Salmo 18

1. Eu te amarei, ó SENHOR, minha força.

2. O Senhor é minha rocha, minha fortaleza e meu libertador; meu Deus, minha força, em quem eu confiarei; meu rochedo, e a força da minha salvação, e minha torre alta.

3. Invocarei o Senhor, que é digno de louvor; assim serei salvo dos meus inimigos.

4. As tristezas da morte me cercaram, e as inundações de homens ímpios me assustaram.

5. As dores do inferno me cercaram: as armadilhas da morte me impediram.

6. Na minha angústia, invoquei o Senhor e clamei ao meu Deus; ele ouviu a minha voz do seu templo, e o meu clamor veio diante dele, até os seus ouvidos.

7. Então a terra se abalou e tremeu; os fundamentos das colinas também se mexeram e foram abalados, porque ele se enfureceu.

8. Saiu fumaça de suas narinas e ​​fogo de sua boca consumiu; brasas foram acesas por ele.

9. Também inclinou os céus e desceu; e havia trevas debaixo de seus pés.

10. Montou num querubim e voou; sim, voou sobre as asas do vento.

11. Ele fez da escuridão seu lugar secreto; seu pavilhão ao seu redor eram águas escuras e nuvens espessas dos céus.

12. Ao brilho que estava diante dele suas nuvens espessas passaram, granizo pedras e brasas de fogo.

13. O Senhor também trovejou nos céus, e o Altíssimo deu a sua voz; pedras de granizo e brasas de fogo.

14. Sim, ele enviou suas flechas e as espalhou; e ele disparou relâmpagos, e os desconcertou.

15. Então os canais das águas foram vistos, e os fundamentos do mundo foram descobertos à tua repreensão, ó Senhor, ao sopro do vento das tuas narinas.

16. Ele enviou do alto, me levou, me tirou de muitas águas.

17. Ele me livrou do meu forte inimigo e daqueles que me odiavam, porque eram fortes demais para mim.

18. Eles me impediram no dia da minha calamidade; mas o Senhor foi o meu sustento.

19. Ele também me trouxe a um lugar grande; ele me livrou, porque se deleitava comigo.

20. O Senhor me recompensou conforme a minha justiça; conforme a pureza das minhas mãos ele me recompensou.

21. Pois guardei os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus.

22. Porque todos os seus juízos estavam diante de mim, e eu não me apartei dos seus estatutos.

23. Eu também estava de pé diante dele, e me guardei da minha iniquidade.

24. Portanto o SENHOR me retribuiu conforme a minha justiça, conforme a pureza das minhas mãos diante dele.

25. Com os misericordiosos te mostras misericordioso; com um homem reto tu te mostras em integridade;

26. Com o puro tu te mostras puro; e com o perverso se mostras rigoroso.

27. Pois tu salvarás o povo aflito; mas derrubará olhares altos.

28. Porque acenderás a minha vela; o Senhor meu Deus iluminará as minhas trevas.

29. Porque, por ti, atravessei uma tropa; e pelo meu Deus eu pulei sobre um muro.

30. Quanto a Deus, o seu caminho é perfeito; a palavra do SENHOR é provada; ele é um escudo para todos os que nele confiam.

31. Pois quem é Deus senão o SENHOR? Ou quem é a rocha senão o nosso Deus?

32. É Deus que me cinge com força e aperfeiçoa o meu caminho.

33. Ele faz os meus pés como os das corças, e me põe nos meus lugares altos.

34. Ele ensina minhas mãos à guerra, de modo que um arco de aço é quebrado pelos meus braços.

35. Também me deste o escudo da tua salvação; e a tua mão direita me levantou, e a tua benignidade me engrandeceu.

36. Aumentaste os meus passos debaixo de mim, para que meus pés não escorregassem.

37. Persegui os meus inimigos e os derrubei; não me voltei até que fossem consumidos.

38. Feri-os para que não pudessem subir; caíram aos meus pés.

39. Pois me cinges de força na batalha; subjugaste debaixo de mim os que se levantaram contra mim.

40. Tu também me deste o pescoço dos meus inimigos; para que eu destrua os que me odeiam.

41. Eles clamaram, mas não havia quem os salvasse; sim ao Senhor, mas ele não lhes respondeu.

42. Então os moí como o pó diante do vento, e os joguei fora como a terra nas ruas.

43. Você me livrou das lutas do povo; e tu me fizeste cabeça dos gentios; um povo que eu não conhecia me servirá.

44. Assim que souberem de mim, eles me obedecerão; os estrangeiros se submeterão a mim.

45. Os estrangeiros desaparecerão e terão medo em seus lugares.

46. ​​O Senhor vive; e bendita seja minha rocha; e exalte o Deus da minha salvação.

47. É Deus que me vinga e subjuga o povo debaixo de mim.

48. Ele me livra dos meus inimigos; sim, tu me elevas acima dos que se levantam contra mim; tu me livraste do homem violento.

49. Portanto, ó SENHOR, te louvarei entre os gentios, e cantarei louvores ao teu nome.

50. Grande libertação ele dá a seu rei; e dá misericórdia ao seu ungido, a Davi e à sua descendência para sempre.