ad

Esdras 4

A oposição dos adversários à reconstrução do Templo.

1Ouvindo os adversários de Judá e Benjamim que os filhos do cativeiro edificaram o templo ao Senhor Deus de Israel; 2então foram a Zorobabel, e aos chefes dos pais, e disseram-lhes: “Edifiquemos juntos, porque buscamos o seu Deus, como vocês; e oferecemos sacrifícios a Ele desde os dias de Esar-Hadom, rei de Assur, que nos trouxe até aqui”. 3Mas Zorobabel, e Jesua, e o restante dos chefes dos pais de Israel, disseram-lhes: “Não possuem nada conosco para edificar uma casa ao nosso Deus; mas nós mesmos juntos edificaremos ao Senhor Deus de Israel, como nos ordenou o rei Ciro, rei da Pérsia”. 4Então o povo daquela terra enfraqueceu as mãos do povo de Judá, e os perturbou na construção, 5e contratou conselheiros contra eles, para frustrar seus propósitos, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até o reinado de Dario, rei da Pérsia.

6E no reinado de Assuero, no princípio do seu reinado, redigiram-lhe uma acusação contra os habitantes de Judá e Jerusalém.

7E nos dias de Artaxerxes escreveu Bislão, Mitredate, Tabeel, e o resto de seus companheiros, a Artaxerxes, rei da Pérsia; e o texto da carta foi escrito na língua síria e interpretado na língua síria. 8Reum, o chanceler, e Sinsai, o escriba, escreveram uma carta contra Jerusalém a Artaxerxes, o rei, desta forma:

9“Escreve Reum, o chanceler, e Sinsai, o escriba, e o resto de seus companheiros; os dinaítas, os afarsaquitas, os tarpelitas, os afarsitas, os arquevitas, os babilônios, os susanquitas, os deavitas e os elamitas, 10e o resto das nações que o grande e nobre Osnapar trouxe e colocou nas cidades de Samaria, e o resto que está deste lado do rio, e em tal tempo.

11Esta é a cópia da carta que lhe enviaram, até o rei Artaxerxes; seus servos os homens deste lado do rio, e em tal tempo.

12Seja de conhecimento do rei que os judeus que subiram de você até nós chegaram a Jerusalém, estão edificando a cidade rebelde e má, e levantaram os seus muros e juntaram os fundamentos. 13Saiba agora o rei que, se esta cidade for edificada, e os muros forem reerguidos, não pagarão pedágios, tributos e custos, e assim prejudicará os rendimentos dos reis. 14Ora, pois temos manutenção do palácio do rei, e não nos convém ver a desonra do rei, por isso enviamos e certificamos o rei; 15essa busca pode ser feita no livro dos registros de seus pais; assim você achará no livro dos registros, e saberá que esta cidade é uma cidade rebelde, e prejudicial a reis e províncias, e que eles moveram sedição naqueles mesmos velhos tempos: por qual motivo esta cidade foi destruída.

16Certificamos ao rei que, se esta cidade for reedificada, e os seus muros forem erguidos, por este meio não terá parte deste lado do rio”.

17Então enviou o rei uma resposta a Reum, o chanceler, e a Sinsai, o escriba, e aos demais companheiros deles que moram em Samaria, e aos demais além do rio: “Paz, e em tal tempo”.

18A carta que vocês nos enviaram foi claramente lida diante de mim. 19E eu ordenei, e uma busca foi feita, e se descobriu que esta cidade dos tempos antigos fez insurreição contra reis, e que rebelião e sedição foram feitas nela. 20Houve reis poderosos também em Jerusalém, que governaram todos os países além do rio; e pedágios, tributos e custos eram pagos a eles. 21Mandem agora fazer cessar estes homens, e que esta cidade não seja edificada, até que outro mandamento seja dado por mim.

22Tomem cuidado agora para não deixar de fazer isso: por que o dano deveria crescer para prejudicar dos reis?”.

23Ora, quando a cópia da carta do rei Artaxerxes foi lida diante de Reum, e do escriba Sinsai, e seus companheiros, subiram às pressas a Jerusalém, aos judeus, e os fizeram cessar pela força e poder. 24Então cessou a obra da casa de Deus que está em Jerusalém. Assim cessou até o segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia.