ad

Malaquias 3

A Vinda do Mensageiro.

1“Eis que enviarei o Meu mensageiro,

E Ele preparará o caminho diante de Mim:

E o Senhor, a quem vocês buscam,

De repente virá ao Seu templo,

Até mesmo o Mensageiro da aliança,

De quem você se delicia:

Eis que Ele virá”,

Diz o Senhor dos exércitos.


2“Mas quem suportará o dia de Sua vinda?

E quem subsistirá quando Ele aparecer?

Pois Ele é como o fogo do refinador,

E como sabão de lavandeiros:

3E Ele se assentará como um refinador e purificador de prata:

E Ele purificará os filhos de Levi,

E os purificará como ouro e prata,

Para que eles possam oferecer ao Senhor

Uma oferta em justiça”.


4“Então será a oferta de Judá e Jerusalém

Ser agradável ao Senhor,

Como nos velhos tempos,

E como nos anos anteriores.

5E Eu chegarei perto de vocês para julgamento;

E Eu serei uma testemunha rápida

Contra os feiticeiros,

E contra os adúlteros,

E contra os falsos juradores,

E contra aqueles que oprimem o trabalhador em seu salário,

A viúva e o órfão,

E os que desviam o estrangeiro de seu direito,

E não Me temem”,

Diz o Senhor dos exércitos.


6“Pois Eu, o Senhor, não mudo;

Portanto, vocês, filhos de Jacó, não serão consumidos.

7Mesmo desde os dias de seus pais

Vocês estão longe de minhas ordenanças,

E não as guardam.

Voltem-se para Mim, e Eu voltarei para vocês”,

Diz o SENHOR dos Exércitos.

Mas vocês dizem,

“Para onde devemos voltar?”.


Não roubar a Deus.

8“Um homem roubará a Deus?

Todavia vocês me roubam.

Mas vocês dizem,

‘Em que Lhe roubamos?’

Nos dízimos e nas ofertas.

9Vocês estão amaldiçoados com uma maldição:

Pois vocês Me roubaram,

Até mesmo esta nação inteira.

10Tragam todos os dízimos para a casa do tesouro,

Que haja carne em Minha casa,

E provem-Me agora nisto”,

Diz o Senhor dos exércitos,

“Se Eu não lhes abrir as janelas do céu,

E derramar tamanhas bênçãos,

Que não haverá espaço suficiente para recebê-las”.


11“E vou repreender o devorador por sua causa,

E ele não destruirá os frutos da sua terra;

Nem a sua vide lançará frutos antes do tempo no campo”,

Diz o Senhor dos exércitos.

12“E todas as nações os chamarão bem-aventurados:

Pois vocês serão uma terra de deleite”,

Diz o Senhor dos exércitos.


O triunfo dos virtuosos no dia do Senhor.

13“Suas palavras foram fortes contra mim”,

Diz o Senhor.

“No entanto, vocês dizem,

‘O que temos falado tanto contra Ti?’

14Vocês dizem,

‘É vão servir a Deus:

De que nos aproveitou guardarmos Sua ordenança,

E termos caminhado tristemente

Diante do Senhor dos exércitos?

15E agora chamamos os orgulhosos de felizes;

Sim, os que praticam a iniquidade são constituídos;

Sim, aqueles que tentam a Deus são até mesmo libertos’.”


16Então, os que temiam ao Senhor falavam frequentemente uns aos outros:

E o Senhor atentou e ouviu,

E um livro de recordações foi escrito diante d’Ele

Para os que temiam ao Senhor,

E para aqueles que meditavam em Seu nome.


17“E eles serão Meus”, diz o Senhor dos exércitos,

“Naquele dia em que preparo Minhas joias;

E vou poupá-los,

Como um homem poupa seu próprio filho que o serve”.

18Então, retornarão e discernirão

Entre os justos e os ímpios,

Entre aquele que serve a Deus

E aquele que não O serve.