Romanos 15

1. Nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos.

2. Que cada um de nós agrade ao próximo pelo que é bom, para edificação.

3. Pois Cristo também não agradou a si; mas, como está escrito, as acusações daqueles que te criticaram caíram sobre mim.

4. Porque tudo o que foi escrito anteriormente foi escrito para o nosso aprendizado, para que, pela paciência e conforto das escrituras, tenhamos esperança.

5. Agora, o Deus da paciência e do consolo concede que você seja semelhante um ao outro de acordo com Cristo Jesus:

6. Para que, com uma mente e uma boca, glorifique a Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

7. Portanto, recebeis uns aos outros, como Cristo também nos recebeu para a glória de Deus.

8. Agora digo que Jesus Cristo foi um ministro da circuncisão da verdade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos pais:

9. E para que os gentios glorifiquem a Deus por sua misericórdia; como está escrito: Por esta causa te confessarei entre os gentios, e cantarei em teu nome.

10. E outra vez disse: Alegrai-vos, gentios, com o seu povo.

11. E novamente: Louvai ao Senhor, todos vós gentios; E que todos os povos o louvem.

12. E novamente, diz Isaías: Haverá uma raiz de Jessé, e aquele que se levantar para reinar sobre os gentios; nele os gentios confiarão.

13. Agora, o Deus da esperança enche-vos de toda alegria e paz em crer, para que sejais abundantes em esperança, pelo poder do Espírito Santo.

14. E eu também estou convencido de vocês, meus irmãos, de que também são cheios de bondade, cheios de todo o conhecimento, capazes também de advertir uns aos outros.

15. No entanto, irmãos, escrevi-vos de maneira mais ousada, de certa forma, como lembrando-os, por causa da graça que me é dada por Deus,

16. Que eu seja o ministro de Jesus Cristo para os gentios, ministrando o evangelho de Deus, para que a oferta dos gentios seja aceitável, sendo santificada pelo Espírito Santo.

17. Tenho, portanto, minha glória em Cristo Jesus nas coisas que pertencem a Deus.

18. Porque não ousarei falar de nada daquilo que Cristo não fez por mim, para fazer os gentios obedientes, por palavras e ações,

19. No poder dos sinais e maravilhas, no poder do Espírito Santo; de modo que desde Jerusalém, e até o Ilírico, tenho pregado completamente o evangelho de Cristo;

20. Sim, esforcei-me por pregar o evangelho, não onde Cristo foi chamado, para que eu não edificasse sobre o fundamento de outro homem.

21. Mas como está escrito: A quem ele não foi mencionado, verão: e os que não ouviram entenderão.

22. Por isso também muitas vezes fui impedido de vir até vocês:

23. Mas agora, não tendo mais lugar nessas regiões, e tendo muitos anos um desejo de chegar até vocês.

24. Quando eu viajar para a Espanha, irei até vocês: pois confio em vê-los em minha jornada e em ser levado por vocês, estando primeiro satisfeito por um pouco da vossa companhia.

25. Mas agora vou a Jerusalém para ministrar aos santos.

26. Pois agradou a Macedônia e a Acaia dar uma certa contribuição aos santos pobres que estão em Jerusalém.

27. Agradou-os verdadeiramente; e seus devedores eles são. Pois se os gentios foram feitos participantes de suas coisas espirituais, seu dever também é ministrar a eles em coisas carnais.

28. Quando, pois, eu tiver conseguido isso e selado a eles esse fruto, continuarei por vós para a Espanha.

29. E tenho certeza de que, quando eu vier a vocês, virei na plenitude da bênção do evangelho de Cristo.

30. Agora, irmãos, peço-lhes, por amor do Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que vocês se esforcem comigo em suas orações a Deus por mim;

31. Para que eu seja libertado daqueles que não acreditam na Judeia; e que meu serviço que presto a Jerusalém seja aceito pelos santos;

32. Para que eu possa chegar até vocês com alegria pela vontade de Deus, e que vocês sejam revigorados.

33. Agora, o Deus da paz esteja com todos vocês. Amém.