ad

Carta de Barnabé - X

Significado espiritual dos preceitos de Moisés a respeito dos diferentes tipos de alimentos.

Ora, por que Moisés disse: "Não comerá o porco, nem a águia, nem o falcão, nem o corvo, nem qualquer peixe que não tenha escamas?" [1]. Ele abraçou três doutrinas em sua mente (ao fazer isso). Além disso, o Senhor disse-lhes em Deuteronômio: “E estabelecerei minhas ordenanças entre este povo” [2]. Não há, então, uma ordem de Deus (que) eles não devem comer (essas coisas)? Existe, mas Moisés falou com uma referência espiritual [3]. Por isso nomeou os porcos, tanto quanto para dizer: “Não se unirá a homens que se assemelham a porcos”. Pois quando eles vivem no prazer, eles se esquecem de seu Senhor; mas quando eles querem, eles reconhecem o Senhor. E (da mesma maneira) o porco, depois de comer, não reconhece seu dono; mas, quando está com fome, grita e, ao receber comida, fica quieto novamente. “Nem comerá”, diz ele “a águia, nem o falcão, nem a pipa, nem o corvo”. "Não te unirá", ele quer dizer, "a homens que não sabem como obter alimento para si com trabalho e suor, mas se agarram aos de outros em sua iniquidade e, embora exibam um aspecto de simplicidade, estão vigiando para saquear os outros” [4]. Portanto, esses pássaros, enquanto ficam sentados ociosos, perguntam como podem devorar a carne dos outros, provando-se como uma praga (para todos) por sua maldade. “E não comerá”, diz ele, “a lampreia, nem o pólipo, nem a choco”. Ele quer dizer: “Não seja unido e nem semelhante aos homens que são ímpios até o fim e estão condenados [5] à morte”. Da mesma maneira que aqueles peixes, amaldiçoados acima, flutuam nas profundezas, não nadando (na superfície) como os outros, mas fazem sua morada na lama que jaz no fundo. Além disso, “Não deve”, diz ele, “comer a lebre”. Por quê? “Não será corruptor de meninos, nem semelhante a eles” [6]. Porque a lebre multiplica, ano a ano, os locais de sua concepção; por tantos anos quanto vive tantos [7] que tem. Além disso, “Não comerá a hiena”. Ele quer dizer: “Não será adúltero, nem corruptor, nem será semelhante aos que o são”. Por quê? Porque aquele animal muda anualmente de sexo, e uma vez é macho e outra fêmea. Além disso, ele detestou com razão a doninha. Pois ele quer dizer: “Não seja como aqueles de quem ouvimos falar que praticam o mal com a boca [8], por causa de sua impureza; nem seja unido àquelas mulheres impuras que cometem iniquidade com a boca. Pois este animal concebe pela boca”. Moisés então publicou [9] três doutrinas sobre carnes com significado espiritual; mas eles os receberam de acordo com o desejo carnal, como se ele tivesse meramente falado de carnes (literais). Davi, entretanto, compreende o conhecimento das três doutrinas, e fala da mesma maneira: “Bem-aventurado o homem que não tem andado no conselho dos ímpios” [10], assim como os peixes (referidos) vão nas trevas para as profundezas (do mar); “E não se detém no caminho dos pecadores”, tal como aqueles que professam temer ao Senhor, mas se extraviam como porcos; “e não se assenta na roda dos escarnecedores” [11], assim como as aves que espreitam a presa. Tome uma compreensão plena e firme deste conhecimento espiritual [12]. Mas Moisés diz ainda mais: “Comerão todo animal que tem patas fendidas e ruminantes”. O que ele quer dizer? (O animal ruminante o denota) quem, ao receber o alimento, reconhece Aquele que o nutre e, ao ficar satisfeito com Ele [13], fica visivelmente alegre. Bem falou (Moisés), respeitando o mandamento. O que, então, ele quer dizer? Que devemos nos unir àqueles que temem ao Senhor, aqueles que meditam em seu coração no mandamento que receberam, aqueles que proferem os juízos do Senhor e os observam, aqueles que sabem que a meditação é uma obra de alegria, e que ruminam [14] sobre a palavra do Senhor. Mas o que significa o pé fendido? Que o homem justo também anda neste mundo, mas espera o estado santo [15] (por vir). Veja como Moisés legislou bem. Mas como foi possível para eles entender ou compreender essas coisas? Então, entendendo corretamente seus mandamentos [16], os explicamos como o Senhor pretendia. Para este propósito, Ele circuncidou nossos ouvidos e nossos corações, para que pudéssemos entender essas coisas. 

~

Barnabé

Pais Ante-Nicenos I - Os Pais Apostólicos


Notas:

[1] Cod. Sin. possui “parcela”, corrigida, porém, conforme acima. Veja Levítico 11 e Deuteronômio 14.

[2] Deuteronômio 4. 1.

[3] Literalmente, “em espírito”. 

[4] Cod. Sin. insere, “e olham em volta procurando alguma forma de fuga por conta de sua avidez, mesmo que essas aves sozinhas não procurem comida para si (pelo trabalho), mas sentadas à toa, procuram devorar a carne dos outros”. O texto acima parece preferível: Hilgenfeld, entretanto, segue o grego.

[5] Cod. Sin. tem, “já condenados”.

[6] Dressel tem uma nota sobre esta passagem, na qual ele se refere às palavras que traduzimos, “corruptores de meninos”, para aqueles que por suas vidas dissolutas desperdiçam suas fortunas, e assim acarretam a destruição de seus filhos; mas isso não parece satisfatório. Comparar com Clem. Alex. Pædag. II. 10

[7] Deixamos τρύπας sem tradução (Cavidades, ou seja, da concepção).

[8] Cod. Sin. tem, “com o corpo por meio da impureza”, e assim novamente na última cláusula.

[9] Cod. Sin. insere, “tendo recebido”. 

[10] Salmo 1. 1.

[11] Literalmente, “das pestilentas”.

[12] Cod. Sin. lê, “perfeitamente”, em vez de “perfeito”, como a maioria dos manuscritos; mas, de acordo com Dressel, devemos ler, “ter um conhecimento perfeito a respeito da comida”. Hilgenfeld segue o grego.

[13] Ou “repousando sobre Ele”.

[14] Cod. Sin. aqui tem o singular, “aquele que rumina”.

[15] Literalmente, “tempo santo”.

[16] Cod. Sin. insere novamente, “corretamente”. 


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: