ad

A Primeira Epístola de Clemente aos Coríntios - XXV

A fênix, um emblema de nossa ressurreição.

Consideremos aquele maravilhoso sinal [da ressurreição] que ocorre nas terras orientais, isto é, na Arábia e nos países vizinhos. Existe um certo pássaro que é chamado de fênix. Este é o único de seu tipo e vive quinhentos anos. E quando se aproxima o tempo de sua dissolução e ele deve morrer, ele constrói um ninho de olíbano, mirra e outras especiarias, no qual, quando o tempo se esgota, ele entra e morre. Mas à medida que a carne se apodrece, um certo tipo de verme é produzido, o qual, sendo nutrido pelos sucos do pássaro morto, dá origem a penas. Então, quando adquiriu força, ele pega aquele ninho em que estão os ossos de seu pai e, levando-os, passa da terra da Arábia para o Egito, para a cidade chamada Heliópolis. E, em dia aberto, voando à vista de todos os homens, ele os coloca no altar do sol e, tendo feito isso, corre de volta para sua residência anterior. Os sacerdotes então inspecionam os registros das datas e descobrem que ele retornou exatamente quando o quingentésimo ano foi completado. [1]

~


Clemente de Roma

Pais Ante-Nicenos I - Os Padres Apostólicos

Notas:

[1] Esta fábula a respeito da fênix é mencionada por Heródoto (II. 73) e por Plínio (Nat. Hist., X, 2) e é usada como acima por Tertuliano (De Resurr, §13) e por outros dos Pais.


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: