Hebreus 7

1. Por este Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que encontrou Abraão voltando da matança dos reis e o abençoou;

2. A quem Abraão também deu uma décima parte de todos; primeiro sendo por interpretação rei da justiça, e depois também rei de Salém, que é rei da paz;

3. Sem pai, sem mãe, sem descendência, sem princípio de dias nem fim de vida; mas feito semelhante ao Filho de Deus; permanece um sacerdote continuamente.

4. Agora considere o quão grande era este homem, a quem até o patriarca Abraão deu o décimo dos despojos.

5. E em verdade os que são dos filhos de Levi, que recebem o ofício do sacerdócio, têm o mandamento de levar o dízimo do povo de acordo com a lei, isto é, de seus irmãos, embora saiam dos lombos de Abraão:

6. Mas aquele cuja descendência não é contada recebeu o dízimo de Abraão e abençoou o que tinha as promessas.

7. E sem qualquer contradição, o menor é abençoado pelo maior.

8. E aqui os homens que morrem recebem o dízimo; mas ali os recebe, de quem é testemunhado que vive.

9. E, como posso dizer, Levi também, que recebe dízimos, pagou dízimos por Abraão.

10. Pois ele ainda estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque o conheceu.

11. Ora, se havia perfeição através do sacerdócio levítico (pois, sob o povo recebeu a lei), que necessidade adicional havia de que outro sacerdote surgisse após a ordem de Melquisedeque, e não fosse considerado após a ordem de Arão?

12. Para que o sacerdócio seja mudado, é necessária uma mudança também da lei.

13. Pois aquele de quem essas coisas são ditas pertence a outra tribo, da qual ninguém compareceu ao altar.

14. Pois é evidente que nosso Senhor brotou de Judá; da qual tribo Moisés não falou nada sobre o sacerdócio.

15. E é ainda muito mais evidente: pois, depois da semelhança de Melquisedeque, surge outro sacerdote,

16. Que foi feito, não segundo a lei de um mandamento carnal, mas após o poder de uma vida sem fim.

17. Pois ele testifica: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.

18. Pois há um anulamento de um mandamento anterior por causa de sua fraqueza e ineficácia.

19. Pois a lei não aperfeiçoou nada, mas trouxe uma esperança melhor; pela qual nos aproximamos de Deus.

20. E, como não sem juramento, foi feito sacerdote.

21. (Pois aqueles sacerdotes foram feitos sem juramento; mas isto com juramento daquele que lhe disse: O Senhor jurou e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque :)

22. Jesus também se tornou a certeza de um convênio melhor.

23. E, de fato, foram feitos sacerdotes muitos em número, porque pela morte eles são impedidos de continuar:

24. Mas ele, por permanecer para sempre, tem seu sacerdócio imutável.

25. Portanto, ele também é capaz de salvar ao máximo aqueles que se aproximam de Deus através dele, visto que ele sempre vive para fazer intercessão por eles.

26. Porque um sumo sacerdote nos parecia bom, que é santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e elevado acima dos céus;

27. Quem não precisa diariamente, como aqueles sumos sacerdotes, oferecer sacrifícios, primeiro por seus próprios pecados, e depois pelos pecados do povo: por isso ele fez uma vez por todas, quando se ofereceu.

28. Porque a lei faz homens sumos sacerdotes que são debilitados; mas a palavra do juramento, que era segundo a lei, designa um Filho, aperfeiçoado para sempre.