Nossas almas!

"Pois, que proveito tem o homem em ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?". Marcos 8. 36.


A palavra de nosso Senhor Jesus Cristo, que está no início desta página, deve soar em nossos ouvidos como o toque de uma trombeta. Diz respeito aos nossos melhores e mais elevados interesses. Diz respeito a NOSSAS ALMAS.

Que pergunta solene essas palavras da Escritura contêm! Que grande soma de lucros e perdas eles nos propõem para cálculo! Onde está o contador que poderia calcular isso? Onde está o aritmético inteligente que não ficaria perplexo com essa soma? - "Que proveito tem o homem em ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?".

Desejo oferecer algumas observações claras, para reforçar e ilustrar a pergunta que o Senhor Jesus faz na passagem anterior. Convido a séria atenção de todos os que leem este volume. Que todos os que o lerem sintam mais profundamente do que jamais sentiram sobre o valor de uma alma imortal! É o primeiro passo em direção ao céu: descobrir o verdadeiro valor de nossa alma.


I. A PRIMEIRA observação que devo fazer é esta: CADA UM DE NÓS TEM UMA ALMA IMORTAL.

Não tenho vergonha de começar meu trabalho com essas palavras. Ouso dizer que parecem estranhos e tolos para alguns leitores. Ouso dizer que alguns exclamarão: "Quem não conhece coisas como estas? Quem alguma vez pensa em duvidar que temos alma?". Mas não posso esquecer que o mundo está agora fixando sua atenção nas coisas materiais de uma forma extravagante. Vivemos em uma era de progresso - uma era de máquinas a vapor e máquinas, de locomoção e invenção. Vivemos em uma época em que a multidão está cada vez mais absorvida pelas coisas terrenas - ferrovias, docas, minas, comércio, finanças, bancos, lojas, algodão, milho, ferro e ouro. Vivemos em uma época em que há um brilho falso nas coisas do tempo e uma grande névoa sobre as coisas da eternidade. Em uma época como esta, é dever sagrado dos ministros de Cristo recair nos primeiros princípios. A necessidade é imposta a nós. Ai de nós, se não insistirmos na pergunta de nosso Senhor sobre a alma! Ai de nós, se não clamarmos em voz alta: "O mundo não é tudo. A vida que agora vivemos na carne não é a única vida. Há uma vida por vir. Nós temos almas".

Deixe-nos estabelecer em nossas mentes como um grande fato, que todos nós carregamos em nossos seios algo que nunca morrerá. Este nosso corpo, que ocupa tanto de nossos pensamentos e tempo, para aquecê-lo, vesti-lo, alimentá-lo e torná-lo confortável - este corpo sozinho não é todo o homem. É apenas o alojamento de um nobre inquilino, e esse inquilino é a alma imortal! A morte, que cada um de nós tem um dia para morrer, não acaba com o homem. Nem tudo acabou quando o último suspiro é dado e a última consulta do médico foi feita; quando o caixão é aparafusado e os preparativos para o funeral são feitos; quando "cinzas em cinzas e pó em pó" foi pronunciado sobre a sepultura; quando nosso lugar no mundo é preenchido e a lacuna criada por nossa ausência da sociedade não é mais percebida. Não: nem tudo acabou! O espírito do homem ainda vive. Todos têm dentro de si uma alma imortal.

Eu não paro para provar isso. Seria uma mera perda de tempo. Existe uma consciência em toda a humanidade que vale mil argumentos metafísicos. Há uma voz interior que às vezes fala alto e será ouvida - uma voz que nos diz, gostemos ou não, que temos, cada um de nós, uma alma imortal. Não podemos ver nossas almas? Mas, não existem milhões de coisas que não podemos ver a olho nu? Quem olhou pelo telescópio ou microscópio pode duvidar que seja esse o caso? E, embora não possamos ver nossas almas, podemos senti-las. Quando estamos sozinhos, no leito da doença, e o mundo está excluído; quando assistimos ao leito de morte de um amigo; quando vemos aqueles a quem amamos baixados à sepultura; em momentos como este, quem não conhece os sentimentos que passam pela cabeça dos homens? Quem não sabe que em horas como essas algo surge no coração, nos dizendo que há uma vida por vir e que todos, do mais alto ao mais baixo, têm almas imortais?

Você pode ir por todo o mundo e obter evidências de todas as épocas. Você nunca receberá mais do que uma resposta sobre este assunto. Você encontrará algumas nações enterradas em superstições degradantes e loucas por ídolos. Você encontrará outros mergulhados na mais sombria ignorância e totalmente desconhecidos do Deus verdadeiro. Mas você não encontrará uma nação ou povo entre os quais não haja alguma consciência de que há uma vida por vir. Os templos desertos do Egito, Grécia e Roma, os restos druídicos de nossa própria terra natal, os esplêndidos pagodes do Hindustão, a adoração fetichista da África, as cerimônias fúnebres dos chefes da Nova Zelândia, as tendas dos mágicos entre as tribos norte-americanas; todos, todos falam com a mesma voz e contam a mesma história. Bem no fundo do coração humano, sob o lixo acumulado pela Queda, há uma inscrição que nada pode apagar, dizendo-nos que este mundo não é tudo, e que cada um de nós tem uma alma imortal.

Não paro para provar que os homens têm alma, mas peço a cada leitor deste artigo que o mantenha sempre em mente. Talvez sua sorte esteja lançada no meio de alguma cidade movimentada. Você vê ao seu redor uma luta sem fim sobre as coisas temporais. Pressa, alvoroço, e os negócios o cercam de todos os lados. Posso acreditar que você às vezes fica tentado a pensar que este mundo é tudo e que o corpo é tudo de que vale a pena cuidar. Mas resista à tentação e jogue-a para trás. Diga a si mesmo todas as manhãs ao se levantar, e todas as noites quando se deitar: "A moda deste mundo passa. A vida que agora vivo não é tudo. Há algo além dos negócios, e dinheiro, e prazer, e comércio e finanças. Lá está a vida por vir. Todos nós temos almas imortais".

Não paro para provar o ponto, mas peço a todos os leitores que percebam a dignidade e a responsabilidade de ter uma alma. Sim: perceba o fato de que em sua alma você tem o maior talento que Deus confiou a você. Saiba que em sua alma você tem uma pérola acima de todo preço, em comparação com a qual todas as posses terrenas são ninharias leves como o ar. O cavalo que vence o Derby ou o St. Leger atrai a atenção de milhares: os pintores o pintam e os gravadores o gravam, e vastas somas de dinheiro se voltam para suas realizações. No entanto, a criança mais fraca da família de um trabalhador é muito mais importante aos olhos de Deus do que aquele cavalo. O espírito da besta desce; mas essa criança tem uma alma imortal. Os quadros de nossas grandes exposições são visitadas por uma multidão de admiradores: as pessoas olham para elas maravilhadas e falam com êxtase sobre as "obras imortais" de Rubens, Ticiano [1] e outros grandes mestres. Mas não há imortalidade nessas coisas. A terra e todas as suas obras serão queimadas. O bebezinho que chora em um sótão e nada adorna de belas-artes viverá mais do que todas aquelas pinturas, pois tem uma alma que nunca morrerá. Haverá um tempo em que as Pirâmides e o Partenon serão igualmente destruídos; quando o Castelo de Windsor e a Abadia de Westminster serão derrubados e morrerão; quando o sol deixará de brilhar, e a lua não mais dará a sua luz. Mas a alma do trabalhador mais humilde é de um material muito mais duradouro. Ele deve sobreviver à queda de um universo em extinção e viverá por toda a eternidade. Perceba, digo mais uma vez, a responsabilidade e a dignidade de ter uma alma que nunca morre. Você pode ser pobre neste mundo; mas você tem uma alma. Você pode estar doente e com o corpo fraco; mas você tem uma alma. Você pode não ser um rei, ou uma rainha, ou um duque, ou um conde; ainda você tem uma alma. A alma é a parte de nós que Deus considera principalmente. A alma é "o homem".

"O valor do guinéu está no ouro, 

E não no selo sobre ele."

A alma que está no homem é o que há de mais importante nele.

Não paro para provar que os homens têm alma, mas peço a todos os homens que vivam como se acreditassem nisso. Viva como se realmente acreditasse que não fomos enviados ao mundo apenas para fiar algodão, plantar milho e acumular ouro, mas para "glorificar a Deus e desfrutá-Lo para sempre". Leia sua Bíblia e familiarize-se com seu conteúdo. Busque ao Senhor em oração e abra seu coração diante Dele. Vá a um local de culto regularmente e ouça a pregação do Evangelho. Guarde um dia da semana e dê a Deus Seu descanso. E se alguém lhe perguntar o motivo: se esposa, filho ou colega disser: "O que você está fazendo?", responda com ousadia, como um homem, e diga: “Faço essas coisas porque tenho alma”.


II. A SEGUNDA observação que devo fazer é esta: QUALQUER UM PODE PERDER SUA PRÓPRIA ALMA.

Esta é uma parte triste do meu assunto. Mas é algo que não ouso, não posso ignorar. Não tenho simpatia pelos que nada profetizam senão a paz e escondem dos homens o fato terrível, para que percam a alma. Eu sou um daqueles ministros antiquados que acreditam na Bíblia - e em tudo que ela contém. Não consigo encontrar nenhum fundamento bíblico para essa teologia de fala mansa, que agrada a tantos hoje em dia, e segundo a qual todos chegarão finalmente ao céu. Eu acredito que existe um verdadeiro demônio. Eu acredito que existe um verdadeiro inferno. Acredito que não é um ato de caridade caridade afastar os homens para que se percam. Caridade! Devo assim chamar? Se você visse um irmão bebendo veneno, você ficaria quieto? Caridade! Devo assim chamar? Se você visse um cego cambaleando em direção a um precipício, não gritaria "pare"? Dispense essas falsas noções de caridade! Não vamos caluniar essa bendita graça, usando seu nome em um sentido falso. É a mais alta caridade levar toda a verdade aos homens. É uma verdadeira caridade avisá-los claramente quando estão em perigo. É caridade comovê-los, para que não percam a própria alma para sempre no inferno.

O homem possui um magnífico poder para o mal. Fracos como somos em tudo o que é bom, temos um grande poder para fazer o que é mal. Você não pode salvar aquela sua alma, meu irmão: lembre-se disso! Você não pode fazer suas próprias pazes com Deus. Você não pode limpar um único pecado. Você não pode apagar um dos registros negros que estão contra você no livro de Deus. Você não pode mudar seu próprio coração. Mas há uma coisa que você pode fazer - você pode perder sua própria alma.

Mas isto não é tudo. Não apenas podemos todos perder nossas próprias almas, mas estamos todos em perigo iminente de fazer isso. Nascidos em pecado e filhos da ira, não temos nenhum desejo natural de ter nossas almas salvas. Fracos, corruptos, inclinados ao pecado, nós "chamamos o bem de mal e o mal de bem". Sombrios e cegos, e mortos em transgressões, não temos olhos para ver a cova que se abre sob nossos pés, e nenhum senso de nossa culpa e perigo. E ainda assim nossas almas estão todo esse tempo em terrível perigo! Se alguém navegasse para a América em um navio furado, sem bússola, sem água, sem provisões, quem não vê que haveria poucas chances de cruzar o Atlântico em segurança? Se você colocasse o diamante Koh-i-noor nas mãos de uma criança e pedisse que ela o carregasse de Tower Hill para Bristol, quem não perceberia a dúvida de que aquele diamante chegaria em segurança ao final da jornada? No entanto, essas são apenas imagens fracas do imenso perigo em que corremos por natureza de perder nossas almas.

Mas alguém pode perguntar: como pode um homem perder sua alma? Existem muitas respostas para essa pergunta. Assim como existem muitas doenças que atacam e ferem o corpo, existem muitos males que atacam e ferem a alma. No entanto, por mais numerosas que sejam as maneiras pelas quais um homem pode perder sua própria alma, elas podem ser classificadas em três categorias gerais. Deixe-me mostrar brevemente o que são.

Por um lado, você pode matar sua alma correndo para o pecado declarado e servindo a luxúrias e prazeres. O adultério e a fornicação, a embriaguez e as festividades, a blasfêmia e a violação do dia de descanso, a desonestidade e a mentira são todos atalhos para a perdição. “Ninguém vos engane com palavras vãs, porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência” (Efésios 5. 6).

Por outro lado, você pode envenenar sua própria alma adotando alguma religião falsa. Você pode drogá-lo com tradições de invenção do homem e uma série de cerimônias e observâncias que nunca desceram do céu. Você pode embalá-lo para dormir com substâncias que entorpecem a consciência, mas não curam o coração. A estricnina e o arsênico fazem seu trabalho tão eficazmente quanto a pistola ou a espada, embora com menos ruído. Não deixe nenhum homem te enganar. "Cuidado com os falsos profetas". Quando os homens entregam suas almas a líderes cegos, ambos devem cair na vala. Uma religião falsa é tão ruinosa quanto nenhuma religião.

Por outro lado também, você pode deixar sua alma morrer de fome por leviandade e indecisão. Você pode passar a vida ocioso com um nome no registro batismal, mas não inscrito no Livro da Vida do Cordeiro - com uma forma de piedade, mas sem o poder. Você pode perder tempo ano após ano, sem se interessar pelo que é bom, contentar-se em zombar das inconsistências dos professos, e se gabar porque não é fanático, nem partidário, nem professo, estará "tudo bem" com sua alma finalmente. “Ninguém vos engane com palavras vãs”. A indecisão é tão prejudicial para a alma quanto uma religião falsa ou nenhuma religião. O fluxo da vida nunca pode parar. Esteja você dormindo ou acordado, você está flutuando naquele riacho. Você está chegando cada vez mais perto das corredeiras. Você logo passará pelas cataratas e, se morrer sem uma fé decidida, será lançado fora para toda a eternidade.

Essas são as três principais maneiras pelas quais você pode perder sua alma. Alguém que está lendo este artigo sabe qual desses caminhos ele está tomando? Pesquise e veja se toquei no seu próprio caso. Descubra se você está ou não perdendo sua alma.

Dá muito trabalho arruinar uma alma? Ah não! É uma jornada descendente. Não há nada necessário em suas mãos. Não há necessidade de esforço. Você só precisa ficar quieto e fazer como os outros fazem no círculo em que a providência de Deus o colocou - nadar com a maré, flutuar rio abaixo, acompanhar a multidão - e pouco a pouco, o tempo da misericórdia estará no passado para sempre! “Larga é a porta que conduz à destruição”.

Mas há muitos, você perguntará, que estão perdendo suas almas? Sim, de fato existem! Não olhe para as inscrições e epitáfios nas lápides se quiser encontrar a verdadeira resposta para essa pergunta! Como diz o Dr. Watts [2], eles são "ensinados a bajular e mentir".

Todos os homens são considerados respeitáveis ​​e "gente boa" assim que morrem. Mas olhe para a Palavra de Deus e marque bem o que ela diz. O Senhor Jesus Cristo declara: "Estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram: amplo é o caminho que conduz à destruição, e muitos são os que por ela passam" (Mateus 7. 13, 14).

Mas quem é o responsável pela perda de nossas almas? Ninguém além de nós mesmos. Nosso sangue estará sobre nossas próprias cabeças. A culpa será nossa. Nada teremos a implorar no último dia, quando estivermos diante do grande trono branco e os livros forem abertos. Quando o Rei entra para ver Seus convidados e diz: "Amigo, quão zeloso estás, não tendo uma veste nupcial?". Estaremos sem palavras. Não teremos desculpa para pleitear a perda de nossas almas.

Mas para onde vai a alma quando se perde? Existe apenas uma resposta solene para essa pergunta. Há apenas um lugar para o qual ele pode ir, e esse lugar é o inferno. Não existe aniquilação. A alma perdida vai para aquele lugar onde o verme não morre, e o fogo não se apaga; onde há escuridão e trevas, umidade e desespero para sempre. Irá para o inferno - o único lugar para o qual é adequado, visto que não é adequado para o céu. “Os ímpios irão para o inferno, com todas as nações que se esquecem de Deus”. "O fim dessas coisas é a morte!" (Romanos 6. 21).

Deixe-me dizer claramente que nós, ministros, temos muito medo de muitos que professam e se dizem cristãos. Tememos que eles percam finalmente suas preciosas almas. Tememos que aquele arqui-impostor, Satanás, engane-os para evitar a salvação e os leve cativos à sua vontade. Tememos que eles acordem na eternidade e se encontrem perdidos para sempre! Tememos porque vemos tantos vivendo em hábitos pecaminosos, tantos descansando em formalidades e cerimônias que Deus nunca ordenou, tantos perdendo tempo com todas as religiões, tantos, em suma, arruinando suas próprias almas. Vemos essas coisas e temos medo.

É só porque sinto que as almas estão em perigo que escrevo este artigo e convido os homens a lê-lo. Se eu pensasse que esse lugar não existia, não escreveria como escrevo. Se eu pensasse que todas as pessoas iriam finalmente para o céu, eu ficaria quieto e as deixaria em paz. Mas não me atrevo deixar assim. Vejo o perigo à frente e de bom grado alertaria todos os homens para fugir da ira que está por vir. Vejo o perigo de naufrágio e gostaria de acender um farol e implorar a todos os homens que procurassem um porto seguro. Não despreze meu aviso. Examine seu próprio coração: descubra se você está prestes a se perder ou ser salvo. Pesquise e veja como as coisas se interpõem entre você e Deus: não cometa a enorme loucura de perder sua própria alma. Vivemos em uma época de grandes tentações. O diabo anda por aí e está muito ocupado. A noite já se foi. O tempo é curto. Não perca sua própria alma.


III. A TERCEIRA observação que desejo fazer é esta: A PERDA DA ALMA DE QUALQUER HOMEM É A PERDA MAIS PESADA QUE ELE PODE SOFRER.

Sinto-me incapaz de expor esse ponto como deveria. Nenhum homem vivo pode mostrar a extensão total da perda da alma. Ninguém pode pintar essa perda com suas verdadeiras cores. Não: nunca o entenderemos até que tenhamos passado pelo vale da sombra da morte e acordado em outro mundo! Nunca até saberemos o valor de uma alma imortal.

Posso dizer que nada pode compensar a perda da alma na vida que agora existe. Você pode ter todas as riquezas do mundo - todo o ouro da Austrália e da Califórnia, todas as honras que seu país pode conceder a você. Você pode ser o proprietário de meio condado. Você pode ser aquele a quem os reis se deleitam em honrar e as nações olham com admiração. Mas todo esse tempo, se você está perdendo sua alma, você é um homem pobre aos olhos de Deus. Suas honras duram apenas alguns anos. Suas riquezas devem ser deixadas finalmente. “Nus viemos ao mundo, e nus devemos sair”. Nenhum coração leve, nenhuma consciência alegre você terá na vida, a menos que sua alma seja salva. De todo o seu dinheiro ou acres, você não levará nada com você quando morrer. Alguns metros de terra serão suficientes para cobrir seu corpo quando a vida acabar. E então, se sua alma for perdida, você se encontrará um pobre por toda a eternidade. Na verdade, não haverá proveito algum ao homem que ganhar o mundo inteiro e perder sua própria alma.

Eu poderia dizer que quando a alma se perde, é uma perda que não pode ser recuperada. Uma vez perdido, está perdido para sempre. A perda de propriedade pode ser recuperada neste mundo. A perda de saúde e caráter nem sempre é irreparável. Mas nenhum homem que uma vez deu seu último suspiro pode recuperar sua alma perdida. A Escritura não nos revela nenhum purgatório além do túmulo. A Escritura nos ensina que, uma vez perdidos, estamos perdidos para sempre. Na verdade, o homem descobrirá que não há nada que ele possa dar para comprar de volta e redimir sua alma.

Mas sinto profundamente que argumentos como esses estão muito abaixo do nível do assunto. Ainda não chegou o tempo em que compreenderemos plenamente o valor de uma alma. Devemos olhar muito adiante. Devemos nos colocar na imaginação em uma posição diferente daquela que ocupamos agora, antes de formarmos uma estimativa correta do que estamos considerando. O cego não consegue entender belas paisagens. O surdo não pode apreciar boa música. O homem vivo não pode perceber completamente a incrível importância de um mundo por vir.

Algum leitor deste artigo deseja ter uma vaga ideia do valor de uma alma? Então vá e meça pela opinião de pessoas que estão morrendo. A solenidade da cena que se encerra desnuda os enfeites e pretensões das coisas e faz com que os homens as vejam como realmente são. O que os homens fariam então por suas almas? Já vi algo assim, como ministro cristão. Raramente, muito raramente, encontro pessoas descuidadas e indiferentes sobre o mundo por vir, na hora da morte. O homem, que pode contar boas histórias e cantar boas canções para alegres companheiros, fica muito sério quando começa a sentir que a vida está deixando seu corpo. O infiel que se vangloria em tal época muitas vezes deixa de lado sua infidelidade. Homens, como Paine e Voltaire [3], muitas vezes mostraram que sua alardeada filosofia desmorona quando o túmulo está à vista. Não me diga o que um homem pensa sobre a alma quando está na plenitude da saúde; diga-me o que ele pensa quando o mundo está afundando sob ele e a morte, o julgamento e a eternidade estão à vista. As grandes realidades de nosso ser exigirão então atenção e devem ser consideradas. O valor da alma à luz do tempo é uma coisa, mas visto à luz da eternidade é outra bem diferente. Nunca o homem vivo conhece o valor da alma tão bem como quando está morrendo, e não pode mais se manter o mundo.

Alguém deseja ter uma ideia ainda mais clara do valor da alma? Então vá e avalie pela opinião dos mortos. Leia no capítulo dezesseis de São Lucas a parábola do homem rico e Lázaro. Quando o rico acordou no inferno e em tormentos, o que ele disse a Abraão? "Manda Lázaro à casa de meu pai, porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, para que não venham também para este lugar de tormento". Esse homem rico provavelmente pensou pouco ou nada nas almas dos outros enquanto viveu na terra. Uma vez morto e no lugar do tormento, ele vê as coisas em suas verdadeiras cores. Então ele pensa em seus irmãos e começa a cuidar de sua salvação. Então ele grita: "Mande Lázaro à casa de meu pai. Tenho cinco irmãos. Que ele lhes dê testemunho". Se aquela parábola maravilhosa não fizesse mais nada, nos ensinaria o que os homens pensam quando acordam no outro mundo. Ela levanta uma ponta do véu que paira sobre o mundo vindouro, e nos dá um vislumbre de como os mortos pensam no valor da alma.

Alguém deseja ter a ideia mais clara que pode ser dada do valor da alma? Então vá e meça pelo preço que foi pago por ele há 1800 anos. Que preço enorme e incontável o que foi pago! Nenhum ouro, nenhuma prata, nenhum diamante foi encontrado o suficiente para fornecer redenção: nenhum anjo no céu foi capaz de trazer um resgate. Nada a não ser o sangue de Cristo - nada a não ser a morte do eterno Filho de Deus na cruz, foi considerado suficiente para comprar a libertação do inferno para a alma. Vá ao Calvário em espírito e considere o que aconteceu lá, quando o Senhor Jesus morreu. Veja o bendito Salvador sofrendo na cruz. Observe o que acontece lá quando Ele morrer. Veja como houve trevas por três horas na face da terra. A terra estremece. As pedras estão rasgadas. Os túmulos são abertos. Ouça suas últimas palavras: "Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?". Então veja em toda aquela transação maravilhosa algo que pode lhe dar uma ideia do valor da alma. Nessa cena terrível, testemunhamos o pagamento do único preço que foi considerado suficiente para redimir a alma dos homens.

Todos nós compreenderemos o valor da alma um dia, se não o compreendermos agora. Queira Deus que ninguém que leia este artigo o compreenda tarde demais: um asilo para lunáticos é uma visão lamentável. Dói o coração ver naquele edifício sombrio algum homem, que já teve uma fortuna principesca, mas a desperdiçou, e levou-se à loucura desesperada pela embriaguez; um naufrágio é uma visão lamentável. Fica melancólico ver uma embarcação galante, que outrora "caminhou sobre as águas como uma coisa viva", encalhada numa costa rochosa, com uma tripulação afogada e uma carga dispersa à sua volta na praia. Mas de todas as visões que podem afetar os olhos e entristecer o coração, não conheço nenhuma tão lamentável quanto a visão de um homem arruinando sua própria alma. Não é de admirar que Jesus chorou quando se aproximou de Jerusalém pela última vez. Está escrito que "Ele viu a cidade e chorou por ela!" (Lucas 19. 41). Ele conhecia o valor das almas, se é que os escribas e fariseus não o conheciam. Podemos aprender com essas lágrimas - senão de mais nada - o valor da alma do homem e a quantidade de perda que ele sofrerá se essa alma for rejeitada.

Encarrego cada leitor deste artigo, enquanto é chamado hoje, de abrir os olhos para o valor de sua alma. Alcance a sensação de quão terrível é perder uma alma. Esforce-se para saber a verdadeira preciosidade desse poderoso tesouro confiado a você. O valor de todas as coisas mudará muito em breve. Chegará a hora em que as notas bancárias não valerão mais que papel velho, e o ouro e os diamantes serão como o pó das ruas; quando o palácio do nobre e a cabana do camponês ambos caírem no chão; quando as ações e os fundos ficarem invendáveis, e a graça, a fé e a boa esperança não serão mais subestimadas e desprezadas. Nessa hora você descobrirá, de uma forma que nunca descobriu antes, o valor da alma imortal. A perda de almas será então vista como a maior das perdas, e o ganho de almas o maior dos ganhos. Procure saber o valor da alma agora. Não seja como a rainha egípcia que, em ostentação tola, pegou uma pérola de grande valor, a dissolveu em ácido e depois a bebeu. Não jogue fora, como ela, a "pérola de grande valor" que Deus confiou a você. Uma vez perdida, nenhuma perda pode ser comparada à perda da alma.


IV. A QUARTA e última observação que devo fazer é esta: A ALMA DE QUALQUER HOMEM PODE SER SALVA.

Bendito a Deus porque o Evangelho de Cristo me permite proclamar estas boas novas e proclamá-las livre e incondicionalmente a todos os que lêem estas páginas. Bendito a Deus, pois depois de todas as coisas solenes que tenho dito, posso terminar com uma mensagem de paz. Não poderia suportar a terrível responsabilidade de dizer aos homens que cada um tem uma alma; que qualquer um pode perder sua alma; que a perda da alma é uma perda que nada pode ser compensada; se eu também não pudesse proclamar que a alma de qualquer homem pode ser salva.

Acho possível que esta proclamação possa parecer surpreendente para alguns leitores deste artigo. Lembro-me de uma época em que isso teria soado surpreendente para mim. Mas estou persuadido de que não é nem mais nem menos do que a voz do Evangelho eterno, e não tenho vergonha de torná-lo conhecido a todos os que têm ouvidos para ouvir. Eu digo com ousadia, que há salvação no Evangelho para o principal dos pecadores. Eu digo com confiança, que todo e qualquer um pode ter sua alma salva!

Eu sei que somos todos pecadores por natureza - caídos, culpados, corruptos, cobertos pelo pecado. Eu sei que o Deus com quem temos que lidar é um Ser santíssimo, de olhos puros que não contemplam a iniquidade, e Aquele que não pode olhar para o que é mau. Sei também que o mundo em que está lançada nossa sorte é um mundo difícil para a religião. É um mundo cheio de preocupações e problemas, de descrença e impureza, de oposição e ódio a Deus. É um mundo em que a religião é como um exótico - um mundo que tem uma atmosfera que faz a religião murchar. Mas, apesar de tudo isso, por mais difícil que seja este mundo, santo como Deus é, pecadores como somos por natureza - eu digo que qualquer um pode ser salvo. Qualquer homem ou mulher pode ser salvo da culpa, do poder, das consequências do pecado, e ser encontrado por fim à destra de Deus na glória eterna.

Acho que ouvi algum leitor exclamar: "Como podem ser essas coisas?". Não admira que você faça essa pergunta. Este é o grande nó que os filósofos pagãos nunca puderam desatar. Este é o problema que todos os sábios da Grécia e de Roma não puderam resolver. Esta é a pergunta que nada pode responder, exceto o Evangelho do Senhor Jesus Cristo. Essa resposta do Evangelho, desejo agora apresentar a vocês.

Eu proclamo então, com toda a confiança, que a alma de qualquer um pode ser salva, (1) porque Cristo já morreu uma vez. Jesus Cristo, o Filho de Deus, morreu na cruz para fazer expiação pelos pecados dos homens. “Uma vez Cristo sofreu pelos pecados, o justo pelos injustos, para nos levar a Deus” (1 Pedro 3,18). Cristo carregou nossos pecados em Seu próprio corpo no madeiro, e permitiu que a maldição que todos nós merecíamos caísse sobre Sua cabeça. Cristo, por Sua morte, satisfez a santa lei de Deus que quebramos. Essa morte não era uma morte comum: não era um mero exemplo de abnegação; não foi uma mera morte de um mártir, como foram as mortes de um Ridley, um Latimer ou um Cranmer [4]. A morte de Cristo foi um sacrifício e propiciação pelo pecado de todo o mundo. Foi a morte vicária de um Substituto Todo-Poderoso, Fiador e Representante dos filhos dos homens. Pagou nossa enorme dívida com Deus. Ele abriu o caminho para o céu para todos os crentes. Forneceu uma fonte para todo pecado e impureza. Permitiu que Deus fosse justo e, ainda assim, justificador dos ímpios. Comprou reconciliação com ele. Ele garantiu paz perfeita com Deus para todos os que vêm a Ele por meio de Jesus. As portas da prisão foram abertas quando Jesus morreu. A liberdade foi proclamada a todos os que sentem a escravidão do pecado e desejam ser livres.

Por quem, você acha, passou por todo aquele sofrimento que Jesus suportou no Calvário? Por que o santo Filho de Deus foi tratado como um malfeitor, considerado um transgressor e condenado a uma morte tão cruel? Para quem foram aquelas mãos e pés pregados na cruz? Por quem aquele lado foi furado com a lança? Para quem aquele sangue precioso fluía tão livremente? Por que tudo isso foi feito? Foi feito para você! Isso foi feito para os pecadores - para os ímpios! Foi feito livremente, voluntariamente, não por compulsão; foi por amor aos pecadores e para fazer expiação pelos pecados. Certamente, então, como Cristo morreu pelos ímpios, tenho o direito de proclamar que qualquer um pode ser salvo.

Além disso, proclamo com toda a confiança que qualquer um pode ser salvo, (2) porque Cristo ainda vive. O mesmo Jesus que uma vez morreu pelos pecadores, ainda vive à destra de Deus, para continuar a obra de salvação que Ele desceu do céu para realizar. Ele vive para receber todos os que por Ele se achegam a Deus e para lhes dar poder para se tornarem filhos de Deus. Ele vive para ouvir a confissão de todas as consciências pesadas e conceder, como Sumo Sacerdote todo-poderoso, a absolvição perfeita. Ele vive para derramar o Espírito de adoção, sobre todos os que creem Nele, e para capacitá-los a clamar: Aba, Pai! Ele vive para ser o único Mediador entre Deus e o homem, o Intercessor incansável, o pastor bondoso, o Irmão mais velho, o Advogado prevalecente, o Sacerdote infalível e Amigo de todos os que vêm a Deus por Ele. Ele vive para ser sabedoria, justiça, santificação e redenção para todo o Seu povo - para mantê-los em vida, apoiá-los na morte e levá-los finalmente à glória eterna.

Por quem, você acha, Jesus está sentado à direita de Deus? É para os filhos dos homens. Alto no céu, e rodeado por uma glória indizível. Ele ainda se preocupa com aquela obra poderosa que empreendeu quando nasceu na manjedoura de Belém. Ele não está nem um pouco alterado. Ele está sempre em uma mente. Ele é o mesmo que era quando andou pelas margens do mar da Galileia. Ele é o mesmo que era quando perdoou Saulo, o fariseu, e o enviou para pregar a fé que uma vez destruiu. Ele é o mesmo que era quando recebeu Maria Madalena; chamou Mateus, o publicano; trouxe Zaqueu da árvore; e os fez exemplos do que Sua graça poderia fazer. E Ele não mudou. Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre. Certamente tenho o direito de dizer que qualquer um pode ser salvo, já que Jesus vive.

Mais uma vez, proclamo, com toda a confiança, que qualquer um pode ser salvo, (3) porque as promessas do evangelho de Cristo são completas, gratuitas e incondicionais. “Vinde a Mim”, diz o Salvador, “todos os que estão cansados ​​e oprimidos, e Eu os aliviarei”. “Quem crê no Filho não perecerá, mas terá a vida eterna”. “Quem crê nele não é condenado”. “Aquele que vem até Mim, de maneira nenhuma o lançarei fora”. “Todo aquele que vê o Filho e crê nele pode ter a vida eterna”. “Quem crê em Mim tem a vida eterna”. “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”. “Quem quiser, receba de graça da água da vida” (Mateus 11. 28; João 3. 15, 18; 6. 37, 40, 47; 7. 37; Apocalipse 22. 17).

Para quem, você acha, essas palavras foram ditas? Eles eram destinados apenas aos judeus? Não: para os gentios também! Eles foram feitos para as pessoas nos velhos tempos? Não: para pessoas de todas as idades! Eram destinados apenas à Palestina e à Síria? Não: para todo o mundo - para cada nome, nação, povo e língua! Eles eram destinados apenas aos ricos? Não: tanto para os pobres como para os ricos! Eles foram feitos para alguém muito moral e correto apenas? Não: eles foram feitos para todos; para o maior dos pecadores; para o mais vil dos criminosos; para todos os que os receberem! Certamente, quando recordo essas promessas, tenho o direito de dizer que todos podem ser salvos. Qualquer um que lê essas palavras, e não é salvo, não pode culpar o Evangelho nunca. Se você está perdido, não é porque você não pode ser salvo. Se você está perdido, não é porque não havia perdão para os pecadores, nenhum Mediador, nenhum Sumo Sacerdote, nenhuma fonte livre do pecado e da impureza, nenhuma porta aberta. É porque você quis ter seu próprio caminho, e se apegar aos seus pecados; porque você não quis vir a Cristo, para que em Cristo você pudesse ter vida.

Não faço segredo de meu objetivo ao enviar este volume. O desejo do meu coração e a oração a Deus por você é que sua alma seja salva. Este é o grande objetivo para o qual todo ministro fiel é ordenado. Este é o fim pelo qual pregamos, falamos e escrevemos. Queremos que almas sejam salvas. Eles não sabem o que dizem, que nos acusam de motivos mundanos, e nos dizem que apenas desejamos fazer nossa ordem avançar e promover a arte sacerdotal. Não sabemos nada sobre esses sentimentos. Que Deus perdoe aqueles que colocam essas coisas sob nossa responsabilidade! Trabalhamos por objetos superiores. Queremos que almas sejam salvas! Amamos a Igreja da Inglaterra: sentimos profunda afeição por seu livro de orações, seus artigos, suas homilias, suas formas de adoração a Deus. Mas sentimos uma coisa ainda mais profundamente - queremos que almas sejam salvas. Desejamos arrancar algumas marcas da queima. Desejamos ser os instrumentos de honra na vida de Deus, levando algumas almas ao conhecimento de Jesus Cristo nosso Senhor.


E agora vou concluir este artigo com três palavras de aplicação afetuosa, que peço de coração a Deus que abençoe para o bem espiritual de muitas almas. Não sei nas mãos de quem essas páginas podem cair. Eu atiro com meu arco ao acaso. Eu só posso orar a Deus para que Ele envie uma flecha para algumas consciências, e que muitos que lerem este volume possam colocá-la batendo em seus peitos e dizendo: "O que devo fazer para ser salvo?".

(1) Minha primeira palavra de aplicação será uma palavra de advertência afetuosa. Essa palavra de advertência é curta e simples: não negligencie sua própria alma.

Tenho poucas dúvidas de que este volume cairá nas mãos de alguns que muitas vezes são tentados com ansiedade sobre as coisas desta vida. Você é "cuidadoso e preocupado com muitas coisas". Você parece viver em um turbilhão constante de negócios, pressa e problemas. Você vê ao seu redor milhares que não se importam com nada a não ser o que comerão, o que beberão e o que vestirão. Frequentemente, você fica fortemente tentado a pensar que não adianta tentar praticar nenhuma religião. Eu digo a você, em nome de Deus, resista à tentação. Vem do diabo. Eu digo a você: Nunca se esqueça do que é necessário! Nunca se esqueça de sua alma imortal!

Você pode me dizer, talvez, que os tempos são difíceis. Podem mesmo ser difíceis; mas é meu dever lembrá-lo de que o tempo é curto e logo mudará para a eternidade. Você pode me dizer que precisa viver; mas é meu dever lembrá-lo de que você também deve morrer e estar pronto para encontrar seu Deus. O que devemos pensar de um homem que em tempos de fome alimentou seu cachorro e deixou seu filho morrer de fome? Não deveríamos dizer que ele foi um pai sem coração e antinatural? Bem: tome cuidado para não fazer algo assim sozinho. Não se esqueça da sua alma na ansiedade pelo seu corpo. Na sua preocupação com a vida que agora existe, não se esqueça do que está por vir. Não negligencie sua alma!

O que quer que você tenha sido no passado, eu imploro que chegue a hora de viver como alguém que sente que tem uma alma imortal! Abandone este livro com santa determinação, com a ajuda de Deus, para então "cessar de fazer o mal e aprender a fazer o bem". Não tenha vergonha, de agora em diante, de se preocupar com os interesses de sua alma. Não tenha vergonha de ler sua Bíblia, orar, guardar um dia da semana e ouvir a pregação do Evangelho. Do pecado e da impiedade você pode muito bem se envergonhar. Você nunca precisa ter vergonha de cuidar de sua alma. Deixe os outros rirem, se quiserem: eles não vão rir de você um dia. Aceite pacientemente. Suporte em silêncio. Diga a eles que você já se decidiu e não pretende mudar. Diga a eles que você aprendeu uma coisa, e nada mais: que você tem uma alma preciosa. E diga a eles que você resolveu que, aconteça o que acontecer, você não vai mais negligenciar essa alma.

(2) Minha segunda palavra de aplicação será um convite oficial a todos os que desejam que suas almas sejam salvas. Convido todo leitor deste artigo que sente o valor de sua alma e deseja a salvação a vir a Cristo sem demora e ser salvo. Eu o convido a vir a Cristo pela fé e entregar sua alma a Ele, para que seja libertado da culpa, do poder e das consequências do pecado.

Minha língua não é capaz de dizer, e minha mente está muito fraca para explicar, toda a extensão do amor de Deus pelos pecadores, e da disposição de Cristo de receber e salvar almas. Você não está estreitado em Cristo, mas em si mesmo. Você se engana muito se duvida da prontidão de Cristo para salvar. Sei que não há obstáculos entre essa sua alma e a vida eterna, exceto sua própria vontade. “Há alegria na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” (Lucas 15. 10). Você pode ter ouvido algo sobre as maravilhas dos refrãos nos shows do Crystal Palace. Mas o que é toda essa explosão de harmonia no "Coro de Aleluia", em relação a explosão de alegria que se ouve no céu quando uma alma se volta das trevas para a luz? O que é tudo senão um mero sussurro, comparado à "alegria dos anjos" por um pecador ensinado a ver a loucura do pecado e a buscar a Cristo? Ó, venha e se junte a alegria sem demora!

Se você ama a vida, eu imploro que se apegue a Cristo imediatamente, para que sua alma seja salva. Por que não fazer isso hoje? Por que não unir-se hoje ao Senhor Jesus em uma aliança eterna que não pode ser quebrada? Por que não resolver, antes que amanheça o sol de amanhã, abandonar o serviço do pecado e voltar-se para Cristo? Por que não ir a Cristo neste mesmo dia e lançar sua alma sobre Ele, com todos os seus pecados e toda a sua incredulidade, com todas as suas dúvidas e todos os seus medos? Você é pobre? Busque tesouros no céu e seja rico. Você é velho? Apresse-se, apresse-se para estar pronto para o seu fim e prepare-se para encontrar o seu Deus. Você é jovem? Comece bem e busque em Cristo um amigo que nunca falha, que nunca o abandonará. Você está com problemas, cuidadoso com esta vida? Busque Aquele que só pode te ajudar e carregar seus fardos: busque Aquele que nunca te decepcionará. Quando outros lhe virarem as costas, Jesus Cristo, o Senhor, o levará. Você é um pecador, um grande pecador, um pecador da pior descrição? Tudo será esquecido se você apenas vier a Cristo: Seu sangue limpará todos os pecados. Embora seus pecados sejam escarlates, eles se tornarão brancos como a neve.

Vá então e clame ao Senhor Jesus Cristo. Pense no valor da sua alma e no único meio de salvação. Invoque o Senhor em oração sincera. Faça como o ladrão arrependido fez: abra seu coração diante d'Ele; clame: "Senhor, lembra-te de mim, até de mim". Diga a ele que você vai ter com Ele, porque você ouviu que Ele "recebe pecadores" e porque você é um pecador e deseja ser salvo. Conte a Ele toda a história de sua vida passada. Diga a Ele, se quiser, que você tem sido um incrédulo, um devasso, um violador do dia de descanso, um ímpio, imprudente e um homem mal-humorado. Ele não vai te desprezar. Ele não vai expulsar você. Ele não vai virar as costas para você. Ele nunca quebra o junco machucado nem apaga o linho fumegante. Nenhum homem jamais veio a Ele e foi expulso. Ó, venha a Cristo, e sua alma viverá!

(3) Minha última palavra de aplicação será uma exortação afetuosa a todo leitor deste artigo que descobriu o valor de sua alma e acreditou em Jesus Cristo. Essa exortação deve ser curta e simples. Suplico-lhe que se apegue ao Senhor de todo o coração e avance para o alvo pelo prêmio de sua alta vocação.

Posso muito bem imaginar que você ache seu caminho muito estreito. Existem poucos com você e muitos contra você. Sua sorte na vida pode parecer difícil e sua posição pode ser difícil. Mas ainda apegue-se ao Senhor, e Ele nunca o abandonará. Apegue-se ao Senhor em meio à perseguição. Apegue-se ao Senhor, embora os homens riam de você e zombem de você e tentem envergonhá-lo. Apegue-se ao Senhor, embora a cruz seja pesada e a luta seja dura. Ele não se envergonhou de vocês na cruz do Calvário: então, não se envergonhem Dele na terra, para que Ele não se envergonhe de vocês diante de Seu Pai que está nos céus. Apegue-se ao Senhor e Ele nunca o abandonará. Neste mundo, existem muitas decepções - decepções com propriedades, famílias, casa, terras e situações. Mas nenhum homem ainda se decepcionou com Cristo. Nenhum homem jamais deixou de encontrar a Cristo tudo o que a Bíblia diz que Ele é, e mil vezes melhor do que lhe foi dito antes.

Olhe para frente, olhe para frente e para frente até o fim! Suas melhores coisas ainda estão por vir. O tempo é curto. O fim está se aproximando. Os últimos dias do mundo estão sobre nós. Lute a boa luta. Trabalhe. Esforce-se. Ore. Leia. Trabalhe duro pela prosperidade de sua alma. Trabalhe arduamente pela prosperidade das almas dos outros. Esforce-se para trazer mais alguns com você para o céu, e por todos os meios para salvar alguns. Faça algo, com a ajuda de Deus, para tornar o céu mais cheio e o inferno mais vazio. Fale com aquele jovem ao seu lado e com aquele velho que mora perto de sua casa. Fale com aquele vizinho que nunca vai a um lugar de culto. Fale com aquele parente que nunca lê a Bíblia em particular e zomba de religião séria. Rogai a todos que pensem em suas almas. Implore-lhes que vão e ouçam algo aos domingos que será para o bem deles para a vida eterna. Tente persuadi-los a viver, não como os animais que perecem, mas como homens que desejam ser salvos. Grande é a sua recompensa no céu, se você tentar fazer o bem às almas. Grande é a recompensa de todos os que confessam a Cristo perante os filhos dos homens. As honras deste mundo logo chegarão ao fim para sempre. As recompensas que nossa graciosa Rainha concede são desfrutadas apenas por alguns anos. A "Victoria Cross" [5] não será usada por muito tempo por aqueles bravos soldados que a ganharam com tanta bravura e a merecem tão ricamente. O lugar que os conhece agora em breve não os conhecerá mais: mais alguns anos e eles serão reunidos a seus pais. Mas a coroa que Cristo dá nunca se desvanece. Busque aquela coroa, meu leitor crente. Trabalhe por essa coroa. Isso fará as pazes por tudo que você tem que passar neste mundo turbulento. As recompensas dos soldados de Cristo são para sempre. Sua casa é eterna. Sua glória nunca chega ao fim.

 ~

J. C. Ryle

Old Paths, 1877.



Notas:

[1] Peter Paul Rubens (1577-1640), Ticiano Vecelli, ou Vecellio (1473/1490-1576) - N.T.

[2] Isaac Watts (1674-1748) - N.T.

[3] Thomas Paine (1737-1809), François-Marie Arouet, pseudônimo Voltaire (1694-1778) - N.T.

[4] Nicholas Ridley (1500-1555),  Hugh Latimer (1487-1555), Thomas Cranmer (1489-1556) - N.T.

[5] A Victoria Cross (VC) é o prêmio mais alto e prestigioso do sistema de honras britânico, sendo uma medalha em forma de cruz, instituída pela rainha Vitória em 1859, e destinada a membros das Forças Armadas Britânicas.


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: