Implicância

Quantas pessoas na vida lhes parecem chatas? No começo da vida, todas, já que ninguém o deixará fazer o que quer. No decorrer, esse número pode aumentar ou diminuir, dependendo do estado de sua índole, de seu conceito geral de bem ou mal. Acredito, porém, que haja prejuízo moral quando nenhuma admoestação seja entendida como um ato de amor por alguém. 

A implicância pode, como diz seu significado, ser um ato de antipatia. Mas dependendo da situação, ela pode ser em direção a uma pessoa ou a algum mal desta pessoa.

Eu tive dois professores que ilustram mais ou menos isso aí. 

Um deles, quando eu ainda estava no ensino médio, não achava que eu escrevia bem. Apesar de achar que esta professora poderia sim ter razão, eu discordava dela. Um colega meu também. Um dia, nós trocamos as redações, ela leu a redação minha como se fosse a dele. Teceu enormes elogios. O que confirmou uma implicância pessoal foi quando fiz uma outra redação, para um processo seletivo, e a nota foi alta. Ela ficou surpresa, ainda que talvez soubesse que não acreditava piamente naquilo que havia escrito. No fundo, não era o jeito que eu escrevia, mas sim a forma como eu pensava.

Mas calma, no próximo caso eu reconheço que estava errado e que aprenderia algo importante. O outro professor, agora na faculdade, parecia exigir de mim mais do que dos outros, me cobrar em detalhes supérfluos, enfim, em coisas que eu achava desnecessárias. Mas, no fim, percebi que ele estava implicando com minha mediocridade, e não comigo pessoalmente. Hoje, vejo nisso um sinal de amizade verdadeira. Sim, é dessa implicância que deveríamos ser vítimas.

Agora, aplique isso a vida cristã. Mas esqueça as pessoas: posso, sim, passar a mensagem para que se aceite toda a admoestação como algo positivo, do ponto de vista da melhoria. Mas e se isto não existir? Quão poucos são os "corajosos" que irão confrontar pessoalmente a sua mediocridade, sem rodeios, sem falar por terceiros, ou para um público grande, como se não estivesse preocupado com o próximo. 

Então, aprendi com isso a valorizar os poucos que exigirem mais de você, principalmente na sua vida cristã. Mas, se onde eles deveriam existir eles não se fazem presentes, fique com a exortação de Cristo. Não apenas de nossos deveres, ainda que haja muitos, mas também de sua promessa para com os seus, que é direta e sem rodeios.

"Vocês ouviram o que foi dito: “Olho por olho, dente por dente". Eu, porém, lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém lhe der um tapa na face direita, ofereça-lhe também a face esquerda". "As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão" (Mateus 5. 38‭-‬39, João 10. 27‭-‬28).

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: