ad

O convite de Cristo

“Vinde a Mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei”. Mateus 11. 28.


O texto que encabeça este artigo é um que merece ser escrito em letras de ouro. Poucos versículos das Escrituras têm feito mais bem às almas das pessoas do que este velho convite familiar de nosso Senhor Jesus Cristo. Vamos examiná-lo cuidadosamente e ver o que ele contém.

Há quatro pontos no texto que temos diante de nós, para os quais vou pedir atenção. Sobre cada um deles, tenho algo a dizer.


I. Em primeiro lugar: Quem é o Orador deste convite? 

II. Em segundo lugar: A quem este convite é dirigido? 

III. Em terceiro lugar: O que o Orador nos pede para fazer? 

IV. Por último: O que o Orador nos oferece em oferta?


I. Em primeiro lugar, quem é o Orador do convite que encabeça este artigo? Quem é que convida tão livremente e oferece tanto? Quem é este que diz hoje à sua consciência: "Venha, venha a mim"?

Temos o direito de fazer essas perguntas. Vivemos em um mundo mentiroso. A terra está cheia de trapaças, fraudes, enganos, imposições e falsidades. O valor de uma nota promissória depende inteiramente do nome que está assinado na parte inferior. Quando ouvimos falar de um poderoso Prometedor, temos o direito de dizer: Quem é este? E qual é o Seu nome?

O Orador do convite diante de você é o maior e melhor amigo que o homem já teve. É o Senhor Jesus Cristo, o Filho eterno de Deus.

Ele é o Todo-Poderoso. Ele é companheiro de Deus Pai e igual. Ele é verdadeiro Deus de verdadeiro Deus. Por Ele todas as coisas foram feitas. Em Suas mãos estão todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. Ele tem todo o poder no céu e na terra. N'Ele habita toda a plenitude. Ele tem as chaves da morte e do inferno. Ele agora é o Mediador designado entre Deus e o homem - um dia será o Juiz e Rei de toda a terra. Quando alguém como este fala, você pode confiar n'Ele com segurança. O que Ele promete, Ele é capaz de realizar (Zacarias 13. 7; João 1. 3; Colossenses 2. 3, Mateus 28. 18; Colossenses 1. 19; Apocalipse 1. 18).

Ele é o mais amoroso. Ele nos amou tanto que deixou o céu por nossa causa e deixou de lado por algum tempo a glória que tinha com o Pai. Ele nos amou tanto que nasceu de uma mulher por nossa causa e viveu trinta e três anos neste mundo pecaminoso. Ele nos amou tanto que se comprometeu a pagar nossa grande dívida para com Deus e morreu na cruz para fazer expiação por nossos pecados. Quando alguém como este fala, Ele merece ser ouvido. Quando Ele promete algo, você não precisa ter medo de confiar n'Ele.

Ele é aquele que conhece o coração do homem mais profundamente. Ele assumiu um corpo como o nosso e foi feito como o homem em todas as coisas, exceto o pecado. Ele sabe por experiência o que o homem tem que passar. Ele experimentou a pobreza, o cansaço, a fome, a sede, a dor e a tentação. Ele conhece todas as nossas condições na terra. Ele "se deixou ser tentado". Quando alguém como este faz uma oferta, Ele o faz com perfeita sabedoria. Ele sabe exatamente do que você e eu precisamos (Hebreus 2. 18).

Ele é Aquele que nunca quebra Sua palavra. Ele sempre cumpre Suas promessas. Ele nunca deixa de fazer o que se compromete. Ele nunca decepciona a alma que confia n'Ele. Por mais poderoso que seja, há uma coisa que Ele não pode fazer: é impossível que minta (Hebreus 6. 18). Quando Alguém como este faz uma promessa, você não precisa duvidar que Ele a cumprirá. Você pode confiar em Sua palavra.

Você agora ouviu quem envia o convite que está diante de você hoje. É o Senhor Jesus Cristo. Dê a Ele o crédito devido ao Seu nome. Conceda-lhe uma atitude plena e imparcial. Acredite que uma promessa de Sua boca merece sua melhor atenção. Veja que você não recuse Aquele que fala. Está escrito: "Cuide para não rejeitar Aquele que fala. Porque, se não escaparam os que recusaram o que falava na terra, muito mais não fugiremos, se nos afastarmos daquele que fala do céu" (Hebreus 12. 25 - KJL).


II. Vou mostrar-lhe agora, em segundo lugar, a quem se dirige o convite que está diante de você.

O Senhor Jesus Cristo se dirige a "todos os cansados e sobrecarregados". A expressão é profundamente reconfortante e instrutiva. É ampla, extensa e abrangente. Ela descreve o caso de milhões em todas as partes do mundo.

Onde estão os cansados e sobrecarregados? Eles estão em todo lugar. Eles são uma multidão que o homem dificilmente pode contar; eles podem ser encontrados em todos os climas e em todos os países sob o sol. Eles vivem na Europa, na Ásia, na África e na América. Eles moram nas margens do Sena, bem como nas margens do Tamisa - nas margens do Mississippi e também nas margens do Níger. Abundam tanto sob repúblicas quanto sob monarquias - tanto sob governos liberais quanto sob despotismo. Em todos os lugares você encontrará problemas, preocupações, tristeza, ansiedade, murmuração, descontentamento e inquietação. O que isso significa? Aonde tudo isso vai parar? As pessoas estão "cansadas e sobrecarregadas".

A que classe pertencem os cansados e sobrecarregados? Eles pertencem a todas as classes - não há exceção. Eles podem ser encontrados entre os senhores e também entre os servos; entre os ricos e também entre os pobres; entre os reis e também entre os súditos; entre os eruditos e também entre os ignorantes. Em cada classe você encontrará, novamente, dificuldade, preocupação, tristeza, ansiedade, murmuração, descontentamento e inquietação. O que isso significa? Aonde tudo isso vai parar? As pessoas estão "cansadas e sobrecarregadas".

Como vamos explicar isso? Qual é a causa do estado de coisas que acabo de tentar descrever? Deus criou o homem no início para ser infeliz? Certamente que não. Os governos humanos são culpados porque as pessoas não são felizes? No máximo em uma extensão muito pequena. A falha é muito profunda para ser alcançada pelas leis humanas. Existe outra causa, uma causa que muitos infelizmente se recusam a ver. ESSA CAUSA É O PECADO.

O pecado e o afastamento de Deus são as verdadeiras razões pelas quais as pessoas estão em todos os lugares cansadas e sobrecarregadas. O pecado é a doença universal que infecta toda a terra. O pecado trouxe espinhos e cardos no início, e obrigou o homem a ganhar seu pão com o suor de sua testa. O pecado é a razão pela qual "toda a criação geme e está com dores de parto", e "os fundamentos da terra certamente estão destruídos" (Romanos 8. 22; Salmo 82.5). O pecado é a causa de todos os fardos que agora pesam sobre a humanidade. A maioria das pessoas não sabe disso e se cansa em vão de explicar o estado de coisas ao seu redor. Mas o pecado é a grande raiz e fundamento de toda tristeza, seja o que for que o orgulhoso possa pensar. Quantas pessoas deveriam odiar o pecado!

Você é um daqueles que estão cansados e sobrecarregados? Eu acho muito provável que você seja. Estou firmemente convencido de que existem milhares de homens e mulheres no mundo que se sentem desconfortáveis por dentro, mas não o confessam. Eles sentem um peso em seus corações, do qual eles gostariam de se livrar; e ainda assim eles não conhecem o caminho. Eles têm a convicção de que nem tudo está certo em seu homem interior, o que nunca contam a ninguém. Os maridos não contam isso às esposas e as esposas não contam aos maridos; os filhos não contam para os pais e os amigos não contam para os amigos. Mas o fardo interior pesa sobre muitos corações! Há muito mais infelicidade do que o mundo vê. Disfarçados, como alguns estão, há multidões incomodadas porque sabem que não estão preparadas para encontrar Deus. E você, que está lendo este volume, talvez seja um.

Se algum leitor deste artigo está "cansado e sobrecarregado", você é a mesma pessoa a quem o Senhor Jesus Cristo envia um convite neste dia. Se você tem um coração dolorido e uma consciência dolorida; se deseja descanso para uma alma cansada e não sabe onde encontrá-lo; se deseja paz para um coração culpado, e está perdido em que direção tomar; você é o homem, você é a mulher, a quem Jesus fala hoje. Há esperança para você. Eu trago boas notícias. “Vinde a Mim”, diz o Senhor Jesus, “e Eu vos aliviarei”.

Você pode me dizer que este convite não pode ser feito para você, porque você não é bom o suficiente para ser convidado por Cristo. Eu respondo que Jesus não fala aos bons, mas aos "cansados e sobrecarregados". Você conhece alguma coisa desse sentimento? Então você é aquele com quem Ele fala.

Você pode me dizer que o convite não pode ser feito para você, porque você é um pecador e não sabe nada sobre religião. Eu respondo que não importa o que você é, ou o que você foi. Você neste momento se sente "cansado e sobrecarregado"? Então você é aquele com quem Jesus fala.

Você pode me dizer que não acha que o convite é feito para você, porque ainda não se converteu e não tem um novo coração. Eu respondo que o convite de Cristo não é dirigido aos convertidos, mas aos "cansados e sobrecarregados". É isso que você sente? Existe algum fardo em seu coração? Então você é um daqueles a quem Cristo fala.

Você pode me dizer que não tem o direito de aceitar este convite, porque você não sabe se é um dos eleitos de Deus. Eu respondo que você não tem o direito de colocar palavras na boca de Cristo, as quais Ele não usou. Ele não diz: "Vinde a mim, todos os eleitos". Ele se dirige a todos os "cansados e sobrecarregados", sem exceção. És um deles? Existe peso dentro de sua alma? Esta é a única questão que você tem que decidir. Se você é, você é um daqueles a quem Cristo fala.

Se você é um dos "cansados e sobrecarregados", mais uma vez rogo-lhe que não recuse o convite que hoje vos trago. Não abandone suas próprias misericórdias. O porto de refúgio está livremente diante de você - não se afaste dele. O melhor dos amigos estende a mão para você - não deixe que o orgulho, a justiça própria ou o medo do ridículo do homem o façam rejeitar o amor que Ele oferece. Leve-o em sua palavra. Diga a Ele: "Senhor Jesus Cristo, sou um daqueles a quem o Seu convite se encaixa - estou cansado e sobrecarregado. Senhor, o que quer que eu faça?".


III. Mostrarei agora, em terceiro lugar, o que o Senhor Jesus Cristo pede que você faça. Três palavras constituem a soma e o conteúdo do convite que Ele lhe envia hoje. Se você está "cansado e sobrecarregado", Jesus diz: "Vinde a Mim".

Há uma grande simplicidade nas três palavras que agora estão diante de você. Por mais curta e simples que a frase pareça, ela contém uma mina de verdade profunda e conforto sólido. Reflita; olhe para isso; considere; pondere bem. Eu acredito que é metade da salvação no Cristianismo entender o que Jesus quer dizer, quando Ele diz: "Vinde a Mim".

Observe bem, que o Senhor Jesus não ordena aos cansados e sobrecarregados "vão e trabalhem". Essas palavras não trazem conforto para as consciências pesadas: seria como exigir o trabalho de um homem exausto. Não: Ele ordena "Venham!" Ele não diz: "Pague-me o que deve". Essa demanda levaria um coração partido ao desespero: seria como reivindicar uma dívida de um falido arruinado. Não: Ele diz: "Venha!". Ele não diz: "Fique parado e espere". Essa ordem seria apenas uma zombaria: seria como prometer dar remédio no final de uma semana a alguém à beira da morte". Não: Ele diz: "Venha!". Hoje, de uma vez, sem demora, "Venha até mim".

Mas, afinal, o que significa vir a Cristo? É uma expressão frequentemente usada, mas frequentemente mal compreendida. Cuidado para não se enganar neste ponto. Aqui, infelizmente, milhares se desviam do curso certo e perdem a verdade. Cuidado para não naufragar na própria foz do porto.

(a) Observe que vir a Cristo significa algo mais do que vir à igreja e à capela. Você pode ocupar seu lugar regularmente em um lugar de adoração e atender a todos os meios externos de graça, e ainda não ser salvo. Tudo isso não é ir a Cristo.

(b) Observe que vir a Cristo é algo mais do que vir à mesa do Senhor. Você pode ser um membro regular e comungante; você pode nunca estar faltando na lista daqueles que comem aquele pão e bebem aquele vinho, que o Senhor ordenou que fosse recebido, e mesmo assim, você nunca pode ser salvo por isso. Tudo isso não é ir a Cristo.

(c) Observe que vir a Cristo é algo mais do que vir aos ministros. Você pode ser um ouvinte constante de algum pregador popular e um partidário zeloso de todas as suas opiniões, mas nunca será salvo por isso. Tudo isso não é ir a Cristo.

(d) Repare, mais uma vez, que vir a Cristo é algo mais do que vir a possuir o conhecimento intelectual sobre Ele. Você pode conhecer todo o sistema da doutrina evangélica e ser capaz de falar, argumentar e disputar em cada ponto, e ainda assim nunca ser salvo. Tudo isso não é ir a Cristo.

Vir a Cristo é ir a Ele com o coração pela fé simples. Crer em Cristo é ir a Ele, e ir a Cristo é crer n'Ele. É aquele ato da alma que ocorre quando um homem, sentindo seus próprios pecados e desesperando de qualquer outra esperança, se entrega a Cristo para a salvação, se aventura n'Ele, confia n'Ele e se lança inteiramente sobre Ele. Quando um homem se volta para Cristo vazio para que possa ser satisfeito, doente para ser curado, faminto para ser satisfeito, sedento para ser revigorado, necessitado para ser enriquecido, morrendo para ter vida, perdendo para que possa ser salvo, culpado para ser perdoado, contaminado pelo pecado para ser purificado, confessando que somente Cristo pode suprir suas necessidades - então ele vai a Cristo. Quando ele usa Cristo como os judeus usaram a cidade de refúgio, como os egípcios famintos usaram José, como os israelitas moribundos usaram a serpente de bronze - então ele vai a Cristo. É a aventura da alma vazia em um Salvador pleno. É o aperto do homem que está se afogando na mão estendida para ajudá-lo. É a recepção de um medicamento de cura pelo homem doente. Isso, e nada mais do que isso, é ir a Cristo.

Que cada leitor deste artigo aceite, neste ponto, uma palavra de cautela. Cuidado com os erros quanto a este assunto de ir a Cristo. Não pare em nenhuma casa intermediária. Não permita que o diabo e o mundo roubem você da vida eterna. Não suponha que você algum dia obterá algum bem de Cristo, a menos que vá direto, completo e inteiramente ao próprio Cristo. Não confie em um pouco de formalidade externa; não se contente com o uso regular de meios externos. Uma lanterna é uma excelente ajuda em uma noite escura, mas não é um lar. Os meios da graça são ajudas úteis, mas não são Cristo. Ah não! Prossiga para a frente, adiante, para cima, até ter um relacionamento pessoal e sincero com o próprio Cristo.

Cuidado com os erros quanto à maneira de ir a Cristo. Afaste de sua mente para sempre toda ideia de dignidade, mérito e aptidão em você mesmo. Jogue fora todas as noções de bondade, retidão e merecimentos pessoais. Não pense que você pode trazer algo para recomendá-lo, ou para torná-lo merecedor da observação de Cristo. Você deve ir a Ele como um pecador pobre, culpado e indigno, ou não poderá ir de jeito nenhum. "Mas àquele que não trabalha, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça" (Romanos 4. 5). Esta é a marca peculiar da fé que justifica e salva: ela traz a Cristo nada além de uma mão vazia.

Por último, mas não menos importante, que não haja nenhum engano em sua mente quanto ao caráter especial do homem que veio a Cristo e é um verdadeiro cristão. Ele não é um anjo; ele não é um ser meio angelical, em quem não há fraqueza, mancha ou enfermidade: ele não é nada disso. Ele nada mais é do que um pecador que descobriu sua pecaminosidade e aprendeu o bendito segredo de viver pela fé em Cristo. Qual foi a gloriosa companhia dos apóstolos e profetas? Qual foi o nobre exército de mártires? O que foram Isaías, Daniel, Pedro, Tiago, João, Paulo, Policarpo, Crisóstomo, Agostinho, Lutero, Ridley, Latimer, Bunyan, Baxter, Whitefield, Venn, Chalmers, Bickersteth, M'Cheyne? O que eram todos eles, senão pecadores que conheciam e sentiam seus pecados e confiavam apenas em Cristo? O que eram, senão pessoas que aceitaram o convite que hoje vos trago e vieram a Cristo pela fé? Por esta fé eles viveram: por esta fé eles morreram. Em si mesmos e em suas ações, eles não viam nada digno de menção; mas em Cristo viram tudo o que suas almas requeriam.

O convite de Cristo está agora diante de você. Se você nunca ouviu isso antes, ouça hoje. Amplo, completo, gratuito, simples, terno, gentil - esse convite o deixará sem desculpa se você se recusar a aceitá-lo. Talvez haja alguns convites que seja mais sensato e melhor recusar. Há um que sempre deve ser aceito, o qual está diante de você hoje. Jesus Cristo está dizendo: "Venha, venha a Mim".


IV. Vou agora mostrar-lhe, em último lugar, o que o Senhor Jesus Cristo promete dar. Ele não pede aos "cansados e sobrecarregados" que venham a Ele por nada. Ele oferece incentivos graciosos - Ele os atrai com doces ofertas. "Vinde a Mim", diz Ele, "e eu vos aliviarei".

O descanso é uma coisa agradável. Poucos são os homens e mulheres neste mundo fatigado que não conhecem a doçura disso. O homem que trabalhou arduamente com as mãos durante toda a semana, trabalhando em ferro, ou latão, ou pedra, ou madeira, ou barro - cavando, levantando, martelando, cortando - ele conhece o conforto de ir para casa no sábado à noite, e ter um dia de descanso. O homem que trabalhou arduamente com a cabeça o dia todo - escrevendo, copiando, calculando, compondo, maquinando, planejando - ele conhece o conforto de deixar seus papéis de lado e descansar um pouco. Sim! O descanso é uma coisa agradável.

E o descanso é uma das principais ofertas que o Evangelho faz ao homem. "Venha a mim", diz o mundo, "e eu lhe darei riquezas e prazer". "Venha comigo", diz o diabo, "e eu lhe darei grandeza, poder e sabedoria". "Vinde a mim", diz o Senhor Jesus Cristo, "e eu vos aliviarei".

Mas qual é a natureza desse descanso que o Senhor Jesus promete dar? Não é um mero repouso do corpo. Um homem pode ter isso e ainda assim ser infeliz. Você pode colocá-lo em um palácio e cercá-lo com todo o conforto possível. Você pode dar a ele dinheiro em abundância e tudo que o dinheiro pode comprar. Você pode livrá-lo de todas as preocupações com as necessidades corporais de amanhã e eliminar a necessidade de labutar por uma única hora. Tudo isso você pode fazer a um homem e, ainda assim, não dar a ele o verdadeiro descanso. Milhares sabem disso muito bem por meio de experiências amargas. Seus corações estão morrendo de fome em meio à abundância mundana. Seu homem interior está doente e cansado, enquanto seu homem exterior está vestido de púrpura e linho fino, e se alimenta suntuosamente todos os dias! Sim: um homem pode ter casas, terras, dinheiro, cavalos, carruagens, camas macias, boa comida, servos atenciosos, e ainda não ter verdadeiro descanso.

O descanso que Cristo dá é algo interior e espiritual. É descanso de coração, descanso de consciência, descanso de mente, descanso de afeto, descanso de vontade. É o descanso de uma confortável sensação de que os pecados estão todos perdoados e a culpa toda colocada de lado. É o descanso de uma esperança sólida de boas coisas que estão por vir, depositadas além do alcance da doença, da morte e da sepultura. É o descanso do sentimento bem fundamentado; de que o grande objetivo da vida está resolvido, seu grande fim previsto; de que neste tempo tudo estará bem feito e na eternidade o céu será nosso lar.

(a) Descanso como este o Senhor Jesus dá àqueles que vão a Ele, mostrando-lhes Sua própria obra consumada na cruz, vestindo-os com Sua própria justiça perfeita e lavando-os com Seu próprio sangue precioso. Quando um homem começa a ver que o Filho de Deus realmente morreu por seus pecados, sua alma começa a provar algo de quietude e paz interior.

(b) Descanso como este o Senhor Jesus dá àqueles que vão a Ele, revelando-se como seu Sumo Sacerdote eterno no céu, e Deus reconciliado com eles por meio d'Ele. Quando um homem começa a ver que o Filho de Deus realmente vive para interceder por ele, ele começa a sentir algo de quietude e paz interior.

(c) Descanso como este o Senhor Jesus dá àqueles que vão a Ele, implantando Seu Espírito em seus corações, testemunhando com seus espíritos que eles são filhos de Deus, e que as coisas velhas já passaram e todas as coisas se tornaram novas. Quando um homem começa a sentir uma atração interior para Deus como um Pai, e uma sensação de ser um filho adotado e perdoado, sua alma começa a sentir algo de quietude e paz.

(d) Descanso como este o Senhor Jesus dá àqueles que vão a Ele, habitando em seus corações como Rei, colocando todas as coisas em ordem e dando a cada faculdade seu lugar e trabalho. Quando um homem começa a encontrar ordem em seu coração em vez de rebelião e confusão, sua alma começa a compreender algo de quietude e paz. Não há verdadeira felicidade interior, até que o verdadeiro Rei esteja no trono.

(e) Descanso como este é privilégio de todos os crentes em Cristo. Alguns sabem mais e outros menos; alguns o sentem apenas em intervalos distantes, e alguns o sentem quase sempre. Poucos apreciam a sensação disso sem muitas batalhas contra a incredulidade e muitos conflitos com o medo. Mas todos os que realmente vão a Cristo, sabem algo deste descanso. Pergunte a eles, com todas as suas queixas e dúvidas, se eles desistiriam de Cristo e voltariam para o mundo. Você receberá apenas uma resposta. Por mais fracos que sejam seu senso de descanso, eles se apegaram a algo que lhes faz bem e a esse algo que não podem abandonar.

(f) Descanso como este está ao alcance de todos os que desejam buscá-lo e recebê-lo. O pobre não é tão pobre que não possa tê-lo; o homem ignorante não é tão ignorante, mas pode saber disso; o doente não é tão fraco e indefeso que não possa pegá-lo. Fé, fé simples, é a única coisa necessária para possuir o descanso de Cristo. A fé em Cristo é o grande segredo da felicidade. Nem a pobreza, nem a ignorância, nem a tribulação, nem a angústia podem impedir os homens e mulheres de sentirem descanso de alma, se apenas forem a Cristo e crerem.

(g) Descanso como este é a posse que torna as pessoas independentes das mudanças mundanas. Os bancos podem quebrar e o dinheiro criar asas e fugir. Guerra, pestilência e fome podem irromper em uma terra e os alicerces da terra sumirem do curso. A saúde e o vigor podem desaparecer e o corpo ser esmagado por doenças repulsivas. A morte pode destruir esposa, filhos e amigos, até que aquele que antes os desfrutava fique totalmente sozinho. Mas o homem que veio a Cristo pela fé ainda possuirá algo que nunca poderá ser tirado dele. Como Paulo e Silas, ele cantará na prisão. Como Jó, privado de filhos e bens, ele abençoará o nome do Senhor (Atos 16. 25; Jó 1. 21). Ele é o homem verdadeiramente independente que possui aquilo que nada pode tirar.

(h) Descanso como este é a posse que torna as pessoas verdadeiramente ricas. Ele dura; ele perdura. Ilumina a casa solitária. Alisa o travesseiro moribundo. Acompanha as pessoas quando são colocadas em seus caixões. Permanece com eles quando são colocados em seus túmulos. Quando os amigos não podem mais nos ajudar, e o dinheiro não é mais útil; quando os médicos não podem mais aliviar nossa dor e as enfermeiras não podem mais atender às nossas necessidades; quando os sentidos começam a falhar, e os olhos e os ouvidos não podem mais fazer suas dever, então, mesmo então, o "descanso" que Cristo dá será derramado no coração do crente. As palavras "rico" e "pobre" mudarão totalmente de significado um dia. O único homem rico é aquele que veio a Cristo pela fé e de Cristo recebeu descanso.

Este é o descanso que Cristo oferece para todos os que estão “cansados e sobrecarregados”. Este é o descanso para o qual Ele os convida a irem a Ele. Este é o descanso que desejo que desfrutem e para o qual vos trago um convite neste dia. Queira Deus que o convite não seja feito em vão!

(1) Algum leitor deste artigo se sente ignorante do "resto" de que tenho falado? Se sim, o que você aprendeu com sua religião? Você vive em uma terra cristã; você professa e se considera um cristão. Você provavelmente já frequentou um lugar de culto cristão por muitos anos. Você não gostaria de ser chamado de infiel ou pagão. No entanto, todo esse tempo, que benefício você recebeu do seu cristianismo? Que vantagem sólida você obteve com ele? Por tudo que se possa ver, você poderia muito bem ser turco ou judeu.

Aceite o conselho hoje e decida possuir as realidades do Cristianismo assim como o nome, e a substância assim como a forma externa. Não fique contente até que você saiba algo sobre a paz, esperança, alegria e consolo que os cristãos desfrutavam nos tempos antigos. Pergunte a si mesmo qual é a razão de você ser estranho aos sentimentos que os homens e mulheres experimentaram nos dias dos apóstolos. Pergunte-se por que você não “se alegra no Senhor” e sente “paz com Deus”, como os Romanos e Filipenses, a quem Paulo escreveu. Os sentimentos religiosos, sem dúvida, costumam ser enganosos; mas certamente a religião que não produz nenhum sentimento não é a religião do Novo Testamento. A religião que não dá ao homem conforto interior, nunca pode ser uma religião de Deus. Preste atenção a si mesmo. Nunca fique satisfeito até que você saiba algo do "descanso que está em Cristo".

(2) Algum leitor deste artigo deseja descanso da alma, mas não sabe a quem recorrer? Lembre-se hoje, que só existe um lugar onde pode ser encontrado. Os governos não podem dar; a educação não o concederá; divertimentos mundanos não podem supri-lo; o dinheiro não vai comprá-lo. Ela só pode ser encontrada nas mãos de Jesus Cristo: e para a Sua mão você deve se voltar, se quiser encontrar paz interior.

Não existe uma estrada real para o descanso da alma. Que isso nunca seja esquecido. Só existe um caminho para o Pai: Jesus Cristo; uma porta para o céu: Jesus Cristo; e um caminho para a paz do coração: Jesus Cristo. Por esse caminho todos os "cansados e sobrecarregados" devem partir, qualquer que seja sua posição ou condição. Reis em seus palácios e indigentes na casa de trabalho estão todos no mesmo nível neste assunto. Todos igualmente devem ir a Cristo, se se sentirem abatidos e com sede. Todos devem beber da mesma fonte, se desejam aliviar a sede.

Você pode não acreditar no que estou escrevendo agora. O tempo mostrará quem está certo e quem está errado. Continue, se quiser, imaginando que a verdadeira felicidade pode ser encontrada nas coisas boas deste mundo. Busque-a, se quiser, em festas e banquetes, em danças e folia, em corridas e teatros, em esportes e cartas. Procure se quiser, na leitura e nas pesquisas científicas, na música e na pintura, na política e nos negócios. Busque-a, mas você nunca a alcançará, a menos que mude seu plano. O verdadeiro descanso do coração nunca será encontrado, exceto na união do coração com Jesus Cristo.

A princesa Elizabeth, filha de Charles I, está enterrada na igreja de Newport, na Ilha de Wight. Um monumento de mármore, erguido por nossa graciosa Rainha Vitória, registra de maneira comovente a maneira como ela morreu. Ela adoeceu no Castelo Carisbrook durante as infelizes guerras da Commonwealth, uma prisioneira, sozinha e separada de todos os companheiros de sua juventude, até que a morte a libertou. Ela foi encontrada morta um dia com a cabeça apoiada na Bíblia, e a Bíblia aberta com as palavras: "Vinde a mim, todos vós que estais cansados ​​e sobrecarregados, e eu vos aliviarei". O monumento na igreja de Newport registra esse fato. Consiste em uma figura feminina reclinada com a cabeça sobre um livro de mármore, com o texto já citado gravado no livro. Pense no sermão em pedra que esse monumento prega. Pense, que memorial permanente ele oferece da absoluta incapacidade de uma posição social e de nascimento elevado para conferir certa felicidade! Pense no testemunho que isso dá à lição diante de você hoje - a poderosa lição de que não há verdadeiro descanso para ninguém a não ser em Cristo! Feliz será para a sua alma se essa lição nunca for esquecida!

(3) Algum leitor deste artigo deseja possuir o descanso que somente Cristo pode dar e, ainda assim, sente medo de buscá-lo? Suplico-lhe, como amigo de sua alma, que jogue fora esse medo desnecessário. Pois qual seria o motivo de Cristo morrer na cruz, senão para salvar pecadores? Por qual motivo Ele se senta à destra de Deus, senão para receber e interceder pelos pecadores? Quando Cristo o convida tão claramente e promete tão livremente, por que você deveria roubar sua própria alma e se recusar a ir a Ele?

Quem, entre todos os leitores deste jornal, deseja ser salvo por Cristo e ainda não é salvo no momento? Venha, eu te imploro: venha a Cristo sem demora. Embora você tenha sido um grande pecador, VENHA! Embora você tenha resistido a advertências, conselhos e sermões, VENHA! Embora você tenha pecado contra a luz e o conhecimento, contra o conselho de um pai e as lágrimas de uma mãe, VENHA! Embora você tenha mergulhado em todo excesso de maldade e vivido sem oração, VENHA! A porta não está fechada, a fonte ainda não está fechada. Jesus Cristo te convida. É suficiente que você se sinta cansado e sobrecarregado, e deseje ser salvo. VENHA: VENHA PARA CRISTO SEM DEMORA!

Venha a Ele pela fé e abra seu coração diante d'Ele em oração. Conte a Ele toda a história de sua vida e peça a Ele para recebê-lo. Clame a Ele como o ladrão arrependido fez, quando o viu na cruz. Diga a Ele: "Senhor, salva-me também! Senhor, lembra-te de mim!". VENHA: VENHA PARA CRISTO SEM DEMORA!

Se você ainda não chegou a este ponto, você deve finalmente chegar, se pretende ser salvo. Você deve suplicar a Cristo como um pecador; você deve ter contato pessoal com o grande Médico e solicitar a Ele a cura. Por que não fazer isso de uma vez? Por que não aceitar hoje mesmo o grande convite? Mais uma vez, repito minha exortação. VENHA: VENHA PARA CRISTO SEM DEMORA!

(4) Algum leitor deste artigo encontrou o descanso que Cristo oferece? Você já experimentou a paz verdadeira vindo a Ele e lançando sua alma sobre Ele? Em seguida, prossiga até o fim de seus dias como começou, olhando para Jesus e vivendo n'Ele. Continue tirando diariamente provisões completas de descanso, paz, misericórdia e graça da grande fonte de descanso e paz. Lembre-se de que, se você viver até a idade de Matusalém, você nunca será nada além de um pobre pecador vazio, devendo tudo o que você tem e esperando somente em Cristo.

Nunca tenha vergonha de viver uma vida de fé em Cristo. As pessoas podem ridicularizar e zombar de você, e até mesmo silenciá-lo na discussão; mas eles nunca podem tirar de você os sentimentos que a fé em Cristo dá. Eles nunca podem evitar que você sinta: "Eu estava cansado até encontrar Cristo, mas agora tenho descanso de consciência. Eu estava cego, mas agora vejo. Eu estava morto, mas estou vivo novamente. Eu estava perdido, mas estou encontrado".

Convide todos ao seu redor a irem a Cristo. Use todos os esforços legais para trazer pai, mãe, marido, esposa, filhos, irmãos, irmãs, amigos, parentes, companheiros, colegas de trabalho, servos - traga todos ao conhecimento do Senhor Jesus. Não poupe esforços. Fale com eles sobre Cristo: fale com Cristo sobre eles. Seja instantâneo em todos os momentos. Diga-lhes, como Moisés fez a Hobabe: "Vem conosco, e nós te faremos bem" (Números 10. 29). Quanto mais você trabalha pela alma dos outros, mais bênçãos você obterá para sua própria alma.

Por último, mas não menos importante, espere com confiança um descanso melhor em um mundo que está por vir. Só mais um pouco de tempo, e Aquele que há de vir, virá e não tardará. Ele reunirá todos os que creram n'Ele e levará Seu povo para uma casa onde os iníquos cessarão de perturbar e os cansados ​​terão repouso perfeito. Ele lhes dará um corpo glorioso, no qual O servirão sem distração e O louvarão sem cansaço. Ele enxugará as lágrimas de todas as faces e fará novas todas as coisas (Isaías 25. 8).

Chegará um bom tempo para todos os que vêm a Cristo e entregam suas almas aos Seus cuidados. Eles devem "lembrar-se de todo o caminho pelo qual foram conduzidos", e ver a sabedoria de cada passo no caminho. Eles se maravilharão por um dia terem duvidado da bondade e do amor de seu Pastor. Acima de tudo, eles ficarão maravilhados com o fato de poderem viver tanto tempo sem Ele e que, quando ouviram falar d'Ele, puderam hesitar em ir a Ele.

Há uma passagem na Escócia chamada Glencoe, que fornece uma bela ilustração de como o céu será para o homem que vier a Cristo. A estrada que passa por Glencoe leva o viajante a uma subida longa e íngreme, com muitas voltas e muitas curvas em seu curso. Mas quando o topo da passagem é alcançado, uma pedra é vista à beira do caminho, com estas palavras simples gravadas nela, "Descanse e seja grato". Essas palavras descrevem os sentimentos com os quais todo aquele que vão a Cristo finalmente entrará no céu. O cume do caminho estreito será conquistado. Devemos cessar nossa cansativa jornada e sentar-nos no reino de Deus. Devemos olhar para trás, ao longo de todo o caminho da vida, com gratidão, e ver a sabedoria perfeita de cada pequena volta e curva na subida íngreme pela qual fomos guiados. Devemos esquecer as labutas da jornada ascendente no glorioso descanso. Aqui neste mundo, nosso senso de descanso em Cristo, na melhor das hipóteses, é débil e parcial: mas, "quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado" (1 Coríntios 13. 10). Graças a Deus, chegará o dia em que os crentes descansarão perfeitamente e serão gratos.

 ~

J. C. Ryle

Old Paths, 1877.



Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: