Sou brasileiro e…



…não desisto nunca? O que era uma afirmação para mim e tantos outros se tornou uma pergunta. O dito se transformou em uma máxima dado a capacidade do brasileiro em contornar a situação, nunca de forma resoluta, mas suficiente para esbanjar um sorriso no rosto. O problema é que eu e tantos outros não admitimos mais apenas este mínimo como máxima, se é que me entendem.
O que isso quer dizer? Significa que o brasileiro vive buscando a média. Apenas isso. Ao não atingir a média, sofre e corre atrás para alcançar, outra vez, a média. Não é atoa que estamos em posições médias em diversos rankings (alguns importantes inclusive longe das médias), pois parece que se comparar com países médios é o suficiente. Não é possível solucionar isso em um parágrafo ou texto. Dados de 2016 do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), elaborado pela ONU, mostram o Brasil em 79º de 188 países relacionados. O medianismo é um fato registrado. É o suficiente para sorrirmos? A situação caótica que assola a Venezuela, gerando fome e desemprego, a fez cair uma posição no mesmo ranking. Está em 71º. Estaria esse ranking enganado ou já estamos acostumados a viver na desordem?
O brasileiro é bastante plural. Isso não seria ruim para convivência, caso a constituição fosse singular, o que não é. Existem outras sete antes da elaborada em 1988, além de mais de 100 emendas, muitos direitos e poucos deveres. Muitos já pedem uma nova constituição. Seria ruim? Depende. Até hoje, nenhuma delas teve participação aberta do povo. Mas se o povo brasileiro não consegue eleger quem às organize, como irá formular uma nova e melhor que a atual?
(Eu, particularmente, sou a favor da federalização dos estados, ou seja, que todas a unidades da federação sejam autônomos, quer seja nas principais questões (saúde, segurança e educação) quanto no que eu acho fundamental, a economia. Cada estado brasileiro deveria gastar o que arrecada, proibir ou liberar o que bem entender. Não consigo, eu, morador do sul, cobrar o presidente em Brasília. Aqui no meu estado, apenas o governador está ao meu alcance. Pretendo escrever algo sobre isso e comprar com outros países.)
Mas dúvida recai sempre sobre os pequenos detalhes. Por que a árvore caiu no meio da minha rua? Não tem problema, alguém irá retirá-la. Ela voltará a cair? Não importa, alguém irá retirá-la novamente. Bom, é isso, exatamente isso, que devemos evitar. A falta de planejamento. Retrabalho é algo cansativo, custoso. Devemos focar em evitar os estragos, não em sempre consertar. Ter um bom projeto. É disso que não devíamos desistir.
Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: