João 2

O casamento de Caná.

1E no terceiro dia houve um casamento em Caná da Galileia; e a mãe de Jesus estava lá: 2e Jesus também foi convidado, e seus discípulos, para o casamento. 3E acabando o vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: “Eles não têm vinho”.

4E Jesus disse-lhe: “Mulher, que tenho Eu contigo? Minha hora ainda não chegou”.

5Sua mãe disse aos servos: “Façam tudo o que Ele os disser”.

6Ora, havia seis potes de pedra fixados ali, segundo a maneira de purificação dos judeus, contendo dois ou três odres cada. 7Jesus disse-lhes: “Encham de água as talhas”. E eles os encheram até a borda. 8E disse-lhes: “Tirem agora e levem ao chefe da festa”. E eles descobriram isso. 9E quando o regente da festa provou a água que agora se transformou em vinho, e não sabia de onde era (mas os servos que haviam tirado a água sabiam), o regente da festa chamou o noivo 10e disse-lhe: “Todo homem põe-se primeiro o bom vinho; e depois, quando os homens beberam livremente, o que é pior: você guardou o vinho bom até agora”.

11Este início de Seus sinais fez Jesus em Caná da Galileia, e manifestou Sua glória; e Seus discípulos creram nele.

12Depois disso, Ele desceu a Cafarnaum, Ele, Sua mãe, Seus irmãos e Seus discípulos; e ali não ficaram muitos dias.

 

A purificação do templo.

13E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. 14E Ele achou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e assentados os cambistas; 15e fez um açoite de cordas, e expulsou todos do templo, tanto as ovelhas como os bois; e ele derramou o dinheiro dos cambistas e derrubou suas mesas; 16e aos que vendiam as pombas disse: “Tirem daqui estas coisas; não façam da casa de meu Pai uma casa de mercadoria”. 17Seus discípulos lembraram-se do que está escrito: “O zelo da Sua casa Me consumirá”.

18Responderam, pois, os judeus, e disseram-lhe: “Que sinal nos mostra, visto que faz estas coisas?”.

19Jesus respondeu, e disse-lhes: “Destruí este templo e em três dias o levantarei”.

20Disseram, pois, os judeus: “Este templo esteve em construção durante quarenta e seis anos; quer levantá-lo em três dias?”.

21Mas Ele falou do templo do seu corpo. 22Portanto, quando Ele ressuscitou dos mortos, Seus discípulos se lembraram de que Ele havia falado isso; e eles creram na Escritura e na palavra que Jesus havia dito.

23Ora, quando Ele estava em Jerusalém na páscoa, durante a festa, muitos creram em Seu nome, vendo os sinais que Ele fez. 24Mas Jesus não confiou a Si mesmo neles, porque Ele conhecia todos os homens; 25não precisava que ninguém desse testemunho a respeito do homem; pois Ele mesmo sabia o que havia no homem.