2 Tessalonicenses

Esta carta também foi escrita de Corinto e durante o mesmo ano. É a carta mais curta que Paulo escreveu a qualquer igreja e é caracterizada por sua falta de saudações especiais e por sua ideia geral do paciente esperar por nosso Senhor. A ocasião parece ser a de corrigir seus pontos de vista errôneos sobre a segunda vinda de Cristo e os erros da vida que surgem dela. Pode ser que eles tenham entendido mal o próprio ensino de que o dia do Senhor já estava próximo.


~

1

Saudações.

Paulo, Silvano e Timóteo, 

À igreja dos tessalonicenses em Deus nosso Pai e no Senhor Jesus Cristo:

Graça a vocês, e paz, de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.


Encorajamento. O Julgamento Final.

Devemos agradecer a Deus sempre por vocês, irmãos, como é conveniente, porque a sua fé cresce muito, e a caridade de cada um de vocês para com o outro é abundante; de modo que nós mesmos nos gloriamos em vocês nas igrejas de Deus, por sua paciência e fé, em todas as suas perseguições e tribulações que vocês suportam, as quais são um sinal manifesto do justo julgamento de Deus, para que sejais considerados dignos do reino de Deus, pelo qual também sofrem, vendo que é justo com Deus recompensar a tribulação àqueles que os perturbam, e a vocês, que estão perturbados, descansem conosco, quando o Senhor Jesus for revelado do céu com seus poderosos anjos, em fogo flamejante, vingando-se daqueles que não conhecem a Deus e que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Estes serão punidos com destruição eterna pela presença do Senhor e pela glória de Seu poder, quando Ele vier, naquele dia, para ser glorificado em seus santos e ser admirado entre todos os que creem, por causa de nosso testemunho que entre vocês foi crido.

Portanto, também oramos sempre por vocês, para que nosso Deus os considerem dignos desse chamado, e cumpra todo o bom prazer de sua bondade, e a obra da fé com poder: para que o nome de nosso Senhor Jesus Cristo seja glorificado em vocês e vocês n'Ele, segundo a graça de nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.


2

A grande apostasia e a vinda de Cristo.

Agora imploramos a vocês, irmãos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e pela nossa congregação junto a Ele, para que não sejam logo abalados em mente, ou incomodados, nem pelo espírito, nem pela palavra, nem por carta nossa, como se o dia de Cristo estivesse próximo. Ninguém os engane de forma alguma: pois esse dia não chegará, a não ser que venha primeiro um declínio, e que o homem do pecado seja revelado, o filho da perdição; que se opõe e se exalta acima de tudo o que é chamado Deus ou que é adorado; para que ele, como Deus, esteja sentado no templo de Deus, mostrando a si mesmo que ele é Deus.

Não se lembram que, quando eu ainda estava com vocês, eu lhes disse estas coisas? E agora vocês sabem o que possuem para que ele possa ser revelado em seu tempo. Pois o mistério da iniquidade já opera: só há um que se restringe agora, até que ele seja tirado do caminho. E então será revelado o ímpio, a quem o Senhor consumirá com o espírito da sua boca, e destruirá com o brilho da sua vinda: mesmo ele, cuja vinda é segundo a operação de Satanás com todo poder, sinais e maravilhas mentirosas, e com toda a ilusão de injustiça naqueles que perecem; porque não receberam o amor da verdade, para serem salvos. E por essa causa Deus lhes enviará uma grande ilusão, para que creiam na mentira: para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.


Permanecendo firmes.

Mas devemos agradecer sempre a Deus por vocês, irmãos amados do Senhor, porque Deus os escolheu desde o princípio para a salvação pela santificação do Espírito e crença na verdade: para o qual Ele chamou vocês pelo nosso evangelho, para obter a glória de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, irmãos, permaneçam firmes e mantenham as tradições que foram ensinadas, seja por palavra ou por nossa epístola.

Ora, nosso próprio Senhor Jesus Cristo, e Deus, nosso Pai, que nos amou e nos deu consolo eterno e boa esperança pela graça, conforte seus corações e estabeleça vocês em todas as boas palavras e obras.


3

Exortações e pedido de oração.

Finalmente, irmãos, orem por nós, para que a palavra do Senhor tenha curso livre e seja glorificada, assim como é com vocês: e para que sejamos libertados de homens irracionais e maus, pois nem todos os homens têm fé.

Mas o Senhor é fiel, é quem os firmará e os protegerá do mal. E temos confiança no Senhor com relação a vocês, que tanto fazem como farão as coisas que lhes ordenamos.

E que o Senhor direcione seus corações no amor de Deus e na paciência de Cristo.

Agora ordenamos a vocês, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que se afastem de todo irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que ele recebeu de nós. Porque vocês sabem como devem nos seguir: pois não nos comportamos desordenadamente entre vocês, nem comemos pão de homem por nada; mas forjados com trabalho e labuta árdua noite e dia, para que não sobrecarregássemos nenhum de vocês: não porque não temos poder, mas para fazer de nós uma amostra para vocês nos seguir.

Pois mesmo quando estávamos com vocês, isto lhes ordenamos: se alguém não trabalhar, que não coma. Porque ouvimos falar de alguns que caminham entre vocês desordenadamente, não trabalham, mas são intrometidos. Ora, os que são assim, ordenamos e exortamos por nosso Senhor Jesus Cristo, que, com tranquilidade, trabalhem e comam seu próprio pão.

Mas vocês, irmãos, não se cansem de fazer o bem. E se alguém não obedecer à nossa palavra por meio desta epístola, observe esse homem, para que não tenham companhia com ele, a fim de que se envergonhe. No entanto, não o considere um inimigo, mas o admoeste como um irmão.


Despedida e benção final.

Agora, o próprio Senhor da paz sempre lhe dará paz por todos os meios. O Senhor esteja com todos vocês. 

A saudação de Paulo com minha própria mão, que é o sinal de toda epístola: assim escrevo.

A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vocês. Amém.