Tiago 1

1. Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, para as doze tribos que estão espalhadas no exterior, saudação.

2. Meus irmãos, contemplem toda a alegria quando caírem em diversas tentações;

3. Sabendo disso, que a tentativa de sua fé opera paciência.

4. Mas que a paciência tenha seu trabalho perfeito, para que sejais perfeitos e inteiros, sem faltar nada.

5. Se algum de vocês não tem sabedoria, peça a Deus, que dá a todos os homens de forma livre, e não o censura; e será dado a ele.

6. Mas deixe ele perguntar com fé, sem vacilo. Pois aquele que vacila é como uma onda do mar levada e lançado pelo vento.

7. Que esse homem não pense que receberá algo do Senhor.

8. Um homem de mente dupla é instável em todos os seus caminhos.

9. Regozije-se o irmão de baixo grau quando for exaltado:

10. Mas o rico é humilhado; porque como a flor da erva ele passará.

11. Porque o sol já não nasce com um calor ardente, mas seca a grama, e a flor dela cai, e a graça de sua forma perece; assim também o rico desaparecerá nos seus caminhos.

12. Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, que o Senhor prometeu aos que o amam.

13. Ninguém diga que, quando é tentado, sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, nem tenta a ninguém.

14. Mas todo homem é tentado, quando é atraído pela sua própria luxúria e seduzido.

15. Então, quando a concupiscência concebe, produz pecado; e o pecado, quando termina, produz a morte.

16. Não erreis, meus amados irmãos.

17. Todo bom presente e todo presente perfeito vêm do alto e descem do Pai das luzes, com quem não há variabilidade nem sombra de mudança.

18. Por sua própria vontade, ele nos gerou com a palavra da verdade, para que sejamos uma espécie de primícias de suas criaturas.

19. Portanto, meus amados irmãos, que todo homem seja rápido em ouvir, lento em falar, lento em irar-se;

20. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus.

21. Portanto separa toda a imundície e superfluidade da maldade e recebe com mansidão a palavra criada em vocês, capaz de salvar suas almas.

22. Mas sede cumpridores da palavra, e não apenas ouvintes, enganando a si mesmos.

23. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante a um homem que vê num espelho o seu rosto natural:

24. Porque ele se vê e segue o seu caminho, e logo esquece que tipo de homem ele era.

25. Mas quem olhar para a perfeita lei da liberdade e continuar nela, não sendo um ouvinte esquecido, mas um executor da obra, esse homem será abençoado por suas ações.

26. Se alguém entre vós parece religioso, e não reprime a língua dele, mas engana o próprio coração, a religião deste homem é vã.

27. Religião pura e imaculada diante de Deus e do Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas em suas aflições e manter-se imaculado do mundo.