ad

1 João 3

O mandamento do amor.

1Eis que tipo de amor o Pai nos concedeu, para que sejamos chamados filhos de Deus; portanto, o mundo não nos conhece, porque não O conhecia. 2Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não nos parecemos como seremos; mas sabemos que, quando Ele aparecer, seremos como Ele; pois O veremos como Ele é. 3E todo homem que tem essa esperança n’Ele se purifica, assim como Ele é puro.

 

Rompa com o pecado.

4Todo aquele que comete pecado também transgride a lei; porque o pecado é a transgressão da lei. 5E vocês sabem que Ele se manifestou para tirar nossos pecados; e n’Ele não há pecado. 6Quem permanece n’Ele não peca; quem peca não O viu, nem O conhece.

7Filhinhos, ninguém os engane; quem pratica a justiça é justo, assim como Ele é justo. Quem comete pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. 8Para esse propósito, o Filho de Deus foi manifestado, a fim de destruir as obras do diabo. 9Todo aquele que é nascido de Deus não comete pecado; porque n’Ele permanece a sua descendência; e este não pode pecar, porque nasceu de Deus.

10Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo: quem não pratica a justiça não é de Deus, nem quem não ama a seu irmão. 11Pois esta é a mensagem que ouviram desde o princípio: que devemos amar uns aos outros, não como Caim, que era do ímpio, e matou seu irmão. 12E por que ele o matou? Porque suas próprias obras eram más, e seu irmão, justo.

13Não se admirem, meus irmãos, se o mundo os odiar. 14Sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Aquele que não ama seu irmão permanece na morte. 15Todo aquele que odeia seu irmão é assassino; e vocês sabem que nenhum assassino tem vida eterna nele.

 

A manifestação do amor.

16Nisto percebemos o amor de Deus, porque Ele deu a sua vida por nós; e devemos dar a vida pelos irmãos. 17Mas quem tem condições neste mundo, e vê necessidade de seu irmão, e fecha dele suas entranhas de compaixão, como habita nele o amor de Deus?

18Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua; mas em ações e em verdade. 19E nisto sabemos que somos da verdade e asseguraremos nossos corações diante d’Ele. 20Porque, se o nosso coração nos condena, Deus é maior que o nosso coração e conhece todas as coisas. 21Amados, se nosso coração não nos condena, temos confiança em Deus. 22E tudo o que pedimos, recebemos d’Ele, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos as coisas agradáveis ​​aos seus olhos. 23E este é o Seu mandamento: que devemos crer no nome de Seu Filho Jesus Cristo e amar uns aos outros, como o mandamento que Ele nos deu.

24E aquele que guarda os Seus mandamentos habita n’Ele, e Ele nele. E por meio disso sabemos que Ele permanece em nós, pelo Espírito que Ele nos deu.