O peregrino - V



Agora, quando Cristão seguiu seu caminho, ele chegou a uma pequena subida que foi projetada de propósito para que os peregrinos pudessem ver diante deles: lá em cima, portanto, Cristão foi; e olhando para frente, ele viu Fiel antes dele em sua jornada. Em seguida, disse Christian em voz alta: "Ho, ho! Tão-ho! Ficar, e eu vou ser seu companheiro." Naquele Fiel olhou para trás; a quem Christian gritou: "Fique, fique, até que eu venha até você". Mas Fiel respondeu: "Não, eu estou em minha vida, e o vingador do sangue está atrás de mim".

Neste cristão foi um pouco comovido; e colocando toda a sua força, ele rapidamente se levantou com Fiel, e também o invadiu: então o último foi o primeiro. Então Cristão sorriu com orgulho, porque ele tinha começado o começo de seu irmão; mas, não dando boa atenção a seus pés, ele de repente tropeçou e caiu, e não pôde subir novamente até que Fiel veio para ajudá-lo.

Então eu vi em meu sonho, eles foram muito amorosamente juntos, e conversaram docemente sobre todas as coisas que aconteceram a eles em sua peregrinação; e assim Cristão começou:

Cristão: Meu honrado e bem-amado irmão Fiel, estou contente por tê-lo alcançado e que Deus temperou nossos espíritos para que possamos caminhar como companheiros nesse caminho tão agradável.

Fiel: Eu tinha pensado, querido amigo, ter tido sua companhia completamente da nossa cidade; mas você teve o começo de mim, por isso fui forçado a vir muito do caminho sozinho.

Cristão: Quanto tempo você ficou na Cidade da Destruição antes de partir atrás de mim em sua peregrinação?

Fiel: Até que eu não pudesse mais ficar; pois houve uma grande conversa, logo depois que você saiu, para que nossa cidade, em um curto espaço de tempo, com fogo do céu, fosse queimada até o chão.

Cristão: O que! seus vizinhos falaram assim?

Fiel: Sim, foi por um tempo na boca de todos.

Cristão: O que! e não fez mais deles, mas você sai para escapar do perigo?

Fiel: Embora houvesse, como eu disse, uma grande conversa sobre isso, ainda assim não acho que eles acreditassem firmemente nisso. Pois, no calor da conversa, ouvi alguns deles falarem de forma depreciativa sobre você e sobre sua jornada desesperada; pois assim chamaram esta sua peregrinação. Mas eu creio, e ainda faço, para que o fim de nossa cidade seja com fogo e enxofre de cima; e, portanto, escapei.

Cristão: Você não ouviu falar do vizinho Flexível?

Fiel: Sim, cristão; Ouvi dizer que ele te seguiu até ele chegar ao Lama de Desânimo, onde, como alguns disseram, ele caiu; mas ele não seria conhecido por ter feito isso; mas tenho certeza de que ele estava profundamente envolvido com esse tipo de sujeira.

Cristão: E o que disseram os vizinhos para ele?

Fiel: Desde o seu regresso, ele tem sido muito ridicularizado, e entre todos os tipos de pessoas: alguns zombam e desprezam-no, e é raro que alguém o coloque no trabalho. Ele é agora sete vezes pior do que se nunca tivesse saído da cidade.

Chris. Mas por que eles deveriam ser colocados contra ele, pois eles também desprezam o modo que ele abandonou?

Fiel: "Oh", dizem eles, "enforque-o; ele é um vira-casaca! Ele não era fiel à sua profissão!" Eu acho que Deus despertou até mesmo seus inimigos para assoviarem nele e rir dele, porque ele abandonou o caminho.

Cristão: Você não tinha conversado com ele antes de sair?

Fiel: Encontrei-o uma vez nas ruas, mas ele olhou para o outro lado, como se envergonhasse do que ele fizera; então eu não falo com ele.

Cristão: Bem, na minha primeira saída, eu tinha esperanças daquele homem, mas agora temo que ele pereça na derrubada da cidade. Pois aconteceu com ele de acordo com o verdadeiro provérbio: "O cão voltou a ser o seu vômito, e a porca que foi lavada até ela afundar na lama".

Fiel: Estes são meus medos dele também; mas quem pode impedir aquilo que será?

Cristão: "Bem, vizinho Fiel", disse Cristão, "vamos deixá-lo, e falar de coisas que nos preocupam mais imediatamente Diga-me, agora o que você se encontrou com na maneira como você veio, porque eu sei que você já conheceu com algumas coisas, ou então pode ser escrito para uma maravilha ".

Fiel: Eu escapei do pântano que eu percebi que você caiu, e subi para o portão sem esse perigo; só eu encontrei alguém cujo nome era Wanton, que gostava de me fazer mal.

Cristão: Foi bem que você escapou de sua rede: José foi duro com isso por ela, e ele escapou dela como você fez; mas gostaria de ter lhe custado a vida. Mas o que ela fez com você?

Fiel: Você não pode pensar (mas que você sabe alguma coisa) que língua lisonjeira ela tinha; ela deitou em mim com dificuldade para se afastar com ela, prometendo-me todo o tipo de prazer.

Cristão: Não, ela não prometeu a você o prazer de uma boa consciência.

Fiel: Você sabe o que quero dizer - não o prazer da alma, mas do corpo.

Cristão: Graças a Deus você escapou dela: o abominável do Senhor cairá em sua vala.

Fiel: Não, não sei se escapei totalmente dela ou não.

Cristão: Por que, suponho que você não consentiu com os desejos dela?

Fiel:, não me contaminar; pois me lembrei de um velho escrito que havia visto, que diz: "Seus passos se apoderam do inferno". Então fechei os olhos, porque não ficaria enfeitiçado com sua aparência. Então ela me atacou e eu segui meu caminho.

Cristão: Você não encontrou nenhum outro ataque como veio?

Fiel: Quando cheguei ao sopé da colina chamada Dificuldade, encontrei um homem muito idoso, que me perguntou o que eu era e para onde ia. Eu disse a ele que eu era um peregrino, indo para a Cidade Celestial. Então disse o velho: "Pareces-te como um sujeito honesto: estarás contente em habitar comigo, pelo salário que eu te der?" Então perguntei-lhe seu nome e onde ele morava. Ele disse que seu nome era Adão o Primeiro e que ele morava na cidade de Engano. Perguntei-lhe então qual era o seu trabalho e qual o salário que ele daria. Ele me disse que seu trabalho era muitas delícias; e seu salário, que eu deveria ser seu herdeiro afinal. Eu ainda perguntei a ele que casa ele mantinha, e que outros servos ele tinha. Então ele me disse que sua casa estava cheia de todas as iguarias do mundo e que seus servos eram seus próprios filhos. Então perguntei a ele quantos filhos ele tinha. Ele disse que tinha apenas três filhas, a luxúria da carne, a luxúria dos olhos e o orgulho da vida, e que eu deveria casar com eles se quisesse. Então eu perguntei, quanto tempo ele queria que eu morasse com ele? E ele me disse: Enquanto ele vivesse sozinho.

Cristão: Bem, e que conclusão veio o velho e você finalmente?

Fiel: Por que, no começo, achei-me um tanto inclinado a ir com o homem, pois achei que ele falava muito bem; mas olhando em sua testa, como eu conversaram com ele, eu vi lá escrito: "Coloque-se do homem velho com os seus feitos."

Cristão: E como então?

Fiel: Então veio ardendo em minha mente, o que quer que ele dissesse, e por mais que ele lisonjeasse, quando chegasse em casa, ele me venderia por um escravo. Por isso, lancei-lhe a permissão, pois não chegaria nem perto da porta de sua casa. Então ele me insultou, e me disse que ele iria enviar um tal depois de mim que deveria fazer o meu caminho amargo para a minha alma. Então me virei para me afastar dele; mas, assim que me virei para ir dali, senti-o pegar minha carne e me provocar uma contração mortal que achei que ele havia puxado uma parte de mim: isso me fez chorar: "Miserável homem " Então subi a colina. Agora, quando cheguei na metade do caminho, olhei para trás e vi um atrás de mim, veloz como o vento; então ele me ultrapassou sobre o lugar onde fica o povoado.

Cristão: "Apenas ali", disse Cristão, "sentei-me para descansar, mas, tendo sido superado pelo sono, perdi este rolo do meu peito".

Fiel: Mas, bom irmão, me escute. Tão logo o homem me alcançou, ele foi apenas uma palavra e um golpe; por baixo ele me derrubou e me deitou para morrer. Mas, quando voltei a me surpreender, perguntei por que ele me servia assim. Ele disse, por causa do meu segredo inclinado para Adão o primeiro. E, com isso, ele me deu outro golpe mortal no peito e me derrubou para trás; então eu deitei a seus pés tão morto quanto antes. Então, quando voltei a mim mesmo, clamei-lhe misericórdia; mas ele disse: "Eu não sei como mostrar misericórdia"; e, com isso, ele me derrubou novamente. Ele, sem dúvida, fez um fim para mim, mas aquele Veio veio e pediu que ele fosse tolerante.

Cristão: Quem era aquele que lhe dava abstenção?

Fiel: Eu não o conheci a princípio; mas, quando Ele passou, percebi os buracos em Suas mãos e Seu lado; então concluí que Ele era nosso Senhor. Então subi a colina.

Cristão: Aquele homem que te alcançou foi Moisés. Ele não poupa a ninguém, nem sabe como mostrar misericórdia àqueles que desobedecem a sua lei.

Fiel: Eu sei muito bem: não foi a primeira vez que ele se encontrou comigo. Foi ele que veio até mim quando eu morava em segurança em casa, e isso me dizia que ele queimaria minha casa sobre a minha cabeça se eu ficasse lá.

Cristão: Mas você não viu a casa que estava lá, no topo daquela colina ao lado da qual Moisés conheceu você?

Fiel: Sim, e os leões também, antes de eu chegar lá. Mas, para os leões, acho que estavam dormindo, pois era quase meio-dia; e porque passei tanto tempo na minha frente, passei pelo Porteiro e desci a colina.

Cristão: Ele me disse, de fato, que ele viu você passar; mas eu quis que você tinha chamado para a casa, para que eles teriam que você mostrou tantas raridades, que seria de escassa esqueceu-los para o dia de sua morte. Mas, por favor, me diga, você não encontrou ninguém no Vale da Humildade?

Fiel: Sim, encontrei-me com um Descontente, que de bom grado me convenceu a voltar com ele: sua razão era, pois o vale era totalmente sem honra. Disse-me, além disso, que lá estava o caminho para desobedecer todos os meus amigos, como o orgulho, arrogância, vaidade, glória mundana, com os outros, que ele conhecia, como ele disse, ficariam muito ofendidos se eu me fiz de bobo para atravessar esse vale.

Cristão: Bem, e como você respondeu a ele?

Fiel: Eu disse a ele que, embora todos aqueles que ele chamou possam reclamar de mim, e com razão (pois, de fato, eles eram meus parentes segundo a carne), contudo, desde que me tornei peregrino, eles me rejeitaram, como eu também os rejeitaram; e portanto eles eram para mim agora não mais do que se eles nunca tivessem sido da minha linhagem. Eu disse a ele, além disso, que, quanto a esse vale, ele deturpara muito a coisa; porque antes da honra há humildade e espírito altivo antes da queda. "Portanto", disse eu, "eu preferia passar por este vale para a honra que era tão considerada pelos mais sábios, do que escolher aquilo que ele mais estimava digno de nossas afeições".

Cristão: Conheci você com mais nada nesse vale?

Fiel: Sim, eu me encontrei com a vergonha; mas, de todos os homens que encontrei em minha peregrinação, ele, creio eu, leva o nome errado. Os outros aceitariam "não" como resposta, pelo menos depois de algumas palavras de negação; mas esta vergonha de cara ousada nunca teria feito.

Cristão: Por que, o que ele disse para você?

Fiel: O que? porque, ele se opôs à religião em si. Ele disse que era um negócio lamentável, baixo e furtivo para um homem se importar com a religião. Ele disse que uma consciência terna era uma coisa pouco viril; e que para um homem vigiar suas palavras e caminhos, de modo a se isolar daquela liberdade que os bravos espíritos dos tempos se acostumam, faria dele o ridículo de todas as pessoas do nosso tempo. Ele se opôs também, que apenas alguns dos poderosos, ricos ou sábios eram sempre da minha opinião; nem nenhum deles nem antes de serem persuadidos a ser tolos, arriscar a perda de todos, porque ninguém mais sabe o quê. Ele, além disso, objetou a base e a baixa propriedade e condição daqueles que eram principalmente os peregrinos dos tempos em que viviam; também sua ignorância e falta de compreensão em todo conhecimento mundano. Sim, ele também me segurou nisso, sobre muitas coisas mais do que aqui eu me relaciono; como era uma vergonha sentar-se choramingando e lamentando sob um sermão, e uma pena vir suspirando e gemendo em casa; que era uma pena pedir perdão ao meu vizinho por pequenas falhas, ou para devolver o que eu havia tirado de algum. Ele também disse que a religião fez um homem crescer estranho para a grande, por causa de alguns vícios (que ele chama pelo nomes mais finos), e porque a religião fez ele próprio e respeitar a base, que eram da mesma empresa religiosa; "e não é isso", disse ele, "uma vergonha?"

Cristão: E o que você disse a ele?

Fiel: Dizer? Eu não sabia dizer o que dizer no começo. Sim, ele me colocou de tal forma que meu sangue subiu em meu rosto; até mesmo essa vergonha foi parar e quase me derrotou. Mas finalmente comecei a considerar que aquilo que é altamente estimado entre os homens é abominado com Deus. E eu pensei novamente: Esta vergonha me diz o que os homens são, mas não me diz nada sobre o que é Deus, ou a Palavra de Deus. E eu pensava, além disso, que no dia da desgraça não estaríamos condenados à morte ou vida de acordo com os espíritos do mundo, mas de acordo com a sabedoria e a lei do Altíssimo. Portanto, pensava que o que Deus diz ser o melhor é o melhor, embora todos os homens do mundo sejam contra. Vendo, então, que Deus prefere Sua religião; vendo Deus prefere uma consciência tenra; vendo que os que fazem a si mesmos loucos pelo reino dos céus são os mais sábios, e que o pobre que ama a Cristo é mais rico do que o maior homem do mundo que O odeia; Que pena, parta! tu és um inimigo da minha salvação. Devo ouvir-te contra o meu soberano Senhor? como, então, devo olhá-lo no rosto em sua vinda? Eu deveria agora ter vergonha do seu caminho e servos, como posso esperar a bênção? Mas, na verdade, essa vergonha era um vilão negrito: Eu mal podia agitar-lo fora da minha empresa; sim, ele estaria me assombrando, e continuamente me sussurrando no ouvido com uma ou outra das coisas fracas que atendem à religião. Mas finalmente lhe disse que era inútil tentar mais nesse negócio; pelas coisas que ele menosprezava, naquelas eu via mais glória; e assim, finalmente, passei por essa persistente. E quando eu o sacudi, comecei a cantar

"As provações que aqueles homens se encontram,
Que são obedientes ao chamado celestial,
São múltiplas, e se ajustam à carne,
E vêm, e vêm, e voltam novamente;
Que agora, ou algum outro tempo, nós por eles podemos
Seja levado, vencido e jogado fora.
Oh, deixe os peregrinos, deixem os peregrinos então,
sejam vigilantes e se abandonem como homens!"

Cristão: Estou contente, meu irmão, que resistiu a esse vilão tão corajosamente: para todos, como você diz, acho que ele tem o nome errado; pois ele é tão corajoso a ponto de nos seguir nas ruas, e tentar nos envergonhar diante de todos os homens; isto é, nos envergonhar do que é bom. Mas, se ele não fosse corajoso, ele nunca tentaria fazer o que ele faz. Mas vamos ainda resistir a ele; pois, apesar de todas as suas palavras ousadas, ele promove o tolo e ninguém mais. "Os sábios herdarão a glória", disse Salomão; "mas a vergonha será a promoção dos tolos."

Fiel: Acho que devemos clamar a Ele por ajuda contra a Vergonha, que quer que sejamos corajosos para a verdade sobre a terra.

Cristão: Você diz verdadeiro. Mas você não conheceu mais ninguém naquele vale?

Fiel: Não, não eu; porque eu tive sol o resto do caminho através disso, e também através do Vale da Sombra da Morte.

Cristão: Foi bom para você! Tenho certeza que se saiu bem longe de mim. Eu tive uma longa temporada, assim que quase entrei naquele vale, um terrível combate com o terrível demônio Apoliom; sim, eu achava que ele teria me matado, especialmente quando ele me derrubou, e me esmagou debaixo dele, como se ele tivesse me esmagado em pedaços. Pois, como ele me jogou, minha espada voou da minha mão; não, ele me disse que tinha certeza de mim; e clamei a Deus e ele me ouviu e livrou-me de todas as minhas angústias. Então entrei no Vale da Sombra da Morte e não tinha luz durante quase metade do caminho. Eu pensei que deveria ter sido morto ali de novo e de novo: mas finalmente o dia quebrou, e o sol nasceu, e eu passei pelo que estava atrás com muito mais facilidade e silêncio.

Além disso, vi em meu sonho que, enquanto prosseguiam, Fiel, como por acaso olhava de um lado, viu um homem cujo nome é Tagarela andando a uma distância ao lado deles; pois neste lugar havia espaço suficiente para todos andarem. Ele era um homem alto e algo melhor olhando à distância do que próximo à mão. Para esse homem, Fiel falou dessa maneira:

Fiel: Amigo, para longe? Você está indo para o país celestial?

Tagarela: Eu estou indo para o mesmo lugar.

Fiel: Está bem; então espero que possamos ter sua boa companhia.

Tagarela: Com muito boa vontade, serei seu companheiro.

Fiel: Vamos, então, e vamos juntos, e vamos gastar nosso tempo conversando sobre coisas que são lucrativas.

Tagarela: Para falar de coisas que são boas, para mim é muito aceitável, com você ou com qualquer outra; e fico feliz por ter encontrado aqueles que se inclinam para um trabalho tão bom; pois, para falar a verdade, há poucos que se preocupam em gastar seu tempo como estão em suas viagens, mas escolhem muito mais estar falando de coisas sem lucro; e isso tem sido um problema para mim.

Fiel: Isso é, de fato, uma coisa a ser lamentada; pois que coisas tão dignas do uso da língua e boca dos homens na terra, como são as coisas do Deus do céu?

Tagarela: Eu gosto de você maravilhosamente bem, pois o seu dizer é cheio da verdade; e acrescentarei: Que coisa é tão agradável e que tão proveitosa falar das coisas de Deus? Que coisas tão agradáveis? isto é, se um homem tem algum deleite em coisas que são maravilhosas. Por exemplo, se um homem leva delícia de falar da história ou o mistério das coisas, ou se um homem leva gostam de falar de milagres, maravilhas, ou sinais, onde deve encontrar as coisas escrito de forma encantadora, ou tão docemente escrito, como na Sagrada Escritura?

Fiel: Isso é verdade; mas para ser aproveitado por tais coisas em nossa conversa deve ser o que nós projetamos.

Tagarela: É isso que eu disse; porque falar dessas coisas é mais proveitoso; pois, assim fazendo, um homem pode obter conhecimento de muitas coisas; como da loucura das coisas terrenas e do benefício das coisas acima. Além disso, com isso, um homem pode aprender o que é deixar o pecado, acreditar, orar, sofrer ou coisa parecida; com isto, também, um homem pode aprender quais são as grandes promessas e confortos do Evangelho, para seu próprio prazer. Além disso, um homem pode aprender a responder a falsas opiniões, a provar a verdade e também a ensinar o ignorante.

Fiel: Tudo isso é verdade; e feliz estou de ouvir estas coisas de você.

Tagarela: Ai! a falta disso é a causa de tão poucos compreenderem a necessidade da fé e a necessidade de uma obra da graça em sua alma para a vida eterna.

Fiel: Mas, por sua permissão, o conhecimento celestial destes é o dom de Deus; ninguém alcança a eles por trabalho humano, ou somente pela conversa deles.

Tagarela: Tudo o que sei muito bem, pois um homem nada pode receber senão ser dado a ele do céu; Eu poderia te dar cem escrituras para a confirmação disso.

Fiel: "Bem, então," disse Fiel, "o que é que uma coisa que nós deveríamos encontrar neste momento nossa conversa?"

Tagarela: O que você vai. Eu falarei de coisas celestiais ou coisas terrenas; coisas na vida ou coisas no evangelho; coisas sagradas ou coisas mundanas; coisas passadas ou coisas por vir; coisas estrangeiras ou coisas em casa; coisas necessárias ou coisas acidentais, desde que tudo seja feito para o nosso lucro.

Fiel: Agora os fiéis começaram a se perguntar; e, pisando em Cristão (pois ele andou tudo isso sozinho), ele disse a ele, mas suavemente, "Que companheira corajosa nós temos! Certamente este homem fará um excelente peregrino."

Cristão: A este cristão modestamente sorriu, e disse: "Este homem com quem você está tão enganado enganará com esta língua de seus vinte dos que não o conhecem."

Fiel: Você conhece ele, então?

Cristão: Conhecê-lo? Sim, melhor do que ele mesmo conhece.

Fiel: Reze o que ele é?

Cristão: Seu nome é falador; ele mora em nossa cidade. Eu me pergunto se você deve ser um estranho para ele: só eu considero que nossa cidade é grande.

Fiel: De quem é filho? e onde ele mora?

Cristão: Ele é o filho de um Diga-Bem. Ele morou em Fila de Espera, e é conhecido por todos que estão familiarizados com ele pelo nome de Tagarela de Fila de Espera; e apesar de sua boa língua, ele é apenas um sujeito triste.

Fiel: Bem, ele parece ser um homem muito bonito.

Cristão: Isto é, àqueles que não têm conhecimento profundo com ele, porque ele é o melhor no exterior; perto de casa ele é feio o suficiente. A sua afirmação de que ele é um homem bonito traz à minha mente o que observei no trabalho do pintor, cujas imagens mostram melhor à distância, mas muito mais desagradáveis.

Fiel: Mas eu estou pronto para pensar que você faz, mas brincadeira, porque você sorriu.

Cristão: Deus me livre que eu deveria brincar (embora eu tenha sorrido) neste assunto, ou que eu deveria acusar qualquer falsamente. Eu vou lhe dar mais uma descoberta dele. Este homem é para qualquer empresa e para qualquer conversa. Como ele fala agora com você, ele também falará quando estiver no banco de cerveja; e quanto mais bebida tem em sua coroa, tanto mais tem destas coisas em sua boca. A religião não tem lugar no seu coração, ou casa, ou conversação: tudo o que ele tem na sua língua, e sua religião é fazer um barulho com isso.

Fiel: Te dizer isso? Então eu estou neste homem grandemente enganado.

Cristão: Enganado! você pode ter certeza disso. Lembre-se do provérbio: "Eles dizem e não fazem"; mas o reino de Deus não está em palavra, mas em poder. Ele fala de oração, de se voltar para Deus, de fé e do novo nascimento; mas ele sabe, mas apenas para falar deles. Estive na família dele e o vi em casa e no exterior, e sei que o que digo dele é a verdade. Sua casa é tão vazia de religião quanto o branco de um ovo é de sabor. Não há oração nem sinal de desviar-se do pecado; sim, o bruto, em sua espécie, serve a Deus muito melhor do que ele. Ele é a própria mancha, vergonha e vergonha da religião para todos os que o conhecem. Dificilmente pode haver uma boa palavra em todo aquele fim da cidade onde ele mora, através dele. Assim dizem as pessoas comuns que o conhecem: "Um santo no exterior e um demônio em casa". Sua pobre família acha isso: ele é um localizador de falhas, tão intrigado e tão despropositado com seus servos, que eles nem sabem como fazer ou falar com ele. Dizem aos homens que têm relações com ele que é melhor lidar com um turco do que com ele, pois eles terão mais nas mãos. Este falador, se for possível, irá além deles, enganará, enganará e os excederá. Além disso, ele cria seus filhos para seguir seus passos; e, se ele encontrar em algum deles uma timidez tola (pois assim ele chama a primeira aparição de uma consciência tenra), ele os chama de tolos e tolos, e de maneira alguma os empregará em muito, ou falará ao elogio deles antes dos outros. De minha parte, sou de opinião que, por sua vida iníqua, fez com que muitos tropeçassem e caíssem e, se Deus não o impedisse, seria a ruína de muitos mais.

Fiel: Bem, meu irmão, devo acreditar em você, não só porque você diz que o conhece, mas também porque, como um cristão, você faz seus relatos de homens. Pois não posso pensar que você fala essas coisas de má vontade, mas porque é assim, como você diz.

Cristão: Se eu o conhecesse não mais do que você, talvez pudesse ter pensado nele como no princípio você o fez; sim, se ele tivesse recebido este relatório somente daqueles que são inimigos da religião, eu deveria ter pensado que tinha sido uma calúnia, muito que muitas vezes cai de bocas de homens maus em nomes e profissões de homens bons. Mas todas estas coisas, sim, e muitíssimas mais más, do meu próprio conhecimento, posso provar que ele é culpado. Além disso, os homens bons se envergonham dele: não podem chamá-lo de irmão nem de amigo; o próprio nome dele entre eles os faz corar, se eles o conhecerem.

Fiel: Bem, vejo que dizer e fazer são duas coisas, e daqui em diante observarei melhor a diferença entre elas.

Cristão: São duas coisas, na verdade, e são tão diversas quanto a alma e o corpo; pois, como o corpo sem alma não é senão uma carcaça morta, assim dizer , se estiver só, é também uma carcaça morta. A alma da religião é a parte prática. "A religião pura e imaculada diante de Deus e do Pai é esta, para visitar os órfãos e as viúvas em sua aflição, e para manter-se livre das manchas do mundo." Este, falador não está ciente de: ele acha que ouvir e dizer vai fazer um bom cristão, e assim ele engana sua própria alma. Ouvir é apenas como a sementeira da semente; falar não é suficiente para provar que a fruta está de fato no coração e na vida. E asseguremo-nos de que, no dia da desgraça, os homens serão julgados de acordo com seus frutos.

Fiel: Bem, eu não gostava tanto da companhia dele no começo, mas estou tão cansado disso agora. O que faremos para nos livrarmos dele?

Cristão: Aceite meu conselho e faça o que eu lhe pedir, e você descobrirá que ele logo também ficará doente da sua companhia, a não ser que Deus toque seu coração e o transforme.

Fiel: O que você quer que eu faça?

Cristão: Ora, vá até ele e entre em alguma conversa séria sobre o poder da religião e peça-lhe claramente (quando ele o aprovar, por vontade própria) se essa coisa será estabelecida em seu coração, casa ou conduta.

Fiel: Então Fiel deu um passo à frente novamente, e disse para Tagarela: "Venha, que alegria? Como está agora?"

Tagarela: Obrigado, bem: achei que deveríamos ter conversado muito a essa altura.

Fiel: Bem, se você quiser, cairemos nisso agora; e, desde que você deixou comigo para dizer a questão, que seja: como a graça salvadora de Deus se mostra quando está no coração do homem?

Tagarela: Percebo, então, que nossa conversa deve ser sobre o poder das coisas. Bem, é uma pergunta muito boa, e eu estarei disposto a responder-lhe. E tome minha resposta em breve, assim. Primeiro, onde a graça de Deus está no coração, isso produz um grande clamor contra o pecado. Em segundo lugar,

Fiel: Não, segure; Vamos considerar um de uma vez. Acho que você deveria dizer, mostra-se inclinando a alma a odiar seu pecado.

Tagarela: Por que, que diferença há entre clamar e odiar o pecado?

Fiel: Oh! um bom negócio. Um homem pode clamar contra o pecado para parecer bom; mas ele não pode odiá-lo, exceto por uma verdadeira antipatia por ele. Eu ouvi muitos clamarem contra o pecado no púlpito, que ainda pode suportá-lo bem o suficiente no coração, casa e vida. Alguns clamam contra o pecado, mesmo quando a mãe grita contra seu filho no colo, quando ela o chama de garota malcriada, e depois cai para abraçá-lo e beijá-lo.

Tagarela: Você está tentando me pegar, eu percebo.

Fiel: Não, não eu; Eu sou apenas para acertar as coisas. Mas qual é a segunda coisa pela qual você provaria uma descoberta de uma obra de Deus no coração?

Tagarela: Grande conhecimento de coisas difíceis na Bíblia.

Fiel:. Este sinal deveria ter sido o primeiro; mas, primeiro ou último, também é falso; pois o conhecimento, o grande conhecimento, pode ser obtido nos mistérios do Evangelho, e ainda assim nenhuma obra da graça na alma. Sim, se um homem tiver todo o conhecimento, ele ainda pode ser nada e, consequentemente, não ser filho de Deus. Quando Cristo disse: "Sabeis todas estas coisas?" e os discípulos haviam respondido: "Sim", acrescentou: "Bem-aventurados sois se fizerdes". Ele não estabelece a bênção no conhecimento deles, mas no fazer deles. Pois há um conhecimento que não é atendido: "Aquele que conhece a vontade do seu senhor, e não o faz". Um homem pode conhecer como um anjo, e ainda assim não ser cristão; portanto, seu sinal disso não é verdade. De fato, saber é algo que agrada os faladores e os fanáticos; mas fazer é aquilo que agrada a Deus.

Tagarela: Você está tentando me pegar de novo: isso não é lucrativo.

Fiel: Bem, por favor, nomeie outro sinal de como esta obra da graça se mostra onde está.

Tagarela: Não eu; porque vejo que não concordaremos.

Fiel: Bem, se você não vai, você vai me dar licença para fazer isso?

Tagarela: Você pode dizer o que quiser.

Fiel: A obra de Deus na alma se manifesta tanto para aquele que a tem como para quem a espera. Para aquele que o possui, é mostrado fazendo-o ver e sentir seus próprios pecados. Para outros que estão de pé, é mostrado pela sua vida, uma vida de fazer bem aos olhos de Deus. E agora, senhor, quanto a este breve relato da obra da graça, e também a demonstração disso, se você tem algo a objetar, objetar; se não, me dê licença para fazer uma segunda pergunta.

Tagarela: Não, minha parte não é agora objetar, mas ouvir; Deixe-me, portanto, ter sua segunda pergunta.

Fiel: É isto: você já sentiu seus próprios pecados e se afastou deles? E sua vida e conduta mostram o mesmo? Ou é a sua religião em palavra ou em língua, e não em ação e verdade? Reze, se inclina para me responder sobre este, dizer não mais do que você sabe o Deus acima irá dizer amém para, e também nada, mas o que sua consciência pode aprová-lo em; porque aquele que se recomenda não é aprovado, mas quem o Senhor recomenda. Além disso, para dizer que sou assim e assim, quando minha conduta e todos os meus vizinhos me dizem que minto, é uma grande iniquidade.

Tagarela: Em seguida, o Tagarela começou a corar; mas, recuperando-se, ele respondeu: "Esse tipo de discurso que eu não esperava, nem estou disposto a dar uma resposta a tais perguntas, porque eu não conto para mim, a menos que você tome para você ser um questionador; e embora deva fazê-lo, ainda assim posso me recusar a fazer de você meu juiz. Mas, por favor, me diga por que você me faz essas perguntas? "

Fiel: Porque eu te vi em frente para falar, e porque eu não sabia que você tinha outra coisa além de noção. Além disso, para lhe dizer toda a verdade, ouvi dizer que você é um homem cuja religião reside na conversa e que a sua vida dá a sua profissão de boca a mentira. Eles dizem que você é um lugar entre os cristãos, e que a religião piora pela sua conduta ímpia; que alguns já tropeçaram em seus maus caminhos, e que mais correm o risco de serem destruídos com isso: sua religião, sua cervejaria e sua ganância e impureza, e palavrões, e mentiras, e vão-empresas, etc. , ficaremos juntos. Você é uma vergonha para todos os que são membros da igreja.

Tagarela: Já que você está pronto para pegar relatórios, e julgar tão precipitadamente como você, eu não posso deixar de concluir que você é um homem rabugento ou maltrapilho, que não se encaixa para ser falado; e assim, adeus.

Cristão: Então veio Cristão, e disse a seu irmão: "Eu disse a você como isso aconteceria; suas palavras e seu coração não poderiam concordar. Ele preferia deixar sua companhia do que reformar sua vida. Mas ele se foi, como eu disse: deixe ele vai; a perda não é de outro homem senão dele mesmo: ele nos salvou o trabalho de partir dele, pois continuando (como eu suponho que ele fará) como ele é, ele teria sido apenas um borrão em nossa companhia. , o apóstolo diz: 'De tal retiro'.

Fiel: Mas fico feliz por termos tido essa pequena conversa com ele; pode acontecer que ele pense novamente: no entanto, lidei com ele claramente e, assim, estou livre de seu sangue, se ele perecer.

Cristão: Você fez bem em falar tão claramente a ele como você fez. Há pouco desse fiel que lida com os homens hoje em dia; e isso faz com que a religião seja desprezada por muitos; pois são esses tolos falantes, cuja religião é apenas em palavra, e são vis e vãos em sua vida, que, sendo tão admitidos na comunhão dos piedosos, confundem o mundo, corrompem o cristianismo e entristecem os sinceros. Eu gostaria que todos os homens lidassem com o que você fez; então eles deveriam ser mais adequados à religião, ou a companhia de santos seria muito quente para eles.

Fiel: Então Fiel disse,

"Como Falador a princípio eleva suas plumas!
Com que coragem ele fala! Como ele presume
Dirigir tudo diante de si! Mas tão cedo
quanto Fiel fala de trabalho do coração, como a lua
que passou por completo, em declínio ele vai ;
E assim todos, mas aquele que trabalha com coração, sabe. "
Assim continuaram, falando do que tinham visto pelo caminho, e assim se tornaram fáceis, o que, sem dúvida, teria sido tedioso para eles; por agora eles passaram por um deserto.

~

John Bunyan

O peregrino. Parte I. Capítulo V.
Disponível sob o título The Pilgrim's Progress em Gutenberg.


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: