ad

1 Coríntios 9

Os direitos de Paulo como apóstolo.

1Eu não sou apóstolo? Eu não sou livre? Não vi Jesus Cristo, nosso Senhor? Vocês não são minha obra no Senhor? 2Se para outros não sou apóstolo, pelo menos sou para com vocês; pois vocês são no Senhor o selo do meu apostolado.

3A minha resposta para aqueles que me examinam é esta: 4não temos autoridade para comer e beber? 5Não temos o direito de liderar uma esposa que é crente, assim como o resto dos apóstolos, e os irmãos do Senhor e Cefas? 6Ou apenas eu e Barnabé não temos poder para deixar de trabalhar? 7Quem nunca entra em guerra às suas próprias custas? Quem planta uma vinha e não come do seu fruto? Ou quem alimenta um rebanho e não come do leite do rebanho?

8Falo estas coisas segundo a maneira dos homens? Ou não diz a lei a mesma coisa? 9Porque está escrito na lei de Moisés: Não atarás a boca do boi que debulha. Por acaso Deus cuida dos bois? 10Ou ele fala completamente por nossa causa? Por nossa causa, sem dúvida, está escrito: que quem lavra, lavra em esperança; e que quem debulha em esperança deve participar da sua esperança. 11Se semeamos coisas espirituais para com vocês, seria um grande problema colhermos suas coisas carnais? 12Se outros participam desse direito para com vocês, não teríamos mais?

No entanto, não usamos esse direito; mas suportamos todas as coisas, para que não causemos impedimentos ao evangelho de Cristo. 13Não sabem que os que ministram sobre coisas santas vivem das coisas do templo? E os que esperam no altar são participantes do altar? 14Assim também o Senhor ordenou que os que pregam o evangelho vivam do evangelho.

15Mas eu nunca usei nenhuma dessas coisas, nem as escrevi para que assim seja feito comigo; porque era melhor para mim morrer do que qualquer homem anular minha glória. 16Porque, embora eu pregue o evangelho, não há nada que me glorifique; porque a necessidade me é imposta; sim, ai de mim, se eu não pregar o evangelho! 17Pois, se faço de bom grado, recebo uma recompensa; mas, se contra a minha vontade, uma obrigação do evangelho é confiada a mim. 18Qual é então a minha recompensa? Que, quando eu prego o evangelho, posso fazê-lo sem encargos, para não usar plenamente meu direito no evangelho.


Servindo todos os homens.

19Porque, embora eu esteja livre de todos os homens, ainda assim me fiz servo de todos, para ganhar ainda mais; 20e para os judeus eu me tornei como judeu, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se debaixo da lei eu estivesse, para ganhar os que estão debaixo da lei; 21para aqueles que estão sem lei, como sem lei (não estando sem lei para Deus, mas debaixo da lei para Cristo), para que eu possa ganhar aqueles que estão sem lei; 22para os fracos, tornei-me fraco, para ganhar os fracos. Tornei-me todas as coisas para todos os homens, para que, por todos os meios, pudesse salvar alguns. 23E faço isso por causa do evangelho, para que eu possa participar com vocês.


Necessidade de autodisciplina

24Não sabem que os que correm numa corrida correm todos, mas um recebe o prêmio? Mesmo assim corram, para que possam alcançar. 25E todo homem que luta pelo prêmio é temperante em todas as coisas. No entanto, eles fazem isso para obter uma coroa corruptível; mas nós, por uma incorruptível. 26Portanto, eu corro, não com incerteza; eu luto, não como quem bate no ar; 27mas eu disciplino meu corpo e o sujeito, para que, quando pregar para os outros, eu mesmo não venha a ser desqualificado.