ad

2 Coríntios 11

1. Oxalá pudessem tolerar um pouco mais a minha loucura: e, na verdade, vocês já toleram.

2. Pois, com ciúme piedoso, tenho ciúme de vocês; pois lhes desposei com um só marido, para apresentar vocês como uma virgem casta a Cristo.

3. Mas temo que, de alguma forma, como a serpente enganou Eva em sua astúcia, suas mentes sejam corrompidas da simplicidade e pureza que é voltada para Cristo.

4. Porque, se aquele que vem prega outro Jesus, a quem não pregamos, ou se receberem um espírito diferente, que não receberam, ou um evangelho diferente, que não aceitaram, bem farão em suportá-lo.

5. Pois eu acho que não estou nem um pouco atrás dos principais apóstolos.

6. Mas embora eu seja rude no falar, não o sou no conhecimento; mas temos sido completamente manifestados entre vocês em todas as coisas.

7. Ou cometi pecado ao me rebaixar para que fossem exaltados, porque preguei a vocês o evangelho de Deus por nada?

8. Eu despojei outras igrejas, recebendo dinheiro delas, para lhe prestar serviço.

9. E quando eu estava presente com vocês e passava necessidade, não era um peso para ninguém; pois os irmãos, quando vieram da Macedônia, supriram minha necessidade; e em tudo evitei ser um fardo para vocês, e assim me guardarei.

10. Visto que a verdade de Cristo está em mim, nenhum homem me impedirá de me gloriar nas regiões da Acaia.

11. Por quê? Porque eu não os amo? Deus sabe.

12. Mas o que eu faço, também continuarei a fazer, para que possa cortar a oportunidade daqueles que desejam uma oportunidade de serem considerados como nós nas coisas de que se gloriam.

13. Pois os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, que se disfarçam de apóstolos de Cristo.

14. E não é de admirar; pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz.

15. Portanto, não é grande coisa se seus ministros também se disfarçarem em ministros da justiça; cujo fim será de acordo com suas obras.

16. Eu digo novamente: Que nenhum homem me considere um tolo; mas, se o fizer, como tolo me recebe, para que eu também me glorie um pouco.

17. O que eu falo, não falo de acordo com o Senhor, mas de forma tola, com gloriosa confiança.

18. Visto que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei.

19. Porque vocês toleram os tolos de bom grado, mesmo sendo também sábios.

20. Porque vocês suportam o homem: se ele os escravizar, se os devorar, se os levar cativos, se se exaltar a si mesmo, se os ferir na face.

21. Falo em tom de depreciação, como se fôssemos fracos. No entanto, onde quer que alguém seja ousado (falo como um tolo), eu sou ousado também.

22. Eles são hebreus? Eu também. Eles são israelitas? Eu também sou. Eles são a semente de Abraão? Eu também sou.

23. Eles são ministros de Cristo? (Falo como um tolo) sou mais; em trabalhos mais abundantes, em prisões mais abundantemente, em açoites acima da medida, em muitos perigos de morte.

24. Dos judeus cinco vezes recebi quarenta açoites, menos um.

25. Três vezes fui espancado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei nas profundezas;

26. Em viagens frequentes, em perigos de águas, em perigos de ladrões, em perigos de meus próprios conterrâneos, em perigos de pagãos, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos;

27. Em cansaço e angústia, em vigílias frequentemente, em fome e sede, em jejuns frequentemente, em frio e nudez.

28. Ao lado das coisas que estão de fora, há aquilo que me pressiona diariamente: ansiedade por todas as igrejas.

29. Quem está fraco, que não eu não esteja fraco? Quem está ofendido, que eu não esteja queimando?

30. Se preciso de glória, glorificarei as coisas que dizem respeito à minha fraqueza.

31. O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, bendito para sempre, sabe que não minto.

32. Em Damasco, o governador de Aretas, o rei, mantinha a cidade dos Damascenos com uma guarnição, desejosa de me prender:

33. E por uma janela fui descido em um cesto junto à parede, e escapei de suas mãos.