Do clero de Roma ao clero de Cártago, sobre a aposentadoria de São Cipriano

O CLERO DE ROMA, COM AS CADEIRAS VAZIAS PELO MARTÍRIO DE SÃO FABIANO, SOUBERA, POR PARENTESCO DE CLEMENTE, TER-SE APOSENTADO SÃO CIPRIANO NA ÉPOCA DA PERSEGUIÇÃO CRIADA POR DÉCIO; E MOVIDO PELO SEU ZELO PELA FÉ, ELE ADVERTE O CLERO DE CÁRTAGO SOBRE A CONDUTA QUE SE SEGUIRIA COM OS LAPSOS E COM AQUELES QUE TIVEREM QUE PERMANECER FIRMES DURANTE A AUSÊNCIA DO PRÓPRIO SANTO.

1. Fomos informados por Crementius, o sub-diácono, que veio até nós de você, que o abençoado pai de Cipriano, por uma certa razão, foi retirado; "fazendo o que ele agiu com razão, porque ele é uma pessoa de eminência, e porque um conflito é iminente", que Deus permitiu no mundo, por uma questão de cooperar com Seus servos em sua luta contra o adversário, e foi além disso, desejando que este conflito mostre aos anjos e aos homens que o vencedor será coroado, enquanto os vencidos em si mesmos receberão a condenação que nos foi manifestada. Visto que, além disso, recai sobre nós que parecem ser colocados no alto, no lugar de um pastor, para vigiar o rebanho; se formos considerados negligentes, nos será dito, como foi dito também aos nossos predecessores, que de tal modo negligentes foram colocados no comando, que "não procuramos aquilo que se perdeu, e não corrigimos errante, e não amarrou o que foi quebrado, mas comeu o seu leite, e se vestiu de lã; e então também o próprio Senhor, cumprindo o que havia sido escrito na lei e nos profetas, ensina, dizendo: "Eu sou o bom pastor que dá a minha vida pelas ovelhas. Mas o mercenário, cujas ovelhas não são, Vê o lobo que vem, e deixa as ovelhas, e foge, e o lobo as espalha. Para Simão também, Ele fala assim: "Amas-me a mim? Ele respondeu: Eu te amo. Ele disse-lhe:" Alimenta as minhas ovelhas ". Sabemos que essa afirmação surgiu da própria circunstância de sua retirada, e o restante dos discípulos fez o mesmo.

2. Portanto, não queremos, queridos irmãos, que sejais encontrados mercenários, mas desejamos que sejais bons pastores, visto que estás ciente de que nenhum perigo ligeiro te ameaça se não exortares nossos irmãos a permanecer firmes na fé. , para que a irmandade não seja absolutamente erradicada, como sendo daqueles que se precipitam na idolatria. Nem é só em palavras que nós vos exortamos a isto; mas você será capaz de descobrir de muitos que vêm a você de nós, que, Deus nos abençoando, nós dois fizemos e ainda fazemos todas essas coisas nós mesmos com toda ansiedade e risco mundano, tendo diante de nossos olhos um pouco o temor de Deus. e sofrimentos eternos que o medo dos homens e um desconforto de curta duração, não abandonando os irmãos, mas exortando-os a permanecerem firmes na fé e a estarem prontos para ir com o Senhor. E até nos lembramos daqueles que estavam subindo para fazer aquilo ao qual estavam constrangidos. A Igreja permanece na fé, apesar de alguns terem sido levados a cair com muito terror, quer fossem pessoas de eminência, quer tenham medo, quando tomados, do medo do homem: estes, contudo, não abandonamos, embora tenham sido separados de nós, mas exortados a exortá-los, a se arrependerem, se de algum modo receberem perdão d'Aquele que é capaz de concedê-lo; teste, por acaso, se eles deveriam ser abandonados por nós, eles deveriam se tornar piores.

3. Vede, pois, irmãos, que também deves fazer o mesmo, para que mesmo os que caíram possam consertar a mente com a vossa exortação; e se eles devem ser confiscados mais uma vez, podem confessar, e assim podem fazer as pazes pelo seu pecado anterior. E há outras questões que são incumbidas em você, que também temos aqui acrescentadas, como se qualquer um que tenha caído nessa tentação comece a ser tomado com doença, e se arrependa do que eles fizeram, e desejem a comunhão, deve de algum modo lhes seja concedido. Ou se você tem viúvas ou pessoas acamadas que são incapazes de se manter, ou aqueles que estão nas prisões ou são excluídos de suas próprias habitações, estes devem em todos os casos ter algum para ministrar a eles. Além disso, os catecúmenos, quando confinados à doença, não devem ser enganados, mas deve-se ajudá-los.

E, por mais importante que seja, se os corpos dos mártires e outros não forem sepultados, um risco considerável é incorrido por aqueles cujo dever é fazer este ofício. Por quem quer que seja, então, e em qualquer ocasião em que este dever possa ter sido realizado, temos a certeza de que ele é considerado um bom servo - como alguém que tem sido fiel no mínimo, e será nomeado governante sobre dez cidades. . Que Deus, porém, que dá todas as coisas àqueles que esperam Nele, nos conceda que todos possamos ser encontrados nestas obras. Os irmãos que estão nos laços os cumprimentam, assim como os anciãos e toda a Igreja, que também com a mais profunda ansiedade vigia todos os que invocam o nome do Senhor. E nós também imploramos a você, por sua vez, que nos tenha em lembrança.

Saiba, além disso, que Bassiano nos procurou; e pedimos a vocês que têm zelo por Deus, que enviem uma cópia desta carta a quem vocês puderem, conforme as ocasiões possam servir, ou criem suas próprias oportunidades, ou enviem uma mensagem, para que eles possam permanecer firmes e firmes no fé. Nós lhe pedimos, amados irmãos, que se despeçam sempre de coração.

~

São Cipriano.

Disponível em Sermon Index (inglês) e em Didaskalikos (espanhol).


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: