Salmo 89

1. Cantarei para sempre as misericórdias do SENHOR; com a minha boca tornarei conhecida a tua fidelidade a todas as gerações.

2. Porque eu disse: A misericórdia será edificada para sempre: a tua fidelidade estabelecerás nos próprios céus.

3. Fiz uma aliança com os meus escolhidos, jurei a Davi, meu servo,

4. A tua descendência estabelecerei para sempre, e edificarei o teu trono para todas as gerações. Selá.

5. E os céus louvarão as tuas maravilhas, ó SENHOR; a tua fidelidade também na congregação dos santos.

6. Pois quem no céu pode ser comparado ao Senhor? Quem entre os filhos dos poderosos pode ser comparado ao Senhor?

7. Deus deve ser muito temido na assembleia dos santos, e deve ser tido em reverência a todos os que estão a seu redor.

8. Ó SENHOR, Deus dos Exércitos, quem é forte como você, ó SENHOR? Ou à tua fidelidade ao redor de ti?

9. Tu governas a fúria do mar; quando as suas ondas surgem, tu as calas.

10. Quebraste Raabe em pedaços, como um morto; espalhas teus inimigos com o teu braço forte.

11. Os céus são teus, a terra também é tua; quanto ao mundo e à sua plenitude, tu os fundaste.

12. O norte e o sul os criaste: Tabor e Hermon se regozijarão em teu nome.

13. Tu tens um braço poderoso: forte é a tua mão, e alta é a tua destra.

14. Justiça e juízo são a habitação do teu trono; misericórdia e verdade vão adiante de ti.

15. Bem-aventurado o povo que conhece o som alegre; andará, ó Senhor, à luz do teu semblante.

16. Em teu nome se regozijarão o dia todo; e em tua justiça serão exaltados.

17. Pois tu és a glória da sua força; e em teu favor, a nossa trombeta será exaltada.

18. Porque o Senhor é a nossa defesa; e o Santo de Israel é nosso rei.

19. Então, em visão ao teu santo, disseste: Eu ajudei alguém que é poderoso; exaltei um escolhido dentre o povo.

20. Encontrei Davi meu servo; com o meu óleo santo o ungi;

21. Com quem minha mão se firmará: o meu braço também o fortalecerá.

22. O inimigo não exigirá dele; nem o filho da iniquidade o aflige.

23. E derrotarei os seus inimigos diante do seu rosto, e atormentarei os que o odeiam.

24. Mas minha fidelidade e minha misericórdia estarão com ele; e em meu nome será exaltado o seu poder.

25. Também porei a mão no mar, e a mão direita nos rios.

26. Ele clama a mim: Tu és meu pai, meu Deus, e a rocha da minha salvação.

27. Também farei dele o meu primogênito, mais alto que os reis da terra.

28. Minha misericórdia guardarei para ele para sempre, e minha aliança permanecerá firme com ele.

29. Também farei a sua descendência para sempre, e o seu trono como os dias do céu.

30. Se os filhos dele abandonam a minha lei, e não andam nos meus juízos;

31. Se eles violarem os meus estatutos, e não guardarem os meus mandamentos;

32. Então visitarei a sua transgressão com a vara, e a sua iniquidade com açoites.

33. Contudo, a minha benignidade não lhe tirarei totalmente, nem tolerarei que minha fidelidade falhe.

34. Minha aliança não quebrarei, nem alterarei o que saiu dos meus lábios.

35. Uma vez jurei por minha santidade que não mentirei a Davi.

36. A sua descendência durará para sempre, e o seu trono como o sol diante de mim.

37. Será estabelecido para sempre como a lua e como uma testemunha fiel no céu. Selá.

38. Mas tu rejeitaste e aborreceste, e indignaste-te com o teu ungido.

39. Você anulou a aliança do teu servo; profanou a coroa dele, lançando-a no chão.

40. Derrubaste todas as suas sebes; tu estragaste as suas fortalezas.

41. Tudo o que passa pelo caminho estraga-o: ele é um opróbrio aos seus vizinhos.

42. Levantaste a mão direita dos seus adversários; fizeste todos os seus inimigos se alegrar.

43. Também viraste o fio da espada, e não o fizeste ficar na batalha.

44. Fizeste cessar a sua glória, lançaste o seu trono ao chão.

45. Abreviou os dias da sua juventude; cobriste-o de vergonha. Selá.

46. ​​Quanto tempo, Senhor? Esconde-te para sempre? Tua ira queimará como fogo?

47. Lembre-se de quão curto é o meu tempo: por que fizeste todos os homens em vão?

48. Que homem é aquele que vive e não verá a morte? Ele livrará sua alma da mão da sepultura? Selá.

49. Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades, que juraste a Davi na tua verdade?

50. Lembre-se, Senhor, da censura de teus servos; como carrego no meu peito a reprovação de todo o povo poderoso;

51. Com que os teus inimigos repreendem, SENHOR; com que eles reprovaram os passos do teu ungido.

52. Bendito seja o Senhor para sempre. Amém e Amém.