Jeremias 2

1. E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:

2. Vai e clama aos ouvidos de Jerusalém, dizendo: Assim diz o Senhor; lembro-me de ti, da bondade da tua mocidade, do amor do teu noivado, quando foste atrás de mim no deserto, numa terra que não foi semeada.

3. Israel foi santidade ao Senhor, e as primícias do seu crescimento; todos os que o devoram o ofenderão; o mal cairá sobre eles, diz o SENHOR.

4. Ouvi a palavra do Senhor, ó casa de Jacó, e todas as famílias da casa de Israel:

5. Assim diz o Senhor: Que iniquidade vossos pais encontraram em mim, que se afastaram de mim, andaram após a vaidade e se tornaram vaidosos?

6. Nem disseram eles: Onde está o Senhor que nos tirou da terra do Egito, que nos levou pela vastidão, por uma terra de desertos e poços, por uma terra seca e pela sombra da morte, através de uma terra pela qual ninguém passou, e por onde ninguém habitava?

7. E te trouxe a um país abundante, para comer o fruto e a bondade dele; mas, quando entrastes, contaminastes a minha terra e fizeste da minha herança uma abominação.

8. Os sacerdotes não disseram: Onde está o Senhor? E os que tratam da lei não me conheciam; os pastores também transgrediram contra mim e os profetas profetizaram por Baal, e andaram atrás de coisas que não tinham proveito.

9. Pelo que eu ainda suplicarei contigo, diz o Senhor, e aos filhos dos teus filhos suplicarei.

10. Para passar pelas ilhas de Quitim, e veja; e envie a Quedar, e considere diligentemente, e veja se existe algo assim.

11. Alguma nação mudou seus deuses, que ainda não eram deuses? Mas meu povo mudou sua glória por aquilo que não aproveita.

12. Surpreenda-se, ó céus, com isso, e tenha muito medo, fique muito desolado, diz o Senhor.

13. Pois meu povo cometeu dois males; abandonaram-me, a fonte das águas vivas, e cavaram cisternas, porém cisternas quebradas, que não podem reter água.

14. Israel é um servo? Ele é um escravo nascido em casa? Por que ele é mimado?

15. Os jovens leões rugiram sobre ele, e gritaram, e destruíram sua terra: suas cidades são queimadas, sem habitantes.

16. Também os filhos de Nofe e Tafnes quebraram a coroa da tua cabeça.

17. Não conseguiu isso para si mesmo, por ter abandonado o Senhor teu Deus, quando ele te guiou pelo caminho?

18. E agora, o que fazes no caminho do Egito, estando a beber as águas de Sior? Ou o que tens de fazer no caminho da Assíria, para beber as águas do rio?

19. A tua própria maldade te corrigirá, e os teus desvios te reprovarão; sabe, pois, e vê que é uma coisa má e amarga, que abandonaste o SENHOR teu Deus, e que o meu temor não está em ti, diz o Senhor DEUS dos exércitos.

20. Desde tempos antigos quebrei o teu jugo, e quebrei os tuas faixas; e tu disseste: Eu não transgredirei; quando sobre toda colina alta e debaixo de toda árvore verde tu vagas, procedendo como uma prostituta.

21. No entanto, eu te plantei uma videira nobre, uma semente totalmente correta; como então você se tornou a planta degenerada de uma videira estranha para mim?

22. Porque, embora te lave com soda cáustica e use em ti muito sabão, ainda assim a tua iniquidade está marcada diante de mim, diz o Senhor DEUS.

23. Como podes dizer: Não estou maculado, não fui atrás de Baalim? Vê o teu caminho no vale, sabe o que fizeste: és um dromedário veloz que atravessa os seus caminhos;

24. Uma jumenta selvagem acostumada ao deserto, que sopra o vento conforme a sua vontade; em sua ocasião, quem pode afastá-la? Todos os que a procuram não se cansarão; no mês dela eles a encontrarão.

25. Impede que o teu pé não esteja calçado, e a tua garganta de ter sede; mas tu disseste: Não há esperança; não; porque amei estranhos e depois deles irei.

26. Como o ladrão se envergonha ao ser encontrado, a casa de Israel também se envergonha; eles, seus reis, seus príncipes, seus sacerdotes e seus profetas.

27. Dizendo a uma madeira: Tu és meu pai; e a uma pedra: me geraste; porque viraram as costas para mim e não o rosto; mas, no tempo da angústia, dirão: Levanta-te e salva-nos.

28. Mas onde estão os teus deuses que para ti fizeste? Levantem-se, se puderem te salvar no tempo da tua angústia; porque, segundo o número das tuas cidades, são teus deuses, ó Judá.

29. Por que você pedirá comigo? Todos vós transgredistes contra mim, diz o Senhor.

30. Em vão feri seus filhos; eles não receberam correção: sua própria espada devorou ​​seus profetas, como um leão destruidor.

31. Ó geração, vede a palavra do Senhor. Fui um deserto para Israel? Uma terra de trevas? Portanto diz o meu povo: Somos senhores; não iremos mais a ti?

32. Uma empregada pode esquecer seus ornamentos, ou uma noiva seu traje? No entanto, meu povo me esqueceu dias incontáveis.

33. Por que esmeras o teu caminho para buscar o amor? Por isso também ensinaste aos iníquos os teus caminhos.

34. Também nas tuas saias se encontra o sangue das almas dos pobres inocentes: não o encontrei por busca secreta, mas sobre todas estas.

35. Mas tu dizes: Porque sou inocente, certamente a sua ira se desviará de mim. Eis que implorarei contigo, porque dizes que não pequei.

36. Por que você quer tanto mudar o seu caminho? Também serás envergonhado do Egito, como da Assíria.

37. Sim, sairás dele, e as mãos sobre a cabeça; porque o Senhor rejeitou as tuas confidências, e nelas não prosperarás.