1 Coríntios 15

1. Além disso, irmãos, eu vos declaro o evangelho que vos preguei, que também vós recebestes e em que permanecem;

2. Pelo qual também sois salvos, se guardardes em memória o que eu vos preguei, a menos que tenham crido em vão.

3. Porque primeiro vos entreguei o que também recebi, de que Cristo morreu pelos nossos pecados, de acordo com as escrituras;

4. E que ele foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia, de acordo com as escrituras:

5. E que ele foi visto por Cefas, depois pelos doze:

6. Então ele apareceu para mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maior parte permanece até agora, mas alguns já estão adormecidos.

7. Depois disso, ele foi visto por Tiago; e, então, por todos os apóstolos.

8. E, por último, ele também foi visto por mim, como alguém nascido fora do devido tempo.

9. Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a igreja de Deus.

10. Mas pela graça de Deus eu sou o que sou: e a graça que me foi dada não foi em vão; mas trabalhei mais abundantemente do que todos: entretanto, não eu, mas a graça de Deus que estava comigo.

11. Portanto, seja eu ou eles, assim pregamos, e assim crestes.

12. Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como, então, dizem alguns dentre vocês que não há ressurreição de mortos?

13. Mas se não houver ressurreição dos mortos, Cristo não ressuscitou:

14. E se Cristo não ressuscitou, então nossa pregação é vã, e a sua fé também é vã.

15. Sim, e somos tidos como falsas testemunhas de Deus; porque testificamos de Deus que ele ressuscitou a Cristo; o qual não ressuscitou, se é dito que os mortos não ressuscitam.

16. Pois, se os mortos não ressuscitam, então Cristo não ressuscitou:

17. E se Cristo não ressuscitou, sua fé é vã; você ainda continua em seus pecados.

18. Então também os que descansam em Cristo pereceram.

19. Se nesta vida apenas temos esperança em Cristo, somos, de todos os homens, os mais miseráveis.

20. Mas agora Cristo ressuscitou dos mortos e se tornou as primícias daqueles que adormeceram.

21. Pois desde que pelo homem veio a morte, pelo homem veio também a ressurreição dos mortos.

22. Porque, como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos serão vivificados.

23. Mas cada um em sua própria ordem: Cristo, as primícias; então aqueles que são de Cristo, na sua vinda.

24. Então chega o fim, quando ele entregar o reino a Deus, o Pai; quando ele tiver derrubado toda regra e toda autoridade e poder.

25. Pois ele deve reinar até que tenha posto todos os inimigos debaixo de seus pés.

26. O último inimigo que será destruído é a morte.

27. Pois ele pôs todas as coisas debaixo de seus pés. Mas quando Ele diz que "todas as coisas estão debaixo d'Ele", é evidente que Aquele que colocou todas as coisas debaixo d'Ele é excedido.

28. E quando todas as coisas lhe forem subjugadas, então o próprio Filho estará sujeito àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos.

29. De outro modo, o que farão os que são batizados pelos mortos, se os mortos não ressuscitam? Por que, então, eles são batizados pelos mortos?

30. E por que, então, corremos esse risco a cada hora?

31. Afirmo por essa alegria em vocês, irmãos, que tenho em Cristo Jesus, nosso Senhor, eu morro diariamente.

32. Se, à maneira dos homens, lutei com as bestas em Éfeso, que vantagem eu alcançaria se os mortos não ressuscitassem? Vamos comer e beber; pois amanhã morreremos.

33. Não se deixe enganar: as más companhias corrompem as boas maneiras.

34. Despertes para a justiça, e não peques; porque alguns não têm o conhecimento de Deus; falo isto para sua vergonha.

35. Mas alguém dirá: Como ressuscitam os mortos? E com que corpo eles vêm?

36. Tolo, o que semeia não é vivificado, a menos que morra;

37. E o que vocês semeiam, não semeiam o corpo que deve ser, mas mero grão - talvez trigo ou algum outro grão.

38. Mas Deus lhe dá um corpo como lhe agrada, e a cada semente seu próprio corpo.

39. Toda carne não é a mesma carne; mas há um tipo de carne de homens, outra de bestas, outra de peixes e outra de pássaros.

40. Também existem corpos celestes e corpos terrestres; mas a glória dos corpos celestes é uma, e a glória dos corpos terrestres é outra.

41. Há uma glória do sol, outra glória da lua e outra glória das estrelas; porque uma estrela difere de outra estrela na glória.

42. O mesmo acontece com a ressurreição dos mortos. É semeado na corrupção; é gerado em incorrupção:

43. É semeado em desonra; é ressuscitado em glória; é semeado em fraqueza; é elevado em poder:

44. É semeado um corpo natural; é levantado um corpo espiritual. Se existe um corpo natural, também existe um corpo espiritual.

45. E assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito uma alma vivente; o último Adão, feito um espírito vivificante.

46. ​​Contudo, não foi feito primeiro o que é espiritual, mas sim o que é natural; e depois foi feito o que é espiritual.

47. O primeiro homem é da terra, terreno; o segundo homem é do céu.

48. Tal como é o homem terreno, também são os que são terrenos; e tal como é o celestial, também são os que são celestiais.

49. E, quando tivermos nascido a imagem do homem terreno, também carregaremos a imagem do homem celestial.

50. Agora digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção.

51. Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados,

52. Num momento, num piscar de olhos, na última trombeta: pois a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e seremos transformados.

53. Pois este ser corruptível se revista de incorrupção, e este ser mortal se revista de imortalidade.

54. Então, quando este ser corruptível tiver se revestido de incorrupção, e este mortal se revestir de imortalidade, então será levado a cabo o ditado que está escrito: A morte é tragada pela vitória.

55. Ó morte, onde está o teu aguilhão? Ó sepultura, onde está a tua vitória?

56. O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.

57. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.

58. Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis, sempre abundantes na obra do Senhor, pois saibam que seu trabalho não é em vão no Senhor.