ad

Filipenses

Filipos pertenceu à Trácia até 358 a.C., quando foi tomada por Filipe, rei da Macedônia, pai de Alexandre, o Grande. Foi o lugar onde Marco Antônio e Otávio derrotaram Bruto e Cássio (42 a.C.), cuja derrota derrubou a oligarquia romana, e Augusto (Otávio) foi feito imperador. Ficava na grande estrada pela qual todo comércio e comerciantes que iam para o leste e para o oeste deveriam passar e, portanto, era um centro adequado de evangelismo para toda a Europa. Foi o lugar onde a primeira igreja da Europa foi estabelecida por Paulo em sua segunda viagem missionária, 52 d.C.

Por uma visão de Deus, Paulo foi a Filipos na segunda viagem missionária. Ele pregou pela primeira vez na reunião de oração de uma mulher, onde Lídia se converteu. Ela forneceu-lhe uma casa enquanto ele continuava seu trabalho na cidade. Depois de algum tempo, surgiu uma grande oposição a ele, e ele e Silas foram espancados e presos, mas através da oração foram libertados por um terremoto que também resultou na conversão do carcereiro. Talvez ele os tenha visitado novamente em sua viagem de Éfeso à Macedônia. Ele passou a Páscoa lá e recebeu mensagens deles. Eles também lhe enviaram assistência e ele lhes escreveu esta carta.

É uma carta informal sem plano lógico ou argumentos doutrinários. É a expressão espontânea de amor e gratidão. É um amigo e irmão terno, caloroso e amoroso que apresenta as verdades essenciais do evangelho em termos de relações amistosas. Encontrou neles constantes motivos de regozijo, e agora que Epafrodito, que o havia ajudado, estava prestes a voltar de Roma para Filipos, teve a oportunidade de enviar-lhes uma carta de agradecimento. É notável por sua ternura, advertências, súplicas e exortações e deve ser lido frequentemente como um tônico espiritual.

Foi escrito por Paulo durante sua prisão em Roma, por volta de 62 a.C..


~

1

Saudações.

Paulo e Timóteo, os servos de Jesus Cristo,

A todos os santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, com os bispos e diáconos:

Graça e paz seja com vocês, de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

Agradecimento e oração pelos filipenses.

Agradeço ao meu Deus por cada lembrança de vocês, sempre em todas as minhas orações por todos vocês, fazendo pedidos com alegria, pela sua comunhão no evangelho desde o primeiro dia até agora; confiando nisso, que Aquele que iniciou uma boa obra em vocês a executará até o dia de Jesus Cristo: mesmo que me seja conveniente pensar isso de todos vocês, porque eu os tenho em meu coração; na medida em que, tanto em minhas prisões como na defesa e confirmação do evangelho, todos vocês são participantes da minha graça. Pois Deus é o meu registro do quanto desejo a presença de todos vocês, com as afeições de Jesus Cristo.

E nisto eu oro, para que o seu amor seja abundante ainda mais em conhecimento e em todo julgamento; para que vocês aprovem coisas excelentes; para que sejam sinceros e sem ofensa até o dia de Cristo, sendo cheios dos frutos da justiça, que são de Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus.

A situação de Paulo e a pregação de Cristo.

Mas vocês devem entender, irmãos, que as coisas que me aconteceram cooperaram em favor do evangelho; para que minhas prisões em Cristo sejam manifestas em todo o palácio e em todos os outros lugares; e muitos dos irmãos no Senhor, confiantes por conta de minhas prisões, são muito mais ousados ​​em falar a palavra sem medo.

Alguns de fato pregam a Cristo por inveja e conflito; e alguns também de boa vontade: aquele que prega a Cristo em discórdia, não sinceramente, supõe acrescentar aflição as minhas prisões; mas outros em amor, sabem que estou pronto para a defesa do evangelho. O que importa então? Não obstante, em todos os sentidos, seja por pretexto ou pela verdade, Cristo é pregado; e eu me regozijo sim, e me alegrarei.

Pois sei que isso se voltará para a minha salvação através da sua oração e do suprimento do Espírito de Jesus Cristo, de acordo com minha sincera expectativa e minha esperança, de que em nada eu tenha vergonha, mas que com toda ousadia, como sempre, agora também Cristo seja engrandecido em meu corpo, seja pela vida ou pela morte. Pois para mim viver é Cristo, e morrer é ganho. Mas, se eu vivo na carne, esse é o fruto do meu trabalho; no entanto, o que devo escolher, não o sei. Porque estou em um estreito e apertado caminho, desejando partir e estar com Cristo; o que é muito melhor. No entanto, permanecer na carne é mais necessário para vocês. E, tendo essa confiança, sei que devo permanecer e continuar com todos vocês pelo seu avanço e alegria na fé; para que a sua alegria seja mais abundante em Jesus Cristo, por mim, pelo meu retorno a vocês.

Exortação à luta pela fé.

Apenas permita que a sua conversa seja como deve ser o evangelho de Cristo: para que se eu for e os ver, ou então estiver ausente, eu possa ouvir sobre seus assuntos, para que vocês fiquem firmes em um espírito, com uma só mente lutando pela fé do evangelho; e em nada aterrorizados pelos seus adversários; o que é para eles um sinal evidente de perdição, para vocês é a salvação, e isto de Deus. Pois a vocês é dado em nome de Cristo, não apenas para crer n’Ele, mas também sofrer por Ele; tendo o mesmo conflito que vocês viram em mim, e agora ouvem estar em mim.

2

Unidade pela humildade e o exemplo de Cristo.

Se houver, portanto, algum consolo em Cristo, se houver consolo no amor, se houver comunhão do Espírito, se houver entranhas e misericórdia, cumpram a minha alegria, para que sejam parecidos, tendo o mesmo amor, sendo unânimes, de pensamento único. Nada façam por contenda ou vanglória; mas com humildade, cada um considerando os outros superiores a si. Não olhem apenas para as suas próprias coisas, mas também para as coisas dos outros.

Que esta mente esteja em vocês tal como também estava em Cristo Jesus: que, estando na forma de Deus, achou que não era ilícito ser igual a Deus, mas a si mesmo se esvaziou e tomou a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado como homem, humilhou-se e tornou-se obediente até a morte, a morte da cruz. Portanto Deus também O exaltou muito, e Lhe deu um nome que está acima de todo nome: que, em nome de Jesus, todo joelho se dobrará, tanto quem está no céu, quanto na terra e debaixo da terra; e que toda língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.

Portanto, meus amados, como sempre obedeceram, não apenas na minha presença, mas agora muito mais na minha ausência, trabalhem sua própria salvação com temor e tremor. Pois é Deus quem opera em vocês tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade.

Façam todas as coisas sem murmúrios e disputas: para que sejam irrepreensíveis e sinceros, os filhos de Deus, inculpáveis no meio de uma nação avessa e perversa, entre os quais brilham como luzes no mundo; mantendo a palavra da vida, para que eu me alegre no dia de Cristo, por não ter corrido nem trabalhado em vão.

E se eu for oferecido pelo sacrifício e serviço de sua fé, deleito-me e me alegro com todos vocês. Pela mesma causa também vocês se alegram e se regozijam comigo.

Recomendação de Timóteo e Epafrodito.

Mas eu confio no Senhor Jesus para enviar Timóteo em breve para vocês, para que eu também tenha bom ânimo, quando eu conhecer sobre o seu estado. Pois não tenho homem de opinião semelhante, que naturalmente cuidasse de seu estado. Porque todos buscam o que é seu, não o que é de Jesus Cristo. Mas saibam vocês que ele deu prova de que, como o filho de um pai, serviu comigo no evangelho. Portanto, espero enviá-lo logo, assim que eu ver o que ocorrerá comigo. Mas confio no Senhor que eu também irei em breve.

No entanto, julguei necessário lhes enviar Epafrodito, meu irmão e cooperador de trabalho, e companheiro de batalha, mas seu mensageiro e aquele que atendia às minhas necessidades. Porque ele tinha saudades de todos vocês, e estava muito angustiado, porque ouviram que ele estava doente. Pois, de fato, estava doente próximo da morte; mas Deus teve misericórdia dele; e não somente nele, mas também de mim, para que eu não tenha tristeza sobre tristeza. Enviei-o, portanto, com mais cuidado, para que, quando o virem novamente, vocês se regozijem e eu fique menos triste. Portanto, receba-o no Senhor com toda alegria; e mantenham tal reputação: porque, pela obra de Cristo ele esteve perto da morte, não levando em conta a sua vida, para suprir a sua falta de serviço para comigo.

3

Advertência contra a justiça própria do homem.

Finalmente, meus irmãos, regozijem-se no Senhor. Escrever as mesmas coisas para vocês, para mim, de fato, não é doloroso, mas para vocês é seguro.

Cuidado com os cães, cuidado com os trabalhadores maus, cuidado com a mutilação. Porque nós somos a circuncisão, que adoramos a Deus no espírito, e nos alegramos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne, embora eu também possa ter confiança na carne. Se qualquer outro homem pensa que pode confiar na carne, eu mais: circuncidado no oitavo dia, do rebanho de Israel, da tribo de Benjamim, um hebreu dos hebreus; como diz a lei, um fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da igreja; conforme a justiça que há na lei, irrepreensível.

Mas, para mim, o que era ganho, passei a considerar perda, por Cristo. Sim, sem dúvida, conto todas as coisas como perda, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por quem sofri a perda de todas as coisas, e as considero apenas esterco, para que eu possa ganhar a Cristo, e seja achado n’Ele, não tendo a minha própria justiça, que é da lei, mas a que é pela fé de Cristo, a justiça que é de Deus pela fé. Para que eu O conheça, e o poder de Sua ressurreição e a comunhão de Seus sofrimentos, tornando-se conforme à Sua morte; se, por qualquer meio, eu alcançar a ressurreição dos mortos.

Prosseguindo para a marca do prêmio.

Não como se eu já tivesse alcançado, ou já fosse perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o qual também Cristo Jesus me alcançou. Irmãos, não me considero que já o tenha alcançado; mas faço uma coisa, esquecendo as coisa que ficaram e estendendo a mão às coisas virão; prossigo em direção à marca do prêmio do alto chamado de Deus em Cristo Jesus.

Sejamos, portanto, todos os que são aperfeiçoados, assim igualmente em pensamento: e se em alguma coisa vocês tiverem outra opinião, Deus revelará até mesmo isso para você. No entanto, a que já alcançamos, andemos pela mesma regra, lembrem-se da mesma coisa.

Irmãos, sejam meus seguidores juntos, e observem os que assim andam, tal como vocês nos têm por exemplo. Porque muitos andam, dos quais eu já mencionei muitas vezes, e agora digo até chorando, que são os inimigos da cruz de Cristo: cujo fim é a destruição, cujo deus é o seu ventre, e cuja glória está na sua própria vergonha, que se ocupam das coisas terrenas. Mas a nossa conversa está no céu; de onde também procuramos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo: que mudará nosso corpo vil, para que seja modelado como o Seu corpo glorioso, de acordo com o trabalho pelo qual Ele é capaz, o de subjugar todas as coisas para Si mesmo.

4

Últimos conselhos.

Portanto, meus irmãos amados e queridos, minha alegria e coroa, permaneçam firmes no Senhor, meus amados.

Peço a Evódia e a Síntique que sejam da mesma mente no Senhor. E também lhe peço, verdadeiro colega de trabalho, para ajudar as mulheres que trabalharam comigo no evangelho, também com Clemente e com outros colegas de trabalho, cujos nomes estão no Livro da Vida.

Alegrem-se sempre no Senhor; e novamente digo: Alegrem-se.

Deixem sua moderação ser conhecida por todos os homens. O Senhor está próximo.

Não se inquietem por nada; mas em tudo, pela oração e súplica com ação de graças, sejam feitos conhecidos seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará seus corações e mentes por meio de Cristo Jesus.

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é agradável, tudo o que é de boa reputação; se houver alguma virtude e se houver algum elogio, pensem nessas coisas. As coisas que vocês aprenderam, e receberam, e ouviram, e viram em mim, façam-no; e o Deus da paz estará com vocês.

Gratidão pela generosidade dos filipenses.

Mas eu me alegrei muito no Senhor, porque agora finalmente seus cuidados comigo voltaram a florescer; no qual vocês sempre foram cuidadosos, mas não tinham oportunidade. Não que eu fale em relação à falta, pois aprendi, em qualquer estado em que eu esteja, a estar contente. Sei como ser humilhado e como abundar: em todo lugar e em todas as coisas sou instruído a estar satisfeito e a ter fome, a ter abundância e a sofrer necessidade. Eu posso fazer todas as coisas através de Cristo, que me fortalece.

Não obstante, fizeram bem em compartilhar a minha aflição. Agora, os filipenses sabem também que, no começo do evangelho, quando eu parti da Macedônia, nenhuma igreja compartilhou comigo em relação a dar e receber, mas somente vocês. Pois mesmo em Tessalônica, vocês enviaram uma e outra vez o que eu necessitava. Não porque desejo um presente, mas desejo frutos que possam abundar em sua conta. Mas eu tenho tudo e sou abundante: estou satisfeito, tendo recebido de Epafrodito as coisas que lhe foram enviadas, um odor de cheiro doce, um sacrifício aceitável, agradável a Deus. Mas meu Deus suprirá todas as suas necessidades, de acordo com suas riquezas na glória em Cristo Jesus. Agora, para Deus e nosso Pai, seja glória para todo o sempre. Amém.

Saudações e benção.

Saúdem cada santo em Cristo Jesus. Os irmãos que estão comigo os cumprimentam. Todos os santos os saúdam, principalmente os que são da casa de César.

A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vocês. Amém.