Romanos 2

1. Portanto, ó homem, és indesculpável, seja quem quer que julgue; pois no que julga outro, se condena; pois tu, que julgas, praticas as mesmas coisas.

2. Mas temos certeza de que o julgamento de Deus está de acordo com a verdade contra aqueles que cometem tais coisas.

3. E você pensa isto, ó homem, que julga aqueles que fazem tais coisas, e fazem o mesmo, para escapar do juízo de Deus?

4. Ou desprezas as riquezas de sua bondade, paciência e longanimidade; sem saber que a bondade de Deus é que te leva ao arrependimento?

5. Mas, após a tua dureza e coração impenitente, acumulas ira para ti no dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus;

6. Que retribuirá a cada um segundo as suas obras:

7. Para aqueles que, com paciência no bem, buscam glória, honra e incorrupção, vida eterna:

8. Mas aos que são contenciosos, e não obedecem à verdade, mas obedecem à injustiça, indignação e ira,

9. Tribulação e angústia, sobre toda alma do homem que pratica o mal, primeiro dos judeus e também dos gentios;

10. Mas glória, honra e paz a todo homem que pratica o bem, primeiro ao judeu e também aos gentios;

11. Pois não há acepção de pessoas por Deus.

12. Porque todos os que pecaram sem lei também perecerão sem lei; e todos os que pecaram na lei serão julgados pela lei;

13. (Pois os ouvintes da lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei serão justificados.

14. Pois quando os gentios que não têm lei praticam por natureza as coisas da lei, estes, sem lei, são uma lei para si mesmos;

15. Na medida em que mostram a obra da lei escrita em seus corações, sua consciência é testemunha disso, e seus pensamentos, tanto um como o outro, os acusando ou desculpando;

16. No dia em que Deus julgará os segredos dos homens, segundo o meu evangelho, por Jesus Cristo.

17. Mas se tu levas o nome de judeu, e descansas na lei, e te glorias em Deus,

18. E conhece a sua vontade e aprova as coisas mais excelentes, sendo instruído pela lei,

19. E confia que és um guia dos cegos, uma luz dos que estão nas trevas,

20. Instrutor de tolos, professor de pequenos, tendo na lei a forma de conhecimento e de verdade;

21. Tu, pois, que ensinas a outro, não ensinas a ti mesmo? Tu que pregas a um homem que não deve roubar, roubas?

22. Tu que dizes que um homem não deve cometer adultério, cometerás adultério? Tu que detestas ídolos, cometes sacrilégio?

23. Tu que glorias na lei, por tua transgressão da lei desonras a Deus?

24. Pois o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por sua causa, tal como está escrito.

25. Porque a circuncisão realmente é proveitosa, se guardar a lei; mas se for violador da lei, a sua circuncisão se torna incircuncisa.

26. Portanto, se a incircuncisão guarda a justiça da lei, sua incircuncisão não deve ser considerada circuncisão?

27. E a incircuncisão que, por natureza, se cumprir a lei, não julgará quem, pela letra e pela circuncisão, transgride a lei?

28. Pois não se é judeu aqueles que são exteriormente; nem é a circuncisão, que é externa da carne;

29. Mas se é judeu o que é no interior; e a circuncisão é a do coração, no espírito, e não na letra; cujo louvor não é dos homens, mas de Deus.