ad

Carta de Barnabé - XVI

O templo espiritual de Deus.

Além disso, eu também os direi a respeito do templo, como os miseráveis ​​(judeus), errantes, não confiaram no próprio Deus, mas no templo, como sendo a casa de Deus. Quase à maneira dos gentios, eles O adoraram no templo [1]. Mas aprendam como o Senhor fala, ao aboli-lo: “Quem mediu o céu com uma medida, e a terra com a palma da mão? Não fui Eu?" [2]. “Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono e a terra o meu escabelo: que espécie de casa me edificarão, ou qual é o lugar do meu descanso?” [3]. Vejam que sua esperança é vã. Além disso, Ele novamente diz: “Eis que os que derrubaram este templo, eles o reconstruirão” [4]. Foi o que aconteceu [5]. Pois, ao irem para a guerra, foi destruída por seus inimigos; e agora eles, como servos de seus inimigos, a reconstruirão. Novamente, foi revelado que a cidade, o templo e o povo de Israel seriam abandonados. Pois a Escritura diz: “E acontecerá nos últimos dias que o Senhor entregará à destruição as ovelhas de Seu pasto, e seu aprisco e sua torre” [6]. E assim aconteceu como o Senhor havia falado. Perguntemos, então, se ainda existe um templo de Deus. Lá está - onde Ele mesmo declarou que faria e terminaria. Pois está escrito: “E acontecerá que, completada a semana, o templo de Deus será construído em glória em nome do Senhor” [7]. Acho, portanto, que existe um templo. Aprendam, então, como ele será construído em nome do Senhor. Antes de crermos em Deus, a habitação do nosso coração era corrupta e fraca, como realmente um templo feito por mãos. Pois era cheio de idolatria e era uma habitação de demônios, por fazermos coisas que se opunham (à vontade de) Deus. Mas ele será construído, observem, em nome do Senhor, a fim de que o templo do Senhor seja construído em glória. Como? Aprendam (como segue). Tendo recebido o perdão dos pecados e colocado nossa confiança no nome do Senhor, nos tornamos novas criaturas, formadas novamente desde o início. Portanto, em nossa habitação, Deus verdadeiramente habita em nós. Como? Sua palavra de fé; Seu chamado [8] de promessa; a sabedoria dos estatutos; os comandos da doutrina; Ele mesmo profetizando em nós; Ele mesmo habitando em nós; abrindo, para nós que éramos escravos da morte, as portas do templo, isto é, a boca; e dando-nos o arrependimento nos introduziu no templo incorruptível [9]. Aquele então, que deseja ser salvo, não olha para o homem [10], mas para Aquele que nele habita e fala, maravilhado por nunca tê-lo ouvido proferir tais palavras com sua boca, nem por ele mesmo ter desejado ouvi-los [11]. Este é o templo espiritual construído para o Senhor.

~

Barnabé

Pais Ante-Nicenos I - Os Pais Apostólicos


Notas:

[1] Isto é, “eles adoraram o templo em vez d'Ele”.

[2] Isaías 40. 12.

[3] Isaías 65. 1.

[4] Comparar com Isaías 49. 17 (Septuaginta).

[5] Cod. Sin. omite isso.

[6] Comparar com Isaías 5, Jeremias 25; mas as palavras não ocorrem nas Escrituras.

[7] Daniel 9. 24–27; Ageu 2. 10.

[8] Cod. Sin. lê, “a chamada”.

[9] Cod. Sin. dá as cláusulas desta frase separadamente, cada uma ocupando uma linha.

[10] Isto é, o homem que está empenhado em pregar o Evangelho.

[11] Essa é a pontuação adotada por Hefele, Dressel e Hilgenfeld. 


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: