ad

Carta de Barnabé - XIV

O Senhor nos deu o testamento que Moisés recebeu e quebrou.

Sim (é mesmo assim); mas perguntemos se o Senhor realmente deu aquele testamento que jurou aos pais que daria [1] ao povo. Ele deu; mas eles não eram dignos de recebê-lo por causa de seus pecados. Pois o profeta declara: “E Moisés jejuou quarenta dias e quarenta noites no Monte Sinai, a fim de receber o testamento do Senhor para o povo” [2]. E ele recebeu do Senhor [3] duas tábuas, escritas em espírito pelo dedo da mão do Senhor. E Moisés, tenda-os recebido, levou-as para baixo para dá-las ao povo. E o Senhor disse a Moisés: “Moisés, Moisés, desça depressa; porque pecou o seu povo, que tirou da terra do Egito” [4]. E Moisés entendeu que eles tinham feito novamente [5] imagens de fundição; e ele atirou as tábuas de suas mãos, e as tábuas do testamento do Senhor foram quebradas. Moisés então o recebeu, mas eles se mostraram indignos. Saiba agora como o recebemos. Moisés, como servo [6], o recebeu; mas o próprio Senhor, tendo sofrido por nós, deu-nos isso para que sejamos o povo de herança. Mas Ele foi manifestado, a fim de que eles pudessem ser aperfeiçoados em suas iniquidades, e que nós, sendo constituídos herdeiros por Ele [7], pudéssemos receber o testamento do Senhor Jesus, que foi preparado para este fim, que por Sua manifestação pessoal, redimindo nossos corações (que já estavam destruídos pela morte, e entregues à iniquidade do erro) das trevas, Ele pode por Sua palavra entrar em um pacto conosco. Pois está escrito como o Pai, prestes a nos redimir [8] das trevas, ordenou-lhe que preparasse [9] um povo santo para si. Portanto, o profeta declara: “Eu, o Senhor Teu Deus, lhe chamei em justiça, e segurarei a Tua mão e lhe fortalecerei; e Eu Te dei como pacto para o povo, luz para as nações, para abrir os olhos aos cegos e tirar dos grilhões os que estão amarrados e os que estão sentados nas trevas da prisão” [10]. Vejam [11], então, de onde fomos redimidos. E novamente, o profeta diz: “Eis que lhe designei como luz para as nações, para que possa ser para a salvação até os confins da terra, diz o Senhor Deus que lhe redime” [12]. E novamente, o profeta disse: “O Espírito do Senhor está sobre mim; porque Ele me ungiu para pregar o Evangelho aos humildes: Ele me enviou para curar os quebrantados de coração, para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos; para anunciar o ano aceitável do Senhor e o dia da recompensa; para consolar todos os que choram” [13].

~

Barnabé

Pais Ante-Nicenos I - Os Pais Apostólicos


Notas:

[1] Cod. Sin. repete absurdamente “dar”.

[2] Êxodo 24. 18.

[3] Êxodo 31. 18.

[4] Êxodo 32. 7; Deuteronômio 9. 12.

[5] Cod. Sin. lê-se, “para si próprios”.

[6] Comparar com Hebreus 3. 5.

[7] Cod. Sin. e outros manuscritos se lê, “por Aquele que herdou”.

[8] Cod. Sin. refere isso a Cristo.

[9] Cod. Sin. diz, “esteja preparado”. Hilgenfeld segue Cod. Sin. até agora, e lê: “Porque está escrito como o Pai ordenou àquele que nos resgataria das trevas (αὐτῷ — λυτρωσάμενος) que preparasse para si um povo santo”.

[10] Isaías 42. 6, 7.

[11] Cod. Sin. tem, “nós sabemos”.

[12] Isaías 49. 6. O texto do Cod. Sin., e dos outros manuscritos, está aqui em grande confusão: nós seguimos aquele dado por Hefele.

[13] Isaías 61. 1, 2. 


Share on Google Plus

Sobre Paulo Matheus

Esposo da Daniele, pai da Sophia, engenheiro, gremista e cristão. Seja bem vindo ao blog, comente e contribua!

0 Comentário: