesmo tempo. Qual és tu?

Resolva a questão sem demora, pois você deve finalmente morrer um ou outro. Resolva-o, pois pode ser resolvido, e é tolice deixá-lo em dúvida. Resolva isso, pois o tempo é curto, o mundo está envelhecendo e você está rapidamente se aproximando do tribunal de Cristo. Acordem, pois a morte está próxima, o Senhor está próximo e quem pode dizer o que um dia pode trazer? Oh, que você nunca descansaria até que a questão fosse resolvida! Oh, para que você nunca se sinta satisfeito até poder dizer: "Nasci de novo: sou filho de Deus!"

(2) Se você não é filho e herdeiro de Deus, permita-me que você se torne um sem demora. Você seria rico? Há riquezas insondáveis ​​em Cristo. Você seria nobre? Você será um rei. Você seria feliz? Você terá uma paz que ultrapassa o entendimento, e que o mundo nunca pode dar e nunca tirar. Oh, saia, pegue a cruz e siga a Cristo! Saia dentre os impensados ​​e mundanos, e ouça a palavra do Senhor: "Eu os receberei e serei um Pai para você, e vocês serão meus filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." (2 Coríntios 6. 18.)

(3) Se você é filho de Deus, peço-lhe que ande digno da casa de seu Pai. Exijo-lhe solenemente que o honre em sua vida; e, acima de tudo, honrá-Lo por obediência implícita a todos os Seus mandamentos e amor sincero a todos os Seus filhos. Trabalhe para viajar pelo mundo como um filho de Deus e herdeiro da glória. Permita que os homens possam traçar uma semelhança familiar entre você e Aquele que o gerou. Viva uma vida celestial. Procure coisas que estão acima. Não parece estar construindo seu ninho abaixo. Comporte-se como um homem que procura uma cidade fora da vista, cuja cidadania está no céu, e que se contentaria com muitas dificuldades até chegar em casa.

Trabalhe para se sentir como um filho de Deus em todas as condições em que você é colocado. Nunca se esqueça de que você está no terreno de seu pai enquanto estiver aqui na terra. Nunca esqueça que a mão de um pai envia todas as suas misericórdias e cruzes. Lance todo cuidado Nele. Seja feliz e alegre Nele. Por que de fato fica triste se é filho do rei? Por que os homens duvidam, quando olham para você, se é algo agradável ser um filho de Deus?

Trabalhe para se comportar em relação aos outros como um filho de Deus. Seja inocente e inofensivo em seu dia e geração. Seja um "pacificador entre todos que você conhece". (Mateus 5. 9.) Procure seus filhos como filhos de Deus, acima de tudo: procure por eles uma herança no céu, qualquer coisa que você faça por eles. Ninguém deixa seus filhos tão bem providos como aquele que os deixa filhos e herdeiros de Deus.

Persista no seu chamado cristão, se você é um filho de Deus, e prossiga cada vez mais. Tome cuidado para deixar de lado todo peso, e o pecado que mais lhe assusta. Mantenha seus olhos firmemente fixos em Jesus. Permaneça Nele. Lembre-se de que sem ele você não pode fazer nada e com ele pode fazer todas as coisas. (João 15. 5; Filipenses 4. 13.) Assista e ore diariamente. Seja firme, inabalável e sempre abundante na obra do Senhor. Estabeleça em seu coração que nem um copo de água fria dado em nome de um discípulo perca sua recompensa e que a cada ano você está muito mais perto de casa.

"Ainda um pouco de tempo e Aquele que virá virá, e não tardará." (Hebreus 10. 37.) Então haverá a liberdade gloriosa e a plena manifestação dos filhos de Deus. (Romanos 8. 19, 21.) Então o mundo reconhecerá que eles eram verdadeiramente sábios. Então os filhos de Deus finalmente chegarão à maioridade, e não serão mais herdeiros em expectativa, mas herdeiros em possessão. Então eles ouvirão com extrema alegria aquelas palavras confortáveis: "Vinde, abençoados por meu Pai, herdam o reino preparado para você desde a fundação do mundo". (Mateus 25. 34.) Certamente, esse dia fará as pazes a todos!

~

J. C. Ryle

Practical Religion (1879). Disponível em Gutenberg.



Nota:
[1] O leitor certamente entenderá que não estou falando agora de crianças que morrem na infância ou de pessoas que vivem e morrem de idiotas.

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: