ad

Carta de Barnabé - IV

O Anticristo está próximo: evitemos, portanto, os erros judaicos.

Portanto, cabe a nós, que inquirimos muito a respeito dos eventos em curso [1], pesquisar diligentemente as coisas que podem nos salvar. Vamos, então, fugir totalmente de todas as obras de iniquidade, para que não nos apoderem de nós; e odiamos o erro do tempo presente, para que possamos colocar nosso amor no mundo vindouro: não demos as rédeas soltas à nossa alma, para que tenha poder de correr com os pecadores e os ímpios, para que não nos tornemos semelhantes eles. A pedra de tropeço final (ou fonte de perigo) se aproxima, a respeito da qual está escrito, como Enoque [2] diz: “Pois para este fim o Senhor abreviou os tempos e os dias, para que Seu Amado se apressasse; e Ele virá para a herança”. E o profeta também fala assim: “Dez reinos reinarão sobre a terra, e um pequeno rei se levantará depois deles, o qual subjugará sob um três dos reis” [3]. Da mesma maneira, Daniel diz a respeito do mesmo: “E vi o quarto animal, ímpio e poderoso, e mais selvagem do que todos os animais da terra, e como dele brotaram dez chifres, e deles um chifre pequeno que brotava, e como foi subjugado por um dos três grandes chifres” [4]. Vocês devem, portanto, compreender. E isso também eu imploro a vocês, como sendo um de vocês, e amando vocês tanto individual quanto coletivamente mais do que minha própria alma, que prestem atenção agora a si mesmos, e não sejam como alguns, acrescentando amplamente aos seus pecados, e dizendo, “O convênio é deles e nosso” [5]. Mas eles finalmente o perderam, depois que Moisés já o havia recebido. Pois a Escritura diz: “E Moisés jejuou no monte quarenta dias e quarenta noites, e recebeu do Senhor o pacto, tábuas de pedra escritas com o dedo da mão do Senhor” [6]; mas, voltando-se para os ídolos, eles o perderam. Pois o Senhor fala assim a Moisés: “Moisés desce depressa; porque o povo que você tirou da terra do Egito prevaricou” [7]. E Moisés entendeu (o significado de Deus), e lançou as duas tábuas de suas mãos; e sua aliança foi quebrada, para que a aliança do amado Jesus fosse selada em nosso coração, na esperança que emana da fé n'Ele [8]. Ora, desejando escrever a vocês muitas coisas, não como seu mestre, mas como convém a quem lhes ama, cuidei para não deixar de lhes escrever do que eu mesmo possuo, com vista à sua purificação [9]. Prestamos muita atenção [10] nestes últimos dias; pois todo o tempo (passado) de sua fé não servirá para nada, a menos que agora, neste tempo perverso, também resistamos a fontes de perigo que se aproximam, como convém aos filhos de Deus. Para que a Escuridão [11] não encontre meios de entrada, fujamos de toda vaidade, odiemos totalmente as obras do caminho da maldade. Não vivam uma vida solitária, retirando-se à parte, como se já fosse (totalmente) justificado; mas, reunindo-se em um lugar, façam uma investigação comum sobre o que conduz ao seu bem-estar geral. Pois a Escritura diz: “Ai dos que são sábios para consigo mesmos e prudentes em seu próprio conceito!” [12]. Sejamos espirituais: sejamos um templo perfeito para Deus. Tanto quanto em nós mentimos, meditemos no temor de Deus e guardemos Seus mandamentos, para que possamos nos regozijar em Suas ordenanças. O Senhor julgará o mundo sem respeitar as pessoas. Cada um receberá como fez: se for justo, sua justiça o precederá; se ele é mau, a recompensa da maldade está diante dele. Cuidado, para que não descansando à vontade, como aqueles que são chamados (de Deus), caiamos no sono em nossos pecados, e o príncipe ímpio, adquirindo poder sobre nós, nos afaste do reino do Senhor. E atentem ainda mais para isso, meus irmãos, quando refletem e observam que depois de tantos sinais e maravilhas terem sido operados em Israel, eles foram assim (por fim) abandonados. Tenhamos cuidado para que não sejamos encontrados (cumprindo esse ditado), como está escrito: “Muitos são chamados, mas poucos escolhidos” [13].

~

Barnabé

Pais Ante-Nicenos I - Os Pais Apostólicos


Notas:

[1] Ou pode ser traduzido como “coisas presentes”. Cotelerius lê, “de his instantibus”.

[2] O latim diz, "Daniel" em vez de "Enoque"; comparar com Daniel 9. 24–27.

[3] Daniel 7. 24, citado muito vagamente.

[4] Daniel 7. 7, 8, também citado de forma muito imprecisa.

[5] Seguimos aqui o texto latino de preferência ao grego, que diz apenas: “a aliança é nossa”. O que se segue parece mostrar a correção do latim, à medida que o autor passa a negar que os judeus tivessem qualquer interesse nas promessas.

[6] Êxodo 31. 18, Êxodo 34. 28.

[7] Êxodo 32. 7; Deuteronômio 9. 12.

[8] Literalmente, “na esperança de sua fé”.

[9] O grego está aqui incorreto e ininteligível; e como o latim omite a cláusula, nossa tradução é meramente conjectural. O texto de Hilgenfeld, se dermos um significado um tanto peculiar a ἐλλιπεῖν, pode ser traduzido: “mas como é apropriado para aquele que te ama não falhar em lhes dar o que temos, eu, apesar de lhes escorrer, tenho estado ansioso escrever para vocês”. 

[10] Aqui, o Cod. Sin. Hilgenfeld lê, em latim, “Peguemos”.

[11] O latim aqui se afasta inteiramente do texto grego e cita como ditado "o Filho de Deus" o seguinte preceito, que não se encontra em nenhum lugar do Novo Testamento: "Resistamos a toda iniquidade e detenha-a no ódio". Hilgenfeld junta esta cláusula à frase anterior.

[12] Isaías 5. 21.

[13] Uma citação exata de Mateus 20. 16 ou Mateus 22. 14. É digno de nota que este é o primeiro exemplo nos escritos dos Pais de uma citação de qualquer livro do Novo Testamento, precedida pela fórmula autorizada , "está escrito". 


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: