Da palavra de Deus

Da Palavra de Deusou as Sagradas Escrituras contidas na Bíblia

A Bíblia, ou Sagrada Escritura, disse Lutero, é como um pomar justo e espaçoso, onde crescem todos os tipos de árvores, das quais podemos colher vários frutos; pois na Bíblia temos ricos e preciosos confortos, aprendizados, admoestações, advertências, promessas e ameaças, etc. Não há uma árvore neste pomar em que não tenha batido e sacudido pelo menos duas maçãs ou peras do mesmo.

Provas de que a Bíblia é a Palavra de Deus

Que a Bíblia é a Palavra de Deus, disse Lutero, o mesmo que eu provo como segue. Todas as coisas que existiram e estão agora no mundo, também como agora vai e permanece no mundo, o mesmo foi escrito particularmente no começo, no Primeiro Livro de Moisés a respeito da Criação. E assim como Deus fez e criou, assim assim foi, assim é, e mesmo assim permanece até hoje. E embora o rei Alexandre o Grande, o reino do Egito, o império de Babel, o persa, grego e monarcas romanos, os imperadores Júlio e Augusto, mais ferozmente se enfureceram e incharam contra este livro, para suprimi-lo e destruí-lo, não obstante, eles não podiam prevalecer em nada; todos eles desapareceram e desapareceram; mas este Livro, de tempos em tempos, permaneceu, e permanecerá não removido, de maneira completa e ampla, como foi escrito no princípio. Mas quem manteve e preservou de um poder tão grande e furioso; ou quem ainda defende? Realmente, disse Lutero, nenhuma criatura humana, mas somente e somente o próprio Deus, que é o Mestre certo dela; e é uma grande maravilha que ela tenha sido mantida e preservada por tanto tempo, pois o diabo e o mundo são grandes inimigos para ela. O diabo, sem dúvida, destruiu muitos bons livros na Igreja, como ele erradicou e matou muitos santos, sobre os quais agora não temos conhecimento. Mas, não graças a ele, a Bíblia com a qual ele se esforçou por não se misturar. De maneira semelhante, o batismo, o sacramento e o ofício de pregação permaneceram entre nós contra o poder de muitos tiranos e hereges que se opuseram ao mesmo. Estes nosso Senhor Deus guardou e manteve por sua força especial. Homero, Virgílio e afins são livros antigos e proveitosos; mas, em comparação com a Bíblia, eles não são nada para serem considerados.

Por quem e em que tempos a Bíblia foi traduzida

Duzentos e quarenta e um anos antes da humanidade de Cristo, os Cinco Livros de Moisés, e os Profetas, foram traduzidos do hebraico para a língua grega pelos Intérpretes da Septuaginta, os setenta doutores ou eruditos então em Jerusalém, no tempo de Eleazar, o Sumo Sacerdote, a pedido de Ptolemeus Filadelfo, Rei do Egito, que o rei permitiu grandes encargos e despesas para a tradução do mesmo.
Então, cento e vinte e quatro anos após o nascimento de Cristo, sua morte e paixão, o Antigo Testamento foi traduzido do hebraico para o grego por um judeu, chamado Aquila (sendo convertido à fé cristã), no tempo de Adriano. o Imperador.
Cinquenta e três anos depois de Aquila, a Bíblia também foi traduzida por Teodósio.
No trigésimo ano após Teodósio, foi traduzido por Símaco, sob o governo do imperador Severo.
Oito anos depois de Símaco, a Bíblia também foi traduzida por alguém cujo nome é desconhecido, e o mesmo é chamado de Quinta Tradução.
Posteriormente, a Bíblia foi traduzida por Hieronymus (que primeiro corrigiu e corrigiu os Setenta Intérpretes) do hebraico para a língua latina, cuja tradução usamos até hoje na Igreja. E verdadeiramente, disse Lutero, ele fez o suficiente para um homem.  Nulla enim privata persona tantum efficere potuissetMas ele não tinha errado se ele tivesse levado um ou dois homens sábios à sua tradução além de si mesmo, pois então o Espírito Santo seria mais poderosamente discernido, de acordo com a declaração de Cristo: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, lá estarei no meio deles. ”E, de fato, disse Lutero, tradutores ou intérpretes não devem ficar sozinhos, pois palavras boas e aptas nem sempre se encaixam em um único homem. E enquanto a Bíblia estava na Igreja dos Gentios, nunca foi ainda em tal perfeição, que poderia ter sido lido tão exata e significativamente sem parar, como nós preparamos o mesmo aqui em Wittemberg, e, Deus seja louvado traduzi-o do hebraico para o alto alemão.

Das diferenças entre a Bíblia e outros livros

A Sagrada Escritura, ou a Bíblia, disse Lutero, é cheia de dons e virtudes divinas. Os livros dos pagãos não ensinaram nada sobre fé, esperança e amor; ou melhor, eles não sabiam nada do mesmo; seus livros visavam apenas àquilo que estava presente, àquilo que, com inteligência e compreensão naturais, uma criatura humana era capaz de compreender e se apossar; mas para confiar em Deus e esperar no Senhor, nada foi escrito em seus livros. Nos Salmos e em Jó podemos ver e descobrir como esses dois livros tratam e lidam com a fé, a esperança, a paciência e a oração.
Para ser breve, a Sagrada Escritura, disse Lutero, é o melhor e mais elevado livro de Deus, cheio de conforto em todos os tipos de provações e tentações; pois os ensinamentos de Fé, Esperança e Amor podem ser compreendidos de maneira diferente do que pela razão e compreensão humana. E em tempos de dificuldades e aborrecimentos, ensina como essas virtudes devem brilhar e brilhar; ensina, também, que depois desta pobre e miserável vida há outra que é eterna e eterna.

O que devemos principalmente procurar na Bíbliae como devemos estudar e aprender as Sagradas Escrituras

A principal lição e estudo da Divindade, disse Lutero, é bem e corretamente aprender a conhecer a Cristo, pois ele é muito simpático e familiar para nós. Daqui São Pedro diz: "Cresça no conhecimento de Cristo"; e o próprio Cristo também ensina que devemos aprender a conhecê-lo somente nas Escrituras, onde ele diz: "Examine as Escrituras, porque elas testificam de mim.
Nós não devemos, disse Lutero, medir, censurar e entender as Escrituras de acordo com nosso próprio senso natural e razão, mas devemos diligentemente pela oração meditar nisso, e buscar o mesmo. O diabo e as tentações também nos dão ocasião para aprender e compreender as Escrituras pela experiência e prática. Sem provações e tentações nunca devemos entender nada disso; não, embora tenhamos lido e ouvido o mesmo com diligência. O Espírito Santo deve ser o único mestre e tutor para nos ensinar, e deixar que os jovens e os acadêmicos não se envergonhem de aprender sobre esse tutor. Quando me vejo em tentação, rapidamente me apego e apregoo algum texto da Bíblia que Cristo Jesus coloca diante de mim, a saber, que ele morreu por mim, de onde eu recebi e recebi consolo.

Que devemos ler atentamente os Textos da Bíbliae permanecer em nós como a única Fundação verdadeira

Aquele que tem um bom fundamento, e é um homem-texto substancial, isto é, aquele que está bem fundamentado no Texto, o mesmo acontece com o qual ele certamente pode manter-se em pé, e não corre levemente em erro. E verdadeiramente, disse Lutero, o mesmo é mais necessário para um Divino; pois, com os textos e fundamentos das Sagradas Escrituras, deslumbrou-me, surpreendi e venci todos os meus adversários; porque eles se aproximam sonhador e preguiçosamente; eles ensinam e escrevem de acordo com seu senso natural, razão e compreensão, e eles acham que a Sagrada Escritura é uma coisa leve e simples; como o fariseu, que achava que um negócio logo terminaria quando nosso Salvador Cristo lhe dissesse: “Faça isso e viva.” Os sectários e os espíritos sedutores não entendem nada nas Escrituras; mas com seus livros inconstantes, inconstantes e incertos que eles inventaram, eles se entregam ao erro.
Quem está armado com o Texto, o mesmo é um pastor certo; e meu melhor conselho e conselho é, disse Lutero, que tiremos água da verdadeira fonte, isto é, diligentemente ler na Bíblia. Ele é um Divino instruído que está bem fundamentado no Texto; pois um texto e frase da Bíblia é de muito mais estima e valor do que muitos escritos e referências, que não são fortes, sadios, nem armaduras de prova. Como quando tenho esse texto diante de mim de São Paulo, onde ele diz: “Todas as criaturas de Deus são boas, se forem recebidas com ações de graças”. Esse texto mostra que o que Deus fez é bom. Agora, comer, beber, casar, etc., são feitos por Deus, portanto são bons. Mas as glosas dos Padres Primitivos são contra este texto, pois São Bernardo, Basílio, Dominicus, Hieronymus e outros escreveram muito do mesmo modo. Mas eu prefiro o Texto antes de todos eles, e é muito mais para ser estimado do que todos os seus comentários; todavia, no entanto, em Popedom as glosas dos Padres eram de maior consideração do que o texto claro e claro da Bíblia, através do qual o grande erro muitas vezes é feito às Sagradas Escrituras; pois os bons Padres, como Ambrósio, Basílio e Gregório, muitas vezes escreveram coisas muito frias tocando a Palavra Divina.

Que a Bíblia é a cabeça de todas as artes

Não percamos a Bíblia, disse Lutero, mas com toda a diligência e com o temor de Deus, leia e pregue o mesmo; porque, se isso permanecer, florescer e ensinar, tudo estará em segurança. Ela é a cabeça e a imperatriz de todas as faculdades e artes. Se a Divindade cai, então tudo o que resta além não vale nada.

Da Arte dos Divinos da Escola na Bíblia

A arte dos Divinos da Escola, disse Lutero, com suas especulações nas Sagradas Escrituras, são meros raciocínios vãos e humanos, derivados de sua própria inteligência e compreensão naturais, dos quais eu li muito em Bonaventura, mas ele quase me fez surdo. Eu gostaria de ter aprendido e compreendido daquele livro como Deus e minha alma pecadora haviam se reconciliado juntos; mas disso não havia nada a ser encontrado. Eles falam muito da união da vontade e compreensão, mas tudo é mera fantasia e loucura. A especulação correta e verdadeira é esta: “Creia em Cristo; faça o que você deve fazer em tua vocação ”, etc. Esta é a única prática na Divindade.Além disso, Mystica Theologia Dionysii é uma mera fábula e uma mentira, como as fábulas de Platão. Omnia sunt non enset omnia sunt ens - Tudo é algo, e tudo é nada; e assim ele deixa todos pendurados em tipos frívolos e ociosos.
A verdadeira e reta Divindade consiste na prática, uso e exercício; Sua fundação é Cristo; ela se apega pela fé em sua paixão, morte e ressurreição. Todos aqueles, disse Lutero, que não concordam conosco, e não têm essa doutrina diante de seus olhos, os mesmos fingem para si mesmos, mas apenas uma divindade especulada, de acordo com seu senso e razão carnais, e conforme eles usam para censurar em temporal causas; porque ninguém pode desviá-los dessas opiniões, a saber: “O que faz boas obras e vive um tipo honesto e civil de vida, o mesmo é um cristão correto, e está bem e seguro”, mas elas estão enganadas; porque esta é a verdade: “Todo aquele que teme a Deus e confia nele, certamente também estará bem e a salvo”.
Portanto, disse Lutero, esses divinos especuladores pertencem diretamente ao diabo no inferno. Eles seguem suas próprias opiniões, e com seus cinco sentidos eles são capazes de compreender; e tal é também a divindade de Orígenes. Mas Davi é de outra mente; ele reconhece seus pecados e diz: "Miserere mei Domini ", Deus seja misericordioso comigo pecador. Nas mãos desses divinos sofisticados, Deus dificilmente consegue obter que ele é Deus somente; muito menos ele pode encontrar esse favor deles, que eles devem permitir que apenas ele seja bom e justo; não, muito dificilmente eles vão render que ele é um Deus imortal.

As profundezas da Bíblia

Os sábios do mundo e os grandes, disse Lutero, não entendem a Palavra de Deus; mas Deus revelou aos pobres pessoas desprezadas e simples, como nosso Salvador Cristo testemunhou, onde ele diz: “Eu te dou graças, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e prudentes, e tens revelou-os aos bebês ”, etc.; de onde São Gregório diz bem e com razão, que a Sagrada Escritura é como uma água, em que um “elefante nadou, mas uma ovelhinha neles caiu sobre seus pés”.
Lembro-me de uma fábula, disse Lutero, que se encaixa muito bem para estes tempos e, para esse propósito, discursou antes. Um Leão, disse ele, fazendo uma grande festa, convidou todos os animais para isso, e com eles também convidou os porcos. Agora, quando todos os tipos e tipos de guloseimas eram trazidos e colocados diante dos convidados, os porcos exigiam se os grãos de Brewer pudessem ser consumidos por eles. Mesmo assim, nestes dias é com nossas Epicures; nós, pregadores, trazemos e preparamos diante deles, na Igreja, os pratos mais delicados e caros, como a salvação eterna, a remissão de pecados e a graça de Deus; mas eles, como os porcos, lançam os focinhos e riscam os dólares, coroas e ducados; e, de fato, disse Lutero, “o que uma vaca deveria fazer com a noz-moscada?” Ela preferia se contentar com palha de aveia.
Quando temos a Palavra de Deus pura e clara, então estamos seguros, somos negligentes e não a consideramos, pensamos que sempre assim permanecerá; nós não assistimos e oramos contra o diabo, que está pronto para tirar a Palavra do nosso coração. Acompanha-nos como os viajantes, que, enquanto estiverem no caminho certo, são seguros e descuidados; mas quando se desviam para bosques ou por caminhos, então são cuidadosos com o caminho a seguir, se este ou aquele caminho é o certo: assim estamos seguros pela pura doutrina do Evangelho; estamos com sono e negligentes; nós não estamos no temor de Deus, nem nos defendemos com a oração contra o diabo. Mas aqueles que acham erros são muito ocupados, sim, são muito cuidadosos e diligentes em como manter e manter o mesmo.

Do futuro Desejo de Pregadores retos e verdadeiros da Palavra de Deus

Em pouco tempo, disse Lutero, será essa falta de Pregadores e Ministros íntegros, que as pessoas ficariam felizes em arrancar da terra esses bons e piedosos Professores que agora vivem, se puderem, mas os conseguirão; então eles verão o que fizeram ao molestar e desprezar os pregadores e ministros da Palavra de Deus. Dos médicos e advogados, há o suficiente, se não muitos, para servir o mundo; mas um país precisa de duzentos ministros onde um advogado é suficiente. Meu mais gracioso Senhor, disse Lutero, o Príncipe Eleitor da Saxônia, tem o suficiente de vinte Advogados em todos os seus territórios, mas ele deve ter perto de seis mil Pregadores e Ministros.

Aquele povopor mera intimidadese coloca contra a Palavra de Deus

Se eu soubesse, disse Lutero, quando comecei a escrever, o que vejo agora e descoberto, a saber, que as pessoas tinham sido tão inimigas da Palavra de Deus, e tão ferozmente se colocaram contra a mesma, verdadeiramente me calei; pois eu nunca deveria ter sido tão corajoso a ponto de ter caído sobre o papa e tê-lo irritado e quase todo o mundo cristão com ele. A princípio, pensei que as pessoas tinham pecado de forma ignorante e por fraqueza humana, e não tinham um propósito definido e intencionalmente em tentar suprimir a Palavra de Deus; mas agradou a Deus que me guiasse na boca do canhão, como um bar-cavalo que cega os olhos, e não vê quem corra sobre ele. Mesmo assim, fui puxado pelos cabelos para o ofício de pregação; mas se soubesse o que sei agora, dez cavalos dificilmente me teriam atraído. Moisés e Jeremias também reclamaram que foram enganados.

Do arcebispo de Mentzum dos príncipes espirituais eleitoressua censura da Bíblia

Anno 1530, na Assembléia Imperial em Augsburg, Albertus, Bispo de Mentz, por acaso tinha pego em suas mãos a Bíblia, e pelo espaço de quatro horas continuou lendo nela; Por fim, um de seus concílios entrou repentinamente em sua câmara de dormir, que, vendo a Bíblia na mão do bispo, ficou muito admirado com ela, e disse-lhe: "O que é sua Alteza com esse livro?" Então o arcebispo respondeu-lhe, e disse: “Eu não sei o que este livro é, mas tenho certeza que tudo o que está escrito é contra nós”.

Que a Bíblia é odiada do mundano e dos sofistas

O doutor Ussinger, um frade de Austin, comigo no Mosteiro de Erfurt, disse-me uma vez, ao ver que eu lia e afetava diligentemente a Bíblia: “Irmão Martin, o que é a Bíblia? Deixe-nos ", disse ele," ler os antigos professores e pais, pois eles sugaram o suco e a verdade da Bíblia. A Bíblia é a causa de todas as dissensões e rebeliões ”.
Isso, disse Lutero, é a censura do mundo concernente à Palavra de Deus; portanto, devemos deixá-los correr em seu curso em direção àquele lugar que está preparado para eles.

Dos erros que os sectários têm sobre a Palavra de Deus

Bullinger disse uma vez em meu ouvido, disse Lutero, que ele era sincero contra os sectários, como desprezadores da Palavra de Deus, e também contra aqueles que atribuíam demais à Palavra literal; pois, ele disse, tais pecam contra Deus e seu poder onipotente, como os judeus fizeram ao nomear a arca “Deus”. Mas, disse ele, quem detém um meio entre ambos, o mesmo é ensinado qual é o uso correto do Palavra e sacramentos.
Então, disse Lutero, eu respondi e disse: “Bullinger, você erra: você não conhece a si mesmo nem o que você tem; Eu marquei bem seus truques e falácias. Zuinglius e Œcolampadius também prosseguiram longe demais neste seu significado ímpio; mas quando Brentius resistiu, eles então diminuíram suas opiniões, alegando que eles não rejeitaram a Palavra literal, mas apenas condenaram certos abusos grosseiros. “Por este seu erro,” disse Lutero a Bullinger,“ você cortou em pedaços e separou a Palavra e o Espírito; você separa aqueles que pregam e ensinam a Palavra de Deus que faz o mesmo; tu também separas assim os ministros que batizam de Deus que a ordena; e você pensa que o Espírito Santo é dado e funciona sem a Palavra; Que Palavra, você diz, é um sinal externo e marca que encontra o Espírito, que já e antes possui o coração. De acordo com suas falsidades, de tal modo que se a Palavra não encontra o Espírito, mas uma pessoa ímpia, então não é a Palavra de Deus; pelo qual você define e segura a Palavra, não de acordo com Deus que a fala, mas conforme as pessoas a entretêm e recebem. Você só vai conceder que tal é a Palavra de Deus que purifica e traz paz e vida; mas vendo isto não opera no ímpio, portanto não é a Palavra de Deus. Você ensina que a Palavra exterior é como um objeto ou uma figura, que significa e apresenta algo; você mede seu uso somente de acordo com o assunto, como uma criatura humana fala por si mesmo; você não cederá que a Palavra de Deus é um instrumento pelo qual o Espírito Santo opera e realiza sua obra, e prepara o começo para a justiça ou justificação. Nestes erros você se afogou, de modo que você não vê nem entende a si mesmo.
“Um homem pode se irritar até a morte contra o diabo, que, nos papistas, é um inimigo da Palavra de Deus. O diabo vê e sente que a Palavra exterior e a pregação na Igreja o prejudicam grandemente, por isso ele rasteja e opera esses erros contra os mesmos; mas espero que, em breve, Deus olhe para ele e derrube o diabo com esses sedutores.
“Um verdadeiro cristão”, disse Lutero, “deve ter por certo, e deve dizer, que a Palavra que é entregue e pregada aos ímpios, aos dissimuladores e aos ímpios, é tão boa quanto a Palavra de Deus que é pregada. aos bons e piedosos cristãos retos. Como também, a verdadeira Igreja Cristã está entre os pecadores, onde o bem e o mal se misturam. E essa Palavra, quer produza fruto quer não, é no entanto a força de Deus, que salva todos os que nela acreditam. E também julgará os ímpios, como diz São João no cap. 5., caso contrário, eles poderiam pleitear uma boa desculpa diante de Deus, que nem deveriam ser nem poderiam ser condenados; pois então eles podem realmente alegar que eles não tiveram a Palavra de Deus, e assim, consequentemente, não poderiam receber o mesmo. Mas, ”disse Lutero,“ eu digo, ensino e reconheço que as palavras do pregador, suas purificações e os sacramentos, não são suas palavras nem obras, mas são palavras, obras, purificação, absolvição, amarração, etc. de Deus; somos apenas os instrumentos, cooperadores ou assistentes de Deus, por meio dos quais Deus opera e conclui seu trabalho. Nós,” disse Lutero a Bullinger, “ não suportamos essas suas distinções e diferenças metafísicas e filosóficas, que meramente são distorcidas e marteladas pelo sentido e razão humanos e naturais. Você diz: É um homem que prega, que reprova, que absolve, consola, etc., e que o Espírito Santo opera; você diz, da mesma forma, o Ministro batiza, absolve e administra os sacramentos, mas é Deus que purifica os corações e perdoa os pecados, etc. Oh, não ”, disse Lutero,“ mas concluo assim: o próprio Deus prega, ameaça, repreende, aflige, conforta, absolve, administra os sacramentos, etc. Como nosso Cristo do Salvador, 'O whoeth heareth, heareth mim; e o que desligardes na terra será desligado no céu, etc. Da mesma forma, 'Não és tu quem fala, mas o espírito de teu Pai que fala em ti'”.
“Estou certo e certo”, disse Lutero, “quando subo ao púlpito, ou à catedral, para pregar ou ler, que não é minha palavra que falo, mas minha língua é a caneta de um escritor pronto. como diz o salmista. Deus fala nos profetas e homens de Deus, como São Pedro em sua Epístola diz: "Os santos homens de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo". Portanto, não devemos separar nem separar Deus e o homem de acordo com nossa razão natural e compreensão. De igual modo, todo ouvinte deve concluir e dizer: não ouço São Paulo, São Pedro ou um homem falar; mas ouço o próprio Deus falar, batizar, absolver, excomungar e administrar o santo sacramento da Ceia do Senhor, etc. ”
Bullinger, atentamente dando ouvidos a esse discurso daquele homem santo, Lutero, caiu de cara no chão e proferiu estas palavras: “Oh, feliz seja o tempo que me trouxe aqui para ouvir o discurso divino deste homem de Deus ”(Martinho Lutero),“ um vaso escolhido pelo Senhor para declarar a sua verdade! E agora eu renuncio e renuncio totalmente a estes meus erros anteriores, encontrando-os convencidos e derrotados através da infalível Palavra de Deus que, de sua boca divina ”(Martinho Lutero),“ tocou meu coração e me conquistou para sua glória ”. tinha proferido estas palavras no chão, ele se levantou e cruzou os braços sobre o pescoço de Lutero, ambos derramando lágrimas alegres.
Ah Deus! disse Lutero naquele tempo, que conforto indescritível uma pobre, fraca e dolorosa consciência poderia ter e receber, se pudesse acreditar que tais palavras e confortos eram as palavras e confortos do próprio Deus, como na verdade são; Portanto, concluímos, curto e redondo, que Deus através da Palavra trabalha, que é um instrumento pelo qual somos instruídos a conhecê-lo no coração, como por este presente e feliz exemplo da conversão deste nosso amoroso irmão, Bullinger, nós aparentemente vemos e encontra.
Mas enquanto, disse Lutero, a Palavra não produz fruto em todos os lugares da mesma maneira, mas trabalha de forma diferente, o mesmo é o julgamento de Deus, e sua vontade secreta, que de nós está escondida; não devemos desejar saber disso. Pois “o vento assopra onde quer”, como diz Cristo; não devemos pegar nem procurar o mesmo.
Se, disse Lutero, eu era viciado na Palavra de Deus em todos os momentos iguais, e sempre tive tanto amor e desejo como às vezes eu tenho, então eu deveria me considerar o homem mais abençoado na terra. Mas o apóstolo amoroso de São Paulo falhou também, como ele se queixa com suspiros de coração, dizendo: "Eu vejo outra lei em meus membros, guerreando contra a lei da minha mente", etc. A Palavra deve ser falsa porque não traz? sempre fruta? Verdadeiramente esta arte de determinar e conhecer a Palavra tem estado em grande perigo desde o começo do mundo, e tem sofrido muito: poucas pessoas que podem atingi-la, exceto que Deus, através de seu Espírito Santo, ensina-as em seus corações. Os Sectários não entendem a força da Palavra de Deus. Eu me pergunto, disse Lutero, que eles escrevem e ensinam muito da Palavra de Deus, vendo que eles tão pouco consideram o mesmo.
Fernando, príncipe eleitor da Saxônia, costumava dizer que bem discernira que nada poderia ser proposto pela razão e pelo entendimento humano, fosse ele nunca tão sábio, astuto ou perspicaz, mas que um homem, mesmo com a mesma proposição, pudesse ser capaz de confundi-lo e derrubá-lo; mas a Palavra de Deus apenas permaneceu firme e segura, como uma poderosa muralha que não pode ser maltratada nem abatida.

Quais são os melhores pregadores e os melhores ouvintes

Eu, disse Lutero, considero que esses sejam os melhores Pregadores que ensinam as pessoas comuns e os jovens da maneira mais simples e simples, sem sutileza, palavras feridas ou ampliações. Cristo ensinou o povo através de parábolas simples e simples. Da mesma forma, esses são os melhores Ouvintes que de bom grado ouvem e creem na Palavra de Deus de forma simples e clara, e embora sejam fracos na fé, enquanto não duvidarem da doutrina, devem ser levados adiante; pois Deus pode e suportará com fraqueza se for apenas reconhecido, e que nos arrastamos novamente para a Cruz e oramos a Deus por graça, e nos emendamos.
Davi diz: "Eu os aborreço, que imaginam coisas más, mas a tua lei ama", e mostrará com isso que devemos diligentemente considerar a força da Palavra de Deus, e não a desprezar, como os entusiastas fazem, pois Deus vai lidar conosco por esses meios, e pelo mesmo também funcionará em nós. Portanto, os antigos Padres dizem bem tocar neste ponto, ou seja, que não devemos olhar para a pessoa batizando ou ministrando o Sacramento, mas devemos olhar para a Palavra de Deus.
Nosso Senhor Deus elege de coração, a quem ele revela a sua Palavra, e com isso lhes dá bocas para dizê-lo; preserva e mantém isto, não pela espada, mas através do seu Poder Divino.

Que devemos dirigir todas as nossas ações e vidas de acordo com a Palavra de Deus

Deus, disse Lutero, tem suas linhas de medição e seus cânones, que são chamados os Dez Mandamentos; eles estão escritos em nossa carne e sangue. O conteúdo deles é: “O que você teria feito a si mesmo, o mesmo deveria fazer também ao outro”. Pois Deus pressiona sobre esse ponto, e diz: “Tal medida como tu foste, o mesmo será medido por ti”. novamente. ”Com essa linha de medida, ou medida, Deus marcou o mundo inteiro. Aqueles que vivem e fazem depois, bem, é com eles, porque Deus os recompensa ricamente nesta vida; e um turco ou um pagão também pode participar de tais recompensas como cristão.

Onde a Palavra de Deus é amadahabita em Deus

Sobre estas palavras de Cristo: “Se alguém me ama, guardará a minha Palavra, e meu Pai o amará, e nós nos aproximaremos dele e faremos nossa morada com ele”, digo assim, disse Lutero: Céu e a terra, os castelos e palácios de todos os imperadores, reis e príncipes, não são suficientes para estabelecer uma morada para Deus;ainda assim, em uma criatura humana boba que guarda sua Palavra, ele irá habitar. Isaías chama o céu de seu “assento”, e terra de seu “escabelo”, mas não de sua morada; portanto, quando ansiamos por buscar a Deus, temos a certeza de encontrá-lo com aqueles que ouvem e guardam sua Palavra, como Cristo diz: “Aquele que guarda a minha palavra, eu irei e habitarei com ele”.
Um homem não podia falar de maneira mais simples e infantil do que Cristo, e no entanto ele confundiu toda a sabedoria do mundano. Falar dessa maneira, disse Lutero, não está no sublimised humili genere: se eu deveria ensinar uma criança, eu ensinaria a ele desse tipo: “Aquele que me ama, guardará a minha Palavra.” Aqui vemos que Cristo não diz, abstenha-se da carne, do casamento, da manutenção da casa, etc., como os papistas ensinam, pois isso foi mesmo para convidar o diabo e todos os seus companheiros para uma festa.

Que os verdadeiros e íntegros cristãos estão prontos para sofrer a morte e todos os tipos de tormentos por causa do evangelhomas os hipócritas evitam a cruz

Não muito tempo depois, disse Lutero, eu convidei para minha mesa, em Wittemberg, um hino divino, chamado Matthias de Vai, que me disse que, como ele veio primeiro a ser um pregador na Hungria, ele por acaso caiu com um sacerdote papista. Agora, ele foi acusado pelo sacerdote de um frade que era irmão do Vaivoda, ou governador de Buda, e ambos foram convocados para comparecer diante dele. Aquele que tanto acusava o outro, de tal maneira que o frade não conseguiu reconciliar-se nem retomar a controvérsia entre eles, enfim, e depois de longo debate, o Frade disse: “Eu conheço um caminho para descobrir a verdade desta causa”, e ordenou que dois barris de pólvora fossem colocados no meio da praça de mercado em Buda, e disse às partes: “Aquele que manterá sua doutrina para estar certa, e a verdadeira Palavra de Deus, que se sente sobre um dos estes barris, e eu lhe darei fogo, e aquele que permanecer vivo e não queimado, a sua Doutrina está certa. ”Então Matias de Vai saltou sobre um dos barris e sentou-se ali; mas o sacerdote papista não ia até o outro barril, mas se afastou. Então o Frade disse: “Agora eu vejo e sei que a Fé e Doutrina de Matias de Vai é o certo, e que nossa Religião Papística é falsa”. E então puniu e multou o papista, com seus assistentes, por injustiçar De Vai. em quatro mil ducados húngaros e obrigou-o por um certo tempo a manter cem soldados sob sua responsabilidade; mas ele licenciou Matthias de Vai abertamente para pregar o Evangelho. O próprio Frade, renunciando à sua religião, converteu-se e tornou-se protestante; ao que Lutero disse: "Jamais algum papista queimaria por religião, mas nosso povo vai com alegria ao fogo, como até agora tem sido bem visto nos santos mártires".

Por que Deus preserva a sua Palavra?

Deus manterá sua Palavra, disse Lutero, através da caneta de escrever na terra; os Divines são as cabeças ou penas das canetas, mas os Advogados são os tocos. Se, agora, o mundo não mantiver as cabeças e os espinhos - isto é, se eles não ouvirem os divinos - então eles devem manter os cotos - isto é, eles devem ouvir os advogados, que lhes ensinarão boas maneiras.

Que nas Causas da Religião não devemos julgar de acordo com a Sabedoria humanamas de acordo com a Palavra de Deus

Quando o papa e o imperador, disse Lutero, citaram-me para aparecer em Worms, Anno Domini 1521, na Assembléia Imperial, eles me pressionaram e sinceramente aconselharam-me a remeter a determinação de minha causa a sua Majestade Imperial; mas eu respondi aos três Eleitores espirituais, Maintz, Tryer e Colônia, e disse: “Eu prefiro entregar a Sua Majestade suas cartas de salvo-conduto que ele me deu do que colocar essa causa na determinação de qualquer criatura humana. Ao que meu mestre, o príncipe eleitor da Saxônia, disse também a eles: "Verdadeiramente nenhum homem poderia oferecer mais." Mas como eles ainda insistiram e me incitaram a tocar nesse ponto, eu disse, não ousei presumir, sem grande perigo de me entregar à ira de Deus e da perda da saúde de minha alma, para referir-me a esta Causa, que não é minha, mas a Causa de Deus, para censurar os conselhos terrestres; pois o mesmo, antes de todas as épocas, foi considerado em consulta, foi determinado, censurado, concluído e confirmado pelo grande Conselho dos Céus, para ser e permanecer a Palavra infalível, mais certa e verdadeira da Alta Majestade de Deus; e, portanto, totalmente desnecessário, sim, mais presunçoso agora era, ou receber ou entregá-lo à determinação e censura do senso humano, natural e sagaz, que é sujeito a nada mais do que ao erro, especialmente em Palavra de Deus e assuntos divinos. E eu disse a eles planos e planos, eu preferiria me expor para suportar todos os tormentos que este mundo, a carne e o diabo foram capazes de conceber e preparar do que dar o meu consentimento para isso.

Que nos tempos antigos era perigoso estudar as Sagradas Escrituras

Em tempos passados, como também em parte do nosso tempo, disse Lutero, era perigoso estudar, quando a divindade e todas as boas artes eram desprezadas; e quando bem, especialista e pronto juízo foram atormentados com sofismas. Aristóteles, o pagão, era tão respeitado e honrado, que quem o menosprezava ou contradizia era o de maior herege em Colônia; enquanto eles próprios entendiam não Aristóteles. Os sofistas fizeram muito mais obscurecer Aristóteles do que ilustrá-lo; como o fez Friar, que desperdiçou duas horas inteiras em um sermão sobre a Paixão de Cristo e sobre essa questão: Utrum quantitas realiter distincta sit a substantia - se a quantidade em si fosse dividida da substância? Ele mostrou esse exemplo e disse: “Minha cabeça pode muito bem penetrar, mas a grandeza da minha cabeça não poderia”, de modo que, como um idiota, ele dividiu a cabeça da sua grandeza. Um gramático bobo poderia facilmente ter resolvido o mesmo e dito: A grandeza da cabeça, isto é, a cabeça grande ou grande.
Com essas e outras coisas semelhantes, os cérebros eram problemáticos, disse Lutero, e não foram instruídos nem em boas artes nem em divindade. Antifo, Chusa, Bovillus e outros também foram miseravelmente molestados e atormentados por trazer uma coisa que era redonda em quatro quadrados, e comparar uma linha reta com um torto. Mas nós, Deus, somos louvados, temos agora tempos felizes; e desejava-se que o jovem fizesse bom uso dela e passasse o tempo estudando diligentemente em artes como esta que são verdes e floresçam.

Que os judeus têm melhores professores e escritores das Escrituras Sagradas do que os gentios

Quando leio no Saltério, disse Lutero, admiro muito que Davi tivesse tal espírito. Oh, que pessoas esclarecidas estavam entre os judeus! Este Davi era um homem casado; ele era um rei, um soldado e um pregador; ele estava ocupado em assuntos temporais, no entanto, ele escreveu um livro tão excelente. O Novo Testamento foi escrito também por homens que eram judeus, e os próprios apóstolos eram judeus: Deus significaria, portanto, que deveríamos adorar a sua Palavra, devemos valorizá-la preciosamente, reverenciar e amar o mesmo. Nós, gentios, não temos nenhum livro que reine na Igreja; portanto, não somos comparáveis ​​aos judeus; por isso, é que São Paulo faz uma distinção ou diferença muito boa entre Sara e Agar e os dois filhos, Isaque e Ismael. Agar também era esposa, mas nada semelhante a Sara; portanto, é um grande orgulho, presunção e perseverança do Papa, pois ele, sendo apenas uma criatura humana, presumirá, sem a Escritura, se colocar contra a Escritura, e se exaltará acima do mesmo.

Da queixa de Lutero da multidão de livros

A multidão de livros, disse Lutero, é muito para ser lamentada; nenhuma medida nem fim é realizada por escrito; cada um escreverá livros; alguns por ambição de comprar elogios por meio disso e de levantar nomes; outros por causa do lucro e ganho, e por isso significa muito mais mal. Portanto, a Bíblia, por tantos comentários e livros, será enterrada e obscurecida, de modo que o Texto não será considerado. Eu poderia desejar que todos os meus livros fossem enterrados a nove metros de profundidade no chão, pelo exemplo do mal, pois cada um deles me imitaria escrevendo muitos livros, para assim comprar elogios. Mas Cristo morreu não por causa da nossa ambição e da glória vã, mas ele morreu apenas até o fim de que seu nome fosse santificado.

Que a Palavra de Deus não será verdadeiramente entendida sem Provações e Tentações

Eu, disse Lutero, não aprendi minha divindade em uma única ocasião, mas fui obrigado a procurar cada vez mais fundo, ao qual minhas tentações me trouxeram; pois nenhum homem, sem provações e tentações, pode alcançar a verdadeira compreensão das Sagradas Escrituras. São Paulo tinha um demônio que o espancava com punhos, e com as tentações o levou a estudar diligentemente a Sagrada Escritura. Eu, disse Lutero, havia quebrado e pendurado no pescoço o papa, as universidades, todos os profundos aprendidos, e com eles o próprio diabo; estes me caçavam na Bíblia, onde eu lia diligentemente, e assim, Deus é louvado, finalmente alcancei a verdadeira compreensão do mesmo. Sem tal diabo, somos apenas especuladores da divindade e, de acordo com nosso vã raciocínio, sonhamos que fulano deve ser, como fazem os monges e os frades dos mosteiros. A Sagrada Escritura de si é certa e verdadeira o suficiente; mas Deus me conceda a graça para que eu possa agarrar-me ao uso correto disso; porque quando Satanás disputa comigo desse tipo, ou seja, se Deus é misericordioso comigo ou não? então eu não devo encontrá-lo com este texto: “O que ama a Deus de todo o seu coração, com toda a sua alma e com todas as suas forças, herdará o reino de Deus”, pois o diabo objeta e me aborrece. nos dentes, e diz: "Tu não amaste a Deus de todo o teu coração", etc., o qual, de fato, é verdade, e minha própria consciência testemunha contra mim; mas em tal momento devo armar-me e encontrá-lo com este texto, a saber: “Que Jesus Cristo morreu por mim e, por meio dele, tenho um Deus e Pai misericordioso; Cristo fez expiação por mim ”, como disse São Paulo:“ Ele é de Deus dado a nós por sabedoria, por justiça, por santidade e por redenção ”.
Tiranos, sectários, sedutores e hereges não fazem mais nada além de nos conduzir à Bíblia, para nos fazer ler com mais diligência, e com mais fervor para afiar nossas orações.

Do Conselho do Bispo de Salzburgocomo qualificar a controvérsia entre os protestantes e os papistaspropôs a Lutero pouco antes de sua mortetocando em queLutero discursou como segue:

Na Assembléia Imperial em Augsburgo, no ano de 1530, o Bispo de Salzburgo me disse: “Quatro maneiras e meios existem para fazer uma reconciliação ou união entre nós e vocês protestantes. Uma é que nos rendes a nós. Para isso você diz que não pode. A segunda é que nos rendemos a vós; mas isso não faremos. A terceira é que a parte única, pela força, deve ser obrigada a ceder à outra; mas então uma grande combustão e tumulto podem ser levantados. Portanto, o quarto modo ou meio deveria ser aplaudido e usado, isto é, que agora estando aqui reunidos, a única parte deveria se esforçar para expulsar a outra, e aquela parte que teria a vantagem, e seria a mais forte, a mesma deveria põe a outra parte em um saco e os expulsa. ”Ao que eu, disse Lutero, respondi e disse:“ Isto, de fato, foi um curso muito substancial para estabelecer unidade e paz, maravilhosamente sabiamente considerado, descoberto e exposto por tais um bispo sagrado e cristão, como você é. ”E então eu tirei cartas do meu bolso, que pouco antes de eu ter recebido de Roma, e dei o mesmo para o Bispo ler, que carta relatava uma passagem bonita que caiu Há cinco semanas antes, entre alguns Cardeais e o Louco do Papa, escrito da seguinte forma:
Os referidos cardeais estavam em séria consulta de como e de que maneira os protestantes na Alemanha poderiam ser convencidos a tocar seu erro e a suprimi-lo; mas eles viram a dificuldade disso, em que os protestantes, em seus livros e escritos, poderosamente contra os papistas, citou a Sagrada Escritura, e especialmente eles se opuseram e resistiram a doutrina de São Paulo, que eram grandes blocos no O caminho dos papistas, de modo que eles acharam um negócio não tão fácil de ser realizado. Então disse o Louco aos Cardeais: “Eu sei como dar aqui um conselho, pelo qual você pode facilmente ser libertado e abandonado por São Paulo, para que suas doutrinas não sejam aprovadas; assim: O papa ”, disse o Louco,“ tem poder para fazer santos; portanto, deixe São Paulo ser retirado do número dos apóstolos, e preferiu ser um santo, como então seus dicta, ou provérbios, que estão contra você, nunca mais será mantido para apostólica.”“Esta e sua proposição, ”Disse Lutero ao Bispo,“ são de igual valor ”.
~
Por: Martinho Lutero
De: Table Talk (Tischreden). Edição de 1886, disponível em inglês em Gutenberg.

Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: